O ano só termina quando é carnaval

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Servidores públicos do estado e do município de Aracaju participaram ontem de blocos de protesto no carnaval. O bloco \"Quebradinhos\" (foto) se concentrou em frente ao Centro Administrativo Professor Aloísio Campos, onde funciona a prefeitura de
Servidores públicos do estado e do município de Aracaju participaram ontem de blocos de protesto no carnaval. O bloco \"Quebradinhos\" (foto) se concentrou em frente ao Centro Administrativo Professor Aloísio Campos, onde funciona a prefeitura de

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 06/02/2016 às 01:02:00

Servidores públicos do estado e do município de Aracaju participaram ontem de blocos de protesto no carnaval. O bloco "Quebradinhos" (foto) se concentrou em frente ao Centro Administrativo Professor Aloísio Campos, onde funciona a prefeitura de Aracaju. Os funcionários protestaram contra atraso de salário.
O outro bloco, o tradicional "Siri na Lata", que é o dos trabalhadores de Sergipe organizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), teve a concentração na Praça Fausto Cardoso. Este ano o foco foi o veto popular da passagem de ônibus. Teve também a participação de servidores públicos do estado que protestaram contra atraso de salário e a falta de um reajuste salarial.

O ano só termina quando é carnaval

Chegou o carnaval 2016. Diz a marcha de Moraes Moreira que o ano só termina quando é carnaval. Pelo menos na área política esse verso da música "As quatro curtições" tem tudo a ver no país e em Sergipe.
O ano legislativo do exercício de 2016 na Assembleia Legislativa e nas Câmaras Municipais, incluindo a de Aracaju, só começa no dia 15 de fevereiro.
O governador Jackson Barreto (PMDB) fará mudanças na equipe de governo após o carnaval. Inclusive fará o anúncio da tão esperada mudanças na área da segurança pública.
As definições de pré-candidaturas e alianças só vão ocorrer depois da festa de Momo. O senador Eduardo Amorim (PSC) somente vai decidir se será ou não candidato a prefeito de Aracaju na reunião do seu bloco do dia 15 de fevereiro.
Só em março haverá uma definição sobre a pré-candidatura a prefeito da capital do secretário da Saúde, Zezinho Sobral (PMDB). Ela pode ou não vingar. Vai depender de pesquisas de intenções de votos e qualitativas que vão ser feitas até o mês que vem.
Se Zezinho aparecer nas pesquisas com um percentual considerável será candidato com o apoio do governador Jackson Barreto (PMDB) e com uma grande possibilidade de ter como vice a ex-primeira dama Eliane Aquino (PT).
As únicas pré-candidaturas já definidas e com um aliado já definido são a do prefeito João Alves (DEM) e do deputado federal Valadares Filho (PSB). João já conta com o apoio do SDD do deputado federal Laércio Oliveira e Valadares com o PSD do deputado federal Fábio Mitidieri.

O ex-prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) vem trabalhando para consolidar seu nome e em busca de apoios. Ainda não avançou nas alianças, mas segue firme na pretensão de voltar à Prefeitura de Aracaju.
A situação também não é diferente no interior do Estado.  Em Canindé do São Francisco, o prefeito Heleno Silva (PRB), que não disputará a reeleição, só anunciará seu pré-candidato após o carnaval. A mesma coisa o prefeito já reeleito de Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique (PDT).
Após o carnaval, que é quando realmente o ano começa, a sucessão municipal vai esquentar, assim como voltará com tudo a discussão em torno da crise política, econômica e moral, que engloba o impeachment da presidente Dilma Roussef e do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB/RJ).
Enquanto não passa o fraco carnaval este ano em Sergipe, com várias proibições a sua realização, os políticos vão fazer a festa e a população vai procurar esquecer seus problemas nesse momento de crise, atraso de salário e de arrocho salarial.

Carnaval sem
médico 1
Esse carnaval não vai ser dos melhores para o prefeito João Alves (DEM) por conta da greve dos médicos das UPAs da Zona Norte e Zona Sul, que decidiram cruzar os braços desde a última quarta-feira por conta do atraso do pagamento de salário desde dezembro. Com isso, a população carente vai se revoltar contra o prefeito por necessitar de atendimento médico e não dispor porque o prefeito não paga os salários dos profissionais de saúde.
Carnaval sem
médico 2
O caos nessas duas UPAs vai perdurar durante toda a folia de momo. É que mesmo que alguns médicos concursados voltem a trabalhar não conseguirão atender a demanda. Eles representam um efetivo de menos de 30% do quadro de médicos, uma vez que o restante são autônomos.

