Reviravolta no PT

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Após o enquadramento do PSB para deixar a bancada do prefeito na Câmara Municipal de Aracaju ou deixar o partido, o vereador Max Prejuízo decidiu passar a fazer oposição ao prefeito João Alves (DEM). Já ontem criticou a precariedade da iluminação pública
Após o enquadramento do PSB para deixar a bancada do prefeito na Câmara Municipal de Aracaju ou deixar o partido, o vereador Max Prejuízo decidiu passar a fazer oposição ao prefeito João Alves (DEM). Já ontem criticou a precariedade da iluminação pública

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 21/10/2015 às 00:57:00

Após o enquadramento do PSB para deixar a bancada do prefeito na Câmara Municipal de Aracaju ou deixar o partido, o vereador Max Prejuízo decidiu passar a fazer oposição ao prefeito João Alves (DEM). Já ontem criticou a precariedade da iluminação pública na Avenida Gasoduto, no Conjunto Orlando Dantas, proporcionando insegurança à população. Disse que a PMA deveria colocar na área e em outras localidades lâmpadas de LED.
O vereador apresentou na Câmara indicação de n?953/2015 solicitando à Prefeitura Municipal de Aracaju, através da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), para ser viabilizada a instalação de lâmpadas de LED nos postes de iluminação pública da Avenida Gasoduto. Max disse ainda que é necessária a recuperação da calçada do canteiro principal desta avenida, a fim de evitar acidentes.

Reviravolta no PT

Em novembro de 2013, o então deputado federal Rogério Carvalho conseguiu um grande feito: foi eleito presidente estadual do PT contra uma chapa adversária que tinha como membros o então governador Marcelo Déda já doente, o ex-senador José Eduardo Dutra, o então deputado federal Márcio Macedo e o ex-presidente Silvio Santos.
Para conseguir ganhar o Processo de Eleições Diretas, o PED, Rogério aglutinou as outras correntes do PT. Se uniu a Articulação de Esquerda, que tem como lideranças a deputada estadual Ana Lúcia e o vereador Iran Barbosa; a esquerda Popular Socialista, que tem como líder maior o hoje deputado federal João Daniel; ao PT Classista, do deputado estadual Francisco Gualberto; e ao Movimento PT, do ex-presidente Severino Bispo.

Com a unidade dessas correntes em torno do seu nome, Rogério Carvalho conseguiu vencer o também candidato da corrente Construindo Um Novo Brasil, Márcio Macedo. Foi uma disputa acirrada.
Com a vitória de Rogério, o clima dentro do PT, que nunca foi bom, ficou pior. Principalmente no processo envolvendo a filiação da ex-primeira dama Eliane Aquino no partido. Foram muitas trocas de farpas através da mídia, que teve a ver com a indicação do candidato do PT ao Senado na chapa encabeçada por Jackson Barreto (PMDB).

Isso custou a derrota nas urnas do próprio Rogério Carvalho, que acabou sendo o candidato do PT ao Senado, e de Márcio Macedo que não foi reeleito.
A vitória de Jackson deu uma sobrevida ao PT, que órfão de Marcelo Déda, ficou com duas secretarias no governo: Agricultura e Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Só houve a contemplação do grupo de Rogério.
Márcio Macedo começou a dar a volta por cima quando foi convidado a assumir o cargo de tesoureiro nacional do PT, vindo, portanto, a fazer parte da Executiva Nacional do partido.
Hoje ele praticamente já reconquistou a maioria dentro do PT, com o apoio das correntes de Francisco Gualberto e Severino Bispo que estavam com Rogério e romperam. Os dois têm queixas com relação ao presidente do partido.

Pelo andar da carruagem Márcio deve reconquistar o comando do PT no próximo PED, em 2018. Já na prévia do partido para a escolha do nome da legenda para a chapa majoritária nas eleições em Aracaju não terá dificuldade em emplacar o nome de Eliane Aquino, que tem a simpatia do governador Jackson Barreto e aliados.
A própria pré-candidata a prefeita Ana Lúcia já sabe disso. Tanto é que em entrevistas recente à imprensa declarou que não deseja disputar prévia interna no PT e que só será candidata se seu nome for de consenso. Ou seja, a deputada sabe que se for para uma disputa com Eliane, que já regularizou sua filiação junto ao partido, perderá.

Primeira vitória
O secretário nacional de finanças do PT, ex-deputado federal Márcio Macedo, já deu demonstração de que reconquistou maioria dentro do PT. No último sábado conseguiu eleger, durante 3º Congresso Estadual de Juventude, a técnica em gestão ambiental Linei Pereira como secretária de Juventude do PT estadual. Ela integra a corrente Construindo Um Novo Brasil/Articulação Unidade na Luta, que é liderada no Estado por ele.

Reconquistando aliados
Márcio Macedo contou com o apoio das correntes interna do PT lideradas por Francisco Gualberto (Corrente Classista) e Severino Bispo (Movimento PT).

Pedido de cassação
Nas duas últimas alegações finais nos processos que investigam a aplicação das verbas de subvenção da Assembleia Legislativa, a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) encaminhou anteontem para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) o pedido de cassação do mandato do deputado federal Adelson Barreto (PTB), assim como a sua inelegibilidade por oito anos e aplicação de multa de R$ 106 mil pela acusação de irregularidades no repasse e na aplicação de verbas de subvenção. Já com relação ao ex-deputado estadual Arnaldo Bispo (DEM) foi solicitada apenas aplicação de multa, por falta de provas de que utilizou indevidamente o dinheiro.

