Campanha chega ao final

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 30/09/2016 às 00:36:00

Estamos a dois dias das eleições municipais deste ano. Com isso vai encerrando a campanha eleitoral dos candidatos a prefeito e vereador, que foi a mais curta das últimas décadas.
Com a reforma na legislação eleitoral, a campanha foi reduzida de 90 para 45 dias, começando em 16 de agosto. O período de propaganda dos candidatos no rádio e na TV também foi diminuído de 45 para 35 dias, com início em 26 de agosto, no primeiro turno.
Assim, ontem foi o último dia para apresentação do programa eleitoral gratuito no rádio e na televisão referentes ao primeiro turno. Assim como último dia para a realização de debates no rádio e na TV e para a propaganda mediante reuniões públicas ou promoção de comícios e carros de som.
Já hoje é o último dia para a divulgação paga, na imprensa escrita, de propaganda eleitoral e a reprodução, na Internet, de jornal impresso com propaganda eleitoral.
No sábado, um dia antes das eleições, é o último dia para a entrega da segunda via do título eleitoral e para realização da propaganda eleitoral mediante alto-falantes ou amplificadores de som, entre as 8 e as 22 horas.
Também último dia, até às 22 horas, para a distribuição de material gráfico e a promoção de caminhada, carreata, passeata ou carro de som que transite pela cidade divulgando jingles ou mensagens de candidatos.
A campanha encerra como começou, sem muita empolgação e sem clima de eleição tanto na capital quanto no interior do estado. Resumiram-se a pequenas carretas, panfletagens e visitas. Viram-se poucas bandeiras de candidatos nos semáforos e carros com adesivos. Grandes carreatas e panfletagens foram poucas.
Essa foi mesmo a campanha dos três "S" como disse o governador Jackson Barreto (PMDB): Saliva, Santinho e Sola de Sapato.   
A proibição do financiamento eleitoral por pessoas jurídicas contribuiu muito para isso, uma vez que as doações de campanha só puderam ser feitas por pessoas físicas e pelos recursos do Fundo Partidário.  
Com isso, vai sair na vantagem o candidato que já é mais conhecido da população, que tem serviço prestado e é uma liderança na sua comunidade.

Ponto de vista
Do governador Jackson Barreto (PMDB), que andou pelo estado apoiando seus candidatos a prefeito, sobre a mudança na legislação eleitoral que fez com que os candidatos fizessem campanha franciscana: "Acho que melhorou. Só é preciso uma adequação a nova realidade, o que deve ocorrer somente na próxima eleição. Basta compreender que é preciso fazer campanha com pouco dinheiro. A mudança da lei eleitoral acaba com a cultura de que só ganha a eleição quem é rico".

Ibope
Hoje tem pesquisa do Ibope para prefeito de Aracaju, a ser divulgada pela TV Sergipe, no SE TV 2ª edição. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) no dia 24. No período de 24 a 30 foram entrevistados 602 eleitores nos bairros da capital.
Expectativa
de 2º turno 1
O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) acredita na realização do segundo turno para prefeito de Aracaju com os candidatos Edvaldo Nogueira (PCdoB) e Valadares Filho (PSB). A razão maior é os dois estarem liderando todas as pesquisas e haver muitos candidatos a prefeito.

Expectativa
de 2º turno 2
Na sua concepção, no segundo turno os eleitores de direita de João Alves vão apoiar Valadares Filho. "Já aqueles que não simpatizam com os irmãos Amorim e o seu agrupamento político devem apoiar Edvaldo Nogueira, assim como os eleitores dos outros candidatos com origem ligada à esquerda", frisa.

Expectativa
de 2º turno 3
"Não acredito que os eleitores dos candidatos do PSTU, Psol e Rede, que são históricos de esquerda, vão votar na turma do sim do impeachment da presidente Dilma Rousseff", declarou à coluna Fábio Mitidieri.

Confiante nas urnas
Como presidente do PSD, Fábio disse que está otimista com o resultado das urnas para o seu partido. "Temos 26 candidatos a prefeito. Acredito que vamos eleger 15. Hoje somos o partido com o maior número de prefeitos no estado. Temos 12 e devemos ampliar para 15", acredita.

De fora
A eleição municipal acontece nesse domingo e o prefeito João Alves Filho (DEM) não participou de nenhum debate e de entrevistas promovidas pelos veículos de comunicação, por recomendação do seu marketing de campanha. Foi um dos fatores que levou a eleição a ser polarizada entre os candidatos Edvaldo Nogueira (PCdoB) e Valadares filho (PSB).

