Ser ou não ser?

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Pelo fato do polêmico vereador Agamenon Sobral (PHS) estar entre os 15 vereadores que estão sendo investigados na Operação \"Indenizar-se\", sob suspeita de fraude na aplicação dos recursos nas verbas indenizatórias da Câmara Municipal, está sendo
Pelo fato do polêmico vereador Agamenon Sobral (PHS) estar entre os 15 vereadores que estão sendo investigados na Operação \"Indenizar-se\", sob suspeita de fraude na aplicação dos recursos nas verbas indenizatórias da Câmara Municipal, está sendo

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 02/04/2016 às 00:44:00

Pelo fato do polêmico vereador Agamenon Sobral (PHS) estar entre os 15 vereadores que estão sendo investigados na Operação "Indenizar-se", sob suspeita de fraude na aplicação dos recursos nas verbas indenizatórias da Câmara Municipal, está sendo divulgada nas redes sociais uma montagem dele como capa da revista Veja. Na foto, ele está vestido de presidiário e sendo ironizado como o "paladino da moralidade".
Entre os quatro carros locados de forma fictícia pelos vereadores, o Corola HZU-0428 citado pela delegada Daniele Garcia, consta como locado a Agamenon.
Agamenon costuma usar a tribuna da Câmara para tentar desmoralizar vários segmentos da sociedade, como enfermeiras, médicos, professores e jornalistas e ameaçar dar murro em quem jogar ovos nele quando for pedir voto.

Ser ou não ser?

Nos bastidores da política corre a informação, ainda muito sigilosa, de que o prefeito João Alves Filho (DEM) já vem discutindo com seu grupo político e familiares a possibilidade de não disputar a reeleição em 02 de outubro. Vários fatores estão levando JAF a caminhar nessa direção.
João Alves começou o ano com um desgaste político muito grande. A chegada dos carnês do IPTU nas residências dos aracajuanos, com um aumento abusivo, gerou uma grande revolta na população.
O povo começou a lembrar que está pagando muito caro o IPTU e não tem o retorno dos bons serviços que deveriam ser prestados pelo município. As maiores queixas estão relacionadas à saúde, mobilidade urbana, buracos nas ruas e cidade às escuras, mesmo o prefeito tendo instituído a taxa de iluminação pública, sem falar nas várias promessas não cumpridas na campanha eleitoral quando só faltam nove meses para o fim do seu governo.

O desgaste político do prefeito aumentou com o agravamento do problema da coleta do lixo domiciliar, com o fim do contrato da prefeitura com a Torre e, consequentemente, a contratação emergencial da Cavo. Isso levou a cidade a conviver com o caos, ao ter o lixo acumulado por vários dias em suas portas pela ausência de coleta.
Hoje, quase um mês após do fim do contrato do lixo com a Torre, a coleta ainda continua irregular com a comunidade criando pontos de lixeira a céu aberto para jogar o seu resíduo sólido o mais distante possível da sua casa. A revolta só aumentou.

O contrato da Prefeitura com a Cavo que pode ser cancelado, mediante solicitação do Tribunal de Contas do Estado (TCE) por suspeita de irregularidades no processo licitatório, assim como apreensão de documentos na Emsurb para análise, provocou mais um desgaste político ao prefeito.
Um outro complicador foi a saída repentina do seu sexto secretário da Saúde, o vereador Agnaldo Feitosa (PR), que permaneceu apenas 17 dias como secretário e depois entregou o cargo, retornando para a Câmara Municipal. A justificativa inicial foi não ter autonomia para troca de pessoal e nem financeira. Depois veio a justificativa da dificuldade de gerir a saúde com a falta de recursos. Isso pegou muito mal perante a opinião pública.

Ainda teve a tentativa de convencer o povo que estava implantando o tão cobrado sistema de transporte BRT em Aracaju, ao colocar uma faixa exclusiva para os ônibus sanfonados. A medida só aumentou o congestionamento no trânsito e a insatisfação dos motoristas, que quase não veem os 10 ônibus circulando, apenas a pista vazia ou invadida por alguns motoristas.
Para piorar a situação eleitoral de JAF, o ex-aliado senador Eduardo Amorim (PSC) deve mesmo ser candidato a prefeito de Aracaju. Com um grupo forte, o senador tirará muitos votos de João Alves por ter o mesmo eleitorado.

