O cenário que se desenha

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O líder do governo na Câmara, André Moura (PSC), participou de reunião ontem com o presidente Michel Temer, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ), os ministros Henrique Meirelles e Eliseu Padilha, e o deputado federal Esperidião Amin (PP/SC) para
O líder do governo na Câmara, André Moura (PSC), participou de reunião ontem com o presidente Michel Temer, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ), os ministros Henrique Meirelles e Eliseu Padilha, e o deputado federal Esperidião Amin (PP/SC) para

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 09/08/2016 às 08:48:00

O líder do governo na Câmara, André Moura (PSC), participou de reunião ontem com o presidente Michel Temer, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ), os ministros Henrique Meirelles e Eliseu Padilha, e o deputado federal Esperidião Amin (PP/SC) para tratarem do Projeto de Lei 257/2016 que visa a renegociação da dívida dos Estados com a União.
Ficou acertado que o novo texto da propositura solicita aos governos estaduais duas contrapartidas. A primeira é haver um teto para os gastos limitados pela inflação do ano anterior; a segunda exigência é a proibição de reajustes ao funcionalismo. Elas valem por dois anos.
Para o líder André Moura, a matéria deverá ser votada hoje e valerá para os Estados que assinarem o acordo com o governo.

O cenário que se desenha

Com o fim do prazo das convenções partidárias na última sexta-feira, Aracaju tem sete candidatos a prefeito: dois de centro direita (João Alves Filho/DEM e Valadares Filho/PSB), um de centro esquerda (Edvaldo Nogueira/PCdoB), três de esquerda (Emerson Ferreira/Rede, Vera Lúcia/PSTU e Sônia Meire/Psol) e um inexpressivo (João Tarantella/PMN).
Se João Alves permanecer candidato - tem muita gente duvidando disso - está assegurado o segundo turno na capital. Ainda é cedo para saber quem estará no segundo turno, pois tudo dependerá da condução da campanha eleitoral de cada um e como o povo vai absolver as alianças e o mote da eleição de cada um.
Dos três candidatos a prefeito com chance do segundo turno - Valadares, Edvaldo e João - o que tem uma situação mais adversa é o prefeito, não só porque sua candidatura começou fragilizada com a indefinição de que seria ou não candidato até os 45 minutos do segundo tempo, mas por outros fatores.
João Alves perdeu o apoio do bloco político liderado pelo senador Eduardo Amorim (PSC) e o deputado federal André Moura (PSC). Mesmo com a saída desse agrupamento ele contava com nove partidos, mas a sua indefinição fez com que perdesse mais três: SD, PTdoB e PTN. Com isso, perdeu o apoio de vários vereadores e candidatos, além de tempo no programa eleitoral gratuito no rádio e na televisão.
JAF não conseguiu ainda aprovar na Câmara Municipal um projeto de lei autorizando a prefeitura a contrair empréstimo bancário; dos candidatos é o que tem uma grande rejeição pela péssima administração que faz e pelas promessas não cumpridas na campanha eleitoral; e ainda terá que passar a campanha se explicando sobre as declarações em áudio do seu vice José Carlos Machado (PSDB) de que "toda sua equipe só pensa em roubar e que tá cagando para isso".
Diante deste cenário, a tendência é que a eleição seja polarizada entre Edvaldo Nogueira e Valadares Filho. Principalmente pelo fato de estarem se digladiando o governador Jackson Barreto (PMDB) - que apoia Edvaldo - e os senadores Valadares e Eduardo Amorim, e o deputado André Moura - que apoiam Valadares Filho.
Os aracajuanos estão acompanhando a troca de farpas entre esses políticos não só pelas redes sociais, mas pelas entrevistas que concedem à imprensa.
Havendo um segundo turno entre Valadares Filho e Edvaldo Nogueira, VF deverá ter a adesão do eleitorado de João Alves. Já EN poderá contar com os votos dos eleitores dos três outros candidatos de esquerda: Emerson, Vera Lúcia e Sônia Meire.
Agora é aguardar o início da campanha eleitoral para vermos o programa eleitoral e a reação do eleitor...

