Acaba a lua de mel

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 18/04/2015 às 10:50:00

Em 2012 o ex-governador João Alves Filho (DEM) foi eleito prefeito de Aracaju com o apoio total da Câmara de Dirigentes Lojista (CDL). O então presidente da entidade, Samuel Schuster, nunca escondeu que votava com João Alves junto com outros lojistas e ex-dirigentes da CDL, como Gilson Figueiredo.

Essa lua de mel dos lojistas com João Alves está acabando. Primeiro porque começa uma insatisfação com a gestão municipal pela falta de vagas no centro comercial de Aracaju. Durante a campanha, o então candidato JAF prometeu resolver esse problema, que tanto prejudica os comerciantes pelo fato dos clientes terem dificuldade de estacionamento e não quererem pagar caro a hora pelo estacionamento privado.

João Alves apresentou como proposta do governo, em reunião na CDL, a construção de um estacionamento municipal em balanço no rio Sergipe, ou seja, sem aterrar nenhuma parte do rio. O espaço estaria compreendido entre o Mercado Municipal e o Cotinguiba. O novo espaço para estacionamento seria também multiuso.
Explicou aos lojistas que durante a semana, pelo dia, essa área seria destinada para estacionar os carros. Nesse local também circularia um ônibus estilo Jardineira onde as pessoas que venham a estacionar o carro mais distante, possam utilizar esse transporte gratuitamente. Ressaltou que estava projetado também para que essa área à noite fosse utilizada para práticas esportivas e nos finais de semana para a parte cultural, inclusive com comercialização de produtos.

Outro anúncio importante feito por João Alves foi a construção de um edifício garagem ao lado do Mercado Municipal. Chegou a dizer que ele seria um espaço para abrigar também o camelódromo na parte térrea, para mais de 200 camelôs de forma organizada. Ressaltou que esse estacionamento, juntamente com o do rio Sergipe, resolveria o problema de estacionamento no centro da capital sergipana.

Passado mais da metade do seu mandato, o prefeito nada fez para resolver o problema da falta de estacionamento no centro, uma vez que o seu projeto não saiu do papel até hoje. Sequer, reativou os parquímetros como pleitearam os lojistas.

Agora, a queixa dos lojistas é com o ponto facultativo que João Alves decretou na próxima segunda-feira, véspera do feriado de 21 de abril, Dia de Tiradentes. A CDL, inclusive, saiu ontem com nota condenando a decretação do ponto facultativo.

Segundo o atual presidente da CDL, Brenno Barreto, não há motivos que justifiquem a decretação do ponto, já que todos os outros setores da sociedade civil - comércio, bancos, bares, shoppings - estarão trabalhando normalmente, desenvolvendo suas atividades. Assegura que essa atitude prejudica o comércio sergipano.
Com essa insatisfação dos lojistas vai aumentando o grau de insatisfação da comunidade aracajuana com o prefeito João Alves. Muitos avaliam que ele ainda não disse para que assumiu a Prefeitura de Aracaju.