Embate na Assembleia

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 13/05/2015 às 00:38:00

Nos últimos quatro dias o assunto mais comentado no Estado é o problema da falta d´água, que afetou cerca de um milhão de pessoas na grande Aracaju com a ruptura da adutora do São Francisco no último sábado, após desabamento da ponte de Pedra Branca, em Laranjeiras.  
Milhares de pessoas estão sofrendo com o desabastecimento e o que mais se vê nas ruas são caminhões pipas levando água para condomínios, hospitais, postos de saúde e comunidades carentes. Além de vasilhames de água mineral serem transportados para residências dos mais favorecidos pela sorte e pessoas humildes carregando balde de água na cabeça na periferia.

É que o sistema de rodízio estabelecido pela Deso não está funcionando, com várias comunidades sem água desde sábado passado quando aconteceu o desabamento da ponte.
Ontem essa discussão chegou ao plenário da Assembleia Legislativa, com um embate entre o líder da oposição na Casa Capitão Samuel (PSL) e o líder do governo Francisco Gualberto (PT). O debate foi acirrado entre os dois deputados.

Tudo começou quando o líder da oposição responsabilizou o Governo do Estado pelo acidente, por não fazer a manutenção da ponte que há décadas está interditada para o tráfego de veículos. Ele disse que o governo foi "irresponsável" ao não fazer o devido reparo da ponte, que tem mais de 80 anos, e que por conta disso aproximadamente um milhão de pessoas sofre hoje com o desabastecimento de água.
Ao rebater o Capitão Samuel, o líder do governo afirmou que ele não tem autoridade técnica para apontar diagnóstico sobre a causa do acidente. Ressaltou que o momento não é de buscar culpados, mas soluções, e isso o governo vem fazendo desde o primeiro momento. Pediu para que o parlamentar deixasse de fazer a política do "oportunismo".

A discussão ficou acalorada quando o líder da oposição deixou de falar da água para dizer que no PT, partido do líder do governo, todo mundo roubava.
Gualberto rebateu dizendo: "Não dá para ver uma pessoa que é de um grupo cheio de corruptos, ir para a tribuna dar uma de moralista e criticar a corrupção. Se ele (Capitão Samuel) quiser trago aqui a lista de todos os corruptos do PSDB, inclusive, com condenações".
Lembrou que Samuel pertence ao grupo político de Aécio Neves, André Moura, Eduardo Amorim e até João Alves Filho. Finalizou dizendo: "Vá cuidar dos seus ladrões, dos seus corruptos Capitão Samuel, porque dos corruptos do PT a justiça já está cuidando".

Alfinetada 1
Do governador Jackson Barreto (PMDB) ao ser questionado ontem pela imprensa sobre as críticas ao governo nesse processo da queda da ponte, que acabou provocando a falta d`água na grande Aracaju: "Não vou discutir com a oposição, que não tem o que fazer além de criticar o governo nos restaurantes chiques".

Alfinetada 2
Disse ainda o governador, que ontem à noite foi a Nossa Senhora das Dores inaugurar obras: "Essa é a hora da oposição se somar ao governo para resolver o problema da água. É a hora da oposição fazer alguma coisa em benefício da população. Não é o momento para críticas".
Atrás do prejuízo
Jackson, que decretou ontem estado de emergência nos municípios de Laranjeiras e Maruim, revelou que irá a Brasília em busca de recursos para resolver o problema na adutora do São Francisco, que provocou o desabastecimento de água na grande Aracaju com o rompimento das tubulações.

Na comissão 1
Na manhã de hoje, na Assembleia Legislativa, a Comissão de Obras Públicas, Desenvolvimento Urbano, Transportes e Turismo vai se reunir a partir das 8h, na Sala de Comissões da Casa, para discutir a queda da ponte no povoado Pedra Branca e a falta d´água. O presidente da comissão, o deputado estadual Augusto Bezerra (DEM), vai convocar representantes do Dnit e Deso para explicar o desabamento da ponte.
Na comissão 2
A Comissão de Saúde, Higiene, Assistência e Previdência Social da Assembleia Legislativa, presidida pela deputada Silvia Fontes (PDT), também se reunirá na manhã de hoje. Na oportunidade, o secretário Zezinho Sobral (Saúde) fará um balanço das ações da sua pasta, como prevê o regimento interno.

Reaglutinação 1
O ex-deputado federal Márcio Macedo, novo secretário de Planejamento e Finanças do Diretório Nacional do PT, começou a trabalhar a reestruturação da sua corrente interna do partido, a Construindo um Novo Brasil. Nesse sentido, no final de semana se reuniu com lideranças de Sergipe, a exemplo do ex-presidente do partido, Silvio Santos, da ex-primeira dama Eliane Aquino, do vereador Dominguinhos (Estância), do coordenador nacional de Juventude do PT, Jefferson Lima, e do histórico Chico Buchinho.

Reaglutinação 2
No encontro, Márcio fez uma explanação sobre sua nova atividade como secretário nacional de Planejamento e Finanças do PT. Ele também discutiu o atual cenário político do Estado, colocando que era preciso preparar novas ações dentro do partido, acompanhar os municípios onde haverá disputa nas eleições de 2016 e preparar propostas para apresentar no Encontro Estadual do PT, que deve ocorrer no final do mês visando discutir as propostas que vão levar ao Encontro Nacional, a ser realizado no período de 11 a 13 de junho, em Salvador.