O desgaste político e a perda de aliados com densidade eleitoral já levam o prefeito a não aparecer bem nas várias pesquisas de intenções de voto que estão sendo realizadas. Nas rodas políticas o comentário é que ele ficará de fora do segundo turno.
Por conta desse cenário adverso, não será surpresa se o prefeito não vier a disputar a reeleição.
Façam suas apostas...

Aliado
Enquanto o prefeito João Alves Filho (DEM) não bate o martelo se será ou não candidato a reeleição, ele já conseguiu assegurar o apoio do PV nas eleições deste ano. Após algumas conversas com o presidente estadual da legenda, Reynaldo Nunes, e outros dirigentes do Partido Verde, foi fechado esse acordo.

Filiação
Termina hoje o prazo de filiação partidária para aqueles que pretendem se candidatar a prefeito, vice-prefeito ou vereador nas eleições municipais deste ano. Em Aracaju, apenas três vereadores deixaram suas legendas com a abertura da janela partidária, encerrada no último dia 18 de março, e não tinham definido um novo partido.

Volta ao ninho 1
O vereador Adriano Taxista resolveu voltar para casa. Com a janela partidária ele se desfiliou do PSDB e depois resolveu voltar para o ninho tucano. Disse que conversou com o prefeito João Alves (DEM), o ex-prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) e com o governador Jackson Barreto (MPDB), mas acabou achando melhor voltar para o PSDB.

Volta ao ninho 2
"A situação não está boa para ninguém. Os partidos pequenos não aceitam filiação de políticos com mandatos e sair para partidos desconhecidos é melhor ficar onde estava", disse à coluna.

Jailton
O vereador Jailton Santana, que deixou o PSC, até o fechamento da coluna, às 20h, não tinha definido a qual novo partido se filiaria. Estava na sede do PSC conversando com as lideranças da legenda e fazendo contas. Ele também conversou com o PSDB. A coluna não obteve informações sobre o destino político do vereador Manuel Marcos, que deixou o DEM.

Pressão
O ex-deputado federal João Fontes vem recebendo "pressão" de três grupos políticos para filiação em um dos partidos do bloco até este sábado. Até ontem Fontes não tinha decidido se voltaria a se filiar a alguma legenda e, muito menos, qual seria.
Registro
Dois de abril também é a data a partir da qual todos os programas de computador de propriedade do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), desenvolvidos por ele ou sob sua encomenda, utilizados nas urnas eletrônicas e nos computadores da Justiça Eleitoral para os processos de votação, apuração e totalização, poderão ter suas fases de especificação e de desenvolvimento acompanhadas por técnicos indicados pelos partidos políticos, pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), pelo Ministério Público e por pessoas autorizadas em resolução específica.

Indenizar-se 1
Na entrevista que concedeu ontem à imprensa para fazer um balanço do primeiro dia da Operação Indenizar-se, deflagrada pelo Departamento de Repressão aos Crimes contra a Ordem Tributária e Administração pública (Deotap) e o Ministério Público de Sergipe (MP) para investigar irregularidades nas verbas indenizatórias de 15 vereadores de Aracaju e três empresários no período de 2012 a 2016, a delegada Daniele Garcia disse que já se sabe que os contratos para locação de veículos e serviços advocatícios eram "fictícios".

 Indenizar-se 2
"Os contratos eram fictícios porque já ouvimos os proprietários dos veículos e identificamos que esses carros nunca saíram da posse de seus donos, ou seja, o advogado Alcivan Menezes, através da Elo, apenas pegou placas de carros e as colocou nos contratos com a Câmara para justificar o pagamento dos vereadores. Tudo era feito com a conivência dos parlamentares", garantiu a delegada, enfatizando que o esquema era primário e infantil pelo fato das placas dos veículos locados serem indicadas pelo próprio Alcivan que pegava as placas de carros de filhos, amigos, parentes e incluía esses dados nos contratos com a Câmara de Vereadores.
Indenizar-se 3
Citou como prova os veículos Renault Fluence NVN-1395, Corsa NVJ-6265, Ford K NVN-8412 e o Corola HZU-0428, cujos proprietários estiveram no Deotap e confirmaram que nunca locaram esses carros.

