Dia bom

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/02/2017 às 00:03:00

Rita Oliveira – 

 

Dia bom

 

Ontem foi um dia positivo para o estado de Sergipe. Só nessa terça-feira o governo federal assinou, no Palácio do Planalto, convênio para a retomada das obras de duplicação da BR – 101, no trecho entre própria e Capela, e para ampliação da pista do Aeroporto de Aracaju.

A duplicação da BR – 101 iniciou ainda no governo Albano Franco e ainda não conseguiu ser concluída após cerca de 20 anos.  Uma das coisas inexplicáveis da política brasileira é se levar tantos anos para execução de uma obra, que é importante para a vida das pessoas que trafegam pelas rodovias.

Com a obra de duplicação inacabada acidentes continuam ocorrendo e pessoas morrendo. Da forma que se encontra, e com pouca sinalização, motoristas saem do trecho duplicado e entram em uma única pista sem perceber que a duplicação já acabou. E é ai que mora o perigo dos acidentes.

O convênio assinado ontem, na ordem de R$ 157 milhões, ainda não vai levar a conclusão dos trechos que faltam para o término da obra de duplicação de toda a BR 101 que corta o estado de Sergipe.  O recurso anunciado é apenas para a obra do trecho que começa na divisa dos estados de Sergipe e Alagoas, ligando Propriá a Capela.  O investimento é pouco e trecho que a obra será retomada não é muito, mas é melhor que nada.

A obra do aeroporto também é importante para o desenvolvimento do estado, por atrair mais turistas para Sergipe com o pouso de aeronaves de maior porte. Serão liberados R$ 40 milhões.

Também ontem o governo federal liberou recursos para o combate à seca no estado, que é a maior dos últimos anos.  Pelo convênio assinado no Ministério da Integração Nacional há um comprometimento de liberar imediatamente R$ 7 milhões para forragem animal e fornecimento de carros-pipa aos 28 municípios que estão em estado de emergência por conta da longa estiagem.

Ainda pelo convênio, o Exército atuará como parte da força-tarefa e na distribuição da água nos municípios mais atingidos.

Tanto no Palácio do Planalto - onde estava o presidente Michel Temer - quanto no Ministério da Integração Nacional, estavam presentes o governador Jackson Barreto (PMDB) e a bancada federal de Sergipe. 

O que menos importa é a discussão de quem viabilizou esses recursos para Sergipe. Governo e bancada trabalharam e foram importantes para a liberação dos recursos que deve amenizar o sofrimento do povo sertanejo com a seca e reduzir o número de acidentes na BR – 101, salvando vidas não só dos sergipanos que trafegam por essa rodovia, mas do povo brasileiro.

O que deveria acontecer, a partir de agora, é a união do governo e de toda a bancada federal para trazer mais recursos para Sergipe. Acabar com essa disputa de quem é o pai da criança. Isso não leva a nada.

Se houver uma união em torno dos interesses de Sergipe as conquistas serão maiores!

....................................................................................

 

Discurso de Temer

O Ministério dos Transportes divulgou matéria ontem com o presidente Michel Temer declarando que a atuação do governo e dos parlamentares da bancada de Sergipe no Senado foi determinante para que a prioridade das obras de duplicação da BR – 101 e do aeroporto fosse mantida. "Vejo que são obras fundamentais para o estado. Isso tudo deriva de uma conjugação de esforços dos governos federal, estadual e municipal", enfatizou.

 

Discurso do ministro

Durante solenidade no Palácio do Planalto para assinatura de convênio para retomada das obras de duplicação da BR – 101e do Aeroporto Santa Maria, o ministro Maurício Quintela (Transportes) declarou em seu discurso que a união do governo e bancada federal ajudou na liberação dos recursos para as obras.

 

Discurso do governador 1

O governador Jackson Barreto não demonstrou satisfação com a retomada da obra de duplicação da BR – 101 somente no trecho de Propriá e Capela. “Agradecemos, mas precisamos de mais, queremos mais. Não queremos apenas o trecho de Capela-Propriá. Queremos toda a conclusão da BR-101 do lado norte e a licitação do trecho Sul, de Estância até a divisa com a Bahia. Pelo tempo que estamos aguardando, não dá mais para o povo sergipano esperar”, declarou.

 

Discurso do governador 2

Jackson também reclamou do governo só ter anunciado apenas a conclusão da pista do aeroporto. “O governador do Estado cumpriu sua parte no convênio firmado com a Infraero. A União, através da Infraero, é devedora. Fizemos o entorno do aeroporto, fizemos o desmonte do morro da Picarreira. Não queremos apenas a conclusão da pista, queremos também a construção do Terminal de Passageiros. Fizemos questão de destacar o valor total da obra, que é de R$300 milhões. Precisamos da ajuda do presidente para  a consolidação dessas obras”, afirmou.

 

Discurso do governador 3

JB também demonstrou insatisfação com a liberação de apenas R$ 7 milhões para o combate à seca. “Temos que reconhecer o esforço, mas é preciso que o Ministério da Integração compreenda que a oferta de água levada ao nosso estado para atender as populações que sofrem com a seca está muito aquém das necessidades da população. Minha fala nesta reunião é de agradecimento, sim, mas também de cobrança, de forma muito clara, da nossa preocupação. Agora, já são 30 municípios em estado de emergência e é necessário ampliar a Operação Carro-pipa. Esperança, nós temos&r dquo;.