Novas trocas
de farpas 1
Ontem teve novo confronto entre o governador Jackson Barreto (PMDB) e o senador Antônio Carlos Valadares (PSB). Por conta das declarações do senador criticando a saída do vice-governador Belivaldo Chagas do PSB, JB postou no twitter: "Quem diria, o senador Valadares trocou a companhia de Belivaldo Chagas pela de André Moura. Uma pena!".

Novas trocas
de farpas 2
Jackson também respondeu as críticas nas redes sociais de Valadares de que era um governador solitário, que foi sem os parlamentares a uma audiência com o presidente interino Michel Temer. Postou JB: "Prefiro ser um governador solitário do que ter a companhia de André Moura".

Novas trocas
de farpas 3
Depois o senador Valadares postou nas redes sociais: "Vamos lutar sem medo e sem ódio por uma mudança completa na maneira de fazer política em Aracaju e no Estado, doa a quem doer. Responderemos com trabalho e confiança apoiando as propostas de nossos candidatos nos municípios sergipanos. É o que o povo espera de nós! Abaixo a baixaria".

Farpas anteriores
O governador tem dito sempre que os irmãos Amorim e André deviam estar presos. E o senador Eduardo rebateu indagando: Com que moral, com que práticas de bons costumes, com que ética, com que exemplo de zelo da coisa pública, o campeão de processos por improbidade administrativa pode falar de mim?

Tônica da campanha de Edvaldo 1
Na convenção dos candidatos do PCdoB e PSB, os majoritários não perderam a oportunidade de alfinetarem um ao outro. Disse Edvaldo Nogueira (PCdoB/PT/PMDB/PRB/PSD/PRP/PTdoB/PTN) sobre o apoio dos oito partidos: "Aqui é uma aliança por princípios, ideias, não por conchavos. A construção desta coligação não teve barganha imoral. Os que aqui estão agem com dignidade e querem o melhor para o nosso povo".
Tônica da campanha de Edvaldo 2
Disse ainda o candidato comunista em ataque indireto a Valadares Filho: "Tem um candidato de elite e que se diz coisa nova, mas está rodeado dos velhos, antigos e corruptos. A população de Aracaju vai dar a resposta nas urnas. Vamos enfrentar. No nosso palanque estão os partidos que mudaram Sergipe, que governam pensando no povo, que governam com igualdade, modernidade, honestidade e com a participação da sociedade. Vamos retomar os projetos que fizeram de Aracaju a cidade da qualidade de vida e preparar a nossa capital para as futuras gerações".

Tônica da campanha de Valadares 1
Disse Valadares Filho (PSB/PSC/PP/PR/PTB/PTC/PMB/Pros/PSL/PRTB/PSDC/PDT/PHS/PPL) na convenção rebatendo o discurso de "elite" do ex-aliado: "Aracaju merece muito mais e bem muito mais se pode fazer desde que se tenha projetos. Quero passar uma mensagem muito segura para o nosso futuro. Aracaju não quer mais debater um discurso atrasado, demagógico e populista. Um discurso que não pensa verdadeiramente no problema das pessoas".

Tônica da campanha de Valadares 2
Prosseguiu Valadares: "O meu debate traz propostas reais. O meu debate é o nosso programa. A cada ataque que vir de lá, tome propostas. A calúnia que vier de lá, tome proposta. A calúnia que vir de lá, tome-lhe programa de governo. É assim que queremos representar a renovação política e administrativa que tanto anseiam a cidade e as pessoas. O discurso puramente eleitoral, que não fala do cotidiano, da vida das pessoas, ficou para trás".

Marketing
Os candidatos a prefeito Valadares Filho, Edvaldo Nogueira e João Alves Filho já definiram os marqueteiros da campanha, fazendo a opção pelos da terra. O de JAF será Teotônio Neto, o de EN já é Carlos Cauê e VF contratou Vitor (Salvador) e Joel Lopes (São Paulo), sendo 80% restante da equipe de Aracaju.

