Sem estrelas I

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O suplente de deputado estadual Gilmar Carvalho teve uma conversa com o ex-prefeito da Barra dos Coqueiros, Gilson dos Anjos, na segunda-feira passada. Na oportunidade agradeceu a promessa de apoio e disse que não seria candidato a prefeito do município e
O suplente de deputado estadual Gilmar Carvalho teve uma conversa com o ex-prefeito da Barra dos Coqueiros, Gilson dos Anjos, na segunda-feira passada. Na oportunidade agradeceu a promessa de apoio e disse que não seria candidato a prefeito do município e

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 07/10/2015 às 02:00:00

O suplente de deputado estadual Gilmar Carvalho teve uma conversa com o ex-prefeito da Barra dos Coqueiros, Gilson dos Anjos, na segunda-feira passada. Na oportunidade agradeceu a promessa de apoio e disse que não seria candidato a prefeito do município em 2016. Com isso, Gilmar mantém o título de eleitor em Aracaju.
Segundo Gilmar, com essa nova fase da carreira como jornalista e radialista ele está repensando a sua participação na política. "Não tenho pressa para tomar decisões. Com certeza, não serei governista. Essa é a única decisão tomada. Não vou deixar a política, mas decidi repensar meu papel na política de Sergipe. Certamente não serei governista", reafirmou à coluna. 

Sem estrelas I

O Estado de Sergipe tem hoje uma carência de grandes líderes com as mortes prematuras dos petistas Marcelo Déda e José Eduardo Dutra e pelo fato de já estarem com mais de 70 anos lideranças como Jackson Barreto, Antonio Carlos Valadares, João Alves Filho e Albano Franco. Déda morreu em 2013, aos 53 anos, quando estava governador reeleito e se preparava para disputar o Senado em 2014.
Dutra, mesmo afastado da política de Sergipe em função até do câncer de pele que contraiu há 5 anos, ainda tinha muita influência dentro do PT e era um grande nome do partido para qualquer cargo em Sergipe. Foi senador, presidente nacional do PT, presidente da Petrobras e da BR Distribuidora. Morreu no último domingo aos 58 anos.

As mortes prematuras de Dutra e Déda deixaram os governistas no Estado sem nome representativo para disputar o Governo em 2018. O próprio governador já disputou a reeleição em 2014 e garante que vai para casa em 2018, já com 74 anos. O senador Valadares (PSB) pode não pendurar as chuteiras na próxima eleição de 2018, mas não terá espaço para o governo com seus mais de 75 anos.
Do lado da oposição o único nome competitivo continua sendo o do prefeito João Alves Filho (DEM), que com bem mais de 70 anos e já meio confuso no seu raciocínio, terá que ser reeleito prefeito de Aracaju em 2016. JAF só terá uma chance em 2018 se vencer em 2016. Fora isso, será carta fora do baralho.
Existem ainda, pela oposição ao governo, os nomes do senador Eduardo Amorim (PSC) e do deputado federal André Moura (PSC), que disputam internamente a liderança do bloco político. Eduardo foi facilmente derrotado por Jackson em 2014, por mais de 120 mil votos. André corre risco de ficar inelegível pelos processos judiciais contra ele.
Trocando em miúdos, nas eleições de 2018 não haverá estrelas em Sergipe disputando o Governo do Estado e o Senado. Com isso, somente quem estiver em um grupo forte e organizado terá chances de vencer o pleito na chapa majoritária.

Com quem fica
Até ontem à noite não havia uma decisão da Executiva Nacional do PP sobre o comando do partido em Sergipe: se permanece com o deputado estadual Venâncio Fonseca ou vai para o ex-deputado federal e secretário da Segurança Pública, Mendonça Prado (ex-DEM). A decisão deve ser tomada até hoje.

Preferência
Informações chegadas à coluna dão conta que o histórico do PP, o senador Francisco Dornelles, defende que Venâncio permaneça com o comando do partido no Estado, como já ocorre há 20 anos. Dornelles foi deputado federal com o irmão de Venâncio, o Cleonâncio Fonseca.

Decisão
Foi noticiado ontem nas redes sociais que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou seguimento a recurso do deputado federal André Moura (PSC) em processo de improbidade administrativa. E que o seu mandato estaria ameaçado, em razão de agravo regimental negado através de decisão da segunda turma de câmera do STJ, com publicação no Diário Oficial da Justiça nessa quinta-feira.

Esclarecimento 1
Ontem mesmo, a assessoria de André Moura saiu com nota dizendo que não procede a informação. Informa que o "agravo regimental negado refere-se a uma decisão inerlocutária, portanto não terminativa, do Juízo de Pirambu - muito antiga, datada de 2008 -, sem qualquer relevância ou repercussão no mandato em curso".

Esclarecimento 2
Explica ainda a assessoria que, tecnicamente, qualquer decisão prolatada por um juiz é passível de recurso, e é justamente sobre uma dessas decisões, corriqueiras, referente ao recebimento de uma Ação Civil Pública, que o deputado André Moura, por meio dos seus advogados, apresentou à época recursos, o qual por sua vez só veio a ser apreciado pelo STJ agora, em 2015.

