Perdendo espaço

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/04/2015 às 01:28:00

Em 2006, quando conquistou seu primeiro mandato eletivo, o médico Eduardo Amorim (PSC) foi uma grande revelação na política ao ter sido o deputado federal mais votado de Sergipe com 115.466. Ele superou inclusive, em votos, os veteranos da política sergipana: Jackson Barreto (PMDB), que conquistou 100.366 votos, e Albano Franco (PSDB), que obteve 97.019 votos nas urnas.
Embalado com a surpreendente votação para a Câmara dos Deputados, em 2010 Eduardo Amorim foi eleito senador de Sergipe. Ele e o seu grupo político chegaram ao êxtase pelo fato dele ter obtido nas urnas mais votos que o governador reeleito Marcelo Déda.
Déda conquistou 537.223 votos e Amorim, eleito pela sua chapa, obteve 625.959 votos. A análise do grupo liderado pelos irmãos Amorim é que, diante deste placar e embalado pelas duas vitórias acachapantes nas duas únicas eleições que participou na vida, Eduardo seria o próximo governador de Sergipe.
Essas duas significativas vitórias tiveram tudo a ver com a força do bloco político liderado por Edivan Amorim, irmão de Eduardo. Os dois irmãos comandavam um exército de partidos, que conseguiu fazer a maior bancada na Assembleia Legislativa, deixando refém o então governador Déda, quando decidiu romper politicamente com o bloco após a eleição antecipada em um ano da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa.
A força desse bloco liderado tinha muito a ver com o cumprimento de todos os acordos políticos com candidatos e lideranças políticas. A palavra empenhada dos irmãos Amorim valia ouro, pois era a certeza de que tudo seria devidamente honrado.
Em 2014, quando enfrentou pela primeira vez um adversário, o "fenômeno" Eduardo Amorim perdeu as eleições para o Governo do Estado para Jackson Barreto (PMDB), ainda no primeiro turno, com mais de 120 mil votos.
Só aí caiu a ficha. Eles entenderam que Eduardo só foi bem votado quando não teve adversários diretos e que em 2010 só obteve mais votos que o governador porque havia duas vagas de senador, sendo ele votado pelos aliados de Marcelo Déda, que encabeçava a sua chapa, e do adversário, o então candidato a governador João Alves Filho (DEM). Naquele pleito, Amorim foi o primeiro senador do bloco de Déda e o segundo do bloco de João Alves.
Essa primeira derrota nas urnas abalou emocionalmente tanto Eduardo quanto o seu irmão, o todo poderoso Edivan Amorim. O Edivan se afastou da política, está mais em Minas Gerais cuidando das suas cabeças de gado e fazendas, e passeando na Europa. Eduardo permanece em Sergipe, até porque tem mais três anos e meio de mandato como senador, mas um pouco distante do seu bloco político. Com a derrota e sem o irmão por perto, parece que perdeu o alicerce, o chão.
Trocando em miúdos, os Amorim deixaram os aliados órfãos de um líder após as eleições de 2014. Sem falar que não honraram vários compromissos de campanha, perdendo a maior arma que tinham: a palavra. Como o grande aliado deles, o deputado federal André Moura (PSC) sempre estava por perto, atendendo a todos e à disposição deles em Sergipe e em Brasília.
Sem falar que André hoje tem acesso direto ao presidente da Câmara Federal, deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ), e aos ministérios, mesmo sendo adversário do governo federal. Além de estar se tornando um político influente em Brasília, por participar de comissões importantes como relator ou presidente.
Isso faz com que prefeitos o procurem em Brasília, na expectativa que seus pleitos sejam atendidos. Por tudo isso, André hoje deixou de ser liderado para liderar os aliados do bloco.
Com isso, o deputado vai se fortalecendo como a maior liderança da oposição em Sergipe e se cacifando para disputar o governo do Estado em 2018.

Novo cenário
Segundo um deputado estadual eleito em 2014 pelo bloco político do então candidato a governador Eduardo Amorim (PSC), apenas a deputada Maria Mendonça (PP) segue o senador. Os demais estão hoje mais próximos do deputado federal André Moura (PSC), já o vendo como líder e o candidato do grupo a governador em 2018. Revela à coluna que a grande maioria dos prefeitos também.

Ponto de vista
Ainda de acordo com o parlamentar, Eduardo Amorim, que foi convidado pelo senador tucano Aécio Neves para se filiar ao PSDB pode até ingressar na legenda, mas vai pensar duas vezes. "Ele sabe que a sua ida para o PSDB o deixa muito próximo de ter que apoiar a reeleição de João Alves em Aracaju. Isso criará problema para o PSC e demais partidos aliados, pois a grande maioria dos deputados e lideranças não quer apoiar mais o prefeito. O deputado estadual Capitão Samuel, inclusive, já declarou isso publicamente. Com isso, o grupo pode não acompanhar o senador".

