A corrupção em Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Na manhã do ontem o prefeito Valmir de Francisquinho (PSC) recebeu em seu gabinete, na Prefeitura de Itabaiana, a visita dos ainda tucanos o ex-governador Albano Franco e o vice-prefeito de Aracaju José Carlos Machado. Após uma conversa, que não foi sobre
Na manhã do ontem o prefeito Valmir de Francisquinho (PSC) recebeu em seu gabinete, na Prefeitura de Itabaiana, a visita dos ainda tucanos o ex-governador Albano Franco e o vice-prefeito de Aracaju José Carlos Machado. Após uma conversa, que não foi sobre

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 05/09/2015 às 00:19:00

Na manhã do ontem o prefeito Valmir de Francisquinho (PSC) recebeu em seu gabinete, na Prefeitura de Itabaiana, a visita dos ainda tucanos o ex-governador Albano Franco e o vice-prefeito de Aracaju José Carlos Machado. Após uma conversa, que não foi sobre a nova novela da Globo, o prefeito presenteou os dois com um único saco de castanhas do Carrilho. Quem será que ficou com as castanhas? 

A corrupção em Sergipe

Há décadas que o Brasil é conhecido como o país da impunidade, onde só vão para a cadeia pobres, negros e marginais. Hoje as coisas estão mudando, pois o povo brasileiro está vendo nos presídios por crime de colarinho branco ex-ministros, ex-deputados federais, doleiros, executivos e empresários responsáveis por 20% do PIB brasileiro, mediante a deflagração de duas grandes operações pela Polícia Federal: Mensalão e Lava Jato.

A Operação Lava Jato tem surpreendido o mundo jurídico e o país em geral pelo alcance de suas prisões decretadas pelo juiz Sergio Moro, titular da 13ª Vara Criminal de Curitiba. Foram mais de 70 mandados de prisão preventiva ou temporária expedidos em pouco mais de um ano de operação.
Em Sergipe as coisas também estão mudando. Em 2007, teve a Operação Navalha, da Polícia Federal, que culminou com a prisão do então conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Flávio Conceição; do ex-deputado federal Ivan Paixão; e do empresário João Alves Neto. Todos acusados de participar de um esquema que fraudava licitação de obras públicas.

No total, 42 pessoas no país foram presas na Operação Navalha. O esquema, de acordo com os autos, era comandado pelo empresário Zuleido Veras, dono da Construtora Gautama, que tinha sede em Salvador. O processo, que tramitou muito tempo no Superior Tribunal de Justiça (STJ), voltou agora a Sergipe.
Afastado da função desde maio de 2007, quando chegou a ser preso na Operação Navalha, o conselheiro Flávio Conceição foi aposentado compulsoriamente no dia 30 de abril deste ano por decisão unânime do Pleno Tribunal de Contas do Estado de Sergipe, em razão do conteúdo denunciativo que integra os autos de Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD).

Agora tem o escândalo das verbas de subvenção da Assembleia Legislativa, quando a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) denunciou por irregularidades na destinação da subvenção os 24 deputados estaduais eleitos em 2010. Um dos nomes da lista, o ex-deputado estadual Mundinho da Comase (PSL), chegou a ser preso com os irmãos Vasconcelos, da Associação Ala Jovem de Lagarto.

Mundinho é o primeiro da lista dos 24 deputados da PRE que iniciou a legislatura passada a ser preso. A expectativa é que outros sejam detidos por crime de peculato, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.
Como fez a delação premiada, Mundinho já foi solto. Agora a investigação está sendo feita para que sejam comprovadas as denúncias que fez contra cinco deputados estaduais e um ex-deputado estadual de que repassaram verbas de subvenção para algumas associações e receberam 60% dos recursos de volta.
Vale lembrar que a delação premiada vem sendo a grande responsável pelo desmoronamento de um esquema de corrupção no país e, consequentemente, a prisão de muitos envolvidos e devolução de recursos.

Sem a delação a condenação por crimes de peculato, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha é de 15 anos. Com a delação e comprovação das denúncias, a redução cai para um 1/3 da pena.
As investigações continuam tanto a nível de Lava Jato quanto da subvenção. Vamos aguardar o desenrolar dos acontecimentos, que tendem a fazer com que os políticos comecem a pensar duas vezes antes de qualquer ato de malversação do dinheiro público.

Os últimos moicanos 1
O prefeito de Lagarto, Lila Fraga, será o terceiro prefeito do PSDB a deixar o ninho tucano mediante a mudança de comando do partido para os irmãos Amorim. Fará isso após uma conversa com o governador Jackson Barreto (PMDB), que já retornou a Sergipe e se recupera em casa da cirurgia feita em São Paulo no tendão do pé esquerdo. Lila quer discutir com JB qual partido deve se filiar.

Os últimos moicanos 2
O último dos quatro prefeitos do PSDB a deixar o partido pela mudança de comando no Estado é o de Itabaianinha, Robson da Laranja. Os outros dois que já deixaram o ninho tucano foram Gracinha, de Itaporanga d´Ajuda, e Edson Cruz, de Santa Luzia do Itanhy.

