O que pode vir

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O vereador Roberto Moraes (SDD) disse ontem que está pensando muito se vale a pena disputar a reeleição para a Câmara Municipal de Aracaju, por estar desgostoso com a vida pública. Lamentou que a cada dia que passa apareçam novos escândalos envolvendo hom
O vereador Roberto Moraes (SDD) disse ontem que está pensando muito se vale a pena disputar a reeleição para a Câmara Municipal de Aracaju, por estar desgostoso com a vida pública. Lamentou que a cada dia que passa apareçam novos escândalos envolvendo hom

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 05/03/2016 às 00:44:00

O vereador Roberto Moraes (SDD) disse ontem que está pensando muito se vale a pena disputar a reeleição para a Câmara Municipal de Aracaju, por estar desgostoso com a vida pública. Lamentou que a cada dia que passa apareçam novos escândalos envolvendo homens públicos. Ele é o segundo parlamentar a pensar em não ser candidato. 

O que pode vir

Sergipanos e brasileiros, acostumados a ver nos últimos anos operações da Polícia Federal às 6h da manhã para cumprir mandado de busca e apreensão de políticos ilustres, empresários e banqueiros por lavagem de dinheiro, corrupção e improbidades administrativas, se surpreenderam ontem com a PF no apartamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para cumprir uma condução coercitiva determinada pelo famoso juiz federal Sérgio Moro.
Por volta das 7h o petista foi levado de sua residência em São Bernardo do Campo até o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, onde depôs por mais de três horas na Operação Aletheia, ápice da Lava Jato, que o investiga por suspeita de recebimento de propinas do esquema Petrobras.
Enquanto o ex-presidente prestava depoimento, os anti-Lula foram às ruas comemorar o fato dele ter sido levado pela Polícia Federal achando até que ficaria preso. Não faltava o coro de corrupto, ladrão, fora PT. Militantes do PT também foram às ruas reagir contra o episódio.
O inevitável aconteceu: o confronto entre lulistas/petistas com tucanos/ anti-Lula em vários pontos de São Paulo. A polícia teve trabalho para impedir o pior, mas não conseguiu evitar algumas agressões físicas entre membros das duas tribos.  
Já à tarde, durante entrevista que concedeu a imprensa, na sede do PT, o ex-presidente disse que seu depoimento à Polícia Federal teve mais um aspecto de "show midiático" do que uma apuração séria do Ministério Público. Admitiu que se sentiu um prisioneiro por ter sido levado à PF em condução coercitiva, quando o investigado é obrigado a depor.
Disse que só bastava chamá-lo que iria a qualquer lugar, inclusive a Curitiba, sede da Operação Lava Jato. Lembrou que em janeiro chegou a suspender as férias para ir a Brasília conceder um depoimento a pedido da Polícia Federal. "Era só ter mandado eu vir. Sempre fui prestar esclarecimento, porque não devo e não temo."
Lula lamentou que o país esteja vivendo um processo em que a "pirotecnia" vale mais que qualquer coisa. "Vale mais o show midiático do que a apuração séria, responsável, que deve ser feita pela Justiça, pela polícia e pelo Ministério Público", afirmou, enfatizando que ser amigo do Lula hoje no país parece que virou uma coisa perigosa.
"É preciso criminalizar o PT, é preciso criminalizar o Lula, porque esses caras podem querer continuar o governo'", disse aos jornalistas, enfatizando que os resultados obtidos pelos governos do PT incomodam a "elite brasileira". Enfatizou que só consegue entender uma explicação para tudo isso: "a gente ter trabalhado todos esses anos para fazer as pessoas do andar baixo subirem um degrau na perspectiva do andar de cima".
Lula finalizou a entrevista, que foi acompanhada pelo tesoureiro nacional do PT, o ex-deputado federal Márcio Macedo, dizendo que vai voltar às ruas para recomeçar sua carreira política já a partir da próxima semana e que está disposto a andar o país.  Enfatizou que não sabe se será candidato em 2018, pela idade [mais de 70 anos].
Mostrou que vai para as ruas com sede de gás quando afirmou "Se quiseram matar a jararaca, não bateram na cabeça, bateram no rabo, porque a jararaca está viva."
Pelo andar da carruagem não deixa de ser preocupante o que vamos ver daqui para a frente no país, pois tucanos desejam um golpe a qualquer custo e os petistas, comandados por Lula, vão para as ruas evitar que isso ocorra. A revolta maior dos petistas é que estão vendo que só eles estão sendo acusados e presos na Lava Jato, quando no governo tucano também foi registrado corrupção na Petrobras.
Que Deus nos livre disso, mas existe um presságio de guerra civil no país. Isso ficou claro ontem nas ruas e aeroportos de São Paulo, com o povo brigando de tapas e murros, com alguns chegando a ser presos.
O PT tem um exército de militantes e duas tropas de elite: o MST e a CUT, prontos para o embate. Uma pequena parte desse "exército" foi ovacioná-lo na sede do PT, onde concedeu entrevista. Ao deixar o prédio o ex-presidente ouviu o coro "Lula guerreiro, do povo brasileiro".

