Novos escândalos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O presidente do Diretório Estadual do PSB, deputado federal Valadares Filho, conversou ontem de manhã com o presidente do Diretório Municipal do PMDB, deputado estadual Garibalde Mendonça. Valadares falou da sua pré-candidatura a prefeito de Aracaju em 20
O presidente do Diretório Estadual do PSB, deputado federal Valadares Filho, conversou ontem de manhã com o presidente do Diretório Municipal do PMDB, deputado estadual Garibalde Mendonça. Valadares falou da sua pré-candidatura a prefeito de Aracaju em 20

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 25/11/2015 às 01:55:00

O presidente do Diretório Estadual do PSB, deputado federal Valadares Filho, conversou ontem de manhã com o presidente do Diretório Municipal do PMDB, deputado estadual Garibalde Mendonça. Valadares falou da sua pré-candidatura a prefeito de Aracaju em 2016 e da possibilidade de apoio.
No encontro, que durou cerca de uma hora, também foi tratado questões políticas e sobre o futuro de Aracaju. Valadares Filho vem conversando com lideranças da base aliada do governo Jackson Barreto, mas só vai aprofundar os entendimentos no próximo ano.

Novos escândalos

A sociedade sergipana foi surpreendida com mais uma operação da Polícia Civil, na manhã de ontem, para prisão de novas pessoas envolvidas no escândalo das verbas de subvenções da Assembleia Legislativa, que segundo dados do Ministério Público Eleitoral (MPE) foram desviados de suas finalidades cerca de R$ 12,4 milhões somente em 2014.
A polícia prendeu ontem um outro "Nolltet Feitosa", o empresário Wilson Félix de Farias, conhecido com Wilson Avalanche, acusado de montar uma "organização criminosa para surrupiar o dinheiro público", segundo a delegada  Danielle Garcia, do Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap).
Junto com Wilson foram presos a sua esposa Edivânia Menezes, os empregados Alessandra Santos e André Santos (motorista), e o presidente da Associação Sergipana dos Produtores de Eventos (ASPE), Márcio José Gois. Todos foram presos em suas residências.
Segundo a delegada, as investigações mostram que os detidos atuavam como "laranjas" de Wilson Avalanche, que trabalha com 12 empresas que têm os mesmos sócios, um único endereço e que recebiam dinheiro das subvenções da Alese destinadas para a ASPE, que não tem utilidade pública. E que também atuam junto as prefeituras do interior para contratação de shows.
De acordo com Danielle, nos últimos quatro anos essas empresas receberam cerca de R$ 2 milhões das subvenções, que eram repassados através da ASPE. Revela que em 2004, o grande operador foi o presidente da associação, o Márcio, que dividiu os cerca de R$ 750 mil recebidos das subvenções com as empresas vinculadas a Wilson, que não aparece como dono de nenhuma delas.
Informou ainda a delegada que em 2014 quatro deputados estaduais daquela legislatura destinaram recursos das subvenções para a ASPE:  Paulinho da Varzinhas (PTdoB), Mundinho da Comase (PSL), Zeca da Silva (PSC) e Susana Azevedo, hoje conselheira do TCE. Ressaltou que as subvenções de Suzana e Mundinho chegaram a ser empenhadas, mas foram canceladas.
Paulinho da Varzinhas, que teve o seu mandato cassado anteontem pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), destinou R$ 375 mil da sua subvenção de R$ 1,5 milhão para a ASPE no ano passado. Esse valor corresponde a cerca de 25% do total da subvenção.
Em uma outra etapa, as prefeituras que contrataram as 12 empresas comandadas por Wilson Avalanche também serão investigadas. Existe a suspeita de fraude nos contratos de bandas.
A sociedade, cansada de tanta corrupção e do Brasil ser o país da impunidade, aplaude essa atuação da polícia que já prendeu várias outras pessoas envolvidas no desvio das verbas de subvenção social da Alese, a exemplo do ex-deputado Mundinho da Comase e do empresário Nollet, que foram soltos após fazerem a delação premiada.
Que as investigações continuem e novas prisões sejam feitas de todos aqueles que se locupletaram com o dinheiro público. Que todos paguem pelos seus crimes. É preciso dar um basta na corrupção. Chega de impunidade. O povo cansou! Cadeia para quem rouba o dinheiro público do povo sergipano!
O crime não pode compensar!

