O acordo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Entrou na pauta de ontem da Comissão da Reforma Política o financiamento de campanhas. Para o senador Valadares (PSB), ao longo dos anos, esse assunto tem sido \"o calcanhar de Aquiles\" do processo eleitoral brasileiro pelo fato de a cada eleição
Entrou na pauta de ontem da Comissão da Reforma Política o financiamento de campanhas. Para o senador Valadares (PSB), ao longo dos anos, esse assunto tem sido \"o calcanhar de Aquiles\" do processo eleitoral brasileiro pelo fato de a cada eleição

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 19/08/2015 às 00:19:00

Entrou na pauta de ontem da Comissão da Reforma Política o financiamento de campanhas. Para o senador Valadares (PSB), ao longo dos anos, esse assunto tem sido "o calcanhar de Aquiles" do processo eleitoral brasileiro pelo fato de a cada eleição surgirem escândalos sempre ocasionados pela questão do financiamento.
Segundo o senador, ele é favorável a um tipo de financiamento diferente. "Inclusive apresentei uma proposta nesse sentido, de que as empresas privadas poderiam fazer doações para o fundo partidário e elas receberiam benefício fiscal da ordem de 3% do imposto de renda, mas, como a Câmara Federal constitucionalizou e esse assunto vai ser debatido aqui no Senado, não vou malhar em ferro frio, eu tenho de ser prático e objetivo.
Acho que nós devemos aceitar o financiamento privado, mas estabelecendo desde logo sérias restrições".

O acordo

Antes da campanha eleitoral de 2014 a senadora Maria do Car-mo Alves (DEM), mesmo liderando todas as pesquisas para o Senado, não demonstrava muito interesse em disputar a reeleição. Desejava permanecer em Aracaju e ser secretária municipal de Ação Social na gestão do marido, o prefeito João Alves Filho (DEM), uma vez que no dia 4 de abril do ano passado ele não renunciou à prefeitura para disputar o governo.

Na realidade, os 16 anos de mandato em Brasília cansaram a senadora que já não era uma parlamentar assídua do Senado. Ela já não demonstrava mais disposição em viver de ponte aérea Aracaju/Brasília e Brasília/Aracaju todas as semanas. Sua atuação parlamentar passou a ser pífia no Congresso Nacional.
Tanto é que quando Maria do Carmo decidiu disputar o terceiro mandato como senadora, o seu adversário Rogério Carvalho (PT) explorou muito isso. Nos programas eleitorais na televisão ele mostrou sempre a cadeira vazia da senadora e a sua fraca atuação parlamentar, com poucos projetos apresentados em 16 anos.

A senadora conseguiu ser reeleita, mas por pouco. Começou a campanha eleitoral com mais de 30% das intenções de voto, mas só ganhou para Rogério Carvalho por 3%. Se a eleição se protelasse por mais uma semana, era muito provável a sua derrota nas urnas.
O que levou Maria do Carmo a disputar o terceiro mandato, mesmo sem querer, foi a pressão nacional do DEM sobre o prefeito João Alves Filho (DEM) para que o partido não perdesse uma cadeira no Senado. E, consequentemente, o acordo feito com o ex-governador Albano Franco (PSDB) para que o seu filho Ricardo Franco (PTB) fosse o primeiro suplente.

Sabe-se que, pelo acordo, Albano seria o maior financiador da sua campanha eleitoral em troca dela se licenciar do Senado para assumir a Secretaria Municipal de Ação Social. O ex-governador chegou a doar para a campanha da senadora R$ 600 mil.
Esse entendimento político também foi muito explorado por Rogério Carvalho na campanha eleitoral. Por várias vezes ele chegou a dizer que o povo votaria em Maria do Carmo, mas quem assumiria o Senado seria o empresário Ricardo Franco.
Menos de oito meses após ser empossada senadora para um novo mandato de oito anos, Maria do Carmo vai fazer valer o acordo e a sua vontade de deixar Brasília e ficar em Sergipe ajudando o marido na Prefeitura de Aracaju.

Nas entrevistas que vem dando a imprensa, desde a última sexta-feira, ela tem dito que vai assumir a Secretaria da Família e da Ação Social porque "quer ficar mais perto da base e ajudar o prefeito João Alves". Chegou a declarar ainda: "Aqui eu tenho mais o que fazer".
Trocando em miúdos, a senadora se licenciará do Senado por não ter mais interesse no mandato; deseja fazer o que lhe dar prazer, que é trabalhar com ação social; e para cumprir acordo com Albano Franco para que o filho tenha, pelo menos, um mandato de um ano e meio como senador. E só! O resto é mera especulação ...

Todos negam
Como não poderia ser diferente, tanto a senadora Maria do Carmo Alves (DEM) quanto o empresário Ricardo Franco (PSDB) negam qualquer acordo político para que o filho do ex-governador Albano Franco (PSDB) assuma o Senado. A mesma coisa o prefeito João Alves (DEM) e o próprio Albano.

Tudo bem
Transcorreu normalmente a cirurgia do governador Jackson Barreto (PMDB) realizada ontem à tarde, no pé esquerdo, por problema no tendão que provocava fortes dores bem antes da campanha eleitoral de 2014. O procedimento cirúrgico ocorreu no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde deverá permanecer até a sexta-feira. Acompanha JB o seu irmão Gilson Barreto.