Na defesa de Lula 1
Ontem de manhã mesmo membros da Executiva Estadual do PT se reuniram e decidiram convocar os presidentes dos diretórios municipais e militância do partido em Sergipe, bem como as entidades e lideranças dos movimentos sociais organizados, para um grande Ato em Defesa e Solidariedade ao ex-presidente Lula. O ato foi realizado às 16h, na sede do Sindicato dos Bancários.

Na defesa de Lula 2
O entendimento dos petistas é que a operação de ontem da Polícia Federal se revestiu de uma "perversa e perigosa mancha autoritária e de ataque ao Estado Democrático de Direito e que não pode seguir adiante". E que não passou de "um espetáculo que serve para alimentar setores da mídia acostumados a golpes, acostumados à dominação e ocupação do Estado, que coincidentemente também participaram do Golpe de março de 64 e que levou o País à uma escuridão e arbítrio de 21 anos".

Nota pública
O PT de Sergipe, inclusive, saiu com nota dizendo que "não assistirá calado e parado a esse massacre e injustiça ao nosso ex-presidente Lula e a esse espetáculo golpista, e convoca sua militância e entidades sociais para a defesa do ex-presidente, defesa da democracia e defesa do Brasil".
Nas redes sociais 1
O tesoureiro nacional do PT e ex-presidente do partido em Sergipe, ex-deputado federal Márcio Macedo, que acompanhou a entrevista do ex-presidente Lula à imprensa, gravou um vídeo e colocou nas redes sociais. Nele, o petista denuncia golpe contra a democracia e contra a integridade política do ex-presidente, e pede para que o povo reaja.

Nas redes sociais 2
Diz Márcio: "Companheiros e companheiras, me dirijo ao povo sergipano para dizer que hoje o Brasil amanheceu com uma ação espetaculosa de atentado contra a democracia, de criminalização da maior liderança popular do país, que é o ex-presidente Lula. Uma tentativa de criminalizar o PT e o governo da presidente Dilma".

Nas redes sociais 3
Prossegue: "É importante que a cidadania sergipana reaja, que possa se indignar diante dessa criação de um estado de exceção dentro de um estado democrático de direito. É importante que os movimentos sociais, que a militância do PT possam hoje fazer atos de denúncias desse momento de atentado contra a democracia brasileira".   

No Planalto
Mesmo em meio à crise política ontem, por conta do episódio Lula, a presidente Dilma Rousseff se reuniu com governadores, onde o foco maior foi a dívida dos estados e o pedido de alongamento do débito. Na reunião, a presidente comentou o episódio com Lula.

Ponto de vista
O governador Jackson Barreto (PMDB), que estava presente, também lamentou o fato do ex-presidente ter sido levado a sede da Polícia Federal para prestar depoimento. Para JB, o episódio não passou de "uma histeria política para desmoralizar um líder popular". No seu entendimento, o que fizeram com Lula foi um ato de violência, uma encenação e um teatro para atender aos interesses da elite.
Conversa
O governador retornou ontem de Brasília, onde passou a semana em audiências nos ministérios em busca de recursos e investimentos para Sergipe. Vai conversar nesses dias com o pré-candidato a prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB). Na segunda-feira passada, tomou café da manhã com o pré-candidato Valadares Filho (PSB) e os Mitidieri, onde tratou da sucessão municipal.