Balanço
O resultado da operação deflagrada ontem pela Polícia Civil resultou na prisão de cinco pessoas, apreensão de cinco veículos de luxo, R$ 200 mil em espécie e joias mediante cumprimento dos mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça na residência dos presos. Segundo a delegada Danielle Garcia, como não foram encontrados bens no nome do empresário Wilson Farias, que comanda o esquema de fraude, foram bloqueados imóveis no nome de "laranjas".  
Os braços
Para a delegada, a esposa de Wilson, a Edivânia Menezes, era o seu "braço direito" e Alessandra Santos o seu "braço esquerdo" em todo o esquema. O motorista André Santos também era importante no esquema.

Na cadeia
As duas mulheres detidas ontem estão presas na Barra dos Coqueiros e os três homens na 1ª Delegacia Metropolitana de Aracaju. Nenhum deles quis falar para a polícia. Orientados pelos advogados, disseram que só falariam em Juízo.   
As investigadas
A Associação Sergipana dos Produtores de Eventos (ASPE) é a terceira entidade investigada pela polícia civil no uso irregular das verbas de subvenções da Assembleia Legislativa. A primeira foi a Amanova, que resultou na prisão do empresário Nollet Feitosa e da presidente da associação Clarice Jovelina de Jesus, entre outros. A segunda foi a Associação Ala Jovem, de Lagarto, que levou a prisão os irmãos Vasconcelos e ex-deputado Mundinho da Comase.
Que assim seja
Segundo o promotor de Justiça, Henrique Cardoso, as investigações vão continuar. "Vamos tentar demonstrar que o crime não compensa. O objetivo final é tornar claro para a sociedade que a única forma de ganhar dinheiro é trabalhando honestamente. Que essa malandragem, esse jeito desonesto de se meter em contratações públicas, em campanhas políticas e desvio de dinheiro venha a gerar um risco muito grande para quem assim o faz".

Especulação  
Informações chegadas à coluna dão conta que o ex-senador Almeida Lima (PMDB), atual diretor presidente da Adema, pode chegar ao primeiro escalão do governo durante mudança na equipe administrativa que o governador Jackson Barreto (PMDB) pretende fazer após o carnaval.

Se destacou
Jackson ficou encantado com a sua atuação na reunião que fez com o primeiro e segundo escalão do governo, realizada no Palácio, no dia em que reassumiu o governo (16 de novembro). Na oportunidade, Almeida teria dito que se lá atrás a equipe criada para adotar algumas ações no governo tivesse adotado algumas medidas seria menor a dificuldade financeira do Estado hoje.

Uma das sugestões
Almeida Lima chegou a debater com os secretários Jeferson Passos (Fazenda) e Zezinho Sobral (Saúde), que integravam a equipe. Jackson Barreto gostou das suas colocações. Uma das propostas colocadas por ele foi a revisão dos contratos de maiores valores financeiros do governo com empreiteiras e terceirizados.

Plano
A prefeita Esmeralda (PT/Carmópolis) discutiu com dirigentes do Sindicarmo a elaboração do Plano de Cargos e Salários dos Servidores Públicos do Município. Antes de ir para discussão e votação na Câmara de Vereadores, o plano será debatido com servidores de várias categorias.  
    
Colocando as
pedras no tabuleiro
Deu ontem na coluna de Ilimar Franco, no O Globo: "Ao contrário do início do ano, quando o PT lançou candidato a presidente da Câmara, os petistas não pensam mais nisso. Eles estão convencidos que estão fora do jogo. A conclusão é compartilhada pelos vários PTs. Atribuem ao ex-presidente da Casa Arlindo Chinaglia avaliação de que é possível, caso tenha candidato, que se junte todo mundo contra o PT. O ideal para os petistas é que o PMDB e base aliada se unissem em torno de Picciani. Mas há outros que têm também o aval de cunha: os líderes André Moura (PSC) e Jovair Arantes (PTB). A oposição terá candidato. Não pretende apoiar um governista. E busca um nome que tenha inserção nas bancadas aliadas".