Jackson reassume

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O presidente municipal do PMDB, Luiz Garibalde, disse que agora com a volta do governador Jackson Barreto o partido vai começar a discutir a sucessão municipal, mas só tomará uma posição no próximo ano. Segundo ele, o PMDB tem a intenção de ter candidato
O presidente municipal do PMDB, Luiz Garibalde, disse que agora com a volta do governador Jackson Barreto o partido vai começar a discutir a sucessão municipal, mas só tomará uma posição no próximo ano. Segundo ele, o PMDB tem a intenção de ter candidato

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 17/11/2015 às 00:40:00

O presidente municipal do PMDB, Luiz Garibalde, disse que agora com a volta do governador Jackson Barreto o partido vai começar a discutir a sucessão municipal, mas só tomará uma posição no próximo ano.
Segundo ele, o PMDB tem a intenção de ter candidato próprio a prefeito de Aracaju por ter bons quadros e não descarta a possibilidade do seu nome também ser lançado, sem deixar de lado uma discussão de outras candidaturas com os aliados históricos.  
"Vamos fazer uma reunião ampla com todos aliados, temos um ano ainda e não vamos ter pressa. De agora por diante com a volta de Jackson vamos abrir um diálogo interno e tenha certeza que o PMDB vai chegar a um denominador comum", afirmou.
Sobre os desentendimentos interno do PMDB, envolvendo Robson Viana e João Augusto Gama, o presidente do Diretório Municipal disse que vem observando isso com muita tranquilidade. "Eu estou há 15 anos dentro do PMDB e tudo que é resolvido dentro do partido é através do diálogo".

Jackson reassume

O governador Jackson Barreto (PMDB) reassumiu ontem o comando do Estado, após três meses se recuperando de uma cirurgia que fez no tendão do pé esquerdo, dizendo que retornava com vontade de trabalhar por Sergipe e pelo povo.
Declarou que estava feliz pelo fato do governo não ter parado na sua ausência, com a solidariedade de secretários e dirigentes de órgãos, com os deputados estaduais e com a atuação do vice Belivaldo Chagas (PSB), a quem não cansou de elogiar pela "lealdade e companheirismo".  

JB demonstrou preocupação com a crise econômica, em especial a folha de pessoal. "O que mais nos angustia é o pagamento dos servidores públicos do Estado. Todo fim de mês vem à preocupação se o dinheiro vai dar para pagar o salário, se o dinheiro já esta na conta e no valor de quanto", afirmou.  
Ressaltou que para acabar com essa angustia do governo e servidor, a folha passará a ser paga no dia 11 do mês subsequente. Para ele, essa medida vai permitir que os funcionários possam organizar suas contas. Citou que vários Estados estão pagando no dia 15 do mês subsequente a folha de pessoal, a exemplo de Alagoas, e que o pagamento atrasado do salário será até o Estado superar as dificuldades.

Informou que encaminhará para a Assembleia Legislativa um novo projeto que trata do processo de parcelamento do Novo Programa de Regularização Fiscal (Refis) do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), com o intuito de arrecadar mais recursos para ajudar o Estado nas despesas do final de ano. Que o Estado vai continuar realizando obras, em setembro foi o quarto maior gerador de emprego do país, tem o maior PIB no Nordeste e é viável.

Citou que novas empresas estão se instalando em Sergipe e que em 2016 será implantada a maior termoelétrica do país, com investimento superior a R$ 3 bilhões.
Jackson anunciou medidas para a segurança pública visando oferece mais segurança para a população. Assinou ofício solicitando a vinda da Força Nacional a Sergipe e decreto que dispõe sobre as áreas integradas de Segurança Pública e institui o Gabinete Integrado de Monitoramento de Resultados da SSP.
Ele destacou ainda a inauguração do Instituto de Análise e Pesquisa Florense, com exames de DNA; do Complexo de Polícia Civil; e do novo Instituto de Identificação. Além da construção do novo Instituto Medico Legal (IML), em Nossa Senhora do Socorro.
"Vamos vencer a crise, vamos continuar trabalhando. Não há motivo para desânimo, pois Sergipe não é uma ilha, não está isolado da crise do país", afirmou o governador demonstrando otimismo.

Apelo
O governador Jackson Barreto (PMDB) lamentou ontem a posição dos auditores do Estado em não fiscalizar a cobrança do ICMS. "Passar a não cobrar imposto só piora a situação do Estado. Apelo para a compreensão e solidariedade não à pessoa do governador, mas do Estado de Sergipe. Espero que tenham consciência que a crise existe e o problema é de todos nós", disse JB, enfatizando que o estado não tem condições de dar aumento nem implantar o Plano de Cargos e Salário dos Servidores que não ganham muito bem como os auditores, que têm salários de R$ 24 mil a R$ 27 mil.

Saúde
De Jackson sobre seu estado de saúde: "Meu problema é o pé e não a cabeça. O pé a gente vai andando e superando as dificuldades. Já a cabeça vai funcionando muito bem. Estou com essa vontade imensa de trabalhar e peço a Deus que nos abençoe nesta caminhada. Está difícil, mas pior é a gente parar e não colocar a cabeça e o coração para funcionar e agir para sairmos desta situação".
Não quer polemizar
Na entrevista que concedeu a imprensa, JB foi questionado sobre as declarações do deputado estadual Robson Viana (PMDB) defendendo apoio à reeleição do prefeito João Alves (DEM) e a do presidente estadual do PMDB, João Augusto Gama, dizendo que quem apoiar JAF estará fora do partido. Disse que não vai polemizar com Robson pelo respeito que um tem com o outro.

