Novela mexicana JAF

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 06/08/2016 às 08:10:00

A semana começou com o prefeito João Al-ves Filho (DEM) tendo desistido de disputar a reeleição. No domingo, ele mandou sua assessoria marcar uma coletiva para as 10h da segunda-feira, na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), para anunciar que não seria candidato por recomendação médica e pressão da família.
Cancelou a coletiva, mas marcou uma outra para a terça-feira às 17h para que pudesse avaliar melhor a sua decisão. Para isso, mandou chamar o seu marqueteiro de fora do estado.
No domingo, na segunda e na terça-feira, pensando mesmo em não ser candidato, João Alves amadureceu a ideia de lançar um nome para sucedê-lo. Convidou o deputado estadual Robson Viana (PEN), o ex-vereador Juvêncio Oliveira (DEM), o vereador Renislon Félix (DEM) e, por último, o deputado federal Laércio Oliveira (SD).
Chegou-se a especular que Robson seria o candidato a prefeito com Juvêncio Oliveira de vice. Nenhum topou ser candidato, aumentando a angustia e apreensão dos vereadores do agrupamento político do prefeito.
Por conta dessa indefinição, os nove partidos da base aliada do prefeito começaram a conversar com os adversários. O PSDB, PEN e SD foram buscar um entendimento com Valadares Filho. Já o PPS e PTdoB estiveram com Edvaldo Nogueira (PCdoB). PHS e PV fecharam uma coligação proporcional e ficaram aguardando uma definição, enquanto o DEM se manteve apreensivo pelo fato de ninguém aceitar coligação com o partido.
Na terça-feira, sem nenhuma conversa ainda com os vereadores sobre sua posição de ser ou não candidato, JAF viajou para Brasília sem fazer a coletiva. Mandou um recado para os vereadores pelo presidente da Câmara, Vinícius Porto (DEM), dizendo que voltou atrás e seria candidato. Pediu para desfazer os entendimentos com outros pré-candidatos, porque ia mesmo para a reeleição.
Como havia uma pressão dos partidos aliados para José Carlos Machado permanecer como vice de JAF, os comentários era que o vice seria Machado mesmo.  
Ainda na terça-feira, como Robson Viana viajou para Brasília para uma conversa com o governador Jackson Barreto (PMDB) e o próprio João Alves, as especulações eram que ele seria o vice de João Alves. Já pela quarta-feira pela manhã o comentário mais forte voltou a ser de Machado como vice.
No final da tarde da quarta-feira, a coluna recebeu o áudio - que publicou o texto no dia seguinte - com as declarações de Machado dizendo que toda a equipe de João não trabalhava, só queria roubar e que o prefeito tava "cagando" para isso. À noite o áudio já tava nas redes sociais, provocando um grande desgaste para o prefeito.
Na tarde da quinta-feira JAF retornou, agora de São Paulo, onde conversou com o governador Geraldo Alckmin, e finalmente marcou uma reunião com os vereadores para as 19h, na sede do DEM. Os vereadores ficaram sabendo que ele anunciaria sua candidatura, tendo Robson como vice.
João Alves somente chegou depois das 21h30 com uma bomba: não seria candidato por recomendação médica, por estar sobre forte estresse e pelas declarações de Machado, porque teria que passar a campanha se explicando. Chegou a chorar e dizer que não era candidato, mas não sairia da vida pública.
Desesperados por falta de uma definição de coligação, por estarem a uma noite do prazo final das convenções, os vereadores voltaram a procurar Valadares Filho e Edvaldo Nogueira para negociarem participação na chapa.
João Alves, que dormiu na quinta-feira sem ser candidato, acordou na sexta-feira querendo disputar a reeleição. Anunciou que o seu vice seria o vereador Manuel Marcos, que deixou o DEM e se filiou ao PSDB. Mas Manuel não aceitou o posto.
Ontem, na convenção do DEM realizada no final da tarde, na sede do partido, depois de muitas conversas, de idas e vindas, João Alves homologou sua candidatura a prefeito, tendo como vice o vereador tucano Jailton Santana.   
A grande pergunta de todo mundo agora é se João Alves vai mesmo manter sua candidatura, pois todos os problemas de antes continuam. Sem falar que sua candidatura já nasce morta, por estar desacreditada.
Com isso, a eleição deve ser polarizada entre Valadares Filho e Edvaldo Nogueira. Agora é aguardar os próximos capítulos dessa novela mexicana...

Coligação
de João Alves 1
O prefeito João Alves vai para a reeleição tendo o vereador Jailton Santana como vice, em uma coligação com seis partidos: DEM/PSDB/PHS/PEN/PPS/PV. O PV também foi registrado na ata do PSB, mas a Executiva Estadual do Partido Verde fez a intervenção, por ele já ter realizado convenção na quarta-feira em uma coligação com o PHS e na próxima segunda vai registrar em cartório.

