Belivado na roda política

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 30/04/2016 às 09:37:00

O secretário nacional de Finanças do PT, ex-deputado federal Márcio Macedo já iniciou o debate com a coordenação da sua corrente sobre as eleições municipais em Aracaju. "Existem dois caminhos: apoiar Zezinho Sobral ou Edvaldo Nogueira. Tem os que defendem Zezinho e os que defendem Edvaldo, pela postura do PCdoB de lealdade e fidelidade a favor do PT no processo de impeachment da presidente Dilma. Vamos aprofundar isso", declarou Márcio, que já conversou com o presidente Rogério Carvalho, com a deputada Ana Lúcia e com Edvaldo.
Segundo ele, a sua energia agora está concentrada na votação do impeachment no Senado. "Vamos para o enfrentamento para impedir o golpe liderado por Temer e Cunha, os golpistas mor do Brasil. Temer vai entrar para a história como um vice que traiu a companheira de chapa no exercício da presidência e conspirou a favor do golpe de Estado. Se o pior acontecer não reconheceremos um governo que não veio das urnas. Vamos fazer o enfrentamento cotidiano, vamos denunciar o golpe em defesa da democracia", ressaltou.  

Belivado na roda política

O assunto mais comentado ontem nas rodas políticas foi a presença do vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) na reunião do PMDB, quando houve o lançamento da pré-candidatura de Zezinho Sobral (PMDB) a prefeito de Aracaju nas eleições deste ano.
Isso porque o PSB já tem um pré-candidato a prefeito da capital, o deputado federal Valadares Filho (PSB), cuja pré-candidatura foi lançada em janeiro deste ano.
No entendimento de alguns, a presença de Belivaldo no lançamento do nome de Zezinho deixa transparecer que o vice-governador está hoje mais para Jackson Barreto que para o senador Antônio Carlos Valadares (PSB).

Mesmo sendo vice-governador e secretário da Casa Civil, muitos não conseguem ver nisso uma justificativa para comparecer a uma reunião do PMDB com pré-lançamento de candidatura, já que o seu partido tem pré-candidato desde o início do ano.
Esses comentários de que Belivaldo hoje é mais Jackson que Valadares, começaram nas eleições de 2014, quando o "Galeguinho" foi eleito vice-governador de JB e decidiu acompanhá-lo no apoio a reeleição da presidente Dilma Rousseff no segundo turno e não no apoio ao tucano Aécio Neves, como decidiu o PSB dos Valadares.

Desde a campanha Belivaldo se mantém muito próximo de Jackson, gozando da sua confiança, respeito e lealdade. JB se licenciou para tratamento de saúde por vários meses e Belivaldo assumiu o comando do governo sem nenhum problema. Quando Jackson reassumiu foi só elogios à pessoa do seu vice.  
A desfiliação do seu genro Felizola do PSB e filiação ao PMDB, no ano passado, só fez aumentar as especulações de que Belivaldo deixaria o seu partido para se filiar ao do governador.
Até agora Belivaldo se mantém no PSB, mas é muito provável que os seus dias no partido estejam contados com o seu gesto político de quinta-feira em comparecer ao lançamento da pré-candidatura de Zezinho Sobral, em um ato de peemedebistas.
Até porque Belivaldo Chagas é um nome que o governador tem na manga para disputar o governo do Estado em 2018. E para isso se concretizar, ele terá que estar filiado ao PMDB.

Com JB
O vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) disse ontem que foi ao pré-lançamento da pré-candidatura de Zezinho Sobral (PMDB) a prefeito de Aracaju como secretário da Casa Civil e como amigo. Mas não deixou dúvidas sobre a possibilidade de apoio a Zezinho quando disse que no pleito deste ano em Aracaju estará onde estiver o governador Jackson Barreto.

Bem explicito
O lançamento da pré-candidatura de Zezinho na quinta-feira à noite, em um hotel da orla, deixou claro três pontos: que o PMDB está unido em torno do seu nome, que ele será o candidato do governador Jackson Barreto e que a sua campanha terá como foco representar o novo na política e ser um bom gestor.

Bom gestor
Em suas entrevistas à imprensa e nas reuniões que vem participando, Zezinho - que já foi secretário da Agricultura, da Casa Civil e da Saúde - tem dito que é hora do povo escolher um bom gestor para ser prefeito de Aracaju. "Estou preparado para enfrentar esse caminho. Tenho ideias, coragem e conduta para isso", afirma.

Preocupação
Do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) sobre o processo sucessório em Aracaju: "O governador Jackson Barreto tem que agir como maestro para não ser prejudicado com a saída de alguns aliados do agrupamento para a oposição".

Ponto de vista
O parlamentar avalia como não "ser uma coisa boa" o pré-candidato a prefeito Valadares Filho (PSB) sair do bloco de aliança do governador, caso ele venha apoiar o nome de Zezinho Sobral, para um acordo político com o senador Eduardo Amorim (PSC).

Decisão
Ressalta que apoia Valadares Filho para prefeito, mas se ele fizer uma aliança com o PSC desiste de apoiá-lo. "Pertenço ao grupo de Jackson Barreto", disse ontem à imprensa, enfatizando que não se sente à vontade em caminhar nos braços da oposição.

