É preciso debelar o fogo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 24/03/2017 às 01:19:00

É preciso debelar o fogo

No momento em que o governador Jackson Barreto (PMDB) precisa de pessoas que ajudem na condução da solução de problemas, de bombeiros para apagar focos de incêndio na base aliada, o secretário Almeida Lima (Saúde) coloca gasolina na fogueira.

Em uma demonstração pública de poder e ameaça direta ao grupo Reis, o secretário da Saúde dá o primeiro tiro e inicia uma guerra que ninguém sabe como irá terminar no imbróglio relacionado à Fundação Hospitalar de Saúde (FHS).

Enquanto não trata bem os Reis, recebe com satisfação seus adversários políticos na secretaria: o prefeito Valmir Monteiro (PSC-Lagarto), a vice Hilda Ribeiro e o deputado estadual Gustinho Ribeiro (PRP). Em pauta, discussão de parceria entre o município e a saúde.  

O governador Jackson Barreto está em silêncio, mesmo sendo bombardeado pela oposição e havendo uma insatisfação de deputados aliados na Assembleia Legislativa, e, de forma mais explícita, da bancada federal.

Alguns deputados estaduais estão descontentes com a possibilidade de privatização da Deso e o fato de alguns secretários e presidentes de órgãos serem candidatos a uma cadeira na Assembleia ou indicar um parente.

Na próxima semana, JB deverá sofrer a sua primeira derrota: a bancada federal deve eleger um novo coordenador que, por consenso, desbancará o deputado federal Laércio Oliveira (SD). O parlamentar é o pivô da contrariedade da maioria dos deputados federais aliados, que veem nele o “preferido” do governador. 

O sentimento entre alguns aliados de Jackson é que depois da perda do conselheiro político e amigo Rosalvo Alexandre, o Bocão, JB parece que não tem acertado nas decisões políticas para manter a unidade do grupo.

Para eles, os secretários João Augusto Gama (Planejamento, Orçamento e Gestão) e Zezinho Sobral (Inclusão Social) deixaram de exercer a função de conselheiro preferencial. Os eleitos hoje são os secretários Benedito Figueiredo (Governo) e Almeida Lima (Saúde).

O pior é que desde a era Bené e Almeida, o governo vem sofrendo desgastes desnecessários e rebeliões impensáveis de bem pouco tempo.

Pelo andar da carruagem, se Jackson não tomar a iniciativa de apagar esses focos de incêndio, de forma rápida e efetiva, poderá ter consequências imprevisíveis para o fim do seu governo daqui a um ano e nove meses...

...........................................................................................

O próximo coordenador 1

O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) deve ser o novo coordenador da bancada federal de Sergipe. Ele pode ser escolhido, por consenso, na reunião da bancada marcada para a próxima quarta-feira.

 

O próximo coordenador 2

Se confirmando mesmo o nome de Mitidieri como coordenador da bancada, ele será o terceiro em três meses. O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) vinha como coordenador dos dois primeiros anos do governo Jackson Barreto (PMDB). Em janeiro, por decisão da maioria, o deputado federal Laércio Oliveira (SD) foi o escolhido para o posto. Como Valadares não passou o bastão, a bancada tem hoje dois coordenadores, caminhando para três.

 

Nome aos bois

O deputado estadual Zezinho Guimarães (PMDB) é um dos parlamentares governistas insatisfeito com vários secretários candidatos a um mandato na Assembleia. Cita os secretários Esmeraldo Leal (Agricultura) e Zezinho Sobral (Inclusão Social); o diretor-presidente do DER, Adailton Martins; e ainda o fato do secretário Almeida Lima (Saúde) já trabalhar a candidatura do genro Breno.

 

Ponto de vista 1

De Zezinho sobre os candidatos a Alese em 2018, que estão no governo: “Não é medo de concorrer, mas não concorrer em pé de igualdade. De forma desigual basta filhos de conselheiros”. Disse ainda: “Não é certo defendermos o governo, termos desgaste político e os caras fazendo campanha abertamente, usando a máquina em favor da candidatura”, protestou. 

 

Ponto de vista 2

Com relação à rebelião da bancada federal aliada sobre Laércio Oliveira, Zezinho acha um “absurdo”. “Quando Laércio veio para o governo era um quadro valoroso. Quando disse que pode disputar o Senado, não presta mais”, afirmou o deputado, enfatizando que também não tem cabimento dizerem que Laércio está ocupando muito espaço no governo. “O espaço é mínimo, não mais que todos os aliados”, avalia.

 

Tempo fechou 1

O clima esquentou ontem na Câmara Municipal de Aracaju. Isso porque  vereadores se incomodaram com as declarações do pastor Alves (PRB), de que na Casa tinha “vereador que não chegava ao chulé da prostituta Raabe” (prostituta bíblica), conforme publicado ontem na coluna.

 

Tempo fechou 2

Os mais exaltados com o pastor Alves foram os vereadores Cabo Amintas (PTB) e Fábio Meireles (PPS). Eles queriam saber quais as prostitutas do parlamento e os vereadores que estavam se vendendo. Exigiram que o vereador pastor desse nome aos bois e o acusaram de cometer “excessos”. Alves respondeu que os “ofendidos vestiram a carapuça”. Os ânimos realmente se exaltaram no Legislativo Municipal, com troca de farpas. 

