Novo bloco

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/04/2015 às 00:19:00

Três partidos da base aliada do governador Jackson Barreto (PMDB) estão se articulando para as eleições 2016 e 2018: o PRB, PSB e o PDT. O projeto consiste na união destas legendas para que possam eleger prefeitos nos municípios da grande Aracaju no próximo ano e integrarem a chapa majoritária no pleito de 2018.
As lideranças destes três partidos estão focadas nas eleições de 2016 em Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, São Cristóvão e Barra dos Coqueiros. Para a capital, o nome para prefeito do bloco é o do deputado federal Valadares Filho (PSB); para Socorro, o pré-candidato é o deputado federal Jony Marcos (PRB); e para São Cristóvão o nome é o do secretário de Turismo, Adilson Junior (PDT), irmão do prefeito Fábio Henrique (PDT).

Os líderes em Sergipe do PRB, PDT e PSB querem incluir no projeto o SD (Solidariedade), com a candidatura do ex-deputado estadual Gilmar Carvalho a prefeito da Barra dos Coqueiros. Várias reuniões já aconteceram com essa finalidade.
Em 2018, essas três legendas querem participar da chapa majoritária. São quatro vagas: governador, vice-governador e dois senadores. Ai é que vai começar o problema na base aliada do governador, pois com a união do PSB, PDT e PRB só vai sobrar uma vaga para os demais partidos da base aliada do governo.
O PMDB do governador Jackson Barreto vai pleitear uma vaga, assim como o PSD do deputado federal Fábio Mitidieri e o PT do ex-deputado federal Rogério Carvalho. Fábio, inclusive, já declarou à coluna que tem pretensão de concorrer ao Senado junto com Jackson Barreto, que já declarou que vai se aposentar. Não é segredo de ninguém que Rogério deseja disputar o governo.

Também é notório que o prefeito de Canindé do São Francisco, o ex-deputado federal Heleno Silva, e o prefeito de Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique (PDT), sonham com o Senado. E que o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) não deseja se aposentar politicamente, mas disputar a reeleição pela terceira vez.

Com isso, pelo lado do governo tem pelo menos quatro pretensos candidatos ao Senado: Valadares, Fábio Mitidieri, Heleno Silva e Fábio Henrique, sendo ainda uma incógnita de JB se aposentará mesmo, pois esse não é o desejo de vários aliados. Heleno e Fábio Henrique dão sinais que seus nomes estão à disposição para concorrer ao governo ou a vice.
Trocando em miúdos, o bloco do governador tem hoje seis nomes de lideranças de seis partidos com grande densidade eleitoral e pleiteando as quatro vagas da majoritária.
Nesse momento o PRB, PSB e PDT estão na vantagem pela unidade do bloco e pelo fato de Jackson Barreto não disputar mais a reeleição, por já ter sido reeleito, e não desejar concorrer ao Senado pela vontade política de se aposentar.
Mas vamos aguardar, pois até 2018 tem muita água para rolar por debaixo da ponte ...

Satisfação
O líder do PRB em Sergipe, prefeito Heleno Silva, avalia como importante a construção de um projeto do seu partido com o PDT e PSB para 2016 e 2018. Revela que esse projeto, que envolve grandes lideranças políticas de Sergipe, será conversado com o governador Jackson Barreto (PMDB).

Ponto de vista 1
De Heleno ao ser questionado como ficará o pleito do PRB, PSB e PDT de querer fazer parte da chapa majoritária em 2018, quando os outros aliados como PMDB, PT e PSD também querem a mesma coisa: "Quem tiver mais lastro eleitoral que ande. Candidatura não pode ser imposta, tem de ter arranque com vontade popular".

Ponto de vista 2
Para o prefeito, qualquer candidato na chapa majoritária tem de largar já com no mínimo 10% das intenções de voto. Lembra o que aconteceu com os petistas José Eduardo Dutra em 2006 e Rogério Carvalho em 2014 para o Senado: eles largaram com 5% e não conseguiram a vitória nas urnas, perdendo por uma diferença em torno de 3% dos votos válidos.

Arrogância
Ao prestar depoimento ontem ao juiz-relator do processo das subvenções da Assembleia Legislativa, Fernando Stefaniu, o presidente da Associação Sergipana de Produtores de Eventos, Márcio José Góis, respondeu com arrogância e foi advertido pelo magistrado. A entidade está sendo investigada por ter recebido R$ 725 mil de subvenções repassadas pelos então deputados Suzana Azevedo, Zeca da Silva e Paulinho da Varzinhas, apesar de ter o escritório fechado há mais de um ano.

Nervosismo
Durante o seu depoimento, Márcio, bastante nervoso, confirmou que a entidade recebeu recursos da Assembleia. Segundo ele, que disse não lembrar quais deputados destinaram recursos para sua entidade, as verbas foram utilizadas para a promoção de shows no interior do Estado.

