Poucos são exemplos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 15/12/2016 às 00:55:00

Rita Oliveira 

 

Poucos são exemplos

 

O Brasil vive uma crise econômica, política e ética sem precedente. O resultado disso é a recessão e a dificuldade financeira enfrentada pelos gestores públicos, empresários e a população de um modo geral.

O cidadão sofre com o desemprego, salário atrasado, com a inflação, aumento de impostos e, consequentemente, a perda do poder de compra. A classe média e pobre é quem mais está sofrendo com esse cenário, por ter muito servidor público estadual e municipal sofrendo com o arrocho salarial, e o que é pior, com o atraso no pagamento do seu vencimento.

A falta de dinheiro circulando no mercado, por conta deste quadro caótico nacional, afeta em cheio a classe empresarial. O resultado disso é que muitas lojas, fábricas e indústrias estão fechando no país já elevando para 13 milhões o número de desempregados.

Com a crise econômica o que faz a diferença é a competência, criatividade e o compromisso do gestor com o povo para gerir a coisa pública de modo que não prejudique a população, o funcionalismo público que trabalha e precisa receber seu salário para pagar suas contas, assim como o aposentado, que trabalhou, já deu a sua contribuição e também precisa da sua aposentadoria para as despesas do dia a dia e a compra de remédios. 

Nessa época de vacas magras, pelo menos dois gestores públicos de Sergipe se destacam: os prefeitos Fernandinho Franco (Muribeca-PSDB) e Valmir de Francisquinho (Itabaiana-PSC). Mesmo sendo uma obrigação constitucional, mas desrespeitada por muitos gestores, eles estão entre os poucos prefeitos de Sergipe que vêm pagando dentro do mês os salários dos servidores, que já pagaram o 13º salário e até o final de dezembro pagam a folha de pessoal deste mês.

Sem falar no fato de que os dois prefeitos estão conseguindo manter a sua cidade limpa, organizada, com os serviços básicos funcionando e pagamento de fornecedores.

Por fazerem a diferença, os prefeitos de Muribeca e Itabaiana foram reeleitos em 02 de outubro com uma votação expressiva. Fernandinho obteve 55,06% dos votos e Valmir um total de 65,83%.

Trocando em miúdos, crise se vence com trabalho, competência, medidas austeras e zelo com a coisa pública...

.................................................................................

Medidas adotadas 1

O prefeito Fernandinho Franco (Muribeca-PSDB) revela que conseguiu a proeza de encerrar o ano de 2016 com os salários dos servidores públicos pagos em dia, inclusive o 13º, nesse momento de dificuldades impostas pela crise econômica e com poucos recursos, mediante as medidas implantadas desde o início da sua gestão. Revela que promoveu redução do número de secretarias e o corte de 30% do salário do prefeito e do vice.

 

Medidas adotadas 2

“Nós reduzimos de 16 para apenas cinco secretarias. E mesmo com essa redução, conseguimos administrar tranquilamente o município”, disse Fernandinho Franco. “Sei que fiz apenas a minha obrigação como gestor. Termino o ano de 2016 muito feliz em poder cumprir com todos os nossos compromissos”, comemora.

 

Neópolis

Um outro gestor que termina a gestão em dia com o servidor público é o prefeito Amintas Diniz (Neópolis-PSD). “No meio das dificuldades que enfrentamos, o servidor é uma das nossas prioridades no município. Reconhecer o servidor é papel da nossa gestão. Com criatividade e priorização de serviços nós conseguimos nos organizar. E, claro, sempre com transparência para a população nos momentos mais difíceis, que precisaram da compreensão de todos", finalizou o prefeito não reeleito.

 

Sem salário de dezembro

O secretário municipal da Fazenda, Jair Andrade, declarou a imprensa que com a aprovação do Projeto de Lei do Refis a Prefeitura de Aracaju está otimista em arrecadar dinheiro suficiente para pagar o 13º salário do servidor público municipal. Praticamente descartou o pagamento do salário de dezembro até o final do ano, até porque ainda não conseguiu concluir a folha de pessoal de dezembro.

 

Disputa pelo comando do DEM

Informações chegadas à coluna dão conta que o presidente da Câmara Municipal de Aracaju Vinícius Porto e o vereador Juvêncio Oliveira estão disputando o comando estadual do DEM. A razão seria o fato do prefeito não reeleito João Alves (DEM) não ter mais condições política nem eleitoral de comandar o partido no estado.

 

Dobradinha em 2018

Ainda de acordo com a fonte, Vinícius e o vice-prefeito José Carlos Machado (PSDB) estão atuando juntos em Brasília para que o DEM fique com o vereador reeleito e que o próprio Machado resgate o comando do PSDB no estado. Os dois pretendem fazer dobradinha em 2018, com Vinícius indo para deputado estadual e Machado para deputado federal.

 

Quem avisa amigo é

Juvêncio, que também foi reeleito vereador, já avisou que se perder para Vinicius o comando do DEM em Sergipe deixa de atuar na oposição e vai para a situação, fazendo parte, inclusive, do bloco político liderado pelo governador Jackson Barreto (PMDB).

 

Sem salário

E por falar em Juvêncio Oliveira, a coluna tem informações que o secretário adjunto da Secretaria Municipal de Administração, Roberto Góes - que respondeu dois meses interinamente pela Articulação Política no lugar do vereador que deixou o cargo para disputar a reeleição - completou três meses sem receber salário.

 

Queixa

Aos amigos, Roberto Góes tem lamentado a ingratidão do agrupamento político do prefeito João Alves pelo fato de no quadro do primeiro e segundo escalão ser o único sem receber salário. Isso porque quando presidente do PSDB colocou o partido à disposição do projeto do grupo de JAF.

