Senado atrai mais

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 11/04/2015 às 00:17:00

A pouco menos de quatro anos para as eleições de 2018 o Estado de Sergipe já tem pelo menos seis nomes competitivos com pretensão de disputar o Senado, quando haverá duas vagas em cada um dos estados do país.
Pelo lado da base aliada do governador Jackson Barreto (PMDB) são quatro nomes: o deputado federal Fábio Mitidieri (PDT), o prefeito Heleno Silva (PRB/Canindé do São Francisco) e o senador Antonio Carlos Valadares, que vai para a reeleição. Não se pode desconsiderar a possibilidade de Jackson não se aposentar politicamente e vir a disputar o Senado, por desejo dos aliados.
Pelo lado da oposição, mais especificamente a liderada pelos irmãos Amorim, são dois nomes: o do senador Eduardo Amorim (PSC), que pode disputar a reeleição, ou o deputado federal André Moura (PSC). Desses dois, um será candidato ao Senado e outro ao governo. Por esse grupo ainda não tem um nome competitivo para a segunda vaga para o Senado.

No grupo político do prefeito João Alves Filho (DEM) também não surgiu um nome competitivo, até porque a sua esposa, a senadora Maria do Carmo Alves (DEM), acabou de ser eleita senadora para um mandato de oito anos. E o seu genro Mendonça Prado, ainda DEM, integra hoje o bloco político do governador Jackson Barreto, sendo, inclusive, o seu secretário de Segurança Pública.
O deputado federal Laércio Oliveira (SD) também tem a pretensão de disputar o Senado em 2018. Ele tanto pode estar na chapa majoritária de Eduardo Amorim quanto na de João Alves.
O fato de Sergipe ter hoje várias lideranças políticas querendo concorrer às duas vagas para o Senado em 2018 é uma demonstração que o governo do Estado não é mais tão atrativo, mediante a crise econômica, e que melhor que o Senado somente o céu ...    
Alguém duvida?

João Alves
Em conversa ontem com a coluna o governador Jackson Barreto (PMDB) procurou desfazer qualquer especulação de que poderá apoiar a reeleição do prefeito João Alves Filho (DEM) ou fazer qualquer outro tipo de acordo com ele. "Não tenho nenhum entendimento político com João Alves sobre sucessão. Estou focado exclusivamente na administração. Só discutirei eleições 2016 no próximo ano e dentro do grupo onde estou", afirmou, enfatizando que está fora de cogitação uma aliança com João Alves.

Belivaldo
Ao ser questionado se em 2018 pode apoiar o seu vice Belivaldo Chagas (PSB) para governador, Jackson afirmou: "Isso é uma maluquice. Se não estou discutindo 2016 quanto mais 2018. O Estado está em dificuldade e o nosso desafio é encontrar a solução para o problema. O povo não quer saber de eleição, de política, mas de solução para o problema. Tenho que pensar em avançar na saúde, na educação, melhorar o Ideb, o analfabetismo. Ontem (quinta-feira) tive reunião com vários secretários discutindo projetos".
Senado 1
O governador reafirmou à coluna que não será candidato ao Senado em 2018, por realmente querer se aposentar da política como governador de Sergipe. "É preciso dar espaço para novas gerações. Vou encerrar mesmo minha carreira política ao final do meu mandato", garante.

Senado 2
Ao ser questionado sobre o fato dos aliados externarem o desejo de vê-lo disputando o Senado, Jackson declarou: "É problema pessoal de cada um. Não sou e não serei candidato algum. Peço a Deus que me dê condições e força para melhorar a vida das pessoas, trabalhar e honrar compromisso com o povo. Todos tem livre arbítrio, mas não envolvam meu nome".
   
Gama
Jackson afirmou ontem que não está chateado com o secretário João Augusto Gama (Planejamento, Orçamento e Gestão) por conta da sua viagem aos Estados Unidos, nesse momento de dificuldade econômica e de soluções para o fechamento da folha de pessoal do servidor público agora em abril, quando não tem mais recursos da antecipação dos royalties. Revela que sabia da sua ida ao exterior. "Isso é alguém querendo criar mal estar entre nós. É o fogo amigo", acredita.

Salário
Ao ser questionado se o governo pode atrasar o salário dos servidores neste mês de abril, com o fim da antecipação dos royalties, Jackson Barreto disse que está analisando vários cenários. "Vamos aguardar o repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE) para termos uma definição".

Cirurgia
Como a coluna já tinha noticiado há cerca de 10 dias, o governador vai se licenciar para fazer uma cirurgia no pé para retirada de um osso no tendão, que o incomoda muito desde o ano passado. No momento toma remédio e na próxima semana fará exames para a cirurgia, que deve acontecer em um hospital de Aracaju, no início do próximo mês. O vice Belivaldo Chagas (PSB) assumirá nesse período de recuperação pós-cirurgia.

Justificativa
Ontem, em conversa com a coluna Belivaldo Chagas disse que "não tem cabimento" as especulações de que é o candidato de Jackson Barreto ao governo em 2018, ainda mais pelo PMDB. "Não estamos discutindo 2016, quanto mais 2018. O momento é de crise. Eu tenho atuado no governo como secretário chefe da Casa Civil e não como governador. Essa é uma pasta muita próxima do governo como a da Fazenda e do Planejamento. Tenho que acompanhar de perto as ações".

Não é o momento
Segundo o vice-governador, ele não tem projeto de candidatura para governador em 2018. "Isso atrapalha o governo e me atrapalha. Cria problema com o PSB", afirma.

