Receio de incisão

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O assunto mais comentado ontem nas redes sociais foi a quebra de um dos 10 ônibus que começaram a trafegar em Aracaju, anteontem, como se fosse um sistema de BRT e que nem ar condicionado tem. Serviu também de chacota o fato dos veículos não serem novos e
O assunto mais comentado ontem nas redes sociais foi a quebra de um dos 10 ônibus que começaram a trafegar em Aracaju, anteontem, como se fosse um sistema de BRT e que nem ar condicionado tem. Serviu também de chacota o fato dos veículos não serem novos e

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 23/03/2016 às 00:14:00

O assunto mais comentado ontem nas redes sociais foi a quebra de um dos 10 ônibus que começaram a trafegar em Aracaju, anteontem, como se fosse um sistema de BRT e que nem ar condicionado tem. Serviu também de chacota o fato dos veículos não serem novos e transitarem em uma via, congestionando o trânsito dos carros.
Teve quem lembrasse que o BRT só foi prometido pelo então candidato a prefeito João Alves, por conta da proposta de campanha do seu adversário, o deputado federal Valadares Filho (PSB), pela implantação do VLT. 

Receio de incisão

É do conhecimento de todos que existem hoje três pré-candidatos a prefeito de Aracaju na base aliada do governador Jackson Barreto (PMDB): Valadares Filho (PSB), Edvaldo Nogueira (PCdoB) e Zezinho Sobral (PMDB). E que JB só pretende definir em maio quem será o seu candidato.
Fatos ocorridos nos últimos dias deixaram apreensivos alguns aliados do governador, que passaram a temer uma incisão no governo mediante o fato dele não decidir logo qual dos três pré-candidatos será o seu preferido.

Na avaliação deles, o próprio governador e assessores estão fazendo campanha para os candidatos das suas preferências. Foi comentado o fato do assessor direto e marqueteiro Carlos Cauê já vir trabalhando para o nome de Edvaldo Nogueira, ao postar nas redes sociais "#volta Edvaldo".
Assim como o fato do próprio Jackson ter passado o domingo articulando, ao lado de Zezinho Sobral, que pré-candidatos a vereador votem com o pré-candidato peemedebista a prefeito. Sem falar que levou o ainda secretário da Saúde até 29 de março, quando se desincompatibilizará do governo, para as comemorações dos 161 anos de Aracaju.

Existe ainda o fato de Valadares Filho vir fazendo campanha por um caminho diferente, já tendo conseguido o apoio oficial do PSD do deputado federal Fábio Mitidieri.
Na concepção de um aliado e membro do governo, Jackson Barreto devia tomar logo uma posição sobre oficialização do seu candidato. "Na medida em que o tempo vai avançando os ânimos vão se acirrando e não tem como não refletir no governo", avalia, lembrando que nas eleições deste ano a campanha será de apenas 45 dias, o que está levando os pré-candidatos a começar a trabalhar mais cedo em busca de apoio e voto.

Se depender do governador Jackson Barreto, os ânimos vão se acirrar, mas ele só definirá sobre seu candidato em maio.
JB chegou a dizer à coluna, recentemente: "Não posso apressar. Quem está nervosinho que fique nervosinho. Tenho que trabalhar para viabilizar recursos para a saúde, pagar servidor público e implantar em maio o PCCV do servidor {Plano de Cargo, Carreira e Vencimento}. A campanha só é de 45 dias, não tem caixa 2 nem dinheiro das empresas com tanto problema a nível nacional. O apressado come cru. Não vou me prejudicar. A prioridade é resolver os problemas do governo".

Nova chapa?
Chegou ontem à coluna a informação de que o prefeito Fábio Henrique (PDT/Nossa Senhora do Socorro) costura uma aliança política com o pré-candidato a prefeito de Aracaju, Valadares Filho (PSB), no sentido de emplacar a sua esposa, a deputada estadual Silvia Fontes (PDT), como a vice de Valadares. Essa chapa seria um contraponto a chapa do governador Jackson Barreto (PMDB), que terá a ex-primeira dama Eliane Aquino (PT) como vice, no caso do seu candidato ser Zezinho Sobral (PMDB) ou Edvaldo Nogueira (PCdoB).

