Um vereador medíocre

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O deputado federal André Moura (PSC) deve unir a oposição em Itabi, nas eleições de 2016. Ontem, na sede do partido em Aracaju, se reuniu com os pré-candidatos a prefeito no município Valdione e Genisson de Zélia. Ficou acordado que se Valdione permanecer
O deputado federal André Moura (PSC) deve unir a oposição em Itabi, nas eleições de 2016. Ontem, na sede do partido em Aracaju, se reuniu com os pré-candidatos a prefeito no município Valdione e Genisson de Zélia. Ficou acordado que se Valdione permanecer

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 17/08/2015 às 22:39:00

O deputado federal André Moura (PSC) deve unir a oposição em Itabi, nas eleições de 2016. Ontem, na sede do partido em Aracaju, se reuniu com os pré-candidatos a prefeito no município Valdione e Genisson de Zélia. Ficou acordado que se Valdione permanecer inelegível o candidato a prefeito será o Genisson, com Valdione indicando o vice. Já se o ex-prefeito conseguir ficar elegível, ele será o candidato com o Genisson indicando o seu vice.

Um vereador medíocre

Com o apoio do deputado estadual Au-gusto Bezerra (DEM), o desconhecido médico Agnaldo Feitosa foi eleito vereador de Aracaju em 2012. Há dois anos e oito meses como vereador da capital, o médico parlamentar não apresentou um projeto de lei relevante em benefício do povo aracajuano.

Só se preocupou em protocolar na Câmara Municipal requerimentos de congratulações e placas com nome de ruas. A sua presença na tribuna da Casa era escassa, pois sempre teve muito pouco o que falar.
Em abril do ano passado o prefeito João Alves Filho (DEM) o escolheu para ser seu líder na Câmara, em substituição a Manuel Marcos (DEM). Como líder, ele passou a usar um pouco mais a tribuna para fazer a defesa do prefeito, mas sempre de forma desastrosa.
Um exemplo disso foi na semana passada quando a vereadora Lucimara Passos (PCdoB) contestou a queda na arrecadação do município alegada pela Prefeitura de Aracaju para justificar os vários problemas da capital, a exemplo da suspensão da coleta de lixo domiciliar, pela Torre.
Lucimara mostrou um aumento de cargos em comissão de 4,49% da folha em 2012 para 10,74% em 2014. Disse que a prefeitura tem mais de 1,8 mil cargos em comissão, sendo 884 criados pelo prefeito João Alves entre 2013 e 2014. Ressaltou que a arrecadação do município cresceu 10,4%.

Sem ter tido a competência para fazer uma defesa plausível do prefeito, Agnaldo preferiu acusar a colega de usar informações privilegiadas passadas por comissionados que permanecem na Prefeitura de Aracaju ainda da gestão passada. E o que é pior, afirmou que iniciaria um "caça às bruxas" para a exoneração desses CCs.
Chegou a dizer: "Não pense que porque João não demitiu os CCs dela {Lucimara}, de Edvaldo {Nogueira}, é porque João é bonzinho. Agora o Cancão vai piar! Quem der esse tipo de informação a gente vai perseguir. E a caça às bruxas vai ser liberada por mim".

Depois, junto à imprensa, ele chegou a admitir que a vereadora Lucimara tinha acesso a dados que muitas vezes ele não tinha. Tempos atrás chegou a se queixar a alguns vereadores da bancada a dificuldade para adquirir informações junto à prefeitura e ao próprio prefeito, que sequer o recebia. A coluna chegou a publicar isso.

Com as declarações sobre Lucimara, o líder do prefeito deixou publicamente claro que tem pouco acesso a JAF e, muito menos, aos dados e números da administração municipal. E o que é pior, faz política da forma retrógada: a de perseguição a servidor público ou comissionado e a atacar quem critica a gestão municipal.
Ontem, cometeu o mesmo erro. Sem argumentos para defender o prefeito João Alves pelo fato de Aracaju ter virado uma lixeira a céu aberto nos três dias de paralisação dos serviços pela Torre, por falta de pagamento, prefere desqualificar aquele que critica a sua gestão.