Em Brasília
Vários sergipanos prestigiaram ontem a posse do novo integrante do Conselho Nacional do Ministério Público para o biênio 2015/2017, o promotor de Justiça Orlando Rochadel. Entre eles o governador em exercício Belivaldo Chagas (PSB), o senador Eduardo Amorim (PSC) e os deputados federais Fábio Reis (PMDB) e Fábio Mitidieri (PSD). A solenidade aconteceu no auditório Juscelino Kubitschek, da Procuradoria Geral da República, às 14h.
Honra
Para Belivaldo é uma honra para Sergipe ter um filho do estado ocupando um posto desta magnitude. "Este é um conselho extremamente respeitado em todo país pelas demais instituições, que fortalece a democracia e a defesa dos interesses nacionais. Sinto-me feliz de poder fazer parte deste momento ímpar, prestigiado por uma caravana de sergipanos orgulhosos de ver Sergipe ser destaque nesse importante cenário".

Começa a tramitar
Foi lido ontem, no plenário da Assembleia, o polêmico Projeto de Lei Complementar que trata dos depósitos judiciais, de autoria do Poder Executivo. O projeto, que autoriza o Estado a utilizar o dinheiro dos depósitos judiciais para pagar salário dos servidores públicos e inativos, deve ir para as comissões ainda esta semana. A oposição tem se manifestado contrário ao substitutivo do PLC.

Audiência pública
Mediante denúncias de irregularidades pela administração municipal de São Cristóvão, acontece hoje, às 10h, no Fórum da cidade, uma audiência pública para discussão do processo de eleição unificada para o Conselho Tutelar, que acontece em 4 de outubro em todo o país, Participarão da audiência o juiz eleitoral substituto, Antonio Cerqueira; o promotor de Justiça, Fábio Pinheiro; e o Conselho Municipal do Direito da Criança e do Adolescente (CMDCA).

Algumas
irregularidades
Segundo o conselheiro tutelar Elenildo Figueiredo, o Miltinho, que disputa a reeleição, são várias as irregularidades no processo de eleição do Conselho Tutelar. Entre elas, a mudança da nota média na prova, segundo o edital, que seria cinco, mas faltando três dias para a prova a média mudou para seis, através de resolução do CMDCA e Comissão Eleitoral; a não realização de curso prévio para preparação para a prova; além de não informar a empresa que aplicou as provas do concurso.

Para agradar JAF
Na semana passada a Câmara de Vereadores de Aracaju votou contra si mesmo. Depois de aprovar o projeto de lei 4644/2015, com emenda de autoria do vereador Augusto do Japãozinho (PRTB) dando direito a se votar em três candidatos ao Conselho Tutelar, os mesmos 14 vereadores votaram favorável ao veto do prefeito João Alves à emenda e estabelecendo apenas o voto a um candidato nas eleições deste ano.

Fora da lei
Ainda encontra-se foragido o vereador de Poço Verde, Ricardo Oliveira (PSC), acusado de vender explosivos para quadrilhas que assaltam caixas eletrônicos de bancos. No último dia 12 foi protocolado na Câmara Municipal um pedido de licença dele sem remuneração, por 60 dias.

Veja essa...
Do líder da oposição na Câmara Municipal de Vereadores, Emmanuel Nascimento (PT), durante discurso ontem na tribuna da Casa para falar sobre a visita a alguns postos de saúde da capital: "O Lauro Dantas, no Bugio, tem ar, odor, cheiro e perfume de comitê eleitoral. A movimentação é de comitê, com cabos eleitorais trabalhando, atendendo o pessoal em troca de voto". Foi uma direta ao líder do prefeito na Câmara, Agnaldo Feitosa (PR), que é médico no posto e indicou o pessoal que trabalha lá. 

Curtas
O deputado federal André Moura (PSC/SE) foi nomeado ontem sub-relator da CPI destinada a investigar supostas irregularidades envolvendo o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social de Participações S.A. (BNDESPAR), ocorridas entre os anos de 2003 e 2015. Os contratos se relacionam à concessão de empréstimos suspeitos e prejudiciais ao interesse público.

O deputado estadual Robson Viana (PMDB) recebeu ontem várias visitas em seu gabinete. Entre os que o visitaram o vice-presidente da Federação Sergipana de Futebol, Milton Dantas; o vice-prefeito de Macambira, Almiro Ramos; o líder comunitário José Antônio; o vereador de Ilha das Flores, "Toinho de Janete" (PMDB); e o secretário de Articulação Política da PMA, Juvêncio Oliveira.

Informações chegadas à coluna dão conta que a vereadora Lucimara Passos (PCdoB) chegou a confidenciar ao colega parlamentar Roberto Morais (SD), no estacionamento da Câmara, que tem várias pessoas suas com cargos comissionados na Prefeitura de Aracaju.

A ex-vereadora Simone Goes, que obteve mais de cinco mil votos nas eleições de 2008, agora comercializa tortas. Ela tem até uma página no facebook sobre esse seu novo ramo de atividade.