Primeiras medidas
Perto de completar um mês como tesoureiro nacional do PT, Márcio disse à coluna que ainda está tomando pé da situação do partido, mas já vem reduzindo custos, organizando a máquina, negociando dívidas e preparando uma grande campanha de arrecadação de doação voluntária junto a filiados e simpatizantes. "Estamos indo bem, fazendo os ajustes necessários", avalia.

Ponto de vista
Segundo Márcio, o que lhe deixou muito confortável nessa nova empreitada foi a resolução do PT proibindo o partido de receber doações de empresas. "Mas isso tem desdobramentos, pois a maior fonte de financiamento era de doações. O aumento significativo do fundo partidário e a campanha que vamos fazer para arrecadar recursos vão dar para reestruturar financeiramente e administrativamente o partido", acredita.   

Expectativa
Revela que a dificuldade que pode ter pela frente é no caso do PT não conseguir ganhar o recurso junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que suspendeu o fundo partidário da legenda por três meses e estabeleceu multa por contas de 2009. "Se conseguirmos ganhar ótimo. Caso contrário, isso vai dificultar mais um pouco. Estou confiante, as coisas estão indo bem", torce.

Mais contradições
Em mais um dia de depoimento no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sobre o escândalo das verbas de subvenções da Assembleia Legislativa, algumas testemunhas entraram em contradição. O procurador do Ministério Público Federal, Rômulo Almeida, chegou a pedir investigação da presidente da Associação Comunitária Nossa Senhora da Conceição no Povoado Cobra D'Água, em Pacatuba, por falso testemunho. A entidade recebeu R$ 182 mil em subvenções. Ela é a sexta testemunha a virar réu.

Fim da 1ª etapa
O juiz eleitoral Fernando Escrivani disse ontem que conclui amanhã as oitivas das testemunhas de acusação no processo das subvenções, encerrando assim essa primeira etapa dentro do prazo. A partir daí começará a ouvir as testemunhas de defesa.

Pendência
Revelou que nessa primeira etapa ficará faltando apenas ouvir o depoimento das testemunhas que apresentaram atestado médico ou não foram localizadas. Informou Escrivani que já no dia 21 deste mês será ouvido, em sua residência, o vice-prefeito de Riachão do Dantas, William Fontes, que apresentou atestado médico alegando problema renal crônico. As demais serão trazidas para prestar depoimento pela Polícia Federal, que já foi acionada nesse sentido.

Na sabatina 1
O senador Eduardo Amorim (PSC) foi um dos 25 senadores designados para sabatinar ontem na Comissão de Constituição e Justiça o Luiz Edson Fachin, indicado pela presidente Dilma Rousseff para o Supremo Tribunal Federal (STF). O parlamentar sergipano questionou Fachin sobre como ele pretende promover o ativismo judicial sem comprometer a segurança jurídica e de que maneira ele pretende promover tal ativismo judicial sem desrespeitar o Poder Legislativo nem invadir a sua legítima e precípua função de legislar?

Na sabatina 2
Em resposta, Fachin disse que os limites que ele defende, numa dimensão prospectiva, é uma interpretação atualizadora do texto constitucional, mas não legislativa no sentido de "inovadora". "O poder judiciário não emana a lei. Está o Judiciário autorizado a suprir esse vazio legislativo? À regra, a resposta é negativa. É preciso ter um limite", explicou.

Veja essa...
Da doleira Nelma Kodama, ontem, durante depoimento à CPI da Petrobras, referindo-se às investigações feitas pela Operação Lava Jato a respeito de desvio de dinheiro e pagamento de propina de empreiteiras contratadas pela estatal: "O Brasil é movido pela corrupção. Quando parou a corrupção [na Petrobras], o Brasil parou".

Curtas
O relator da proposta de reforma política em discussão na Câmara, Marcelo Castro (PMDB/PI), apresentou ontem parecer em que defende o fim da reeleição, a mudança do atual sistema eleitoral para o chamado distritão e, com algumas restrições, a manutenção do financiamento privado de partidos e, indiretamente, dos candidatos.

O parecer também estabelece a unificação de todas as eleições em 2018. Prefeitos e vereadores eleitos em 2016 teriam mandato-tampão de apenas dois anos. A partir de 2018, o mandato do presidente, governadores, senadores, deputados, prefeitos e vereadores seria de cinco anos
O deputado federal Laércio Oliveira (SD) destinou ao município de São Francisco uma emenda no valor de R$ 250 mil para a compra de um caminhão pipa com capacidade para transportar 20 mil m3 de água.

A gestão do prefeito Élio Martins (PSC/Pirambu) comemora o fato de o governo municipal ter investido mais de R$ 5,5 milhões na saúde, tanto na compra de máquinas e equipamentos quanto na reforma dos postos de Saúde e a ampliação da rede de especialidades medicas.

A prefeita Rivanda Farias (PSB/São Cristóvão) inaugura hoje, às 17h, no município, a Escola Municipal Tia Marinete.