Não vai ser fácil

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Na tarde de ontem o deputado federal Fábio Reis (PMDB-SE) acompanhou o governador Jackson Barreto em audiência com o ministro das Cidades, Gilberto Kassab. Na pauta, a liberação de recursos para o estado de Sergipe e habitação foram os principais temas do
Na tarde de ontem o deputado federal Fábio Reis (PMDB-SE) acompanhou o governador Jackson Barreto em audiência com o ministro das Cidades, Gilberto Kassab. Na pauta, a liberação de recursos para o estado de Sergipe e habitação foram os principais temas do

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 03/03/2016 às 00:35:00

Na tarde de ontem o deputado federal Fábio Reis (PMDB-SE) acompanhou o governador Jackson Barreto em audiência com o ministro das Cidades, Gilberto Kassab. Na pauta, a liberação de recursos para o estado de Sergipe e habitação foram os principais temas do encontro.
Na oportunidade, o parlamentar cobrou do ministro a liberação financeira de emendas, a disponibilização de três mil casas populares do programa Minha Casa, Minha Vida e a liberação de R$ 60 milhões para a construção de um rodoanel em Lagarto.
O ministro garantiu que as emendas serão pagas semana que vem. Em relação às casas populares, Kassab disse que ainda este ano vai haver liberação para novos projetos, mas não para o Brasil inteiro. No entanto, assegurou que o Nordeste será priorizado.

Não vai ser fácil

Com a chegada do mês de março, que caminha para ser o das definições políticas e, inclusive, desincompatibilização de cargos e troca de partidos, o que se comenta nas rodas políticas é quem vai ser o candidato a prefeito de Aracaju do governador Jackson Barreto (PMDB). Isso porque, como é do conhecimento de todos, são três os pré-candidatos do seu agrupamento.
Com isso, o questionamento é se o candidato será mesmo o secretário da Saúde, Zezinho Sobral (PMDB), ou se o governador escolherá o seu candidato entre o deputado federal Valadares Filho (PSB) e o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB).
O entendimento é que Zezinho pode não ter chance de vitória nas urnas por ser uma pessoa ainda desconhecida do eleitorado aracajuano, apesar de ser secretário da Saúde há mais de um ano e estar sempre aparecendo na mídia por algum problema relacionado à saúde, como o Zica virus e a dengue.
Acham que a conjuntura política não permitirá que Jackson eleja um "desconhecido". A avaliação é que JB elegeu em 1996 João Augusto Gama prefeito de Aracaju - na época um empresário desconhecido da população - por vários fatores. Entre eles ser um grande líder da oposição, ser grande o tempo de campanha e a legislação eleitoral ainda permitia a colocação de cartazes em toda a cidade.
Contemporâneos de Jackson contam que quando ele chegava nos bairros para pedir votos para Gama o povo falava que não o conhecia e a sua reação foi chegar em uma gráfica para mandar rodar milhares de cartazes com a foto do seu candidato para colocar nos postes, muros e residências. Foi a forma simples que encontrou para Gama se tornar conhecido ao longo da campanha, que foi vitoriosa.
Hoje, 20 anos depois, a situação é outra. Jackson Barreto é governo, faz uma administração desgastada com o atraso de pagamento do servidor público, a campanha eleitoral é de apenas 45 dias e a legislação não permite mais colocação de cartazes nas ruas. Sem falar que a crise econômica, somada aos escândalos de corrupção envolvendo empresas que doaram dinheiro para campanha de candidatos, vai fazer com que as campanhas sejam franciscanas.
Diante deste cenário, JB hoje terá dificuldade para eleger prefeito de Aracaju uma pessoa ainda desconhecida do eleitorado. Isso pode fazer com que repense a ideia inicial de apoio à pré-candidatura de Zezinho Sobral se ele não começar a pontuar bem nas pesquisas até maio.
Assim sendo, quem apoiará? Valadares Filho, que é um nome novo para prefeito, tem grupo político e tempo de televisão, ou Edvaldo Nogueira, que já foi prefeito, tem mais voto, mas não tem grupo nem tempo de televisão?
Esse questionamento é pelo fato de JB ter um pouco de mágoa dos dois. Com relação a Valadares é pelo fato de ter coordenado a sua campanha a prefeito de Aracaju em 2012, ter esperado o seu apoio incondicional e do seu pai, o senador Valadares, em 2014 quando disputou o governo e quando da eleição da presidente Dilma no segundo turno.
Já com relação a Edvaldo tem a ver ainda quando disputou como vice-governador na chapa encabeçada por Marcelo Déda, em 2010, e ele, como prefeito de Aracaju e aliado, não acatou sugestões administrativas para a capital. JB, na época, chegou a atribuir a Edvaldo a derrota em Aracaju para João Alves, que acabou motivado para disputar a prefeitura em 2012.
Trocando em miúdos, Jackson está em uma encruzilhada sobre quem apoiar no primeiro turno. Ele sabe que é difícil eleger o candidato que gostaria, mas que decide uma eleição.

No Planalto 1
O governador Jackson Barreto (PMDB) esteve ontem em audiência com a presidente Dilma Rousseff. Tratou do terreno da Petrobras que inviabiliza a construção de uma fábrica de cimento em Santo Amaro das Brotas e pediu pressa na liberação de recursos das obras de duplicação da BR - 101, do Centro de Convenções, Campus do Sertão e para a saúde. JB ainda solicitou que os repasses de recursos federais para Sergipe sejam na mesma proporcionalidade dos estados de Alagoas e Bahia.

