Faca de dois gumes

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 21/04/2015 às 00:35:00

O ex-deputado federal Márcio Macedo viajou ontem cedo para São Paulo visando assumir a Secretaria de Finanças do PT, cargo que foi designado para ele na última sexta-feira, por unanimidade, pela Executiva Nacional do partido, que se reuniu por três dias para discutir a situação da legenda com a prisão do tesoureiro João Vaccari Neto pela Polícia Federal.
Márcio vai tomar pé da situação financeira do PT, que vive um momento delicado com a prisão de Vaccari na semana passada, em meio à 12ª fase da Operação Lava Jato, que investiga suposto esquema de pagamento de propina com recurso de contratos assinados pela Petrobras. Ele é suspeito de ter se beneficiado do esquema, mas nega as acusações.
O cenário nacional não é bom para o Partido dos Trabalhadores nesse momento que a presidente Dilma Rousseff enfrenta uma crise política grande, com o povo indo às ruas protestar contra a corrupção no país e até pedindo o seu impeachment.

É bem no meio do furacão, com a grande mídia nacional e determinados segmentos da sociedade contra o PT, que Márcio assume a tesouraria do partido. Assim que seu nome foi confirmado e anunciado como o sucessor de Vaccari, que é réu em processo na Justiça Federal do Paraná que investiga as denúncias da Lava Jato, que MM virou notícia nacional e já começou a ter sua vida esmiuçada.
Já para querer desgastá-lo, só porque é do PT, ainda na sexta-feira passada o Jornal Estadão divulgou reportagem em que afirma que o sergipano teria recebido, durante as eleições de 2014, uma doação de R$ 95 mil da empreiteira Andrade Gutierrez - que é alvo de investigação na Operação Lava Jato - repassada pelo Diretório Nacional, cujo tesoureiro era Vacarri.

Nada demais, pois no Brasil é praxe políticos receberem financiamento para campanha eleitoral de empresas privadas. Mas, por conta disso, a grande imprensa começou a querer desgastar Márcio logo após o anúncio do seu nome para tesoureiro do PT. Ontem mesmo, a Folha de São Paulo voltou a alfinetar o ex-deputado.
Com o titulo "Novo tesoureiro defendeu compra de Pasadena", o jornal noticia que MM já defendeu publicamente a compra da refinaria de Pasadena e as operações da Petrobras que deram início à CPI da Lava Jato. Noticia que ele também assinou, em junho do ano passado, um manifesto contra a postura do então presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, no julgamento do mensalão.

A matéria diz ainda que durante o julgamento do mensalão, Macêdo também foi às ruas em defesa do ex-presidente Lula e usou a tribuna, ao longo de seu mandato como deputado federal, de 2011 a 2014, para apoiá-lo. E qual o pecado de MM em defender o governo, o seu partido e os companheiros?
Assumir a tesouraria do PT nesse momento de crise do partido, quando a palavra de ordem é aniquilar o Partido dos Trabalhadores, é uma faca de dois gumes para Márcio. Ele tanto pode, com seu trabalho ético e a sua biografia, mudar a imagem desgastada da legenda e se tornar um nome nacional, ou se liquidar de vez junto com o PT.
Vamos aguardar o desenrolar dos acontecimentos ...

Honra
Em conversa com a coluna, o novo tesoureiro nacional do Partido dos Trabalhadores, Márcio Macedo, disse que se sente honrado do Diretório Nacional ter aprovado por unanimidade o seu nome para secretário financeiro. "Compreendo que é um desafio enorme porque o ambiente político no país está muito acirrado. Em relação ao PT o clima é tenso", avalia.
Dentro da lei
Segundo Márcio, ele chega à secretaria financeira com humildade, com a disposição de trabalhar e agir no "rigor" da legislação. "Não tem conciliação. Tenho meu estilo, vou trabalhar dentro da legalidade e respeitando a legislação com toda a decência que sempre trabalhei nos cargos públicos. Não farei nada para manchar minha biografia, minha história", garante.
Tranquilidade
De acordo com MM, o que o conforta bastante é que o Diretório Nacional baixou resolução suspendendo financiamento empresarial ao partido. "O PT aceitar doações de empresas privadas para o funcionamento do partido não é errado, mas acho que nesse momento o PT vai dar exemplo e ter rigor nisso".

