Comissão da Verdade

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 03/07/2015 às 02:16:00

Quando retornar da viagem ao exterior, daqui a 20 dias, o go-vernador Jackson Barreto (PMDB) será o primeiro a depor na Comissão Estadual da Verdade Paulo Barbosa de Araújo, criada por ele no último dia 30, com o objetivo de ser o instrumento para identificar e tornar públicas as graves violações aos Direitos Humanos praticadas durante o regime militar, ainda que não tenha função punitiva. Jackson, ele próprio um militante perseguido durante a ditadura militar, ressalta que a comissão não tem um caráter revanchista, mas que "é preciso o esclarecimento dos fatos para guardarmos para História, para que as novas gerações, de forma profunda, tomem conhecimento do que aconteceu em Sergipe".

O governador também faz questão de destacar a homenagem prestada ao jornalista e economista Paulo Barbosa de Araújo. Preso pela ditadura, Paulo Barbosa, foi professor de Economia, funcionário dos Correios, do antigo Condese, editor da Gazeta de Sergipe e articulista. Barbosa faleceu em 2000.
"Como vereador, deputado estadual e deputado federal recebi muitas orientações de Paulo Barbosa, companheiro da militância no combate à ditadura, colega dos Correios - eu era carteiro e ele postador - e personalidade que precisava ter um reconhecimento desse tipo", diz Jackson Barreto.

Outro aspecto ressaltado pelo governador é a qualificação dos integrantes da Comissão Estadual da Verdade. "São professores universitários, pesquisadores de alto nível, sob a coordenação do ex-reitor da UFS, Josué Modesto dos Passos Subrinho, que têm toda a vida dedicada a pesquisa", destacou.
Além do ex-reitor, integram a Comissão: o jornalista, pesquisador e professor Gilfrancisco; o doutor em Sociologia, pesquisador sobre a Ditadura Militar no Brasil e professor da Faculdade Sergipana, Hélder Teixeira; o pesquisador, doutor em História e professor da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), José Vieira da Cruz ; a pesquisadora em Direitos Humanos, doutora em Sociologia e professora da UFS, Andréa Depieri; a doutora e professora do Mestrado em Direitos Humanos da Universidade Tiradentes (Unit), Gabriela Rebouças e o doutorando em Ciências Sociais e professor de Direito da UFS, José Afonso do Nascimento. O ex-secretário de Direitos Humanos e coordenador de Direitos Humanos da Secretaria de Estado Mulher, da Inclusão e Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos (Seidh), professor Antônio Bittencourt, fará a interlocução entre a Comissão da Verdade e o Governo do Estado.
A Comissão da Verdade de Sergipe é uma das primeiras criadas nos Estados brasileiros e segue a linha da Comissão Nacional da Verdade.

No comando
O vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) é o governador de Sergipe desde ontem à tarde, quando o governador Jackson Barreto (PMDB) transmitiu o cargo em solenidade simples no Palácio. Ficará no comando do governo por 16 dias, em razão de um período rápido de férias de JB, que embarca hoje para o exterior.

Coordenadas
Ontem à tarde, antes de passar o cargo para Belivaldo Chagas, o governador se reuniu com alguns secretários. Trocou ideias e disse o que gostaria que fosse feito nesse período que estará ausente do Estado e do país.

Férias
Em conversa com a coluna ontem, Jackson Barreto disse que viajará ao exterior com recursos próprios e com o objetivo de descansar. Lembra que não tira férias desde a doença do então governador Marcelo Déda e admite que está muito cansado.

Zezinho
Com relação a uma provável candidatura do secretário Zezinho Sobral (Saúde) a prefeito de Aracaju em 2016, como informou ontem a coluna, Jackson revelou que não há nenhum compromisso dele com a candidatura do auxiliar ou qualquer outro aliado. "Em nenhum momento discuti candidatura com Zezinho. Não estou envolvido nem preocupado com candidatura. Não vou desviar o foco de governar o Estado", afirmou, enfatizando que essa informação vem de pessoas querendo criar polêmica e dificuldade no governo, mas as coisas estão andando, garante.
Mitidieri 1
De JB ao ser questionado pela coluna sobre o fato do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) ter protocolado documento entregando os 16 cargos que tem na Secretaria de Ação Social por falta de integração e autonomia no desenvolvimento dos projetos, conforme informou com exclusividade ontem à coluna: "Já conversei com Marta {a secretária Marta Leão}. É preciso compreender o papel de cada um na secretaria", afirmou.

Mitidieri 2
Disse ainda JB: "Quando eu retornar da viagem irei conversar com Fábio Mitidieri. Tenho em Fábio e no seu pai Luiz Mitidieri dois grandes companheiros. Luiz é exemplo de companheirismo e lealdade. Fábio é um parlamentar muito competente. Vou pedir um prazo para conversar. Não abro mão da companhia deles".

Exonerações
Ao ser questionado sobre as exonerações no governo de pessoas indicadas por aliados, feitas por alguns secretários e que vem deixando insatisfeito alguns líderes políticos da sua base aliada, Jackson afirmou: "Nenhuma exoneração é feita por secretários, pois nenhum tem competência para isso. Se houver algum equívoco temos que sentar e resolver".  