No Planalto 2
Ao final da audiência, o governador Jackson Barreto convidou a presidente Dilma para a inauguração das instalações do SergipeTec, que se encontra em fase final de implantação. Os recursos, na ordem de R$ 33 milhões, são oriundos do Governo do Estado, Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e Petróleo Brasileiro S/A (Petrobras).

Manifestação
pública
Do ex-secretário municipal de Saúde, Luciano Paz, no twitter, após conversa que teve anteontem, no início da noite, com o prefeito João Alves Filho (DEM), em que ficou acertada a sua saída da pasta: "O povo não vale menos que uma categoria, por isso saí".  Depois afirmou: "Não posso tratar servidores de forma desigual".

Gota d´água
Segundo um vereador aliado do prefeito, a situação de Luciano Paz começou a ficar insustentável com a greve dos médicos contratados pela prefeitura de Aracaju para trabalhar nas UPAs. Como a coluna já tinha informado, na reunião com o Sindicato dos Médicos o secretário chegou a fechar um entendimento em torno das reivindicações da categoria e depois disse que não cumpriria o acordado, levando os médicos a ameaçar demissão em massa. Foi o próprio prefeito quem intermediou o impasse.

Especulação 1
Nos corredores ontem da Prefeitura de Aracaju o comentário era que o secretário Carlos Batalha (Comunicação) iria para a Secretaria de Saúde e o assessor André Carvalho assumiria a Secretaria de Comunicação. E que Batalha, inclusive, já estaria arrumando as gavetas.

Especulação 2
Já para o lugar do ex-secretário da Infraestrutura, Luis Durval, o nome que vem sendo especulado para comandar a pasta é o do ex-presidente da Emsurb e atual diretor da Emurb, o engenheiro Júlio Flores.
Especulação 3
Além da Infraestrutura e Saúde, existe a possibilidade do prefeito mudar também o comando da Secretaria Municipal da Educação, comandada por Márcia Valéria. Existe uma pressão de aliados para mudança na área.

É fato 1
No momento, o terceiro secretário de João Alves certo a deixar a pasta é Juvêncio Oliveira (Articulação Política). É que terá que se desincompatibilizar do cargo até o final de março para disputar mandato de vereador.

É fato 2
Até essa sexta-feira o prefeito João Alves deve anunciar os nomes dos novos secretários da Saúde e da Infraestrutura.     

Preso 1
A polícia prendeu ontem Jeferson de Assis Soares, suspeito de ser responsável pelo apoio logístico da quadrilha de assaltantes de bancos e que tinha agido em Poço Verde e Itabaianinha. Ele fornecia documentos falsos para a quadrilha, tipo carteira de identidade, e já tinha sido preso por crime de estelionato.

Preso 2
Informações que circulam nas redes sociais é que Jeferson de Assis é pré-candidato a prefeito de Pedrinhas nas eleições deste ano. Nas redes, inclusive, foram colocadas duas fotos de Jeferson com o deputado estadual Gustinho Ribeiro (PSD).

Fica no ninho
tucano
O vice-prefeito José Carlos Machado não tem pretensões de deixar o PSDB, conforme especulação de alguns setores da imprensa. Após reconquistar o comando do partido tucano em Aracaju, a pretensão de Machado é permanecer na legenda, aumentar a base de apoio e trabalhar para ampliar os partidos de coalizão da reeleição do prefeito João Alves.

Veja essa...
Um dirigente de um órgão do segundo escalão do governo pediu a uma empresa que bancasse a extensão de uma rede elétrica em sua fazenda, no interior do estado, e como recebeu um sonoro não retaliou com a referida empresa usando o poder do seu cargo. O investimento seria de R$ 200 mil.

Curtas
Na reunião que teve com o vice-presidente da República, Michel Temer, em Brasília, o governador Jackson Barreto reiterou o apoio do PMDB de Sergipe a sua reeleição como presidente nacional do partido. A convenção da sigla será dia 12 de março.

Ontem o líder do PSC, deputado federal André Moura (SE), informou que atendendo ao pedido da oposição, em acordo com o Governo Federal, a inclusão do PL 3123/15, que limita a remuneração mensal de agentes políticos e públicos na pauta do plenário foi adiada. Esse foi o pleito dos juízes e promotores que tomaram Brasília anteontem para tratar desse projeto de lei.

A Comissão de Assuntos Sociais do Senado aprovou na manhã de ontem Projeto de Lei, relatado pelo senador Ricardo Franco (DEM), que cria canal para que trabalhadores, aposentados e pensionistas denunciem fraudes a seus direitos, o chamado Disque-denúncia do Trabalhador.

A vereadora Daniela Fortes anunciou ontem, da tribuna da Câmara, a sua desfiliação do PR e filiação ao Partido Ecológico Nacional (PEN), como a coluna já tinha informado.

A titular da coluna foi homenageada ontem pela Federação Estadual das Entidades Comunitárias de Sergipe (FECS) e Conam com o certificado de reconhecimento como "Mulher Virtuosa", alusivo ao Dia Internacional da Mulher. O evento aconteceu às 15 horas, no plenário da Câmara Municipal de Aracaju, sob o comando da presidente da FECS, Adriana Oliveira.