 

Mais um ministro 1

O ministro Osmar Serraglio (Justiça) estará hoje em Sergipe para inaugurar, junto com o governador Jackson Barreto (PMDB), a nova Cadeia Pública de Areia Branca e seu acesso rodoviário. As obras somam um investimento de R$ 13,6 milhões e tem capacidade de abrigar 390 presos.

 

Mais um ministro 2

Serraglio, que atendeu convite do governador feito há 15 dias para vir ao estado inaugurar a obra, é o segundo ministro do presidente Michel Temer a vir a Sergipe nesta semana. O ministro Osmar Terra (Desenvolvimento Social e Agrário) esteve em Sergipe na última terça-feira lançando o Programa Criança Feliz.

 

Terceirização 1

Em discurso ontem na tribuna do Senado, o senador Antonio Carlos Valadares (PSB) lamentou a aprovação, pela Câmara dos Deputados, do projeto que autoriza o trabalho terceirizado de forma irrestrita para qualquer tipo de atividade. “O projeto precariza as relações trabalhistas desfavorecendo a parte mais fraca, o trabalhador”, disse, enfatizando que a Câmara não deveria ter desenterrado de seus arquivos antigo projeto, dos anos 90, ainda da época do governo FHC.

 

Terceirização 2

O correto, na visão do senador, seria a Câmara esperar o fim dos debates e a votação de projeto mais recente sobre o tema, que foi aprovado pelos deputados e enviado ao Senado em 2015 (PLC 30/2015). “Houve uma desatenção com o Senado, além de violência contra os trabalhadores na aprovação de projeto que, entre outros malefícios, amplia de 90 para até 180 dias os contratos temporários de trabalho”, disse.

 

Terceirização 3

Na Câmara, apenas os deputados federais de Sergipe Laércio Oliveira (SD) e André Moura (PSC), que é o líder do governo Temer no Congresso Nacional, votaram favoráveis ao projeto da terceirização.

 

Velho Chico 1

Várias nascentes que abastecem o Rio São Francisco estão morrendo. Se não forem revitalizadas, o Brasil corre o risco de perder bilhões de reais investidos na Transposição. O entendimento é do senador Otto Alencar (PSD–BA), que diz que mais da metade das nascentes na Bahia e em Minas Gerais que abastecem o São Francisco morreram e o rio vem perdendo força. “O mar já entrou 15 km rio adentro. É a chamada cunha salina, que deixa a água fluvial salgada e imprópria para o consumo humano”, disse.

 

Velho Chico 2

O andamento das obras físicas e sociais da Transposição e a revitalização do Rio São Francisco serão avaliados pela Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado (CDR).

 

Veja essa...

Os professores do município de São Cristóvão aderiram à greve, por tempo indeterminado, contra a reforma da previdência. A ex-prefeita Rivanda Farias (PPS), professora da Escola Municipal Martinho de Oliveira Bravo, foi a única da unidade escolar que não aderiu à paralisação por ser contra o movimento paredista no setor de educação e saúde, seja ele da esfera municipal, estadual e federal. “Os únicos prejudicados são os alunos e a comunidade”, avalia.

...essa...

Rivanda chegou ontem na escola, pediu a caderneta para assinar e perguntou pelos alunos. A diretora Ester Batista se recusou a conceder a caderneta e a receber ofício pedindo que comunicasse aos alunos que estaria dando aula. Ainda sugeriu que aderisse à greve. Chateada, a ex-prefeita foi até a delegacia prestar um Boletim de Ocorrência pela recusa da diretora em dar a caderneta e se negar a receber o ofício.

...e essa...

Sem se contentar, a professora solicitou ontem mesmo ao seu advogado que entrasse com mandado de segurança pedindo que lhe fosse assegurado o direito de receber as cadernetas e dar aula. E ontem mesmo, o juiz Manoel Costa Neto concedeu liminar lhe assegurando esse direito. Agora, a diretora terá que convocar os alunos para as aulas da ex-prefeita.  

 

CURTAS  

O deputado Valadares Filho (PSB) foi eleito ontem presidente da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (CINDRA). Ao tomar posse, se comprometeu em promover o debate de temas importantes para o desenvolvimento regional do país, a fim de encontrar mecanismos que possam reduzir as desigualdades regionais e melhorar a qualidade de vida das populações mais carentes.

 

Em pronunciamento ontem no plenário da Câmara, o deputado Adelson Barreto (PR) discursou sobre o Dia Mundial da Água, celebrado mundialmente no dia 22 de março e tendo neste ano como temática: águas residuais. Destacou que no Brasil a lei que estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico entrou em vigor há dez anos com a promessa de garantir a coleta de esgoto e o abastecimento de água a todos os cidadãos.

 

O ex-vice-prefeito José Carlos Machado (PSDB) visitou ontem a Codevasf, onde foi recebido pelo superintendente César Mandarino e alguns técnicos. Foi se informar sobre alguns projetos em andamento e, principalmente, o Canal de Xingó, que considera um “rio” de extrema necessidade e urgência para o sertão.

 

A Câmara Municipal de Aracaju aprovou ontem requerimento 13/2017, de autoria do vereador Jason Neto (PDT), solicitando ao presidente Josenito Vitale (PSD), a criação de uma comissão especial e temporária para análise e elaboração de uma legislação de controle, defesa e proteção dos animais.