Aposentadoria política?

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 07/04/2015 às 00:43:00

Após as eleições de 2014, o governador reeleito ainda no primeiro turno Jackson Barreto (PMDB) declarou que ao final do seu mandato, em 2018, estaria se aposentando politicamente e sugeriu que lideranças da sua geração também fizessem isso. Segundo JB, era preciso dar espaço para as novas gerações.
Disse Jackson no final de outubro à imprensa: "Quando venci a eleição avisei que não seria candidato mais a cargo nenhum. E não serei. Vou governar, sei das minhas responsabilidades, sei das dificuldades e quando terminar meu mandato vou para casa descansar e dá lugar às novas gerações. Acho que os mais velhos do que eu devem fazer a mesma coisa. João, Maria e Valadares devem ir para casa. Albano, de casa não deve sair".

Prosseguiu JB: "Está na época. Temos que dar oportunidade aos mais jovens. Todos já ajudaram o Estado, trabalharam. Esse pessoal todo quando terminar o mandato vai estar com mais de 75 anos. Vamos abrir o campo para as novas gerações".
Pouco mais de cinco meses após essas declarações somente o ex-governador Albano Franco (PSDB) dá sinais de que já se aposentou. O tucano já não foi candidato na eleição passada, vindo a apoiar o filho Ricardo Franco para suplente da senadora Maria do Carmo Alves (DEM), Não tem demonstrado interesse em ser candidato em 2018.

Ontem mesmo, o senador Antonio Carlos Valadares (PSB) reafirmou o que declarou no ano passado ao ser indagado se tinha pretensões de se aposentar ao final do seu mandato em 2018, como sugeriu o governador reeleito. No programa de Gilmar Carvalho, o senador disse que respeita a opinião de JB, mas não pensa em se aposentar. Para ele, somente o povo é quem vai decidir sua aposentadoria.  
O prefeito João Alves tem demonstrado que também não pretende seguir os conselhos de Jackson. Já trabalha a sua reeleição, apesar de não declarar publicamente essa sua pretensão. Prova maior é que nos últimos 60 dias vem marcando presença nos bairros e levando para os mais carentes o Pró Mulher, Pró Família.  

A senadora Maria do Carmo, que como Albano Franco, Valadares e o próprio marido João Alves está com mais de 73 anos, só deve se aposentar ao final do seu novo mandato, que só termina daqui a oito anos, portanto em 2022, quando estará com mais de oitenta anos.
Os próprios aliados do governador Jackson Barreto não querem a sua aposentadoria em 2018, quando estará com 74 anos. Na semana passada o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) defendeu à coluna a sua candidatura ao Senado. Chegou a dizer a sua chapa: Governador - Rogério Carvalho (PT), vice-governador - Luciano Bispo (PMDB), e senador JB e ele próprio.
Pelo andar da carruagem, se Jackson acatar o apelo dos aliados somente Albano Franco deve continuar com a sua aposentadoria política...

Hora da verdade
O Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe começa hoje a ouvir as testemunhas indicadas pela Procuradoria Regional Eleitoral no escândalo das subvenções sociais da Assembleia Legislativa. O primeiro a ser ouvido, às 8h, pelo juiz Fernando Escrivani Stefaniu, será o presidente da Associação Sergipana de Produtores de Eventos (Aspe), Márcio José Góis, que recebeu R$ 725 mil de subvenções repassadas pelos então deputados Susana Azevedo, Zeca da Silva e Paulinho da Varzinhas. O recurso foi repassado à entidade mesmo estando fechada há mais de um ano.

Na Justiça 1
O presidente do Diretório Municipal do PSB, Elber Batalha, deu entrada no final da tarde de ontem com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) com pedido de medida cautelar junto ao Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe contra a lei municipal de autoria do prefeito João Alves Filho aumentando em até 4.000% o valor do IPTU dos imóveis de Aracaju. Segundo Elber, a Adin foi feita em cima de estudo detalhado de toda a Lei aprovada.

Na Justiça 2
Revela que foram encontradas várias irregularidades, desde a falta de observância ao que dispunha o Código Tributário do Município de Aracaju que exigia para a revisão da planta imobiliária da cidade a formação de uma comissão composta pelos poderes executivo e legislativo municipais e por representantes da população em número paritário, até o total desrespeito ao regimento interno da Câmara, como inobservância de prazos e votações irregulares que aprovaram requerimentos de urgência e os próprios projetos em uma única sessão. "O PSB pretende com essa ação judicial restabelecer a ordem constitucional e a legalidade que foi desrespeitada com a aprovação da referida lei de maneira açodada e irregular. Pretende a devolução aos contribuintes do valor que lhes foi cobrado indevidamente", afirma Elber.

No interior 1   
Sob novo comando, o PPS vem realizando encontros regionais visando o fortalecimento do partido para as eleições de 2016.  O primeiro aconteceu na semana passada, em Estância, e o próximo será dia 11 de abril, em Lagarto. O partido tem hoje como presidente Clóvis Silveira.

No interior 3
No encontro de Estância ficou estabelecido a necessidade de assegurar a reeleição do vereador no município Pedro de Benjamim, além de tentar ampliar a bancada municipal. A meta do PPS em Santa Luzia do Itanhy é eleger um vereador e, para isso, a legenda já tem seis candidatos no município.