Motivo de chacota
Com o fim da propaganda eleitoral, o que se comentou muito ontem nas rodas políticas foi as constantes inserções do candidato João Alves em que a senadora Maria do Carmo (DEM) apelou para que o eleitor votasse em JAF como se estivesse dando o voto a ela e pedindo uma nova oportunidade para ele administrar Aracaju.

Tobias Barreto
O candidato a prefeito Diógenes Almeida (PMDB) é um dos que deve ser eleito no pleito desse domingo, de acordo com pesquisa realizada pelo W1EMCAMPO, registrada no último dia 22 no TRE e publicada hoje no Jornal do Dia. Pela pesquisa, Diógenes tem 50,6% das intenções de votos do eleitorado de Tobias Barreto e o seu adversário Cesar Prado (PSL) tem 39,9%. Os outros dois candidatos estão com votação inexpressiva: Adeilson Nogueira (PPL), tem 1,0% das intenções de voto e Edivaldo Pariceiro (PT), apenas 0,8%.  Dos 400 entrevistados entre os dias 23 e 27, apenas 1,5% disseram que votariam branco e nulo e 6,6% disseram não saber ou não responderam. Ainda pela pesquisa, se todos esses indecisos resolverem votar em Cesar Prado, mesmo assim Diógenes estaria eleito.  
Candidaturas deferidas
O pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) julgou ontem alguns recursos de pedido de impugnação de candidatura a prefeito em municípios do interior. Entre os que o TRE negou provimento ao recurso e julgou elegível pela acusação de improbidade administrativa quando prefeito de seus municípios: Orlandinho Andrade (PSD) - Canindé do São Francisco; Marcos Costa (PMDB) - Moita Bonita; e Valmir Monteiro (PSC) - Lagarto.

Foi adiado
Ainda na sessão de ontem, o pleno do TRE adiou o julgamento dos recursos que trata da inelegibilidade do candidato a prefeito de Nossa Senhora do Socorro, Zé Franco (PSDB), por improbidade administrativa quando prefeito do município. Assim como do candidato a prefeito de Neópolis, Dr. Luizinho (PR), por problemas de desincompatibilização de cargos.

Tropas federais
Até a manhã de ontem os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tinham autorizado o envio de Força Federal para 307 localidades em 12 estados, incluindo 12 municípios de Sergipe. Os municípios de Sergipe que o TSE autorizou o envio de tropas federais: Estância, Lagarto, Itabaiana, Canindé do São Francisco, Nossa Senhora do Socorro, Japaratuba, Pirambu, Boquim, Capela, Nossa Senhora das Dores, Ribeirópolis e Poço Verde.

Veja essa...
Do senador Antônio Carlos Valadares (PSB), que continua alfinetando pelas redes sociais o seu desafeto político, o governador Jackson Barreto (PMDB): "A velha política em ação. O governador Jackson Barreto usa poder e pressiona empresários e ocupantes de CCs em favor de Edvaldo Nogueira".

Curtas
Na agenda de hoje do candidato Dr. Emerson (Rede), às 6h30, tem panfletagem no semáforo da Rua Poeta José Sampaio esquina da Av. Augusto Franco; das 14 às 15h, presença no Facebook Live respondendo perguntas ao vivo; às 17h, panfletagem na Avenida Mario Jorge com Rua Urbano Neto; e às 20h, Missa na Paróquia São Lucas.

O candidato a prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) tem na agenda desta sexta-feira participação em panfletagem, às 6h30, e de uma grande caminhada no centro da cidade, com concentração na Praça Fausto Cardoso, às 16h.

Consta na agenda de campanha de Valadares Filho (PSB) de hoje a presença em panfletagem, às 6h30, na Av. Hermes Fontes com Barão de Maruim; às 14h30, caminhada no Loteamento Paraíso do Sul; às 16:30h,  panfletagem na Av. Beira Mar em frente ao Posto Aracaju; e às 18h30, mini carreata no Bairro América.

Como a coluna já tinha anunciado, apenas os candidatos Valadares Filho e Edvaldo Nogueira participaram ontem à noite do debate na TV Sergipe, que começou logo após a novela Velho Chico. O prefeito João Alves (DEM) não compareceu mesmo, por orientação do seu marketing de campanha.

A coluna foi concluída às 21h, portanto antes do início do debate que teria uma duração de 45 minutos e divisão em quatro blocos.