Ninho tucano
De Eduardo Amorim ao ser questionado ontem, no programa de Gilmar Carvalho, se vai aceitar o convite para se filiar ao PSDB: "Vou conversar com todos, com lideranças nacionais do PSC para tomar a decisão de ida ou não para o PSDB. O convite é honroso, mas preciso avaliar e medir as consequências de toda esta mudança".

O que acha
Do senador ao ser indagado se veio a se isolar do seu agrupamento político após derrota nas urnas: "Não há isolamento. Acabou as eleições, desmontei o palanque".

Opinião pessoal
Eduardo Amorim e André Moura vão transferir o título de eleitor para Aracaju. Nas entrelinhas, isso quer dizer que um dos dois pode ser candidato a prefeito de Aracaju em 2016. A coluna não acredita nisso, pois o projeto deles é para 2018. Eles não vão queimar cartucho antes.

Com aliados
Ontem, após uma conversa com os advogados públicos da AGU, pelo apoio da PEC 443/09, que tem como justificativa a garantia de melhores condições institucionais e salariais para que os membros da advocacia pública exerçam suas funções em favor da sociedade, o deputado federal André Moura (PSC) almoçou com deputados estaduais e várias lideranças do seu bloco político.

Sucessão 1
O deputado federal Jony Marcos (PRB) já começa a se movimentar politicamente em Nossa Senhora do Socorro, onde pretende ser candidato a prefeito em 2016. No domingo passado, na companhia do ex-vereador Alves, secretário municipal de Articulação Política, visitou a feira livre, o shopping e alguns conjuntos. Ficou satisfeito com a boa receptividade.

Sucessão 2
No mesmo domingo, o também pré-candidato a prefeito de Socorro, o deputado estadual Padre Inaldo (PCdoB), também se movimentou politicamente. Com algumas lideranças visitou algumas comunidades no município.   

Fórum
Prefeitos e secretários participam nessa quarta-feira do Fórum Estadual de Gestores Municipais para o Fomento das Atividades de Desenvolvimento Econômico de Sergipe. O evento será aberto às 8h30, no auditório da Codise, pelo presidente da Companhia, o ex-deputado federal Sérgio Reis, que falará sobre "Codise e as perspectivas para o Desenvolvimento Econômico de Sergipe".

Visita
O governador Jackson Barreto (PMDB) visita hoje, às 8h, as obras da avenida Santa Gleide, que fará uma ligação direta da capital com a BR-235, por meio das avenidas Maranhão e Santa Gleide, criando uma nova via de acesso a Aracaju. O investimento é de R$ 19,8 milhões.

Dia "D"
Entra na pauta de hoje do pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) o pedido de registro da candidatura do ex-prefeito de Itabaiana, Luciano Bispo (PMDB). Bispo foi eleito deputado estadual em 2014 e é o atual  presidente da Assembleia Legislativa.

Na expectativa
Luciano Bispo está tranquilo com relação ao julgamento. Isso porque o TRE já tinha deferido a sua candidatura em 2014, tendo o Ministério Público Eleitoral e a coligação de Eduardo Amorim recorrido ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que não julgou o mérito devolvendo o processo para Sergipe. Seus advogados vão apresentar argumentações jurídicas de que não é ficha suja.

Subvenções
Recomeça hoje, pelo TRE, as oitivas de testemunhas indicadas pela Procuradoria Regional Eleitoral no escândalo das verbas de subvenções sociais da Assembleia Legislativa, com as testemunhas ligadas aos deputados estaduais Venâncio Fonseca (PP) e Maria Mendonça (PP), e aos ex-deputados Arnaldo Bispo (DEM) e Mundinho da Comase (PSL). Esta será a única sessão de oitivas da semana e os depoimentos serão retomados em 05 de maio.

Veja essa...
Ontem o aliado do prefeito João Alves Filho (DEM), o vereador Bigode do Santa Maria (PMDB), voltou a fazer duras críticas a administração municipal. Na tribuna da Câmara, criticou o abandono do Bairro Barroso, pela Prefeitura de Aracaju, ao dizer que falta naquela comunidade infraestrutura básica, linhas de ônibus, posto médico e que a creche só funciona das 6h às 11h.

Curtas
O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) irá liderar uma campanha pela aprovação da PEC do jornalista, na Câmara dos Deputados. Será a partir da sua aprovação pelo Senado.

Já está na Câmara Municipal projeto de lei dos Conselhos Tutelares. A discussão é se os seus membros serão eleitos ou serão aprovados em concurso público.

A titular desta coluna recebeu ontem troféu de melhor jornalista política de Sergipe em 2014, por indicação da Federação Estadual das Entidades Comunitárias de Sergipe (FECS), que tem como presidente Adriana Oliveira. Foi durante solenidade no Teatro Atheneu.

Recebeu troféu de personalidade política do ano o governador Jackson Barreto, que na solenidade foi representado pelo vice-governador Belivaldo Chagas (PSB).

Também foram homenageados na categoria melhor Senador - Eduardo Amorim (PSC); melhor deputado federal - André Moura (PSC); melhor deputado estadual Gilson Andrade (PTC), melhor vereador Lucas Aribé (PSB) e melhor prefeito Valmir de Francisquinho (PSC).