Acordo
Pelo entendimento, o PSB apoiaria em Nossa Senhora do Socorro o candidato de Fábio Henrique, que é o secretário Klewerton Siqueira (PDT), cuja sua pré-candidatura será lançada oficialmente no dia 09 de abril. No município, o governador está mais propenso a apoiar o padre Inaldo, que é deputado estadual pelo PCdoB, mesmo tendo o pré-candidato, o deputado federal Jony Marcos (PRB) como aliado, assim como o prefeito Fábio Henrique.   

Dívidas dos estados 1
O governador Jackson Barreto (PMDB) não participou ontem à tarde, em Brasília, da reunião de governadores com os líderes partidários e o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB) para discutir os critérios da renegociação das dívidas dos estados. Ficou acordado que na próxima terça-feira o projeto será votado na Casa, após garantia do líder do governo, deputado José Guimarães (PT-CE), que o ministro Nélson Barbosa (Fazenda) encaminharia ainda ontem o projeto de lei complementar à Câmara, tratando do assunto.

Dívidas dos estados 2
A proposta alonga o prazo de pagamento das dívidas dos estados com a União por mais 20 anos e das dívidas dos estados com o BNDES por mais dez anos. Para Guimarães, "esse acordo republicano favorece o pacto federativo". A renúncia fiscal prevista é de R$ 45,5 bilhões.

No Rio
Jackson Barreto permaneceu no Rio de Janeiro, onde se encontra desde a segunda-feira, por conta de reunião no BNDES e na Agência Nacional de Petróleo (ANP). Com a presidente da ANP, Magda Chambriard, ele tratou ontem à tarde da projeção de royalties para Sergipe no exercício 2016 e as tratativas de implementação da termoelétrica no município da Barra dos Coqueiros.

BRT 1
O prefeito João Alves Filho (DEM) e a senadora licenciada Maria do Carmo Alves (DEM) foram ontem de manhã verificar "in loco" o funcionamento do que estão chamando de BRT. Eles andaram em um dos 10 veículos articulados, que estão utilizando as faixas exclusivas para ônibus.

BRT 2
A imprensa acompanhou o prefeito, que também estava na companhia do vice José Carlos Machado (PSDB), do presidente da Câmara Municipal, Vinícius Porto (DEM), e dos vereadores Pastor Roberto Morais (PR), Augusto do Japãozinho (PRTB), Adriano Taxista (ex-PSDB) e Agamenon Sobral (PHS), além de secretários municipais e presidentes de instituições da administração indireta.

Cresceu mais 1
Com a janela partidária, cujo prazo de 30 dias encerrou no último dia 18 de março, três partidos que integram oficialmente a base do governo federal foram os que mais receberam deputados federais: o PP do deputado estadual Venâncio Fonseca ganhou 9 deputados, ficando com bancada de 49 parlamentares - a terceira maior da Casa; o PTN, do ex-prefeito Sukita, recebeu 7 parlamentares, e agora a bancada tem 13 integrantes; e o PR, agora do deputado federal Adelson Barreto, ganhou 6, somando bancada de 40 deputados.

Cresceu mais 2
O oposicionista DEM, do prefeito João Alves, também aumentou sua bancada em 6 parlamentares, totalizando 27 deputados. Duas legendas receberam 3 deputados: PDT, do prefeito Fábio Henrique (Socorro), passou a ter uma bancada de 20 integrantes e o PHS, do deputado Augusto Bezerra, uma bancada de sete deputados. Já o PSD, do deputado federal Fábio Mitidieri, recebeu 2 deputados, ficando com bancada de 33 parlamentares.

Mais um
As seguintes legendas passaram a contar com um deputado a mais depois da janela para troca partidária: o PRB do prefeito Heleno Silva (bancada de 21), PSC do senador Eduardo Amorim (14), PCdoB de Edvaldo Nogueira (13), o PV de Reynaldo Nunes (6), o Psol (6) e o PSL (2).

