Fatos marcantes

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 10/11/2015 às 00:28:00

Na visita que fez ontem ao presidente do PSC, André Moura, o ex-líder da oposição, Capitão Samuel, comunicou a sua decisão de deixar a liderança da oposição na Assembleia. Disse que não tinha a intenção de mudar de lado, ou seja, ir para a base governista. Garantiu que a sua decisão foi apenas para facilitar o debate com o governo e, consequentemente, melhorar a política pública de segurança. Será? Vamos aguardar. André aproveitou a oportunidade e o convidou a se filiar ao PSC.

Fatos marcantes

A semana será marcada por dois fatos políticos relevantes: o empresário Ricardo Franco (DEM) assume amanhã o Senado no lugar da senadora Maria do Carmo Alves (DEM), que se licenciará, e o governador licenciado Jackson Barreto (PMDB) reassume o comando do governo na próxima sexta-feira após cerca de 3 meses se recuperando de uma cirurgia no tendão do pé esquerdo.
Ricardo Franco tomará posse como senador em cumprimento a um acordo feito na eleição de 2014, quando o seu pai, o ex-governador Albano Franco, foi o maior financiador da campanha pela reeleição de Maria do Carmo. Ainda na campanha eleitoral, o adversário da senadora, o então deputado federal Rogério Carvalho (PT), chegou a denunciar que Maria não exerceria o mandato, se reeleita, mas sim o empresário.
Não se sabe o tempo que Ricardo ficará no Senado. Inicialmente, ele deve permanecer como senador por 13 meses e meio, período que falta para terminar o mandato do prefeito João Alves Filho (DEM). Isso porque Maria do Carmo assumirá a Secretaria Municipal de Ação Social.

Se João Alves vier a ser reeleito em 2016, Maria do Carmo pode permanecer em Sergipe por mais um bom tempo no comando da Ação Social. Isso porque ela já prestou algumas declarações de que não gosta de Brasília e que gostaria de permanecer no Estado.
Já Jackson Barreto volta ao comando do Estado na sexta-feira em um cenário igual ao que deixou em agosto, quando se licenciou: o de crise econômica e dificuldade para pagar a folha de pessoal dos servidores públicos, aposentados e pensionistas.
O governador não tratará ainda das eleições municipais do ano que vem, como reafirmou com exclusividade para a coluna na semana passada ao dizer que isso seria até um desrespeito para com o servidor, que está recebendo o salário parcelado.

Mas, com certeza, terá uma conversa com os correligionários do PMDB que estão se confrontando sobre candidatura a prefeito de Aracaju e, consequentemente, dividindo o partido.
O deputado estadual Robson Viana demonstra simpatia pela reeleição do prefeito João Alves. O deputado estadual Zezinho Guimarães não esconde interesse pela pré-candidatura do deputado federal Valadares Filho (PSB). Já o deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa, Luciano Bispo, já disse que apoia de "corpo e alma" a pré-candidatura do secretário Zezinho Sobral (Saúde).
O presidente estadual do PMDB, o secretário João Augusto Gama (Planejamento, Orçamento e Gestão), demonstra que avaliza o nome de Zezinho Sobral. Já o deputado federal Sérgio Reis tem defendido que o seu partido não tenha candidato próprio a prefeito e apoie um nome da base aliada.
Essa semana realmente será relevante pela estreia de Ricardo Franco no parlamento, o retorno da senadora Maria do Carmo a área de ação social do Estado e a volta de Jackson Barreto ao governo.

Volta atrás
Após conversa com o presidente estadual do PSC, André Moura, o deputado estadual Valmir Monteiro (PSC) recuou da sua decisão de não aceitar a liderança da oposição na Assembleia Legislativa após comunicado na semana passada do Capitão Samuel (PSL) de não querer mais liderar a bancada oposicionista na Casa. Ficará como líder até o ano que vem, uma vez que tem pretensões políticas de disputar novamente a Prefeitura de Lagarto.

O que disse
Ao retornar de Brasília no final de semana, Valmir declarou que respeitava a decisão do capitão Samuel, mas ele, como vice-líder da oposição na Alese, não ficaria à frente da bancada pelo fato do posto necessitar de dedicação exclusiva e ele ter um projeto político em formação em 2016. O parlamentar chegou a dizer que não podia assumir "tamanha responsabilidade agora", que seria "uma honra" liderar a bancada, mas permaneceria apenas na oposição. Ontem já disse que estava cansado e precisava se dedicar ao mandato.

O que sugeriu
O parlamentar chegou a indicar o deputado Georgeo Passos (PSL) para o posto. "Georgeo já traz nas veias a liderança de seu avô Chico Passos (in memoriam) e de seu pai Antônio Passos. Dois grandes líderes que fizeram história na Assembleia Legislativa. Georgeo é uma revelação da nossa política, um jovem brilhante, dinâmico e dedicado, que pesquisa a fundo, que fiscaliza e cobra. Já é um grande representante do povo na AL e confesso que é o melhor nome da oposição para liderar nossa bancada. Digo isso respeitando os demais", chegou a declarar.