No interior 4
Segundo o secretário-geral do PPS, Marcos Aurélio, o partido caminha para ter candidato a prefeito em Lagarto e Propriá, devendo esse número de municípios ampliar após a conclusão dos encontros regionais.

Na capital 1
Revela que em Aracaju o partido vai trabalhar para eleger de dois a três vereadores e para isso está organizando um grupo disposto a concorrer a uma cadeira na Câmara Municipal. E que vem conversando com os dois prováveis candidatos a prefeito do bloco governista: Edvaldo Nogueira (PCdoB) e Valadares Filho (PSB).

Na capital 2
"O PPS tanto pode apoiar o PCdoB quanto o PSB. Só tem restrição ao PT por orientação nacional, nada contra o partido em Sergipe", disse o secretário-geral, enfatizando que o seu partido está hoje alinhado ao governo Jackson Barreto e não mais ao prefeito João Alves Filho (DEM).

Razão
O motivo não é só pelo fato do novo presidente Clovis Silveira ter apoiado a reeleição de Marcelo Déda e Jackson Barreto, mas pelo que João Alves fez com o dirigente Nilson Lima. "O prefeito incentivou sua saída da secretaria municipal de Finanças para disputar mandato de deputado federal com o seu apoio, depois abandonou sua candidatura e não o reconduziu a secretaria, que vem sendo acumulada pelo secretário da Saúde, Luciano Paz.", explica Marcos Aurélio.
Posse
O governador Jackson Barreto (PMDB), o senador Eduardo Amorim (PSC) e o ex-governador Albano Franco (PSDB) prestigiaram ontem a posse do juiz Alberto Romeu Gouveia Leite como desembargador do Tribunal de Justiça de Sergipe. O magistrado, que era titular da 1ª Vara Cível da Comarca de Itabaiana, foi escolhido pelo critério de antiguidade e ocupará a vaga deixada pela desembargadora Suzana Carvalho Oliveira, que se aposentou em fevereiro deste ano.

Será?
O deputado Valmir Monteiro (PSC) disse ontem que está tranquilo com relação à decisão judicial de que perderia o mandato e assumiria o suplente, o vereador Adelson Barreto Filho, por ter perdido prazo para apresentação de recurso em processo que é acusado de como prefeito de Lagarto ter permitido a construção de três casas a funcionários da prefeitura - que seriam cabos eleitorais - em Área de Preservação Permanente (APP).

Recurso
Segundo o parlamentar, o seu advogado Fabiano Feitosa vai recorrer mostrando que não perdeu prazo para recurso no Tribunal de Justiça e o que aconteceu foi um erro do cartório, que informou a juíza da comarca que isso tinha acontecido. Garantiu que cabe recurso em mais duas instâncias: o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Supremo Tribunal Federal (STF). A matéria foi divulgada com exclusividade pelo Jornal do Dia, durante o feriadão da Semana Santa.

Na Alese 1
Fim da polêmica entre a Assembleia Legislativa e o Tribunal de Contas do Estado. É que após entendimento entre a Alese e o TCE os deputados estaduais aprovaram projeto de lei do Tribunal, mas suprimindo artigo em que o TCE pedia autonomia para aumentar seus subsídios.

Na Alese 2
Recentemente, na sessão que foi gerada essa polêmica, o deputado estadual Georgeo Passos (PTC) pediu vistas do projeto para avaliar e discutir tecnicamente com o TCE.

Redução da
maioridade 1
Quase 23 anos após a apresentação da proposta de emenda à Constituição (PEC) que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos, a Câmara dos Deputados inicia amanhã a análise do mérito do texto. A comissão especial criada pelo presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para discutir a PEC será instalada na quarta, quando serão eleitos o presidente e os vice-presidentes e escolhido o relator da matéria.

Redução da
maioridade 2
A comissão, que será formada por 27 deputados titulares e igual número de suplentes, deverá ser presidida pelo deputado federal André Moura (PSC), um dos autores da polêmica PEC que propõe a redução da maioridade penal. Caberá ao colegiado debater o mérito da PEC, realizar audiências públicas para discutir a mudança da imputabilidade penal e elaborar um parecer sobre a proposta, o qual será votado pela comissão e, consequentemente, o plenário da Câmara e depois do Senado.

Veja essa...
Policial de Divina Pastora vai à praia, em Aracaju, e tem submetralhadora de uso exclusivo da polícia civil roubada da viatura da Segurança Pública que dirigia.

Curtas
De volta a Sergipe após o feriadão da Semana Santa, o governador Jackson Barreto despacha nesta terça-feira com o seu vice Belivaldo Chagas, secretário da Casa Civil.

Na reunião de hoje a Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) deve votar requerimento do senador Eduardo Amorim (PSC) propondo a realização de audiência pública com dirigentes das operadoras de telefonia móvel, para tratar de medidas para aprimorar os serviços e reduzir os preços praticados.
Acompanhado do deputado federal Fábio Reis (PMDB), o prefeito Hélio Sobral (PMDB/Japaratuba) visitará hoje a sede da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP), em Brasília, à procura de informações detalhadas sobre a queda dos royalties em seu município.

Encontra-se no Tribunal Superior Eleitoral o pedido de registro de dois novos partidos: o Partido Liberal (PL) e o Partido do Servidor Público e Privado (PSPP). Sendo acatada a criação dessas duas legendas, o país passará a dispor de 34 siglas partidárias. Um absurdo.