Indenizar-se 4
Revelou que nas buscas realizadas na quinta-feira para cumprimento de mandado de busca e apreensão em seis locais, não houve comprovação dos serviços de assessoria jurídica prestados pelo escritório de Alcivan aos vereadores. "Cada parlamentar pagava mensalmente R$ 7 mil para o empresário", disse, enfatizando que dos R$ 15 mil de verbas indenizatórias, 70% eram usadas mensalmente na locação de veículos e contratos jurídicos das mesmas empresas.

Indenizar-se 5
Ressaltou que tanto os vereadores investigados como os empresários envolvidos já foram intimados a comparecer no Deotap a partir da próxima semana e que o inquérito policial deverá ser concluído nesse mês de abril. Daniele alertou as pessoas que já estão intimadas a não tomarem medidas ilegais para justificar os contratos fraudulentos, pois a polícia e o Ministério Público já têm um farto conjunto probatório. Informou ainda que o processo deverá ser julgado na 3ª Vara Criminal porque os vereadores não têm foro privilegiado por prerrogativa de função.

Indenizar-se 6
Segundo o promotor Henrique Cardoso, crimes contra a administração pública são gravíssimos e em caso de condenação dos envolvidos as penas ultrapassam 12 anos. "No caso em tela, os crimes são de organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro", afirmou, enfatizando que já foi pedido quebra do sigilo bancário dos envolvidos na operação.

Na mesma vala
A 26ª fase da operação Lava Jato mostra que filiados de grandes partidos constam no "departamento de propina" na empreiteira Odebrecht, que teria sido utilizado para movimentar altas somas de dinheiro em pagamentos ilícitos para agentes públicos e políticos principalmente em 2014. Na lista, aparece cerca de 300 nomes entre vereadores, prefeitos, deputados, senadores, governadores e ministros: PT (74), PSDB (48), PMDB (41), PP (20), PSB (18), DEM (15), PDT (11), PSD (11),  PCdoB (9),  PV (9), PPS (5), PR (4), PTN (3), PTB (3), PRB (3), SD (2), Rede (1), PTdoB (1), PTC (1), PSL (1), PPL (1) e PMN (1).

Veja essa...
Do ex-deputado federal João Fontes sobre todos os debates e embates envolvendo a coleta do lixo domiciliar em Aracaju, que era feita pela Torre há mais de 25 anos e passou agora para a Cavo, que é uma empresa do grupo Estre: "Aberta a caixa preta da quadrilha do lixo vamos ter que construir uma estação de Transbordo para exalar o fedor do chorume que sai dos vasos comunicantes do subterfúgios dessa máfia! A justiça vai requisitar o Batistão para prender tanta gente envolvida nessa epopeia".

Curtas
Do promotor Henrique Cardoso sobre as investigações das verbas indenizatórias de alguns vereadores: "Existe uma organização criminosa. Vamos verificar o papel de cada um nos crimes, vamos divulgar o desvio de cada parlamentar para que a sociedade tenha conhecimento".

Informações chegadas à coluna dão conta que após conclusão da Operação Indenizar-se, o Deotap e o MP vão investigar as verbas indenizatórias dos gabinetes dos deputados estaduais.
O senador Eduardo Amorim (PSC) participou ontem de reunião do Conselho Deliberativo e da Diretoria Plena da Associação Médica Brasileira (AMB) em Aracaju. Na oportunidade, foi destacada a situação de especialidades médicas no Brasil.

Eduardo Amorim vem trabalhando para consolidar sua candidatura a prefeito de Aracaju. Já vem discutindo, inclusive, um nome para vice.