A greve dos professores

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 19/06/2015 às 01:15:00

Os professores da rede pública do Estado saíram ontem de uma greve de 30 dias sem nenhuma conquista, com prejuízo financeiro e desgaste perante à sociedade que pela primeira vez se manifestou publicamente contra o movimento paredista.
Acostumados a fazer greve longa todos os anos por aumento salarial e mais recentemente pelo reajuste do piso salarial da categoria, os professores sempre foram para o confronto com o governo de plantão e até mesmo a Justiça. Até enterro simbólico de governador o Sintese já fez, na época de Valadares e Marcelo Déda, que acabou vindo a falecer vítima de um câncer.
Com o atual governador Jackson Barreto (PMDB) os professores não chegaram a fazer o seu enterro simbólico. Mas ficaram algemados por uma semana na porta do palácio, como forma de dizer ao governo que eles não eram marginais. Um grande equívoco, pois quem usa algema é bandido e nenhum governo vai considerar marginal um educador.
O estilo de Jackson é muito diferente dos outros ex-governadores. Ele não se intimida com nada. Quando viu que os professores iniciaram a greve quando estava aberto o canal de negociação e eles discordavam dos números apresentados, pediu logo a ilegalidade do movimento iniciado no dia 18 de maio. O desembargador José dos Anjos concedeu a liminar favorável à ação movida pelo Governo do Estado e decretou a ilegalidade no dia 22 de maio, fixando multa de R$ 10 mil a cada dia de paralisação.
Ignorando o velho ditado jurídico de que decisão judicial não se discute, se cumpre, os professores decidiram continuar com o movimento paredista.  Eles entraram com ação contestatória da decisão do desembargador José dos Anjos, mas na última quarta-feira, na sessão do pleno do Tribunal de Justiça, por 7 x 3, os desembargadores ratificaram a posição de José dos Anjos.  
Não adiantou a pressão dos professores em frente ao Tribunal de Justiça durante a sessão do pleno, para que reconsiderasse a posição da ilegalidade da greve. Se pensaram que iam acuar ou emparedar os desembargadores, o tiro saiu pela culatra. A Justiça não age por pressão de entidades de classe.
E o governador Jackson Barreto, que combateu a ditadura militar e foi preso, também não se intimidou com as pressões dos professores acampados dia e noite em frente ao Palácio de Despacho e indo a todos os eventos que em estava presente oficialmente para emparedá-lo.
Preocupado com os alunos que estavam fora das salas de aula, principalmente os que vão fazer o Enem este ano, Jackson chegou a apelar para que os professores retornassem às escolas e, como não o fizeram mesmo com a ilegalidade, decidiu cortar o ponto dos faltosos.
Agora, os professores retornam às salas de aulas sem os 13% de reajuste estendido a toda a categoria (o governo pagou esse percentual apenas aos que ganham o piso salarial). Eles terão no final do mês seus salários descontados e o Sintese terá que pagar R$ 300 mil de multa.
Os professores começaram a ser derrotados na sua luta, quando a sociedade, alunos e pais de alunos deixaram de apoiar a greve da categoria que é realizada todos os anos e com prejuízo para os alunos, que em muitos casos acabam não tendo a reposição das aulas, apenas trabalhos passados para fazerem em casa.

Pegou mal
Repercutiu mal para o governo a nomeação de Ítalo Bruno, enteado do delegado e ex-secretário de Estado da Segurança Pública, João Eloy, para assumir o cargo de assessor técnico operacional na Casa Civil do governo do estado, com uma boa remuneração. Isso porque em junho do ano passado, ele foi preso em flagrante por policiais militares usando um veículo e armamento pesado da SSP.
O fato
O Ítalo, de 22 anos, foi denunciado à época por um taxista que o acusou de tentativa de assalto após ter sido abordado por ele e um amigo na Praia de Atalaia. Mesmo o taxista o tendo identificado ele foi solto na hora. Somente depois, Ítalo foi detido e indiciado por porte ilegal de arma de uso restrito e por usurpação de função pública.

The flash
A repercussão negativa nas redes sociais acabou levando o governo a revogar o ato de nomeação do enteado do ex-secretário da SSP. A sua nomeação foi publicada no Diário Oficial do Estado do dia 17 de junho e a sua exoneração sairá no Diário Oficial desta sexta-feira, segundo o secretário Sales Neto (Comunicação).

Subvenção 1
O desembargador Edson Ulisses negou habeas-corpus impetrado pela assessoria jurídica do deputado estadual Augusto Bezerra (DEM), solicitando a imediata suspensão de todo e qualquer ato de investigação envolvendo o parlamentar no processo da subvenção da Assembleia Legislativa. O pedido incluiu a suspensão de perícias e audiências agendas, como a de prováveis oitivas.

