Mais um ato criminoso

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O senador Ricardo Franco parabenizou o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE), conselheiro Clóvis Barbosa de Melo, pelas medidas saneadoras que tem implantado nesse momento de crise econômica e financeira, desejando que a iniciativa seja abso
O senador Ricardo Franco parabenizou o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE), conselheiro Clóvis Barbosa de Melo, pelas medidas saneadoras que tem implantado nesse momento de crise econômica e financeira, desejando que a iniciativa seja abso

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 12/02/2016 às 22:32:00

O senador Ricardo Franco parabenizou o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE), conselheiro Clóvis Barbosa de Melo, pelas medidas saneadoras que tem implantado nesse momento de crise econômica e financeira, desejando que a iniciativa seja absorvida por outros órgãos públicos, já que tem contado com o apoio da sociedade em geral. O senador visitou o presidente do TCE/SE na manhã desta sexta-feira, 12.
Comentando sobre a crise também política e moral que provocou um marasmo institucional no Brasil, Ricardo Franco apresentou a Clóvis Barbosa a tese de um pacto nacional com aprovação de eleições gerais para todos os níveis ainda neste ano, na carona das eleições municipais.
Clóvis Barbosa aproveitou para solicitar a Ricardo Franco apoio à criação do Conselho Nacional dos Tribunais de Contas (CNTC), nos moldes do Conselho Nacional de Justiça e do Conselho Nacional do Ministério Público. Ele lembrou que já há projetos de emenda à Constituição (PECs) em tramitação no Congresso.

Mais um ato criminoso

No pleito de 1996 Genilvado Galindo foi eleito prefeito de Canindé do São Francisco. Inconformado com o resultado das urnas, o adversário derrotado Jorge Carvalho entrou com uma ação na justiça visando a recontagem dos votos em todas as 58 urnas por acreditar que o grupo de Galindo tinha conseguido fraudar os votos para que vencesse as eleições.
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) acatou o recurso e na véspera da recontagem dos votos, na madrugada do dia 10 de março de 1997, um grupo de pessoas vestida de uniformes militares invadiu o Fórum Dom Juvêncio de Brito e levou as urnas que estavam no gabinete do juiz José Amintas Noronha Menezes.
Na época foi denunciado que o então delegado Álvaro Bento e um policial militar tinham rendido o vigilante, enquanto o grupo roubava as urnas para que fossem incineradas, impedindo, assim, a recontagem dos votos. Isso lhe daria o direito de permanecer prefeito.

Na investigação do roubo das urnas - um fato inédito na história política de Sergipe - foi constatado que o então secretário de Finanças Floro Calheiros foi o mentor intelectual do crime. Essa foi a sua primeira faceta revelada antes que todo o Sergipe tomasse conhecimento do bandido de alta periculosidade que ele era e que acabou sendo morto na troca de tiros com a polícia.
Não só Floro Calheiros chegou a ser preso pelo roubo das urnas, mas também o próprio Genivaldo Galindo e mais sete pessoas, inclusive o então delegado de Canindé à época, Álvaro Bento.
Na madrugada de ontem, 20 anos depois do roubo das urnas no fórum de Canindé e queima das cédulas eleitorais, o povo de Sergipe foi surpreendido com o incêndio criminoso na Câmara Municipal de Cristinápolis com o objetivo de queimar as provas de improbidade administrativa contra o prefeito Padre Raimundo. Provas essas coletadas durante a realização de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) feita pela Câmara Municipal.
Como em Canindé, o incêndio das provas contra o prefeito aconteceu na madrugada e horas antes dos vereadores votarem o parecer da CPI favorável ao impeachment do prefeito.  Tudo leva a crer que os elementos queriam evitar a cassação do mandato do gestor acusado também de crime de peculato e fraude em licitação.
Esse incêndio criminoso deve ser devidamente investigado para que todos os culpados paguem por esse crime e não fiquem impunes.

Impeachment 1
De nada adiantou o incêndio da documentação da CPI que analisou denúncias de improbidade administrativa contra a gestão do prefeito de Cristinápolis, Padre Raimundo Leal (PMDB). Na tarde de ontem, os vereadores se reuniram e, por ampla maioria, decidiram pela cassação do seu mandato. Dos 11 vereadores, somente Cristiana dos Santos e Jamisson Félix deixaram a sessão para não votar em protesto ao pedido de vistas ter sido negado pela Mesa.

Impeachment 2
A sessão extraordinária iniciada às 14h na própria Câmara foi bastante tumultuada, havendo a necessidade de policiais militares para garantir a segurança dos vereadores. O parecer da CPI favorável ao impeachment do prefeito Pe Raimundo foi aprovado na última quarta-feira, sendo referendado ontem por nove vereadores.

Impeachment 3
Segundo o vereador Landinho, que foi o presidente da CPI iniciada em 2014, foi constatado que a gestão do prefeito contratou e pagou por serviços de terceiros de pessoas físicas que não foram realizados.  "As testemunhas disseram, tanto na CPI quanto na CPP, não terem realizado os serviços que constavam nos empenhos feitos pela prefeitura e, muito menos, recebido os valores descriminados", afirmou.   

Impeachment 4
Com a aprovação do impeachment do prefeito Padre Raimundo, assume o comando do município o vice-prefeito João Dantas dos Santos (PSC).  Com isso, o bloco liderado pelo governador Jackson Barreto (PMDB) perde um prefeito e o grupo dos irmãos Amorim ganha um.