Não acatou
Georgeo Passos disse ontem que também não aceitaria ser o líder da oposição na Assembleia por ter outros projetos. Chegou a declarar que não era o momento de assumir, não se via maduro para a missão pelo fato de estar concluindo o primeiro ano de mandato e ainda se achar inexperiente.
Apelo
Diante deste cenário de desolação para a oposição {sem ninguém querer ser líder}, André Moura - que vem se colocando como uma grande liderança da oposição em Sergipe - chamou Valmir para uma conversa e acabou convencendo-o a aceitar ser o líder da bancada na Assembleia. No próximo ano - se Valmir for mesmo candidato a prefeito - deve assumir o posto Georgeo Passos, que vem se revelando como um bom parlamentar e muito atuante.

Por trás
Informações chegadas à coluna dão conta que o verdadeiro motivo do Capitão Samuel ter renunciado ao posto de líder da oposição foi por estar chateado com o senador Eduardo Amorim (PSC) pelo fato dele ter  entregue o comando do PSL ao ex-deputado Zé Milton e o PEN, junto com o deputado Robson Viana (PMDB), a vereadora Daniela Fortes. Samuel queria comandar um partido.

Probabilidade
Decidido a deixar o PSL por isso, o Capitão Samuel recebeu convite para se filiar ao PDT, PMDB e PSC. Segundo um parlamentar, ele pode optar pelo PMDB e ser da bancada governista se tiver alguns pleitos atendidos na política de segurança pública.       

Reaproximação
No último sábado o prefeito Fábio Henrique (PDT/Nossa Senhora do Socorro) e o ex-prefeito Zé Franco (PSDB) conversaram muito durante aniversário da vereadora Edjane Farias, comemorado na Atalaia Nova. Ainda presentes os vereadores Rodrigues, Betinho e Jairo Joaquim, além do secretário municipal de Transportes Kleverton Siqueira.

Aliança à vista
Informações chegadas à coluna através de um vereador dão conta que está muito próximo um entendimento político entre Zé Franco e Fábio Henrique, com o ex-prefeito sendo o candidato a prefeito de Socorro em 2016 tendo como vice o secretário Kleverton, indicado por Fábio. O secretário de Transporte é hoje pré-candidato a prefeito.

A ver navios
Segundo o vereador, neste contexto que se desenha, a presidente da Câmara Municipal Maria da Taiçoca não será candidata nem a prefeita nem a vice de Socorro, pelo PDT. "Se insistir em uma candidatura terá que deixar o partido até março do ano que vem", avalia o parlamentar.  

Pela Rede
Durante convenção Estadual da Rede Sustentabilidade, realizada no sábado, o partido não só definiu o diretório como estabeleceu algumas pré-candidaturas a prefeito nas eleições de 2016. Ficou acordado que o nome majoritário em Aracaju seria o do vereador Emerson Ferreira (ex-PT), que está no seu segundo mandato parlamentar; em São Cristóvão, o nome é o de Erudino Prado; e em Canhoba, o pré-candidato é Marcelo Nunes.

Veja essa...
De um parlamentar da base governista ontem à coluna: "O sonho do Capitão Samuel é ser secretário de Segurança Pública e o deputado Zezinho Guimarães, do partido do governador, vem dando corda. Dificilmente Jackson {Barreto} concordará com isso".

Curtas
Valmir Monteiro disse ontem que estava com o senador Eduardo Amorim, em Brasília, quando foi informado da decisão do Capitão Samuel e que ele tinha indicado o seu nome para ser o líder. Revelou que Amorim ficou surpreso com a decisão repentina do Capitão Samuel.

O presidente da Fecomércio-DF e vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio (CNC), ex-senador Adelmir Santana, esteve ontem em Sergipe proferindo palestra sobre o tema "Situação Política e Econômica do Brasil". Ela aconteceu no auditório da CDL.

Na relação de 11 propostas para o Plano de Gestão da OAB para os próximos três anos o candidato à presidência da OAB/SE, Henri Clay Andrade, dedicou um capítulo aos jovens advogados, com medidas que vão desde ao apoio à constituição do primeiro escritório até a redução estimulante do valor da anuidade, começando com 50%.
 
Ontem, na reunião do Conselho Federal da OAB, em Brasília, foi dada largada à discussão da criação do Conselho Consultivo da Jovem Advocacia. Henri Clay, que estava presente como um dos conselheiros federais por Sergipe, entende que a valorização da jovem advocacia é medida prioritária na sua "visão de Ordem".

O deputado federal Laércio Oliveira está em Nova York em Missão Oficial participando do evento com a Brazilian - American Chamber of Commerce. No evento, apresentará os trabalhos do Novo Código Comercial e as novas perspectivas acerca do ambiente de negócios no Brasil.