Professores
O governador garantiu que não irá descontar os 22 dias de greve dos professores no mês de junho, apenas os oito dias de paralisação que foi descontado em folha no mês de maio. "É preciso, nesse momento, desarmar os espíritos e buscar o caminho de mais tranquilidade. É um gesto de um cidadão de formação democrática. Para mim o que importa é que os professores não deixem de fazer a reposição das aulas para que nossos alunos não sejam prejudicados. Espero a compreensão dos professores. O nosso foco é o aluno, melhorar o Ideb e a qualidade do ensino".

Preocupação
"Estou preocupado com o Enem e o resultado do Ideb. Fico pensando nos estudantes, pais de alunos e nos professores no sentido de distensionar. É preciso trabalhar para melhorar o ensino em Sergipe. Tenho feito um esforço grande, trabalhando voltado para a educação. Venho inaugurando várias escolas. Inaugurei recentemente oito escolas após reforma e ampliação. Em agosto estarei inaugurando o Colégio Murilo Braga, em Itabaiana, cuja obra custou R$ 7 milhões. Também estarei inaugurando o Instituto Rui Barbosa, que é uma escola de ensino profissionalizante, cuja reforma custou R$ 2 milhões".
Robson
De Jackson Barreto sobre as declarações do deputado estadual Robson Viana (PMDB) sobre o governo e de que estaria contrariado: "Não há contrariedade. Feliz quem entra nesse debate, de temas sérios, da atualidade. É uma demonstração de que está preocupado com o Estado. Estou satisfeito. Robson é um deputado livre par externar o seu pensamento".

PSDB 1
O ex-prefeito e ex-deputado estadual José Franco (ainda PDT) deve assumir provisoriamente hoje a presidência do PSDB em Sergipe. O partido está sem comando desde 15 de junho, quando acabou o mandato de Roberto Góes. Isso vem levando o partido ao atraso do salário dos funcionários e ao corte de telefone e energia, por não ter um ordenador de despesa.

PSDB 2
O secretário-geral do PSDB, vice-prefeito José Carlos Machado, vem tentando assumir o comando do partido em Sergipe. Usou até a influência política do prefeito João Alves Filho (PSDB) com essa finalidade. Parece que foi em vão.

PSDB 3
Informações chegadas ontem à coluna dão conta que mais na frente quem deve assumir a presidência do PSDB em Sergipe é o senador Eduardo Amorim (PSC). Segundo a fonte, os entendimentos estão bem avançados nessa direção entre o senador e a cúpula nacional tucana.

Redução da
maioridade 1  
A Emenda Aglutinativa nº 16, apresentada pelo deputado federal André Moura (PSC/SE), juntamente com os deputados Rogério Rosso (PSD/DF) e Marcelo Aro (PHS/MG), foi aprovada anteontem por 323 votos a 155 e 2 abstenções. A emenda altera a redação do artigo 228 da Constituição Federal tornando imputáveis os adolescentes entre 16 e 18 anos em casos de crimes hediondos como homicídio doloso, lesão corporal grave ou lesão corporal seguida de morte.

Redução da
maioridade 2
Com nova emenda à PEC da Redução da Maioridade Penal, o deputado federal Valadares Filho (PSB) votou na quarta-feira com a redução da maioridade de 18 para 16 anos. "Publicamente sempre explanei que aceitaria a redução da idade penal apenas para crimes hediondos. Na tarde da última terça-feira, na reunião da bancada do PSB, ficou estabelecido que o voto dos parlamentares seria questão fechada e contra a emenda, em virtude de uma redação que punia indiscriminadamente, sem especificar quais os crimes mais graves que redundassem em morte, e que mereçam a pena justa e equilibrada. A emenda, que foi derrotada posteriormente, contemplava vários tipos de crimes, inclusive lesão corporal grave. Votei também contra por convicção. Nesta quarta foi apresentada nova emenda, suprimindo pontos polêmicos da anterior e reduzindo a maioridade apenas para crimes hediondos. Com esse novo texto, votei favorável". 

Veja essa...

Tem um deputado estadual que está em situação difícil no processo da subvenção social da Assembleia Legislativa que não dá um passo sem a companhia do seu advogado. Tem medo de ser preso.

Curtas

O governador Jackson Barreto admitiu à coluna que vem tendo problema de pressão, tendo ido até a sua residência na semana passada um médico cardiologista. "Fico preocupado em poder pagar a folha de pessoal e com a responsabilidade de lidar com secretários", disse.

O secretário Zezinho Sobral esclarece, através da sua assessoria, que as contas de 2010 a 2014 que tem de prestar à Justiça, não são da gestão de Rogério Carvalho e que não tem nenhum vinculo nem esquema com o ex-deputado federal. Todo mundo sabe que nesse período Rogério era deputado federal, mas tinha influência na Saúde e na Fundação de Saúde.

No último dia 30 de junho Zezinho Sobral, o presidente da Fundação de Saúde, Hans Lobo, e a procuradora do Estado Aparecida Gama estiveram com o juiz federal Edmilson Pimenta para definir os procedimentos para apresentação das contas de 2010 a 2014 ao procurador federal Ramiro Rockenbach.

É que o secretário está tendo dificuldade de demonstrar as contas para o procurador Rockenbach, conforme determinação judicial. Quer o consenso da demonstração.    

O superintendente de Direitos Humanos da Secretaria de Ação Social, Antonio Bittencourt, disse ontem à coluna que interage bem com a secretária Marta Leão e não tem qualquer tipo de problema com a sua gestão.