Fábio x Rogério

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/05/2015 às 01:32:00

Como em Brasília, em Sergipe o PMDB não morre de amores pelo PT.  O deputado federal peemedebista Fábio Reis e o presidente estadual do PT, ex-deputado federal Rogério Carvalho, estão em pé de guerra, uma guerra silenciosa que só os antenados nos bastidores da política percebem.

Essa guerra começou pela disputa da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) no segundo governo da presidente Dilma Rousseff. A Funasa, que dispõe de mais de R$ 3 bilhões, é um órgão importante para os municípios por dispor de recursos para o abastecimento de água, saneamento básico, construção e reforma de casas de taipas para combater a doença de Chagas.   
Rogério perdeu para Fábio a Funasa. O líder petista chegou a disputar a presidência da fundação em Brasília, mas o parlamentar peemedebista, junto com a sua bancada, conseguiu manter Henrique Pires no comando do órgão.

Ontem, quando da vinda do presidente da Funasa a Sergipe para a liberação de recursos na ordem de R$ 14 milhões para obras de esgotamento sanitário, sendo R$ 7 milhões em Salgado e R$ 7 milhões em Malhador, Rogério não escondeu o seu descontentamento, principalmente porque o Henrique Alves chegou na companhia de Fábio Reis e o enalteceu por ter conseguido a liberação de recursos para os dois municípios. Chegou a elogiar, inclusive, o seu irmão, o ex-deputado federal Sérgio Reis, pela sua atuação quando parlamentar.
Ironicamente sentado ao lado de Fábio na solenidade em Salgado, Rogério não parou de usar o celular e se manteve com cara de poucos amigos. Depois, em seu discurso o presidente do PT defendeu o seu partido das acusações contra a Petrobras. Em seguida, insinuou que o PMDB tenta desestabilizar o governo da presidente Dilma Rousseff. Ressaltou que existe um "cerco terrível" daqueles que querem o Brasil humilhado e o povo sem esperança. "Povo sem esperança é povo sem futuro", frisou.

Já o deputado peemedebista externou sua satisfação com a vinda do presidente da Funasa a Sergipe para liberar recursos para obras importantes em dois municípios do Estado e por ele retornar a Salgado e Malhador trazendo respostas positivas e que vão beneficiar comunidades menos favorecidas. Revelou que conseguiu a liberação de R$ 1,5 milhão para Salgado e R$ 1,4 milhão para Malhador.
Esse primeiro round Fábio Reis ganhou para Rogério Carvalho. Em 2016, haverá um segundo round com as eleições de Lagarto, quando o presidente do PT apoia os adversário dos Reis naquele município.
Trocando em miúdos: se depender dos lagartenses Rogério e Fábio, o PT e  PMDB marcharão separados em 2018. 

Sofrência 1
Nas redes sociais o grupo do presidente do PT, Rogério Carvalho, alimentou a disputa política entre o ex-deputado e o deputado federal Fábio Reis (PMDB). Com o título "A farsa do aproveitador Sérgio Reis", foi publicada a seguinte nota: "Hoje se consolidou em Sergipe uma farsa, com enredo circense, protagonizada pelo incompetente e aproveitador deputado federal Fábio Reis".

Sofrência 2
Prossegue a nota: "Os recursos da Funasa propagados por Fábio Reis como conquistas suas, na verdade foram conseguidos pelo ex-deputado Rogério Carvalho. No entanto, Fábio Reis, demonstrando total falta de escrúpulos, articulou com o presidente nacional da Funasa, Henrique Pires, correligionário do PMDB, uma farsa e armação quanto às obras e recursos conquistados por Rogério Carvalho".

Sofrência 3
Finaliza: "Sabendo da fragilidade de Rogério, por não ter mais mandato, Fábio Reis solicitou ao seu amigo Henrique Pires que só liberasse os recursos para as obras de saneamento básico em Sergipe com a condição de que os prefeitos deveriam dizer a população que os investimentos eram provenientes do trabalho do deputado Fábio Reis. Assim foi feito, e além do constrangimento gerado aos prefeitos, a única coisa que Fábio Reis conseguiu para Sergipe hoje foi protagonizar uma farsa!".

Atestado
Nas entrevistas que concedeu a imprensa, o prefeito Duilio Siqueira (Salgado) falou da importância de Fábio na liberação de recursos para seu município: "A bancada federal de Sergipe lá em Brasília vem trabalhando não só para que o município de Salgado, mas todos os municípios, possam se desenvolver. Fábio Reis não é diferente. Colocou uma emenda de cerca de meio-milhão de reais para Salgado para que fossem reformadas duas praças, que é a da Matriz e Helena Ribeiro. Essa foi uma emenda do deputado Fábio Reis, que deu um toque mágico junto com Henrique Pires para que os recursos do saneamento de água fossem liberados para Salgado para que nossos povoados tenham abastecimento de água e o nosso povo possa venha a ter mais qualidade de vida".
Sobra a reforma
Durante discurso em Salgado, onde foi liberar recursos na ordem de R$ 7 milhões para obras de implantação do esgotamento sanitário, o presidente da Funasa, Henrique Pires, falou da importância da obra e defendeu a aprovação da reforma política no Congresso Nacional. "Acontecem coisas na política que são inacreditáveis", chegou a declarar.