Ponto de vista
A procuradora de Justiça Eunice Dantas disse ontem ser grave as acusações contra Adelson Barreto pelo fato da quebra do sigilo telefônico comprovar o seu envolvimento com o vereador de Capela, Antonio Arimatéia, que o acusou de ficar com parte dos recursos da subvenção destinadas a duas entidades no seu município.
Na corda bamba
Com a apresentação das duas últimas alegações finais são 13 os deputados que a PRE pede, junto ao TRE, a cassação do mandato, a inelegibilidade por oito anos e multa de R$ 106 mil. São eles: Capitão Samuel (PSL), Paulinho da Varzinhas (PTdoB), Jeferson Andrade (PSD), Gilson Andrade (PTC), Gustinho Ribeiro (PSD), Maria Mendonça (PP), Luiz Mitidieri (PSD), Venâncio Fonseca (PP), Zezinho Guimarães (PMDB) e Augusto Bezerra (DEM); os deputados federais João Daniel (PT) e Adelson Barreto (PTB); e o suplente de deputado Mundinho da Comase (PSL).

Inelegibilidade
Com relação aos ex-deputados Zé Franco (PSDB) e Zeca da Silva (PSC), por não terem se elegido para esta candidatura, a PRE pediu que seja aplicada pena de inelegibilidade por oito anos e pagamento de multa. O mesmo foi pedido para as ex-deputadas estaduais e atuais conselheiras de Tribunal de Contas de Sergipe, Angélica Guimarães e Susana Azevedo.

Multas
Por se tratar de conduta de menor gravidade, a PRE pediu apenas aplicação de mula para os deputados estaduais Ana Lucia (PT), Antonio dos Santos (PSC), Francisco Gualberto (PT) e Garibalde Mendonça (PMDB) e dos ex-deputados Antonio Passos (DEM) e Conceição Vieira.

Andamento
Os processos estão agora em fase de análise pelo juiz relator das subvenções, Fernando Stefaniu. A sua expectativa é que eles comecem a ser julgados pelo pleno do TRE na segunda quinzena de novembro.   

Decisão 1
O presidente da Assembleia Legislativa, Luciano Bispo (PMDB), decidiu não recorrer da decisão judicial de suspensão do contrato no valor de R$ 200 mil da Alese com o advogado criminalista Carlos Alberto Menezes para defesa da imagem do Poder Legislativo no escândalo das verbas de subvenção. A alegação da Justiça é que a Alese tem a sua assessoria jurídica para desenvolver esse trabalho.

Decisão 2
"Se a Justiça entendeu que deveria suspender o contrato nós fizemos isso, pois não queremos polemizar", disse Luciano, enfatizando que vai aguardar as punições que venham a ser estabelecidas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para ver os caminhos a serem tomados. Antecipa que reunirá os deputados para adotar as medidas necessárias.

Defesa
Do líder do governo na Assembleia Legislativa, Francisco Gualberto (PT), sobre as críticas da oposição com relação à proposta da Lei Orçamentária Anual  (LOA) do Governo do Estado estimado em R$ 8.2 bilhões em 2016, o correspondente a um percentual menor de 3,9% com relação a 2015: "O projeto nem foi analisado ainda nas comissões da Alese e já está sendo criticado. É o afã de combater o nosso governo, criando teses e interpretações totalmente diferentes da realidade".

Dia de protestos
Vestidos de preto, os policiais militares foram ontem às ruas protestar contra o assassinato de policiais, oportunidade em que fizeram o enterro simbólico. No Cenam, os agentes entraram em greve por não receberem há dois meses o ticket alimentação. A PM assumiu a segurança no local.   

Feriadão
Tanto o Governo do Estado quanto a Prefeitura de Aracaju transferiu o feriado do Dia do Servidor Público, 28 de outubro (quarta-feira), para 30 de outubro (sexta-feira). Com isso os servidores do Estado e do município de Aracaju terão um final de semana prolongado que emendará com o dia de Finados, 02 de novembro, que é na segunda-feira. Os servidores do Poder Legislativo e Judiciário também terão o mesmo feriadão.

Veja essa...
Do deputado estadual Zezinho Guimarães (PMDB) ao comentar editorial do Jornal O Estado de São Paulo, intitulado "Cedo ou tarde, a conta chega", no qual é feito análise sobre "a escancarada irresponsabilidade fiscal: "A atual crise econômica deveria servir como uma oportunidade para mobilizar o país em torno de realização de reformas que confiram à gestão dos recursos públicos, o mínimo de racionalidade, a começar pela constatação primária de que despesas não podem ser maior que as receitas".

Curtas
A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado acatou ontem uma das sugestões de emendas ao Projeto de Lei Orçamentária Anual de 2016 (PLOA 2016) do senador Valadares (PSB). A emenda, no valor de R$ 150 milhões, promove o desenvolvimento de micro e pequenas empresas.

Para Valadares, esses recursos vão permitir o aumento da lucratividade, o fortalecimento e a expansão dos micro e pequenos negócios.

O senador Eduardo Amorim (PSC-SE) esteve relator das emendas da Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) ao projeto de Orçamento de 2016 e reafirmou sua defesa ao Rio São Francisco.

O parlamentar aprovou emenda de R$ 300 milhões para priorizar a revitalização. Segundo ele, "o rio da integração nacional", que corta cinco estados das Regiões Sudeste e Nordeste, "está condenado à morte" pelo despejo de esgoto, assoreamento e destruição da mata ciliar.