Coligação
de João Alves 2
São três coligações proporcionais: DEM/PEN/PSDB; PHS/PV e PPS, que fez a opção de ficar sozinho com 36 candidatos a vereador.  Todas as lideranças desses partidos compareceram a convenção do DEM.

Não reconhece
João Alves não admite que ficou indeciso com relação a posição de ser candidato a reeleição. Disse que sempre entendeu que política não se faz com um individuo, que tinha o direito de ser candidato, mas precisava conseguir a harmonia dos partidos. Essa sua indefinição o levou a perder três partidos: PTdoB, que foi para Edvaldo Nogueira, e SD e PTN, que foram para Valadares Filho.

O vice
O seu vice Jailton Santana declarou que desistiu de disputar a reeleição e aceitou compor com João Alves atendendo a um apelo dos partidos que compõem o bloco de aliança.  O vice tinha que ser do PSDB, mediante resolução nacional para o partido apoiar JAF.

Isolado 1
Informações chegadas ontem à coluna dão conta que o que mais pesou pra João Alves ter voltado atrás e ir para a reeleição foi a situação do seu partido. O DEM estava isolado, sem nenhuma legenda da base aliada para se coligar. Todos entendiam que o DEM não se preparou para as eleições, só tendo cinco candidatos a vereador, e que uma coligação com os democratas só serviria para eleger o vereador Vinícius Porto.

Isolado 2
O DEM, além de não ter uma chapa com 36 candidatos, apenas cinco, também não teria um candidato majoritário. Isso porque com o anúncio da desistência de João Alves pela reeleição, na quinta-feira passada, emissários do partido procuraram o PSB em busca de coligação e foram informados que não seria possível.       

Especulação
Em uma roda política ontem já foi especulado que João Alves, já tendo assegurado coligação para o DEM, mais na frente iria renunciar a sua candidatura a reeleição. Isso porque os seus problemas permanecem: saúde, grande rejeição pelas promessas não cumpridas de campanha, ida do PSC e Cia para o lado de Valadares Filhos, não ter conseguido aprovar na Câmara empréstimo financeiro para obras e, por último, a grave denúncia do seu vice Machado de que a sua equipe não quer trabalhar, mas roubar, e ele tá "cagando" para isso.

Coligação de Edvaldo Nogueira 1
A convenção do PCdoB para homologar o nome de Edvaldo Nogueira como candidato a prefeito, tendo Eliane Aquino (PT) como vice, aconteceu na Assembleia Legislativa com as presenças de todas as lideranças da aliança. Integram a sua coligação oito partidos. São eles: PCdoB/PT/PMDB/PSD/PRB/PTdoB/PTN/PRP.

Coligação de Edvaldo Nogueira 2
A coligação tem três chapas proporcionais. São elas: PMDB/PRB; PT/PCdoB/PSD; PTdoB/PTN/PRP.

Discurso
do PCdoB 1
Edvaldo visitou com Eliane Aquino as convenções dos partidos aliados PSD, PT, PRB, PT e PMDB antes da convenção do seu partido. Nas convenções Edvaldo fez o mesmo discurso. Ainda sem saber que João Alves iria para a reeleição, disse que o pleito municipal em Sergipe está definindo dois campos: um que serve as elites, que é o de Valadares Filho, e o que quer o melhor para a cidade, que é o dele.

Discurso
do PCdoB 2
Colocou que a candidatura do PSB está servindo para as elites sergipanas tentarem retomar o poder em Sergipe e que é a candidatura que representa a tentativa de colocar um rosto novo na velha elite dos poderosos para tentar voltar e chegar a prefeitura e ao governo do estado.  Ressaltou que foram derrotados em 2000, 2004, 2006, 2010 e 2014 e agora tentam retomar para a prefeitura de Aracaju para dar o salto político para 2018. Lamentou que aqueles que estavam com o seu agrupamento estejam servindo a esse projeto.

Discurso
do PCdoB 3
"Aqui estão aqueles que sempre estiveram juntos. Nesse palanque, os partidos majoritários, os maiores, são aqueles que sempre estiveram juntos e aqueles outros que virão e que estão compreendendo que nesse lado está aquele que defende o melhor para nossa cidade, para o povo e para o estado", frisou Edvaldo, sempre enfatizando que quer que Aracaju volte a ser a cidade com qualidade de vida.

Coligação do PSB 1
A convenção do PSB foi realizada na sede do partido, no início da noite, quando foi homologada a candidatura de Valadares Filho, tendo como candidato a vice o pastor deputado estadual Antônio dos Santos (PSC). Integram a coligação 15 partidos: PSB/PSC/PR/PP/PDT/PSL/PTB/PTC/PMB/PRTB/PSDC/PPL/SD/PV/PROS. As lideranças de todas essas legendas estavam presentes.