Carnaval sem
médico 3
Esses médicos autônomos, que representam mais de 70% e recebem através de Recibo de Pagamento de Autônomo (RPA), pleiteiam não só o pagamento atrasado desde dezembro, mas, também, a garantia de direitos trabalhistas como férias, 13º salário, FGTS e insalubridade. Eles ganham apenas pelos plantões dados no mês e a única garantia que têm é um livro de ponto que assinam.

Carnaval sem
médico 4
Na UPA da Zona Sul ontem à tarde, primeiro dia de carnaval, não tinha nenhum médico trabalhando. A revolta da população foi grande.
Ponto de vista 1
Segundo João Fontes, Aracaju é a única das capitais dos vizinhos estados de Sergipe em que a eleição municipal deste ano ainda não está definida. "Já estão reeleitos pela boa gestão e aceitação popular os jovens prefeitos de Salvador (ACM Neto/DEM), Rui Palmeira (PSDB/Maceió) e Geraldo Júlio (PSB/Recife). Aqui ainda não se sabe quem será o novo prefeito", disse.

Ponto de vista 2
Para o ex-deputado, não tem justificativa a desculpa do prefeito João Alves (DEM) de que não consegue fazer uma boa gestão por ser oposição ao governo federal e ter encontrado a Prefeitura de Aracaju endividada. "ACM Neto, Rui Palmeira e Geraldo Júlio encontraram as prefeituras com dificuldades e são oposição ao Planalto. Essa desculpa de João Aves é para enganar quem não conhece a história do país. O problema é que ele passou um ano e meio querendo ser governador, desarrumou as contas da prefeitura e criou o Bolsão Família ao empregar a mulher, a irmã e o cunhado".    

Novo procurador
O Diário Oficial do Estado de ontem publicou a nomeação do procurador João Augusto Bandeira de Melo como o novo procurador-geral do Ministério Público Especial junto ao Tribunal de Contas do Estado de Sergipe para o mandato de dois anos. João Augusto figurou como o primeiro da lista tríplice entregue ao governador Jackson Barreto (PMDB) pelo presidente do TCE, conselheiro Clovis Barbosa, no último dia 26 de janeiro.

Na disputa
Na lista - que a princípio seria tríplice -, constavam os nomes dos procuradores Eduardo Rolemberg Côrtes e João Augusto Bandeira de Mello. Outro possível integrante da relação, o procurador Luís Alberto Meneses, abriu mão de concorrer ao cargo.

Praça
O site da Emurb publica licitação no valor de R$ 600 mil para reforma da Praça Fausto Cardoso. Isso gerou indignação entre alguns aracajuanos pelo fato dessa praça ter sido reformada há poucos anos pelo então prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) e haver outras em estado pior em bairros da capital precisando de reforma urgente.

Crise
A crise financeira que, além da União, abala os recursos de estados e municípios, deve mobilizar votações no Congresso Nacional com propostas voltadas ao pacto federativo. Governadores e prefeitos já iniciaram as conversas com os parlamentares, que prometem apoio na busca por mais recursos. Na avaliação da senadora Ana Amélia (PP-RS), não há mais como adiar a ajuda aos estados. Após uma reunião com os governadores, o presidente do Senado, Renan Calheiros, afirmou que uma pauta emergencial voltada à questão dos estados e municípios está sendo elaborada.

Veja essa...
Texto criativo que circula nas redes sociais neste carnaval: "Ano retrasado a música do carnaval foi Lepo Lepo (não tenho carro, não tenho teto) e o Brasil entrou em crise. Ano passado a música foi a Muriçoca (a muriçoca pipa pica pica), e o resultado? Dengue, Zica e Chikungunhya. Se este ano for essa tal da Metralhadora (trá trá trá) nós estamos todos lascados".

Curtas
Em Aracaju a população que gosta de folia e não vai viajar nesse carnaval será salva pelo Bloco Rasgadinho, que este ano está com uma boa programação. O bloco, resgatado pelo deputado estadual Robson Viana (PMDB), será bem frequentado pelos pré-candidatos a prefeito da capital, além, claro, de aracajuanos e turistas.    

Muitas lideranças políticas já viajaram para o Carnaval em outros estados. O vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) passará a folia de Momo em sua terra Natal, Simão Dias.

O deputado federal Valadares Filho (PSB) passa o carnaval em Aracaju, onde percorrerá os bairros que vão fazer carnaval de rua.

O destino de muitos sergipanos, desde ontem, são as praias de Sergipe e as capitais da folia: Rio de Janeiro, Salvador e Recife. Tem ainda Neópolis, que conseguiu se manter neste carnaval como a capital sergipana do frevo,