Ainda a merenda escolar 1   
O empresário Célio França, autor de denúncias de fraude em licitações da merenda escolar em municípios do interior e que foi notícia nacional no programa do SBT "Conexão Repórter", do Roberto Cabrini, foi ameaçado e espancado na manhã de ontem, quando se dirigia ao almoxarifado da Prefeitura de Capela para checar a compra de duas mil cestas básicas pela administração municipal.

Ainda a merenda escolar 2   
Segundo Célio, após denunciar fraude na licitação das cestas básicas fornecidas pelo "chefe da quadrilha que frauda licitações da merenda escolar, Everaldo Gama", o prefeito Ezequiel Leite (PR) o desafiou a ir até a prefeitura para constatar que não havia irregularidade alguma. "Cheguei no gabinete do prefeito, que me mostrou uma cesta básica. Disse que nem queria ver, pois ninguém apresenta amostra ruim. Afirmei que queria ver as duas mil cestas básicas que havia licitado para distribuir com a população, em que consta a compra de carne a R$ 11,90 o quilo, quando vale R$ 22,00. Como o prefeito disse que não mostraria, que quem mandava ali era ele, me dirigi ao almoxarifado e fui agredido brutalmente por dois seguranças, que me bateram de pau".

Ainda a merenda escolar 3   
De acordo com o empresário, ele não morreu por pouco. "Fui espancado por dois pistoleiros profissionais que fazem a segurança do prefeito. Depois fui cercado por mais de 50 servidores da prefeitura. Liguei para a Polícia Federal", afirmou, enfatizando que o Ministério Público tem que tomar as providências com relação à quadrilha que frauda licitação da merenda escolar ou "marcar a dada do meu enterro, pois vão me matar".

Ainda a merenda escolar 3   
Ressalta que foi informado pela comunidade de Capela que os dois pistoleiros, Sérgio e Adelmo, andam armados e impõem terror na população. "Um deles chegou a matar 10 cavalos que chegaram nas canas do patrão. É um Lampião", disse, enfatizando que "Capela está entregue as baratas, com pistoleiros fazendo a segurança do prefeito e ameaçando a todos na cidade com armas".

Zezinho
O secretário Zezinho Sobral (Saúde) disse ontem no programa de André Barros que transferiu o seu titulo de eleitor para Aracaju a pedido do governador Jackson Barreto (PMDB). E ao ser indagado se será pré-candidato a prefeito de Aracaju em 2016, disse que votou em Edvaldo Nogueira, Valadares Filho, Antonio Carlos Valadares a pedido de JB e não via problema algum de ser votado por eles.

Baixa no ninho tucano
Alguns pré-candidatos tucanos a vereador de Aracaju insatisfeitos com a permanência do vereador Adriano Taxista no PSDB foram para o PPS. Disseram que não iam servir de "trampolim" para o parlamentar nas eleições de 2016.

De volta
Menos de 15 dias após a 6ª Vara Federal, em Itabaiana, ter determinado o afastamento do diretor-geral da Assembleia Legislativa, Roberto Bispo, pela acusação de improbidade administrativa na gestão da prefeitura de Itabaiana entre 2003 e 2004, o desembargador Ivan Lira de Carvalho, do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, decidiu que o engenheiro pode voltar a ocupar o cargo público na Alese e também na Cehop. A decisão saiu na última segunda-feira e ainda não está definido o retorno de Roberto à direção geral da Alese.

Expectativa
Já há quem aposte que será uma questão de dias para a Justiça decidir pela manutenção do contrato da Alese com o advogado criminalista Carlos Alberto Sobral para fazer a defesa da Assembleia Legislativa no escândalos das verbas de subvenção social.

Homem de bem
O ex-governador Albano Franco (PSDB) lamentou o precoce falecimento do ex-senador José Eduardo Dutra. Ele disse que apesar das divergências apenas de natureza político-ideológicas, sempre manteve com Dutra um relacionamento respeitoso e cordial. Para o ex-governador, ele era um homem de bem que com competência, compromisso, lealdade e desprendimento, dignificou o exercício da atividade política e qualificou a representação de Sergipe no cenário nacional.

Veja essa...
De um aliado do governador Jackson Barreto (PMDB), demonstrando um pouco de indignação: "Jackson está bem com deputados estaduais do seu partido. Um diz que vota em Amorim para governador, o Zezinho Guimarães, e outro em João Alves Filho, o Robson Viana".

Curtas
O governador licenciado Jackson Barreto ficou muito abalado com a morte do ex-senador José Eduardo Dutra. Emotivo como é, chegou a derramar lágrimas.

Almoçaram ontem em um restaurante da Atalaia os deputados estaduais Venâncio Fonseca (PP), Capitão Samuel (PSL) e Zezinho Guimarães (PMDB).

O deputado federal Fábio Reis (PMDB) e o ex-deputado federal Rogério Carvalho (PT) participaram ontem da solenidade de transmissão de cargo do ministro da Saúde, Marcelo Castro (PMDB).

Rogério, que ocupa o cargo de secretário de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde, pode perder o posto com a chegada do ministro do PMDB. Antes o ministério era do PT, com Arthur Chioro.

O presidente estadual do PSDB, Pedrinho Barreto, continua sendo bombardeado nas redes sociais pelas críticas infelizes que fez ao ex-senador José Eduardo Dutra (PT), após a sua morte.