 

Novo senadinho

Na Sapore-Grill do Shopping Riomar, onde se encontram jornalistas e políticos, foi comentado ontem a Operação Indeniza-se, que afastou 10 vereadores de Aracaju suspeitos de uso indevido de verbas indenizatórias da Câmara Municipal, tendo assumido os suplentes. Diante disso, foi colocado que os suplentes dos deputados estaduais afastados há cerca de um ano - Augusto Bezerra (DEM) e Paulinho da Varzinhas (PTdoB) – só não entraram na Justiça para assumir o mandato por estarem sendo remunerados para que não acionem a Justiça. Isso realmente precisa ser investigado.

 

Proinveste 1

Os senadores Antônio Carlos Valadares (PSB), Eduardo Amorim (PSC) e Virgínio de Carvalho (PSC) comemoraram ontem a aprovação, no plenário do Senado, de dois requerimentos de autoria dos três pedindo que o Tribunal de Contas da União (TCU) e a Controladoria Geral da União (CGU) se informem sobre operações de crédito entre bancos públicos federais e o Estado de Sergipe, relacionados ao Programa de Apoio ao Investimento dos Estados e Distrito Federal (Proinveste).

 

Proinveste 2

Segundo os requerimentos, mais de 30 obras foram anunciadas pelo governo do estado, em decorrência dessa linha de crédito. Atualmente, porém, algumas dessas obras encontram-se paralisadas, sem qualquer justificativa pública, fato que tem ocasionado prejuízos ao erário e transtornos à população, já que são obras estruturantes e que visam melhorar a qualidade de vida dos sergipanos.

 

Diplomação 1

O dia 19 de dezembro é a data limite para diplomação dos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores eleitos em 02 de outubro. Em razão disso, desde o dia 06 de dezembro os eleitos estão recebendo da Justiça Eleitoral o diploma em que se atesta a aptidão para tomarem posse em seus respectivos cargos em 1º de janeiro.

 

Diplomação 2

Os primeiros diplomados foram os eleitos nos municípios de Moita Bonita, Nossa Senhora Aparecida, Ribeirópolis e São Miguel do Aleixo. Todos eles diplomados no último dia 06 e sob a jurisdição da 26ª Zona Eleitoral.

 

Diplomação 3

Em Aracaju, a cerimônia de diplomação do prefeito eleito Edvaldo Nogueira (PCdoB), da vice-prefeita eleita Eliane Aquino e dos 24 vereadores e suplentes acontecerá nesta quinta-feira, a partir das 17h, no Teatro Atheneu. Na ocasião, os eleitos receberão seus diplomas dos quais constarão o número de votos recebidos, o cargo para o qual foi eleito, entre outras informações.

 

Veja essa...

O suplente de vereador Acácio do Augusto Franco (PMN) denunciou ontem a imprensa que quando estava no exercício do mandato recebeu de um outro vereador a proposta de pagamento de R$ 50 mil (em dinheiro) para votar favorável a um novo reajuste da tarifa de ônibus para 2017. Disse que recusou a proposta, que considerou indecente, e que vai denunciar o fato à polícia e ao Ministério Público. Afirmou, inclusive, que está sendo ameaçado de morte e que somente na justiça dirá o nome do vereador que foi cooptá-lo. A denúncia de Acácio é muita grave e tem que ser apurada pela polícia e o MPE.   

 

CURTA

 

Ontem, na Justiça Federal, teve mais uma oitiva dos envolvidos na Operação Navalha, deflagrada em 2007 pela Polícia Federal. Prestaram depoimento o ex-deputado federal Ivan Paixão e os dirigentes de órgãos públicos na gestão do então governador João Alves (DEM): Vitor Mandarino, Max Andrade e Cleverton Curvelo. Nenhum falou a imprensa.

 

Do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) sobre as recentes medidas do governo Michel Temer: “Esse governo está de brincadeira com o povo. PEC do Teto, Reforma da Previdência, Venda do Pré Sal para multinacionais... só porrada de direita!”

 

Fábio se coloca ainda contrário a decisão da ANAC de permitir cobrança pelas bagagens despachadas nos voos. Vai apresentar projeto de lei proibindo essa medida. “É mais um absurdo desse Governo”, frisa.

 

Já chega a 40 as emendas apresentadas pelos vereadores ao Orçamento da Prefeitura de Aracaju do exercício de 2017, fixado em R$ 1,8 bilhão. O orçamento deve ser votado nesta quinta-feira em redação final.

 

O secretário Antônio Hora (Justiça) comparecerá hoje, às 9h, na Sala das Comissões da Assembleia. Atende a requerimento de autoria do deputado estadual Georgeo Passos (PTC), que solicitou esclarecimentos sobre a atual situação do sistema prisional em Sergipe e o que o estado tem feito para solucionar a recente crise, que envolve fugas em massa e assassinatos.

.................................................................. 

O ex-governador, o empresário Albano Franco (PSDB), será homenageado hoje com o Gran Colar da Ordem do Mérito Industrial da Federação das Indústrias do Estado do Mato Grosso do Sul. É a maior comenda da entidade sindical que reúne os industriais sul-mato-grossenses. A entrega acontecerá em sessão solene, a partir da 20 horas, na Casa da Indústria, em Campo Grande. A homenagem é o reconhecimento aos relevantes serviços prestados pelo empresário ao Sistema CNI/SESI/SENAI/IEL, quando ocupou a presidência da Confederação Nacional da Indústria, no período de 1980 a 1994.