Coligação do PSB 2
São quatro as coligações proporcionais: PSC/PSL/PTB; PSB/PTC/PMB/PRTB/PR/PROS; PDT/PSDC/PPL/PP; e SD/PV. O PV pode sair da coligação de Valadares, que ficaria com 14 partidos, por intervenção do Diretório Municipal.

Coligação do PSB 3
Antes da convenção do seu partido, Valadares Filho visitou a convenção do PSC e aliados. Disse que não ia entrar no discurso atrasado do adversário, que esquece  de debater a cidade.

Discurso de Valadares 1
"O que nós vamos propor é uma campanha que debata as propostas, problemas e soluções, que apresente um projeto de renovação. Se alguém que já teve a oportunidade de debater está preocupado com a renovação que Aracaju tanto deseja, pode se preparar para o bom debate", frisou.

Discurso de Valadares 2
O candidato do PSB ressaltou que estava honrado com a aliança formada e garante que, a partir de agora, Aracaju viverá uma novidade de vida. "Estamos começando esse novo desafio, com um grupo novo, de pessoas comprometidas e que têm grande preocupação com nossa capital. Então, agora, é seguir rumo ao sucesso. O desespero da oposição, meus amigos, é porque eles sabem que a renovação chegou para ficar", disse.

Aracaju
Com o fim das convenções partidárias, a capital terá sete candidatos a prefeito. São eles: Edvaldo Nogueira (PCdoB), Emerson Ferreira (Rede), João Alves (DEM), João Tarantela (PMN), Sônia Meire (Psol), Valadares Filho (PSB) e Vera  Lúcia (PSTU).

Lagarto
Houve surpresa no município. O ex-prefeito Jerônimo Reis (PMDB) desistiu da eleição e lançou o neto Jerônimo Reis Neto (PMDB) como candidato a prefeito, tendo como vice o ex-presidente da CML, Cosme da Colônia Treze (PRB).

São Cristovão 1
Também teve surpresas nas convenções partidárias em São Cristovão. O ex-prefeito Armando Batalha voltou atrás na sua posição de sair da política e não lançar nenhum candidato e acabou registrando a candidatura do seu filho Batalha Neto a prefeito, tendo como vice o ex-secretário Josuel Salvador.

São Cristovão 2
Outra surpresa. O ex-secretário Adilson Júnior (PDT), irmão do prefeito Fábio Henrique (PDT/Socorro), desistiu da pré-candidatura e compôs como vice na chapa encabeçada por Marcos Santana (PMDB).

São Cristovão 3
O município tem sete candidatos a prefeito: Isaias Almeida, tendo como vice pastor Samuel; Betão, que vai com o vice Angelino para a disputa; Lauro Rocha; Gedalva, que terá como vice Pai Velho; e Carlos Vilão, que terá como vice o pastor.

Discurso em São Cristovão
Em seu discurso na convenção que homologou o nome do seu filho como candidato a prefeito, Armando Batalha chegou a dizer que os dois - o filho e o vice - iriam para casa, pois era ele quem iria mandar na Prefeitura de São Cristovão. Isso no caso dos dois serem eleitos.

Veja essa...
Do prefeito João Alves sobre o áudio com a acusação bombástica do vice José Carlos Machado: "Fiquei chocado. Ele me ofendeu indiretamente. Quem diz o que ele disse contra meus secretários, está ofendendo a mim. Coloco minha mão no fogo pela minha equipe. Se soubesse que alguém tava roubando demitiria na hora pelo telefone".

Curtas
O vice-prefeito José Carlos Machado foi intimado ontem pela delegada Danielle Garcia a comparecer na Deotap na próxima terça-feira, às 9h, para prestar esclarecimentos sobre o polêmico áudio. Vamos ver se o vice vai dar nome aos bois.

O promotor de Justiça, Henrique Cardoso, disse ontem que o Ministério Público Estadual abrirá investigação sobre as declarações de Machado de que a equipe de João Alves rouba e ele tá "cagando" para isso.

José Carlos Machado disse ontem que tem uma suspeita de quem gravou o vídeo, mas  não sabe onde foi gravado. Enfatizou que busca obter a gravação de toda a conversa.

O ex-pré-candidato a prefeito, Zezinho Sobral, aceitou ser o coordenador da campanha de Edvaldo Nogueira/Eliane Aquino.

Ao lado do governador Jackson Barreto, o vice Belivaldo Chagas, que deixou o PSB, compareceu à convenção de Edvaldo Nogueira. Disse que precisava dormir com a consciência tranquila, por isso estava ali. Ressaltou que JB representa muito para ele e que que precisava estar na convenção para olhar nos olhos de Eliane Aquino.