Sem crise
"Não estou em fase de rompimento com o PSB. Só não fiquei à vontade de pular do barco no segundo turno das eleições de 2014. Converso diariamente com Valadares Filho e de vez em quando com o senador Valadares", garante Belivaldo. Para ele, o momento é de ajudar o governo a sair da crise, focar na administração. "Qual o nome que vai dar certo para disputar as eleições de 2018 se o governo não estiver bem", indaga o vice-governador.  

Sem vínculos
A Secom e a Secretaria de Estado da Saúde esclareceram ontem que o presidente da Fundação Hospitalar de Saúde, Hans Lobo, não tem qualquer vínculo político ou pessoal com o ex-deputado federal Rogério Carvalho. "Todas as ações adotadas pela direção da Fundação são tomadas em comum acordo com o secretário da Saúde, José Sobral", explicaram.

Convênio
Nos próximos dias, a Câmara Municipal de Aracaju e Assembleia Legislativa de Sergipe, através dos seus respectivos presidentes Vinicius Porto e Luciano Bispo, assinam convênio para o compartilhamento de ações e responsabilidade para a implantação do canal da TV Aberta Digital. A emissora terá quatro canais compartilhados: TV Senado, TV Câmara, TV Alese e TV Câmara Municipal de Aracaju. Desde o ano passado, Vinicius tem participado de algumas reuniões para discutir a viabilização da abertura do canal legislativo.

 Licitação
Vinicius destacou a iniciativa do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Luciano Bispo que, em breve, abrirá processo licitatório para a compra dos transmissores. Essa aquisição deveria ser feita pelo Senado, mas Luciano pediu e foi autorizado a agilizar o processo.

Sem acordo 1
Ontem, em nota nas redes sociais o prefeito Fábio Henrique diz que tem acompanhado informações sobre a formação de um "blocão" de partidos para disputar as eleições de 2016 e nega um acordo do PDT com PSB e PRB para 2016 e 2018. "O que realmente tem ocorrido: tenho conversado com vários políticos de outros partidos sobre eleições, fato absolutamente natural e salutar na vida pública, porém nunca tratei sobre formação de blocão, fato desconhecido para o PDT".

Sem acordo 2
Sobre São Cristóvão, quando se fala que o seu irmão Adilson Júnior seria o candidato a prefeito, Fábio disse que estava se reunindo com o seu grupo no município. "Aliás, um grupo forte que fez com que a deputada Silvia fosse dos deputados eleitos a mais votada, fato que dá ao nosso agrupamento político daquele cidade a responsabilidade para discussão", afirmou.

Sem acordo 3
Disse ainda o prefeito sobre Socorro, quando se fala no nome do deputado federal Jony Marcos para a prefeitura: "Em Nossa Senhora do Socorro o candidato do nosso grupo sairá de uma ampla discussão com os companheiros leais e corretos que temos naquela cidade. Na hora certa e no momento oportuno faremos essa discussão. O resto, em relação ao PDT, é especulação".

Registro
Foi o líder do PRB em Sergipe, o prefeito Heleno Silva (Canindé do São Francisco) quem disse à coluna que estava sendo formado um bloco dos partidos PRB, PSB e PDT visando às eleições de 2016 e 2018, que passava pelas candidaturas de Adilson Júnior a prefeito de São Cristóvão, Jony Marcos a prefeito de Socorro e Valadares Filho a prefeito de Aracaju, e por candidaturas destes três partidos na majoritária.

De volta às ruas    
Nesse domingo, 12 de abril, os sergipanos e o povo brasileiro voltam às ruas para um novo protesto contra a presidente Dilma Rousseff. Esse manifesto acontece menos de 30 dias depois do realizado em 15 de março e que levou para as ruas milhares de brasileiros indignados com a corrupção no país. A dúvida é se esse novo ato reunirá mais gente que o anterior.

Veja essa...
A presidente nacional do PTB, deputada Cristiane Brasil (RJ), diz que continuará as negociações para a fusão do Partido Trabalhista Brasileiro com o DEM, mesmo com o posicionamento contrário da bancada petebista no Congresso, que rejeitou na madrugada da quarta-feira a união imediata das duas siglas. Cristiane trabalha para que as duas legendas se unifiquem até outubro, prazo final para que o novo partido possa disputar as eleições municipais de 2016. Acontecendo isso, o deputado federal por Sergipe, Adelson Barreto, terá problemas, pois deverá perder o comando da legenda para o prefeito João Alves (DEM).

Curtas
Santa Rosa de Lima parou ontem à tarde para as comemorações do centenário da professora Neuzice Barreto, mãe do governador Jackson Barreto.

A grande maioria das lideranças políticas do Estado marcou presença na inauguração do busto da mãe do governador e da missa em comemoração ao centenário. A cidade ficou pequena pra tanta gente.  

Neste sábado acontece em Lagarto mais um encontro regional do PPS visando o fortalecimento do partido para as eleições de 2016. O primeiro aconteceu na semana passada, em Estância.
Na próxima segunda-feira os prefeitos sergipanos vão se reunir, às 9h, em um hotel da Orla de Aracaju, para debater sobre as propostas que serão levadas ao Congresso Nacional referentes à criação do Novo Pacto Federativo.

O encontro, organizado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e a Federação dos Municípios do Estado de Sergipe (Fames), faz parte do projeto Câmara Itinerante, que rodará todos os estados brasileiros e vai auxiliar os trabalhos da Comissão Especial criada para discutir o tema, formando uma proposta unificada para apresentar aos deputados.