Passando a bola 1
Respondeu ainda o governador: "A sucessão municipal vamos deixar nas mãos de Garibalde {deputado estadual e presidente do Diretório Municipal do PMDB}. Tenho me preocupado com os problemas do Estado e do povo. Mas digo que Jackson Barreto tem compromisso com os companheiros da base aliada que me ajudaram. Meu campo de atuação é dentro da base. Na hora certa vamos sentar e buscar o melhor caminho e dentro da base.
Fora disso nada, tô fora".

Passando a bola 2
De JB sobre as declarações de Robson Viana de que se ele não abrir os olhos corre o risco de se tornar o pior governador de Sergipe: "Eu acho que esse título de pior governador nós não merecemos, pelo esforço que temos feito. Fico preocupado porque Robson sabe do respeito que temos um pelo outro. Vou deixar nas mãos de Garibalde. Ele é quem vai resolver, pois tenho que me preocupar é com o povo sergipano".

Pichação no PMDB 1
Jackson lamentou a pichação e depredação a sede do seu partido na última sexta-feira, por manifestantes que fizeram ato público contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB/RJ). "Eu lamento e posso garantir que nenhum de nós qualquer dia das nossas vidas vai agredir a sede de outros partidos porque respeitamos. Lutei para que fosse restaurada nesse país a democracia, que permite com que todos se manifestem".

Pichação no PMDB 2
Disse ainda o governador: "Fico questionando por que agredir a sede do PMDB. Não temos nada com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha. O PMDB tem várias tendências ideológicas. A nossa é a do presidente Michel Temer. É preciso respeitar a democracia. Não quero a cultura do ódio. Combatemos a ditadura e sabemos como é a repressão".

Dever cumprido
De Belivaldo Chagas à coluna após passar o governo ontem para Jackson Barreto: "Missão cumprida. Contei o tempo todo nesse período com a ajuda dos secretários. Agradeço a todos que compõem o governo. Sem o apoio não teria condições de dar continuidade às ações empreendidas por Jackson Barreto. Inauguramos obras e assinamos ordem de serviço .Contei também com a confiança do governador. Não tive problema algum. A dificuldade aumentava no final do mês, quando tínhamos que contar tostão por tostão para pagar a folha. Só tenho a agradecer pelos apoios".
No mesmo
Na reunião do senador Eduardo Amorim (PSC) com deputados estaduais da oposição, realizada ontem, não se chegou a um entendimento com relação ao novo líder e vice-líder da oposição na Assembleia Legislativa com a renúncia ao cargo de líder do capitão Samuel (PSL) e decisão do vice, Valmir Monteiro (PSC), de que não aceitará o posto pelos seus projetos políticos em Lagarto, em 2016.

Novo encontro
Ficou acordado que o assunto voltará a ser discutido em nova reunião no dia 14 de dezembro, com a definição dos nomes do líder e vice-líder em um novo encontro na segunda quinzena de janeiro do ano que vem.

Soldado
Ainda no encontro, Eduardo Amorim se declarou "um soldado do grupo" com relação à sucessão municipal em Aracaju. Colocou seu nome à disposição do bloco para ser candidato a prefeito de Aracaju, se assim for o desejo do grupo, já que transferiu o seu domicilio eleitoral para a capital.

Os últimos moicanos  
Participaram da reunião os seis deputados estaduais que restam da oposição: Venâncio Fonseca (PP), Valmir Monteiro (PSC), Gilson Andrade (PTC), Maria Mendonça (PP), Antônio dos Santos (PSC) e o Capitão Samuel (PSL), que pode vir a integrar a bancada governista. Além dos ex-deputados Zeca da Silva (PSC) e Zé Franco (PSDB), e do suplente de senador Virgínio de Carvalho (PSC).

Encontro
O ex-prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) se reuniu ontem com o deputado federal Fábio Mitidieri, presidente estadual do PSD, e o deputado estadual Luiz Mitidieri. "Conversamos sobre política, sobre a sucessão municipal em Aracaju e sobre a possibilidade de construirmos um projeto para Aracaju em 2016", disse Edvaldo.

Veja essa...
Do deputado estadual Robson Viana (PMDB) ao ser questionado ontem pela coluna sobre defender o apoio do seu partido à reeleição do prefeito João Alves Filho quando o presidente estadual João Augusto Gama e o próprio governador Jackson Barreto já descartaram essa possibilidade: "O PMDB virou o PT com várias tendências e cada um com suas convicções".

... e essa ...
Segundo Robson, ele está bem no PMDB e pretende continuar no partido. Ressalta que no momento certo a sua agremiação partidária vai discutir com os companheiros sobre as eleições 2016 e o que for deliberado ele pode acatar. Chegou a dizer que apoiaria uma candidatura do colega parlamentar Luiz Garibalde.

Curtas
O Ministério Público de Sergipe denunciou o deputado federal João Daniel (PT) por improbidade administrativa com relação ao escândalo das verbas de subvenção social da Assembleia Legislativa enquanto deputado estadual.  

De acordo com o MPE, um Inquérito Civil apurou supostas irregularidades na aplicação de recursos públicos da sua subvenção e envolvendo mais oito pessoas de associações.

João Daniel disse ontem que não foi notificado e garantiu que nunca se beneficiou dos recursos da subvenção social.

A sede do PSDB em Sergipe, que já foi presidido pelo ex-governador Albano Franco, está às escuras. A energia da sede foi cortada por falta de pagamento e os funcionários estão com salários atrasados e sem receber vale transporte.

O governador Jackson Barreto garantiu ontem o pagamento do 13º salário do servidor dentro do mês de dezembro.