Sem fugir da raia
De Márcio ao ser questionado se não teme um desgaste político de assumir a tesouraria do PT em meio a uma crise política do partido, com dois ex-tesoureiros presos por conta do Mensalão e Petrolão: "Me preocupo com esse momento de tensão política, mas sou do PT e um homem de partido. Como no momento mais difícil me convocam e eu não vou?", questionou, enfatizando: "Não podia me acovardar. Missão é missão. Só tenho medo das armadilhas. Que Deus me livre delas".

Meta
Finaliza Márcio: "Assumir a tesouraria do PT é como uma missão para reestruturar a política de finanças e o planejamento do partido. É uma tarefa política de oxigenar o partido na Executiva Nacional. Farei isso dentro do meu estilo. Quando terminar essa missão volto para casa e para a família".

Outro caminho
Marcio Macedo estava prestes a assumir a Secretaria Nacional de Assuntos Institucionais a convite da ministra do Meio Ambiente Izabela Teixeira, só faltando a presidente Dilma Rousseff assinar o decreto de nomeação. A secretaria trata de atividades da política na área ambiental junto a ONGS, Congresso Nacional, Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), entre outros.

Zig-zag
Ontem, em uma roda política, se comentou a possibilidade de Márcio Macedo se sair bem como tesoureiro do PT e se fortalecer politicamente a ponto de retomar o comando do partido no Estado.

Ato criminoso
A casa da fazenda do prefeito de Moita Bonita, Marcos Mota, foi incendiada na madrugada do último domingo. Os criminosos ainda não foram identificados pela polícia, o que não será fácil por não haver testemunhas, uma vez que não tinha ninguém na propriedade.

Folha de pessoal
Desde ontem é grande a expectativa dos servidores públicos do Estado com relação ao repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE), feito ontem. É que segundo o próprio governador Jackson Barreto (PMDB) o valor repassado no dia 20 é que vai nortear se o salário deste mês será pago integralmente dentro do mês ou em duas parcelas, mediante o fim da antecipação dos royalties em março passado.

Terceirização 1
O Plenário da Câmara dos Deputados retoma nesta quarta-feira, 22, a votação do projeto de lei que regulamenta a terceirização (PL 4330/04). Os deputados já aprovaram o texto-base da proposta, mas precisam concluir a análise dos destaques e das emendas apresentados ao texto.

Terceirização 2
As duas últimas sessões em que a matéria foi debatida foram marcadas pela apresentação de várias emendas propondo mudanças mais profundas no texto do relator, deputado Arthur Oliveira Maia (SD-BA). Protestos conduzidos pelas centrais sindicais também ocorreram em várias capitais do País contra certos pontos do projeto, como a permissão de terceirização das atividades-fim de uma empresa. Os sindicatos temem a precarização da relação trabalhista.

Veja essa...
Segundo a revista Época, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) voou em dois helicópteros do governo de Minas Gerais por cinco vezes para se deslocar em Belo Horizonte quando já não era mais governador. Ele também pegou um avião oficial para viajar da capital mineira até Brasília. As viagens ocorreram logo após ele deixar o governo estadual e prosseguiram até 2012, quando estava em seu segundo ano de mandato no Senado.

Curtas
O ex-deputado Márcio Macedo se reuniu ontem, em São Paulo, na sede do PT, com o presidente da legenda, Rui Falcão. Começou a tomar pé da situação financeira da legenda, que não é das melhores, principalmente por conta de uma dívida de R$ 75 milhões contraída nas eleições de 2014.

Na manhã dessa quarta-feira, durante café da manhã, o secretário da Segurança Pública, Mendonça Prado, irá recepcionar na sede da SSP os 34 aprovados no 1º concurso público da história das carreiras da perícia sergipana, que irão tomar posse.
A comissão externa que acompanha a transposição do rio São Francisco ouve nesta quarta-feira o professor adjunto do departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental da Universidade Federal do Ceará (UFC), Francisco de Assis Filho, sobre a segurança hídrica no contexto do projeto.

Com o feriado hoje do Dia de Tiradentes ontem foi um dia morno na política. Não teve sessão na Câmara Municipal, na Assembleia Legislativa nem no Congresso Nacional. Tem muita gente viajando no feriadão.