Otimista
Fábio Mitidieri acredita que Valadares Filho tem condições de crescer ainda mais dentro da base de governo e com o apoio de uma boa parte dos 11 partidos que integra a aliança.

Fora do governo 1
O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) afirmou ontem à tarde, no programa de André Barros, que o PSB não devia ter participado do governo de Jackson Barreto. "Fui contra a participação do PSB. O partido devia apenas apoiar Jackson e não compor o governo. Amanhã Valadares Filho sai do governo e vão dizer que rompeu com o governador", avalia.

Fora do governo 2
Na concepção do senador, o PSB deve sair o mais rápido possível do governo. "Valadares Filho deve, elegantemente, procurar Jackson Barreto e agradecer a atenção. E dizer amanhã, quem sabe, a gente se encontra no segundo turno".

PSC
De Valadares sobre a possibilidade de uma aliança do PSB com o PSC nas eleições municipais deste ano: "Todas as alianças são possíveis de acontecer. Não sei se Amorim quer, não sei se quero. Vamos fazer pesquisas qualitativas".

Alfinetada
Valadares disse ainda que via com naturalidade a possibilidade de Jackson Barreto vir a apoiar Zezinho Sobral. "Jackson é do PMDB, trabalha pelo partido dele. Diferente de Déda, que trabalhava pelo coletivo. Déda e Jackson são lideranças de perfis diferentes. Acho que Jackson, por ser o governador e líder, acha que todos têm que atendê-lo. Não tenho nada contra Jackson. Teve o episódio do segundo turno das eleições, mas ele já foi no meu gabinete, nos falamos com cordialidade e respeito".

Impeachment
Do senador Eduardo Amorim (PSC) sobre o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff que tramita agora no Senado: "Acredito que a aprovação do impeachment significará uma oportunidade para se restabelecer a confiança nos mais variados setores da economia, para soerguer a autoestima dos brasileiros. A vontade da população deve ser respeitada. O povo quer o impeachment, o povo quer o País passado a limpo".

Questionamento
Do ex-deputado estadual e secretário-geral do PSD, Jorge Araújo: "Ao assistir as cenas do tiroteio entre agentes da SMTT e GM e o suposto transportador irregular e Bombeiro Militar ficam duas perguntas: o que faz um bombeiro portando arma? Será que os agentes não sabiam que o tiroteio naquele local e horário poderia gerar uma tragédia?".

Prisão domiciliar
O ex-prefeito de Cedro de São João, José Roberto, já foi liberado da 3ª Delegacia Metropolitana e encontra-se em casa em prisão domiciliar, por crime contra o patrimônio público e apropriação indébita, quando prefeito em 1999. A liminar foi concedida pelo desembargador Edson Ulisses, que entendeu que Sergipe não tem estrutura para que cumprisse pena de mais de quatro anos em regime semiaberto.

Liberdade
de Imprensa
Em comemoração ao Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, o Conselho de Comunicação Social do Congresso (CCS) vai se reunir na próxima segunda-feira com o representante da UNESCO no Brasil, Lucien André Muñoz, para debater o assunto. O conselho também vai apreciar quatro relatórios: sobre os efeitos da crise econômica sobre o setor da Comunicação Social; sobre os processos de concessão de serviços de radiodifusão no Brasil; sobre RTV (repetidoras de televisão); e sobre o PLS 730/15, que dispõe sobre a investigação criminal e a obtenção de prova nos crimes praticados por intermédio de conexão ou uso de internet.

Veja essa...
Do senador Valadares ainda sobre uma possível aliança entre PSB e PSC: "Não se deve inventar apoios. Eduardo Amorim foi cavalo de Tróia de Jackson Barreto". Se referiu às eleições de 2010, quando JB levou  Eduardo para aliança com o seu bloco político liderado por Marcelo Déda.

Curtas

O ex-prefeito Zé Franco (PSDB) oferece hoje café da manhã aos 21 vereadores de Nossa Senhora do Socorro. No cardápio, mostrar as certidões junto ao TCU e TSE de que não há impedimento para ser candidato a prefeito e pedir o apoio dos parlamentares a sua pré-candidatura.

O deputado Fábio Mitidieri revela que vai trabalhar pela pré-candidatura de Valadares Filho e pelo PSD, que nas eleições municipais deste ano terá mais de 30 candidatos a prefeito.

Na próxima semana dois prefeitos licenciados - João Alves Filho (DEM/Aracaju) e Fábio Henrique (PDT-Socorro) - voltam ao comando dos seus municípios.

O senador Eduardo Amorim e os deputados estaduais Georgeo Passos (PTC), Gilson Andrade (PTC) e Maria Mendonça (PP) foram ontem de manhã ao Hospital São José conversar com a direção sobre a grave situação financeira, que pode culminar com o seu fechamento.

Os parlamentares ouviram da diretoria do hospital que a dificuldade é proveniente de uma dívida do Ipes de quase R$ 8 milhões, do Governo do Estado de R$ 1,1 milhão e do município de Aracaju de mais R$ 1 milhão.