Lagarto 1
No município está havendo renovação política nos grupos Saramandaia e Bole-Bole. O bloco do ex-prefeito Jerônimo Reis (PMDB) lançou como candidato a prefeito Jerônimo Reis Neto (PMDB), filho do ex-deputado federal Sérgio Reis (PMDB), e o agrupamento do ex-prefeito Cabo Zé lançou como candidato o filho Rosendo Ribeiro (PEN).  

Lagarto 2
As especulações no município é que o candidato a prefeito Valmir Monteiro (PSC) renuncie, por se encontrar inelegível, e lance o seu filho Rafael Valmir (PSC) como candidato. Ocorrendo isso, essa campanha será a dos filhos das grandes lideranças de Lagarto.

Fora da disputa
O fim do prazo das convenções partidárias, na última sexta-feira, mostrou que vários prefeitos não vão disputar a reeleição. Entre eles: Heleno Silva (PRB/Canindé), Jorjão (PSB/São Cristóvão) e Ezequiel Leite (PR/Capela).

Estância
O município tem quatro candidatos a prefeito e vice: Carlos Magno (PSB) e Humberto Ralin (PSB), Gilson Andrade (PTC) e Adriana Leite (PRB), Márcio Souza (Psol) e Jonas (Psol) e Titó (PPL) e Páscázio (PPL).

Se explicando à polícia
O vice-prefeito José Carlos Machado (PSDB) prestará depoimento hoje a delegada Danielle Garcia sobre o polêmico áudio que foi divulgado com ele declarando que toda a equipe do prefeito João Alves "rouba" e ele tá "cagando" para isso. Será às 9h, no Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap). Foi essa gravação que tirou Machado de permanecer como vice na chapa do prefeito.

Em meio à campanha eleitoral
Danielle Garcia está concluindo o inquérito policial sobre a Operação Indenizar-se, em que 15 vereadores de Aracaju são suspeitos de desviar as verbas indenizatórias que recebem mensalmente da Câmara Municipal de Aracaju no valor de R$ 15 mil. A expectativa da delegada é que ainda este mês conclua o inquérito, que será encaminhado para o Ministério Público Estadual (MPE).

Efeito Lava-Jato
O número de candidatos do PT que vão disputar as eleições deste ano alcançou o menor patamar em 20 anos. Segundo levantamento realizado pelo jornal O Estado de S. Paulo junto ao Diretório Nacional do partido, a sigla tem, até o momento, 1.135 candidatos a prefeito em todo o Brasil, uma redução de 35% em relação à eleição de 2012, quando 1.759 participaram da disputa.

Veja essa...
Informações chegadas à coluna dão conta que todos os 15 vereadores devem ser acusados do uso irregular das verbas indenizatórias, havendo, inclusive, o pedido de prisão de alguns. E que, apesar da abertura do inquérito, alguns vereadores continuam com a mesma prática, só mudando os envolvidos. Um desses vereadores se acha o paladino da moralidade.

Curtas
O próximo dia 15 de agosto é o último dia para os partidos políticos e as coligações apresentarem no cartório eleitoral competente, até às 19h, o requerimento de registro de candidatos a prefeito, a vice-prefeito e a vereador.

É também o último dia para os tribunais e conselhos de contas tornarem disponível à Justiça Eleitoral relação daqueles que tiveram suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável e por decisão irrecorrível do órgão competente.
O Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe realizará nesta terça-feira uma simulação de votação, a partir das oito horas, com o objetivo de testar o sistema e as urnas eletrônicas.

Desde o sábado, de acordo com a legislação eleitoral, as emissoras de rádio e televisão não poderão transmitir em programação normal ou noticiário, ainda que sob a forma de entrevista jornalística, imagens de realização de pesquisa ou de qualquer outro tipo de consulta popular de natureza eleitoral em que seja possível identificar o entrevistado ou que haja manipulação de dados.

,