Calendário
O presidente da Associação Sergipana de Produtores de Eventos foi uma das oito testemunhas de acusação que prestaram depoimento ontem no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Até o dia 14 de maio serão ouvidas todas as testemunhas de acusação e depois as de defesa. Por último serão ouvidos os 23 deputados da época que são réus no processo.

Expectativa
Ontem, à imprensa, o juiz federal Fernando Stefaniu disse que pretende apresentar seu voto até o final deste ano e que vai tentar mostrar a verdade para a sociedade, seja a favor da acusação ou da defesa.

Acabou
A Procuradoria Regional Eleitoral ajuizou 25 ações contra deputados estaduais, por irregularidades no repasse e na aplicação de verbas de subvenção. Cada parlamentar recebia R$ 1,5 milhão de subvenção social, que acabou na gestão do presidente da Assembleia, Luciano Bispo (PMDB).

Decisão judicial
A Justiça negou ontem mandado de segurança impetrado pela Associação dos Procuradores do Estado de Sergipe (APESE) objetivando garantir o pagamento dos servidores neste mês de abril. Em seu despacho, juiz disse que não há motivo para ação por não existir atraso de salário.

Motivação
A APESE moveu a ação mediante declarações do governador Jackson Barreto (PMDB) e secretários sobre o agravamento da crise financeira do Estado com o fim do adiantamento dos royalties, não descartando possibilidade de atraso nos salários como ocorreu no ano passado.

Esquecimento
Ontem, em uma roda política, o comentário era o esquecimento da juíza Camila Pedrosa, da Vara Cível de Lagarto, de não ter mandado cumprir a pena do item IV da condenação do deputado estadual Valmir Monteiro por improbidade administrativa quando prefeito de Lagarto: a perda da função pública.  
Acompanhamento
Foi comentado que foram determinados apenas o cumprimento das seguintes sanções: I - o ressarcimento do dano causado ao erário, a ser apurado em liquidação por arbitramento; II - suspensão dos direitos políticos por cinco anos; e III - proibição de contratar com o Poder Público ou de receber benefícios ou incentivos fiscais direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócia majoritária, pelo prazo de cinco anos. Com a palavra o Ministério Público de Lagarto.

Fim das coligações
O relator da comissão especial da reforma política, deputado federal Marcelo Castro (PMDB-PI), disse ontem que o fim das coligações nas eleições proporcionais (para deputados e vereadores) é "mais ou menos" um consenso no colegiado. A afirmação foi dada na audiência pública com presidentes de partidos políticos.

Cláusula de barreira
Na audiência, os presidentes do PPS, PHS e Psol afirmaram que as legendas são contrárias à chamada cláusula de barreira - norma que impede ou restringe o funcionamento parlamentar do partido que não alcançar determinado percentual de votos. Marcelo Castro já anunciou sua intenção de incluir cláusula de desempenho partidário em seu parecer, que deverá ser apresentado até o final do mês.

Fragmentação
Castro ressaltou que a reforma política terá de lidar com a fragmentação partidária existente hoje no Brasil. "Só no Brasil, existem 28 partidos representados no Parlamento. Normalmente, em outros países, são de quatro a sete", apontou.

Veja essa...
Do líder da bancada de partidos de situação na Assembleia Legislativa, deputado estadual Zezinho Guimarães (PMDB), ao responder ontem, na Assembleia, as críticas do líder da oposição, Capitão Samuel (PSL), sobre a morosidade do governo em realizar e concluir obras do Proinveste: "Tenham boa vontade. Deem aquele crédito, considerando o atraso que os senhores provocaram ao passar 11 meses para aprovar o Proinveste".

... e essa ...
Zezinho lembrou que a aprovação do Proinveste só ocorreu depois de muita peleja e apelo do então governador Marcelo Déda, que mesmo doente foi às emissoras de rádio conclamar aos deputados de oposição e aos seus líderes para que o projeto fosse aprovado.

Curtas
O governador Jackson Barreto parabenizou ontem os "profissionais que fazem da imprensa uma importante sentinela da democracia". Foi pelas redes sociais em razão da comemoração do Dia do Jornalista.

Na próxima segunda-feira os prefeitos vão se reunir em um hotel da orla da Atalaia para debater sobre as propostas que serão levadas ao Congresso Nacional referentes à criação do Novo Pacto Federativo.

O encontro, organizado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e a Federação dos Municípios do Estado de Sergipe (Fames), faz parte do projeto Câmara Itinerante, que rodará todos os estados brasileiros e vai auxiliar os trabalhos da Comissão Especial criada para discutir o tema, formando uma proposta unificada para apresentar aos deputados.

Faleceu ontem à noite, aos 93 anos, a mãe do senador Valadares, Dona Caçula Valadares. Ela foi a única prefeita mulher de Simão Dias.

Termina na próxima terça-feira, 14 de abril, o prazo para que os 32 partidos políticos com registro definitivo no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) enviem, via internet, a relação de seus filiados.