Entendimento de aliado 1
Segundo um aliado do prefeito João Alves Filho (DEM) dificilmente a senadora Maria do Carmo Alves (DEM) se licenciará do Senado este ano para assumir a Secretaria Municipal de Ação Social e, consequentemente, o empresário Ricardo Franco (PTB) assumir sua vaga no Senado. É que repercutiu de forma negativa a declaração da própria senadora de que se licenciaria nos próximos dias para ajudar João Alves e por achar que é mais produtiva em Sergipe que em Brasília.
Entendimento de aliado 2
Ainda de acordo com ele, o seu afastamento do Senado com poucos meses de um novo mandato causaria um desgaste político grande. Isso porque caracterizaria claramente que o acordo de campanha foi mesmo para Ricardo Franco, que é filho do ex-governador Albano Franco, assumir logo sua cadeira no Congresso Nacional. Albano foi o maior financiador da campanha de Maria do Carmo em 2014.

Entendimento de adversário 1
Já um adversário do prefeito João Alves e de Maria do Carmo tem uma concepção diferente sobre a declaração inicial da senadora de que iria se afastar do Senado nos próximos dias e depois que só poderia se licenciar no próximo ano. "João e Maria são dois profissionais da política. D. Maria só soltou a senha para a TV Sergipe não bater na administração caótica de João Alves e deixar Albano, que sonha com o filho no Senado, refém. É tudo armação. D. Maria é viva, só tem a cara de besta".

Entendimento de adversário 2
Ainda na concepção do adversário, D. Maria dificilmente se licenciará do Senado e vai "cozinhar" Albano. Lembra que ela sempre falou que não gosta de Brasília, que queria retornar a Sergipe e sequer se licenciou para o seu suplente Emanoel Cacho assumir por um período.

Monte Alegre 1
Em Monte Alegre a oposição pode rachar. Hoje tem quatro pré-candidatos a prefeito no município, em 2016: Nena de Luciano (PRB), Humberto Martins (PP), Valdirene Aragão (PMDB) e Dr. João (PDT).

Monte Alegre 2
O entendimento do grupo é fazer uma pesquisa de intenção de voto e o que for melhor avaliado pela população venha a ser o candidato. O detalhe é que o Luciano do Posto não aceita que a sua mulher Nena não seja o nome e o ex-prefeito Aragão (PMDB) não abre para Nena, vindo a dizer que só aceita apoiar a esposa Valdirene ou Dr. João.

Monte Alegre 3
A pré-candidata Nena - que tem o apoio do prefeito de Canindé do São Francisco, Heleno Silva, e do deputado federal Jony Marcos, que são do seu partido - trabalha nos bastidores para Humberto Martins ser o seu vice.

Registro
Lideranças no município avaliam que o racha da oposição em Monte Alegre só beneficia o prefeito Tonhão (PSC), que vai para a reeleição.  

Lavando roupa suja 1
Não convidem para a mesma mesa o polêmico vereador Agamenon Sobral (PP) e o suplente de vereador do PP, o Palhaço Soneca. Os dois ontem trocaram farpas no programa de George Magalhães.

Lavando roupa suja 2
Tudo começou quando o Palhaço Soneca acusou o Agamenon de não cumprir acordos, ser um político sem palavra pelo fato de ter acertado que se licenciaria da Câmara por quatro meses para que ele assumisse o mandato. O Soneca teve 25 votos a menos que Agamenon nas eleições de 2010 e chegou a comprar o terno para assumir a Câmara.

Lavando roupa suja 3
Depois de muita discussão, Soneca se referiu a Agamenon como uma "ferida brava, um verdadeiro câncer que come tudo sozinho e não deixa nada para ninguém do partido". Disse ainda que a cadeira do parlamentar na Câmara "era de mel", por isso não sai dela.

Queixa
A amigos, o suplente de vereador tem dito que Agamenon empregou a família nos cargos comissionados da Prefeitura de Aracaju e da Câmara Municipal, sem reservar  algum cargo para o PP e filiados que lhe deram legenda para que fosse eleito vereador de Aracaju.   

Veja essa...
Do ex-deputado federal João Fontes (ex-PSDB) sobre a política no país e em Sergipe: "A política virou raparigagem. Vivemos no mundo surubático. Ninguém é amigo de ninguém. É como a novela Roque Santeiro, onde a viúva Porcino (Regina Duarte) fazia juras de amor para Sinhorzinho Malta (Lima Duarte) e por trás o traia com Jorge Tadeu (Fábio Júnior)".

... e essa ...
Do suplente de vereador, Palhaço Soneca, sobre o vereador Agamenon Sobral: "Eu sou um palhaço de profissão e o Agamenon Sobral é um palhaço na Câmara de Vereadores de Aracaju".

Curtas
O vereador Vagnerrogeris Lima, que recentemente foi convidado pelo PSB a deixar o partido, deve se filiar ao PSDB ou PSC. Nos próximos dias ele decidirá qual a legenda que aportará.

Chateados com o presidente municipal do PP, Agamenon Sobral, vários filiados do partido, inclusive os que concorreram a uma cadeira na Câmara de Vereadores em 2010, deixaram na semana passada a legenda e se filiaram ao PPS.

Para Agamenon, o presidente do PPS, Clovis Silveira, está conseguindo atrair filiados ao seu partido com a promessa de cargos na Prefeitura de Aracaju.

Hoje tem reunião do Diretório Municipal do PT para discutir, pela primeira vez, eleições municipais do próximo ano e prováveis candidaturas.