No programa de George Magalhães, ontem, o líder do prefeito quis desqualificar o jornalista Gilvan Manoel. Após George ler o seu comentário publicado em sua coluna domingo, no Jornal do Dia, intitulada "O drama de Aracaju", o vereador Agnaldo disse que ele não tinha credibilidade.
O jornalista apenas escreveu sobre o caos de Aracaju com a suspensão da coleta do lixo domiciliar por três dias, da dívida da prefeitura com a Torre, que João Alves está preocupado coma reeleição, mostra despreparo para administrar Aracaju e, com isso, o povo aracajuano enfrenta hoje o drama equivalente ao da década de 70, quando JAF foi prefeito biônico.  

Alguma inverdade? A cidade permanece às escuras, mesmo com a criação da taxa de iluminação. As ruas continuam esburacadas, mesmo com o aumento abusivo do IPTU, e os problemas de mobilidade urbana permanecem. Sem falar nas promessas não cumpridas de campanha, como o BRT e o estacionamento garagem no centro.
E para completar o despreparo do líder do prefeito, ele, ainda na entrevista a George Magalhães, do nada, ainda acusou essa colunista de também não ter credibilidade.
Quem tem um líder despreparado como esse em uma Câmara de Vereadores, que segue a linha de que a melhor defesa é o ataque, não precisa de inimigo ...

É hoje
O governador Jackson Barreto (PMDB) se submete nesta terça-feira pela manhã a cirurgia no pé esquerdo, mediante problema no tendão, que vem provocando fortes dores e dificuldade para andar bem antes da campanha eleitoral de 2014. A cirurgia, que não tem gravidade, acontecerá em um dos grandes hospitais de São Paulo. No próximo final de semana ele deve retornar a Aracaju, onde se recuperará do procedimento cirúrgico.
Projeto polêmico 1
Já está na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei Complementar (PLC) do Poder Executivo Estadual permitindo que o governo possa utilizar cerca de R$ 500 milhões de depósitos judiciais para pagar salário de servidores, principalmente inativos. O projeto deve ser lido hoje em plenário, mas ontem já foi polêmica na Casa.

Projeto polêmico 2
O deputado estadual Georgeo Passos (PTC) usou a tribuna para destacar pontos referentes ao substitutivo ao PLC, que chegou com uma nova redação na Assembleia Legislativa. Destacou que a redação do projeto ainda possui pontos que podem prejudicar as partes envolvidas em processos judiciais, principalmente naqueles onde o Estado não é parte, e precisará de tempo para ser discutido. O deputado Gilson Andrade (PTC) também criticou o projeto em plenário.

Projeto polêmico 3
Do líder do governo na Assembleia, Francisco Gualberto (PT), na tribuna, sobre o projeto: "Tenham tranquilidade. Ninguém deve ficar preocupado, seja da oposição ou da situação. Ninguém aqui vai atropelar nada e iremos discutir todos os pontos. Nossa intenção é preservar os interesses do Estado, da população de Sergipe e dos servidores públicos. Enquanto a gente puder contar com expedientes, dentro da legalidade, para garantir o pagamento dos servidores públicos, iremos buscar fazer. Mas podem ficar tranquilos, pois vamos buscar as melhores formas de conversação para aprovar este projeto no momento certo". Lembrou que já existe uma lei federal, sancionada pela presidente Dilma Rousseff, autorizando o uso de tais recursos.

Descontração 1
No calor da discussão ontem sobre o projeto Gualberto arrancou gargalhadas de todos ao fazer uma comparação inusitada. Foi quando disse que Georgeo Passos precisa de uma consulta com um médico otorrino, pois está ouvindo coisas que não foram ditas. "Sem querer fazer comparações, mas me lembra aquele personagem da Praça é Nossa, uma velhinha que escuta tudo errado. Quando uma pessoa fala: 'candeeiro'. Ela retruca: 'o dinheiro?'.