Bem humorado
O vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) aproveitou o discurso de Henrique Pires em Malhador para falar em tom de brincadeira de uma realidade vivida pelos prefeitos. Após pedir que os gestores presentes na solenidade se levantassem, disse: "Presidente Pires, esses prefeitos vivem de pires nas mãos, em Brasília, em busca de recursos para seus municípios. Vou lançar o pires para que não se esqueça de Simão Dias".

Ponto de vista 1
Do governador Jackson Barreto (PMDB) ao ser questionando ontem, durante entrevista coletiva à imprensa sobre a responsabilidade do seu governo com relação à queda da ponte em Pedra Branca, que deixou sem água cerca de um milhão de pessoas na grande Aracaju pelo rompimento da adutora do São Francisco: "Querem que eu seja responsável pela queda de uma ponte inaugurada em 1935 por Getúlio Vargas. Não estou preocupado com isso. Sou governador até 2018 e quando terminar o meu mandato vou para casa".

Ponto de vista 2
Disse ainda Jackson: "O povo quer saber qual a situação emergencial para a volta da água. Essa é a questão e não quem é o responsável. Fizemos emergencialmente as obras da adutora para levar água o mais rápido possível para o povo. Agora vamos discutir o tamanho, a estrutura e os recursos do projeto da adutora do São Francisco".

Sem comentários
De JB, ao ser questionado sobre a greve dos professores da rede pública do Estado deflagrada pela categoria por tempo indeterminado a partir da próxima segunda-feira: "Não faço nenhuma análise. Deixo para o povo e os pais pobres da periferia. Deixo para a sociedade julgar a greve dos professores e o baixo Ideb. Não vou emitir opinião. Na próxima terça-feira o governo senta para negociar".

Reforma política
O deputado federal Valadares Filho (PSB) acha que vai haver muita discussão em Brasília com relação ao mandato dos prefeitos e vereadores nas eleições de 2016. Segundo ele, a Câmara está dividida sobre esse ponto da reforma política, por ter os que defendem que o mandato seja de dois anos, para haver a unificação das eleições já em 2018, e outros que o mandato seja de seis anos, havendo só a eleição unificada em 2022.

Como vota
Revela o deputado que ele e a maioria da bancada do PSB vai votar pelos seis anos de mandato, por acharem que dois anos é muito pouco para uma gestão e representar um custo alto para o país uma eleição com validade de apenas 24 meses.   

BO
A Tribuna Cultural de Estância informou ontem que o vereador Dominguinhos do PT, hoje inimigo político do professor Dudu, abriu um Boletim de Ocorrência contra o seu ex-professor. Não foi revelado o teor do BO, que levou Dudu à delegacia para prestar esclarecimentos.

Sem apoio
Vem crescendo o número de país de alunos da rede pública estadual que está se manifestando contra a nova greve dos professores, principalmente porque as provas do Enem serão realizadas no final de outubro e porque não querem ver seus filhos nas ruas enquanto as escolas estão fechadas e eles estão trabalhando.

Veja essa...
Ontem, o vice-prefeito de Aracaju José Carlos Machado (PSDB) disse no programa de Gilmar Carvalho que gostaria de ver o suplente de vereador Pedrinho Barreto como vereador por achar que ajudaria muito na administração do prefeito João Alves (DEM). O problema é que Pedrinho é segundo suplente e o primeiro, o sargento Vieira, tem dito que se depender dele Barreto "irá morrer, mas não sentirá o gosto de sentar naquela cadeira tão cobiçada da Câmara".

.... e essa ...
A alguns amigos o sargento Vieira disse ontem que não iria abdicar de ser vereador para Pedrinho Barreto assumir um mandato na Câmara. "Abdicar nada ou não tem acordo garotinho. Um dia, um mês eu assumo e ponto final". A raiva é porque o preferido Pedrinho comandou um movimento na campanha eleitoral de 2014 para que ele (Vieira) não fizesse parte da coligação.

Curtas
Os deputados federais Valadares Filho (PSB) e Adelson Barreto (PTB) almoçaram anteontem, no apartamento do socialista em Brasília. Conversaram sobre sucessão municipal em 2016.

O deputado federal Fábio Reis já tem agendado audiência com prefeitos na Funasa, em Brasília, para liberação de mais recursos para municípios de Sergipe.

O secretário de Planejamento e Finanças do PT, Márcio Macêdo, participou ontem, em Tomar do Geru, da entrega de um trator com implementos agrícolas, para o município. O veículo, que custou R$ 190 mil, é fruto de uma emenda de Márcio enquanto deputado federal e beneficiará os agricultores da região.
Resultado de enquete para prefeito de Pirambu, em 2016, realizada pelo Grupo "Pirambu Como eu Vejo" em cima dos dois nomes da oposição: Zé Nilton (1.141 votos) e João Faz (1.141votos). Para o grupo, isso é uma demonstração que a "oposição está forte no município e que chegou a hora das mudanças".

Na manhã de ontem o secretário municipal da Articulação Política e das Relações Institucionais, Juvêncio Oliveira, participou, ao lado do prefeito João Alves, da solenidade de assinatura da ordem de serviço para início imediato de dez obras que irão beneficiar diversos bairros da capital.