 

Discurso do governador 4

Jackson Barreto aproveitou também para cobrar do Ministério da Integração uma atenção ao Canal de Xingó, cujos projetos básicos sequer foram pagos. “Até o projeto do Canal de Xingó, sob responsabilidade da Codevasf, está parado. Enquanto essa obra não nasce, precisamos ampliar o abastecimento das famílias atingidas pela seca”, lembrou.

 

 Fora do tom 1

Deu o que falar o discurso do senador Antônio Carlos Valadares (PSB) durante solenidade no Palácio do Planalto e no Ministério da Integração. É que ao invés de se expressar apenas sobre os atos dos eventos, direcionou seu discurso para a Codevasf, que foi responsável pela indicação da presidente nacional Kenia Régia.

 

Fora do tom 2

No Ministério da Integração Nacional, o senador falou da emenda impositiva que destinou para a Codevasf nacional no valor de R$ 100 milhões. Já no Palácio do Planalto, com a presença do presidente Temer, afirmou que a Companhia estava fazendo um grande trabalho em Sergipe.

 

Fora do tom 3

Segundo um aliado do governador presente às duas solenidades, Valadares ao discursar sobre a Codevasf no ministério parecia que estava se justificando pela emenda que destinou para a Codevasf nacional. E pelos dois discursos, o outro no Planalto, deu a entender que não tinha conhecimento sobre os atos de governo que estavam sendo firmados em favor dos sergipanos.

 

União da bancada 1

Os cinco deputados federais da base aliada do governador Jackson Barreto tomaram café da manhã ontem, em Brasília, com JB, e depois seguiram para o Ministério da Integração Nacional e para a posse do ex-prefeito e ex-deputado Heleno Silva (PRB) no escritório de representação de Sergipe em Brasília. O clima foi de unidade.

 

União da bancada 2

O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) chegou a agradecer ao governador por esse “novo momento”. Ressaltou que todos estarão mais juntos e fortalecidos para defender os interesses de Sergipe.

 

União da bancada 3

Na posse de Heleno Silva, JB pediu que os cinco deputados da sua bancada ajudassem o ex-prefeito a abrir portas nos ministérios. Ressaltou que Heleno, como ex-deputado federal, conhece os caminhos em Brasília para conseguir recursos, mas não tinha mandato. Frisou a necessidade do apoio dos aliados com mandato.

 

 Nepotismo

O Portal da Transparência mostra que o prefeito Valmir Monteiro (PSC-Lagarto) tem quatro familiares no primeiro escalão do seu governo. A mulher Andresa Nascimento é secretária municipal de Desenvolvimento Social e Trabalho; as irmãs Maria Vanda Monteiro e Alissandra dos Reis Monteiro respondem pela Secretaria de Educação e secretária-chefe da Controladoria Geral do Município respectivamente; e o filho Valmir Rafael Silva Monteiro é o secretário da Cultura, Juventude e do Esporte.

 

Veja essa...

 

O líder do governo na Câmara dos Deputados, André Moura (PSC), deixou transparecer a sua insatisfação e decepção pelo fato do cerimonial do Planalto não ter colocado uma cadeira para ele sentar na solenidade para assinatura do convênio para duplicação da BR 101 , onde estavam o presidente Temer, o governador Jackson Barreto e os ministros  Maurício Quintela e Antônio Imbassay. André estava em uma anti sala com todos eles antes e quando chegou ao local da solenidade no Palácio se dirigiu na direção do dispositivo e ficou procurando a cadeira com o seu nome. Ao ver que não tinha lugar para ele sentar, ficou vermelho e fechou a cara. Todos perceberam a sua contrariedade.

-

CURTAS

 

Deu ontem, no G1, que o líder do PMDB na Câmara, Baleia Rossi (SP),  disse que a bancada não reivindica o ministério da Justiça, mas, sim, a liderança do governo na Casa. "A gente entende que o DEM tem a presidência da Câmara, o PSDB, a articulação política, e seria bom o PMDB ter a liderança do governo para completar o quadro", disse.

 

Além do PMDB, o PP também disputa a vaga atualmente ocupada pelo sergipano André Moura (PSC-SE).  O nome do PP é o do deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PB)

 

A posse de Heleno Silva no escritório de representação em Brasília, com staff de secretário, foi bem prestigiada. Além do governador Jackson Barreto, dos deputados federais Fábio Reis (PMDB), Fábio Mitidieri (PSD), Laércio Oliveira (SD), Jony Marcos (PRB) e João Daniel (PT), estavam presentes os deputados estaduais Luciano Bispo (PMDB), que é presidente da Assembleia; Robson Viana (PEN); e Jairo de Glória (PRB); além de deputados federais do PRB de outros estados. 

 

A senadora Maria do Carmo Alves (DEM) esteve com o governador Jackson Barreto e a bancada governista em solenidade no Ministério da Integração Nacional.

 

---------------------------------------------------- 

O prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) já decidiu que os membros da sua equipe de governo que tiverem a pretensão política de concorrer a um mandato eletivo em 2018 devem deixar o cargo em dezembro deste ano.  Segundo Edvaldo, em dezembro ele vai reunir o secretariado e perguntar  se algum vai disputar as eleições. Se alguém se manifestar vai pedir o cargo no final do ano, por entender que não tem cabimento ser candidato e continuar no cargo.  

Pelo menos dois membros da equipe do prefeito tem pretensões políticas em 2018: Mendonça Prado, que é diretor presidente da Emsurb, e Alexandre Figueiredo, que é o controlador geral do município.