 

Subvenção 3
Oito promotores de Justiça vêm investigando as associações que receberam mais de R$ 100 mil de verbas de subvenção com o objetivo de fazer com que cada dinheiro que tenha sido utilizado de forma incorreta venha a ser devolvido aos cofres públicos.

Subvenção 4
Na primeira conclusão de investigação de duas entidades nos municípios de Capela e Muribeca, o MP moveu ação de improbidade administrativa contra o ex-deputado estadual e atual deputado federal Adelson Barreto (PTB), acusado de ter recebido indevidamente R$ 400 mil dos R$ 600 mil que destinou a duas associações do interior.

Mudança
O prefeito João de Nega, de Ribeirópolis, deixará o PSB até setembro deste ano. Essa sua decisão tem a ver com informações recentes divulgadas na coluna dando conta que o PSB no município apoiará a ex-prefeita Uita Barreto nas eleições municipais de 2016, que também é do partido.

O que pesou
Foi o presidente estadual do PSB, deputado federal Valadares Filho, quem prestou a informação à coluna, após ser questionado qual dos dois nomes o seu partido viria a apoiar para prefeito e respondeu, sem titubear, que era Uita. A ex-prefeita apoiou a candidatura de João de Nega em 2010, mas hoje estão rompidos politicamente.

Possíveis destinos
O prefeito João de Nega já recebeu convite de filiação do PSD e PT, mas decidirá o seu caminho partidário após conversar com os aliados.

Reforma política 1
Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por 317 votos a 139 e 6 abstenções, emenda à proposta da reforma política (PEC 182/07) que cria uma janela de 30 dias para que o político possa mudar de partido sem perda do mandato. Segundo o texto aprovado, a desfiliação não prejudicará o partido que perdeu o filiado quanto à distribuição de recursos do Fundo Partidário e ao acesso gratuito ao tempo de rádio e televisão.

Reforma política 2
Por 334 votos a 4 e 2 abstenções, os deputados rejeitaram emenda que permitia ao candidato disputar, simultaneamente, eleições majoritárias (prefeito, governador, presidente da República e senador) e proporcionais (vereador e deputado). Caso eleito para dois cargos, o candidato deveria informar à Justiça Eleitoral sua opção por um deles. Essa foi a última votação, em primeiro turno, da proposta de emenda à Constituição da Reforma Política. Após a consolidação do texto pela comissão especial, a matéria será votada em segundo turno na Câmara, antes de ir ao Senado.

Como votaram 1
Seis dos oito deputados federais de Sergipe votaram sim a criação de uma janela de 30 dias para político mudar de legenda. São eles: Fábio Reis (PMDB), Jony Marcos (PRB), André Moura (PSC), João Daniel (PT), Adelson Barreto (PTB) e Laércio Oliveira (SD). Votaram não: Valadares Filho (PSB) e Fábio Mitidieri (PSD).

Como votaram 2
Da bancada federal de Sergipe apenas dois deputados participaram dessa votação: Fábio Reis e Valadares Filho. Os dois votaram não a eleição simultânea.

Veja essa...

A empresa que fazia a distribuição da merenda escolar em São Cristóvão, nas escolas municipais, vem retirando os alimentos das unidades de ensino sob alegação de que não tem a garantia de que receberá pela mercadoria  após a então prefeita Rivanda Batalha ter anunciado, antes de renunciar ao mandato, que iria reincidir o contrato da merenda após denúncia do jornalista investigativo Roberto Cabrini, no SBT, de um esquema de fraude de empresários na licitação da merenda no seu município e em Socorro. A denúncia foi feita no plenário da Câmara Municipal, pelo vereador Paulo Júnior (PSL).

... e essa ...
Segundo o vereador, que é líder da Oposição na Câmara, ele irá protocolar denúncia no MPF para que apure. Disse que era preciso garantir a merenda escolar para os alunos da rede pública municipal até o início das férias deste primeiro semestre.

Curtas

O PRB está focado não só nas eleições em Canindé do São Francisco, com um nome a definir, e em Nossa Senhora do Socorro, com o deputado federal Jony Marcos, mas também em Aracaju. Na capital, o partido aposta no pastor da Igreja Universal, Alves, e no professor Anderson Gois.

Questionado pela coluna sobre a possibilidade de candidatura a vereador de Aracaju em 2016, Anderson Gois disse que ainda não definiu se será candidato. Limitou-se a dizer que é um "soldado partidário".  
Na manhã de ontem, na tribuna da Câmara, o deputado Valadares Filho (PSB) cobrou agilidade na análise do projeto de sua autoria, o do Passe Livre estudantil como garantia do direito social ao transporte para alunos matriculados em instituições públicas ou privadas de ensino.

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprovou ontem o PL 3982/12, que dispõe sobre o piso salarial dos radialistas. A proposta é de autoria do líder do PSC, André Moura (SE) e foi elaborada por meio de pedidos dos representantes de radialistas em todo o país.