De fora
Segundo um aliado do governador, ele já está consciente que o secretário Zezinho Sobral (PMDB) não emplacou como pré-candidato a prefeito de Aracaju e que é melhor continuar à frente da Secretaria da Saúde, onde realiza um bom trabalho. Assim sendo, Zezinho não será pré-candidato e, consequentemente, não deve se desincompatibilizar do cargo no final do mês.

Consciente
As pesquisas que o governador têm em mãos mostram o fraco desempenho de Zezinho Sobral. Com isso, diante da crise política e econômica do país, com empresas e empresários sendo denunciados na Operação Lava Jato, além do curto tempo para a campanha eleitoral - apenas 45 dias - não tem como se trabalhar na consolidação de um nome ainda desconhecido do eleitorado.

No páreo
Com isso, Jackson Barreto terá apenas dois aliados como pré-candidatos a prefeito - Valadares Filho e Edvaldo Nogueira. Desde o começo, JB defendia apenas dois na disputa para que possa se empenhar para que estejam no segundo turno. Ele até já declarou recentemente à imprensa que o segundo turno será com dois aliados.

PCCV
JB disse à coluna que somente em maio definirá por um nome e que até lá vai focar, principalmente, na implementação do Plano de Cargo e Carreira do Servidor, o PCCV.  Revelou que vai trabalhar para concretizar isso no próximo mês de maio. "São R$ 2 milhões a mais por mês, vamos resolver", garantiu.

É sergipano
Através de liminar, a juíza federal Solange Salgado, da Primeira Vara da Justiça Federal de Brasília, suspendeu ontem a nomeação do novo ministro da Justiça, Wellington César Lima e Silva. Atendeu a pedido formulado na última quarta-feira pelo líder do DEM na Câmara, deputado Mendonça Filho (PE), que argumentou que a Constituição Federal proíbe membros do Ministério Público de exercerem outra função pública, salvo a de professor. Um dos advogados da Ação Popular é o sergipano Fabrício Medeiros.

Veja essa...
Do prefeito Fábio Henrique (PDT/Socorro), durante discurso em solenidade de entrega do título de cidadão socorrense ao deputado Laércio Oliveira (SD) quando avistou o vereador Agamenon Sobral: "Está chegando o polêmico vereador Agamenon. Cuidado, ele não pode ver um ovo, guardem os ovos". Todos riram com a menção de Fábio, por conta de uma briga do parlamentar com um ouvinte, que disse em um programa de rádio que se o vereador aparecesse na sua porta jogava ovo e ele reagiu dizendo que dava um murro em quem jogasse ovos nele.

... e essa...
No evento, não teve quem não comentasse que Agamenon Sobral é o "vereador do ovo". Nas redes sociais chamam o parlamentar de "Tonho da Lua". 

Curtas
Três pré-candidatos a prefeito de Nossa Senhora do Socorro (Zé Franco, Padre Inaldo e Klewerton Siqueira) marcaram presença na solenidade de entrega do título de cidadão socorrense ao deputado federal Laércio Oliveira (SDD), anteontem à noite, na Câmara Municipal, mediante projeto de autoria dos vereadores Vagnerrogeris Lima e Jairo Joaquim.

Ainda presentes à solenidade o prefeito de Aracaju João Alves (DEM) e o vice José Carlos Machado (DEM), aliados hoje de Laércio, que já declarou apoio à reeleição de JAF.
Durante discurso na solenidade de entrega de título a Laércio Oliveira o prefeito João Alves se referiu ao vereador de Nossa Senhora do Socorro, Rodrigues, de "senhora Rodrigues".

O PPS realizou ontem o Workshop "Gestão, Estratégia Eleitoral e Direito Eleitoral", ministrado por figuras renomadas de Brasília: Cláudio Aguiar, Fabiano Caldeira e Dr. Carlos Alberto. O evento, destinado a candidatos do PPS nas eleições deste ano na capital e interior, foi realizado em um hotel da orla.