Expectativa
O governador Jackson Barreto (PMDB) retorna de viagem na próxima segunda-feira e até o final da semana deve decidir a mudança no comando da Segurança Pública e da Polícia Militar. Já está definido que irá para o lugar de Mendonça Prado na SSP o delegado João Batista, que terá autonomia para indicar o substituto do comandante da PM, coronel Maurício Iunes.
Nova especulação
Segundo uma fonte palaciana, o nome hoje mais provável para assumir o comando da Polícia Militar é o do coronel Marconi. Com a sua nomeação, apenas dois ou três coronéis irão para a reserva. Já foi bem especulado os nomes dos coronéis Jackson, Luiz e Júlio César, mas agora o nome da vez é Marconi.

De malas prontas?
Informações chegadas à coluna dão conta que em março o deputado estadual Robson Viana deve mesmo deixar o PMDB e se filiar ao PTN. E que o parlamentar pode ser candidato a vice-prefeito de João Alves Filho (DEM), com quem desfilou no Bloco Rasgadinho.

Será?
Uma fonte garante que já é fato consumado o rompimento político entre Robson e o governador. E que a gota d´água foi as declarações nas redes sociais do irmão do deputado, César Viana, um dia antes do governador ir a Santa Rosa de Lima fazer algumas inaugurações.
O fato
César chegou a falar que a praça que Jackson ia inaugurar em Santa Rosa de Lima era "fudida" e que o lugar era "mais fudido" ainda. E que desejava "o comparecimento de todos os fudidos do governo para gastar a sua preciosa e barata gasolina  para puxar o seu saco. Quem não comparecer, vai ter seu salário cortado ou parcelado em dez vezes. Corre, cambada, para Santa Rosa".

Na avenida
O irmão de Robson Viana é pré-candidato a vereador de Aracaju e durante o Carnaval, no Bloco Rasgadinho, desfilou como um postulante a uma cadeira na Câmara Municipal de Aracaju nas eleições deste ano.

O pensamento
Recentemente Robson Viana disse à coluna que após a eleição nacional do PMDB, em março, ele estaria definindo o seu destino político partidário. Indagado se poderia romper politicamente com o governador Jackson Barreto (PMDB), afirmou que JB estaria se aposentando ao final do seu mandato e que precisava sobreviver politicamente.

É candidato
O presidente do Diretório do PC do B em Aracaju, Antonio Bittencourt, disse ontem à coluna que não existe qualquer possibilidade do ex-prefeito Edvaldo Nogueira ser candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada pelo deputado federal Valadares Filho (PSB), como noticiou a coluna.

As razões 1
Segundo Bittencourt, são vários os motivos para Edvaldo não ser o vice de Valadares Filho. "Em 2008, Edvaldo Nogueira foi eleito prefeito de Aracaju no primeiro turno, o que não ocorreu com Valadares Filho em 2012, que saiu derrotado do pleito na disputa contra João Alves Filho. Além disso, em 2014, na eleição para deputado federal, Valadares Filho teve 14 mil votos na capital, enquanto Edvaldo Nogueira foi votado por quase 24 mil aracajuanos, sendo o mais votado do bloco governista", pontuou.

As razões 2
Disse ainda que as pesquisas de consumo interno mostram Edvaldo em vantagem em relação ao pré-candidato do PSB. "Todos estes dados revelam a força do nome do pré-candidato a prefeito de Aracaju do PC do B", afirmou o dirigente partidário.

Na expectativa
Bittencourt destacou ainda que o PC do B espera que Valadares Filho aceite ser o vice-prefeito na chapa de Edvaldo Nogueira como um "ato de reciprocidade" pelo gesto de apoio do ex-prefeito ao candidato do PSB na última eleição municipal.

Parlamentarismo
O senador Fernando Collor (PTB-AL) apresentou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC 032/2015) para que seja implantado o Parlamentarismo no Brasil. Nesse sistema político o Poder Executivo é exercido pelo presidente da República, mas é o Conselho de Ministros que responde pela política de governo e pela administração federal. O grande diferencial desse modelo é que o Primeiro Ministro poderá cair se forem aprovadas três moções de desconfiança sobre sua administração, também na Câmara dos Deputados.

Veja essa...
De um aliado do governador Jackson Barreto sobre a saída de Mendonça Prado da Secretaria de Segurança Pública: "Mendonça Prado pode mesmo ir para a Secretaria de Justiça. Pela fidelidade de Mendonça na campanha eleitoral, onde brigou até com o então sogro {João Alves Filho} para ficar com Jackson, o governador não vai deixá-lo na chuva".

Curtas
Na próxima segunda-feira o PCdoB realiza o II Ciclo de Debate com o foco em "Educação". Será a partir das 18h30, no Sindicato dos Bancários.

O evento visa um debate amplo com militantes e professores sobre a educação em Aracaju com o objetivo de inserir no programa de governo de Edvaldo Nogueira.

O I Ciclo de Debate foi sobre a modernização geral da administração e o III Ciclo será sobre mobilidade urbana.

Na próxima segunda-feira começa o ano legislativo 2016 na Assembleia Legislativa e na terça-feira na Câmara Municipal de Aracaju.

Quem vai levar a mensagem do governo na Assembleia Legislativa é o governador em exercício Belivaldo Chagas (PSB). Já quem vai a Câmara levar a mensagem de governo aos vereadores é o próprio prefeito João Alves (DEM).