Reduções 1
O Partido da Mulher Brasileira (PMB), que obteve registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em setembro do ano passado, foi a legenda que mais perdeu deputados: 18. Antes da promulgação da emenda, o partido tinha 19 deputados e, agora, apenas um parlamentar integra a bancada da legenda na Câmara.

Reduções 2
O PSDB, do vice-prefeito José Carlos Machado - maior partido de oposição na Câmara - teve redução de 5 deputados em sua bancada, que antes contava com 53 parlamentares e, após o fim da janela para troca partidária, tem 48 integrantes. Com isso, o partido deixou de ter a terceira maior bancada da Casa - posto que foi ocupado pelo PP. A bancada do Pros também perdeu 5 integrantes, ficando com 4 deputados.

Reduções 3
Já o PSB do senador Valadares perdeu 3 deputados, e o PTB teve redução de 2 parlamentares em sua bancada. O deputado federal Adelson Barreto foi um que deixou o PTB e se filiou ao PR, que passou a comandar em Sergipe.

Reduções 4
O PMDB do governador Jackson Barreto, o PT do ex-deputado federal Rogério Carvalho, o Solidariedade do deputado federal Laércio Oliveira, o PPS de Clóvis Silveira e o PEN do deputado estadual Robson Viana perderam cada qual 1 deputado. O PMDB, a despeito da perda, permanece com a maior bancada da Casa, com 69 parlamentares, seguido do PT, com bancada de 58 deputados.

Reduções 5
Os únicos deputados que integravam as legendas PTC, do deputado estadual Georgeo Passos, e o PMN deixaram os partidos, que não têm mais representantes na Câmara Federal. A Rede, do vereador Dr. Emerson, manteve sua bancada de 5 parlamentares, e o PTdoB do deputado estadual Paulino da Varzinhas manteve a bancada de 3 deputados.

Veja essa...
vDo vereador Dr. Emerson Ferreira, do Rede Sustentabilidade, ontem na Câmara Municipal, sobre o BRT: "Gostaria de morar, juntamente com minha família, na cidade das promessas de João. Ele prometeu demais na campanha eleitoral.  Estamos no último ano do atual mandato e o que vemos agora é a pressa para realizar algumas ações com o objetivo de enganar a população. Um exemplo disto é a suposta implantação do BRT, que exige vias específicas delimitadas por canaletas, estações de serviços com bilhetagem e ar-condicionado, nivelamento das estações, que ficam no mesmo nível dos ônibus, e não uma faixa azul indicando exclusividade para os ônibus. João traz ônibus articulados e não cumpre promessa de campanha.  Deveria ter a humildade e a decê ncia de assumir que grande parte das promessas que fez, ele, João Alves, não tem condições de coloca-las em prática".

Curtas
Na manhã de ontem, o líder do PSC, deputado federal André Moura, juntamente com os demais coordenadores do movimento Pró-Impeachment - Antônio Imbassahy (PSDB), Pauderney Avelino (DEM), Mendonça Filho (DEM), Rubens Bueno (PPS), Genecias Noronha (SD), Paulinho da Força (SD), Fernando Coelho Filho (PSB) e Darcísio Perondi (PMDB) - se reuniram para decidir os próximos passos da mobilização na Câmara em favor do impedimento da presidente Dilma Rousseff.

Durante a reunião, os líderes decidiram que iniciarão uma força-tarefa em prol do Impeachment e farão um mapeamento entre os parlamentares para a aprovação do tema. "Neste primeiro momento conversaremos com nossos pares para termos um panorama sobre os motivos reais que levarão ao impedimento", explicou Moura.

A Câmara dos Deputados aprovou ontem a Medida Provisória (MP) 699/15, que classifica como infração gravíssima o uso de veículo para interromper, restringir ou perturbar deliberadamente a circulação em vias públicas.

Pelo texto, publicado em novembro do ano passado pelo governo, o condutor que desrespeitar a norma será proibido de dirigir durante por 12 meses e terá o carro apreendido. Pagará multa de R$ 3.830,80 (o equivalente a 20 vezes o valor de uma infração gravíssima), que terá valor dobrado nos casos de reincidência no período de 12 meses.