Descontração 2
A provocação foi porque Georgeo afirmou ter ouvido de Gualberto, durante o pronunciamento na tribuna, que o Estado estava na UTI e precisa do dinheiro dos depósitos judiciais para pagar a folha dos servidores. Gualberto nega. "Em momento algum falei isso. Disse que o Estado está em dificuldades, e todo mundo sabe disso. Portanto, aconselho ao deputado Georgeo que busque um otorrino com urgência".

Com a justiça
Ontem, o senador Eduardo Amorim (PSC) conversou com o juiz Gustavo Plech sobre projeto dos depósitos judiciais por ser contrário a ele. Foi acompanhado do deputado Georgeo Passos.

Monte Alegre
O ex-prefeito de Monte Alegre, João Vieira de Aragão (PMDB), foi condenado a oito anos e seis meses de prisão e multa por fraude no processo de licitação da merenda escolar no período entre 2005 e 2008, junto com os representantes das empresas vencedoras das licitações, Reginaldo Soares Barbosa e José Cícero dos Santos. Os três foram sentenciados pela Justiça Federal de Sergipe, através do juiz da 6ª Vara Federal, Gilton Batista Brito, por irregularidades nos recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), após atuação da Controladoria Geral da União (CGU).

Itabaiana
Segundo a assessoria do ex-prefeito de Itabaiana, atual presidente da Assembleia Legislativa, Luciano Bispo (PMDB), no próximo dia 1 de setembro ele estará anunciando o seu candidato a prefeito do município em 2016. Já é tido como certo que o nome será o do seu irmão, o diretor-geral da Assembleia, o engenheiro Roberto Bispo. Um nome que foi bem cogitado para ser o candidato de Luciano foi o do advogado Olivier Chagas, atual secretário de Estado do Meio Ambiente.

Veja essa...
O assunto mais comentado ontem nas redes sociais foi a nomeação do filho do deputado estadual Valmir Monteiro (PSC), o Valmir Rafael Silva Monteiro, como assessor do IFES e com salário de mais de R$ 7 mil, conforme contracheque. O grande questionamento era se ele trabalhava e como Valmir - que faz oposição a presidente Dilma Roussef, com o PSC oficializando oposição ao Planalto, e ao governador Jackson Barreto (PMDB) - conseguiu emplacar o filho com um salário significativo em um órgão federal em Sergipe. Teve quem dissesse que o pedido tinha sido do presidente estadual do PT, Rogério Carvalho, e que Valmir demonstra grande "incoerência política".

Curtas
A delegada Daniela Garcia, do Departamento de Crime Contra a Ordem Tributária, disse ontem que concluiu inquérito sobre o processo de compra da usina Campo Lindo, em 2013, em Nossa Senhora das Dores, havendo indícios de crimes.

Várias pessoas são citadas no inquérito como suspeitas por crime de estelionato e lavagem de dinheiro. Entre elas o empresário Silvio Migilo, da empresa GTB, e o atual administrador do Hospital Cirurgia, Gilberto Santos.

O senador Valadares (PSB) participa, em Montevidéu, no Uruguai, da 33º Sessão Ordinária do Parlamento do Mercosul (Parlasul). Pela manhã, participou de reunião da Comissão de Orçamento, onde foi discutido o orçamento, a falta da contribuição de vários países, além das próximas reuniões.

Já a tarde o senador marcou presença na cerimônia de posse da Representação Brasileira no Parlamento do Mercosul (Parlasul), que é formada por 27 deputados e 10 senadores. Entre as suas atribuições, a elaboração de pareceres sobre matérias de interesse do bloco regional submetidas à análise do Congresso.