Com panelaços, população critica governo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/03/2015 às 00:49:00

Assim que teve início o pronunciamento feito domingo (8) pela presidenta Dilma Rousseff em cadeia nacional de rádio e televisão, começou também, em algumas capitais do país, um protesto na forma de panelaço e buzinaço. Pelas mídias sociais, foram registrados protestos desse tipo em regiões de Brasília, do Rio de Janeiro, de São Paulo, Belo Horizonte, Goiânia e Curitiba. De acordo com o professor do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília (UnB) João Paulo Machado Peixoto, panelaços como os de ontem acabam por expor "em praça pública" críticas ao governo.

"Significa um repúdio à atual situação em que vive o país, não só do ponto de vista econômico, mas principalmente político", disse ele. Na avaliação do especialista, o panelaço é dirigido tanto à presidenta quanto ao governo em geral. Segundo ele, diante das denúncias de corrupção noticiadas pela imprensa, era previsível que a população se manifestasse em algum momento. Ele destacou a previsão de uma semana muito tensa do ponto de vista político, com manifestações programadas para os dias 13 e 15 de março - a primeira, a favor do governo e a segunda, contrária.

Essa polarização, lembra o especialista, não é novidade no Brasil. "As últimas eleições mostraram isso. Estamos polarizados, a exemplo do que ocorria, no passado, nos embates entre udenistas e petebistas. Mas essa dialética é própria da democracia", destacou.
"As próprias passeatas [previstas para os próximos dias] deixam claras essas semelhanças, podendo ser comparadas às ocorridas em 13 e 19 de março de 1964", disse ele referindo-se ao comício da Central do Brasil organizado por sindicatos e líderes camponeses que apoiavam o então presidente João Goulart (Jango) e à Marcha da Família com Deus pela Liberdade, organizada logo depois em resposta à suposta "ameaça comunista" representada por Jango.
Para a historiadora da UnB Albene Míriam Ferreira Menezes, especializada em relações internacionais, as manifestações de ontem foram, de certa forma, isoladas e restritas a bairros onde a presidenta Dilma perdeu as eleições. "Tudo indica que não se trata do eleitorado que a colocou no cargo. O que chama a atenção é que foram em algumas capitais, mais especificamente em bairros de classes média alta e alta, onde ela perdeu as eleições. Além disso, o panelaço foi orquestrado por redes sociais. Portanto não foi um movimento espontâneo."

Segundo a professora, o perfil das pessoas que fizeram o panelaço é bastante próximo ao das pessoas que têm defendido o impeachment ou participado das manifestações do "Fora Dilma". "No caso brasileiro, o que se vê é um contexto de crise que, em parte, foi forjada, uma vez que não há justificativas para a oposição entrar com pedido contrário à diplomação de Dilma nem para pedidos, de impeachment. Tudo isso tem por base argumentos frágeis que não se justificam. É udenismo puro ameaçando a democracia brasileira, por gerar questionamentos à ordem democrática de direito." (Com a Agência Brasil).

Natural
A presidenta Dilma Rousseff considerou naturais de um país democrático os protestos contra ela e o governo ocorridos domingo (8), mas disse que não há razões para que o conteúdo dessas manifestações sejam pedidos de impeachment. "Aqui [no Brasil] as pessoas podem se manifestar. Eu sou de uma época em que se a gente se manifestasse, acabava na cadeia, podia ser torturado ou morto. Chegamos à democracia e temos que conviver com a manifestação. O que nós não podemos aceitar é a violência", declarou em entrevista a jornalistas.
Sem protesto
Em Aracaju não ocorreram protestos no domingo. Mas um grupo está marcando um ato para o próximo domingo, em defesa do impeachment da presidente. A manifestação está sendo convocada para a praça dos Arcos, na Atalaia.

Petrobras
Nesta quarta-feira (11), a partir das 7h30, no auditório da Central Única dos Trabalhadores de Sergipe, representações de sindicatos e movimentos sociais estarão reunidas para a realização de uma coletiva para a imprensa, com o objetivo divulgar para a sociedade o ato do próximo dia 13 de março. O dia representa a data nacionalmente escolhida para a organização de um ato em defesa da Petrobras, democracia, reforma política, Constituinte e contra a retirada de direitos. Diversas capitais do Brasil estarão mobilizadas, em marcha, para garantir os avanços e impedir os retrocessos.

Saúde
O PLS 426/2012, do senador Eduardo Amorim (PSC-SE), destina 30% dos valores arrecadados com multas de trânsito ao Sistema Único de Saúde (SUS). Para o senador, a multa de trânsito se transformou em uma indústria, com arrecadação em valores tão expressivos que são suficientes para serem usados em  policiamento, fiscalização e educação de trânsito e ainda serem utilizados na área de saúde.

Palestra
O secretário da Segurança Pública, Mendonça Prado, passou toda a tarde debatendo o setor com os deputados estaduais, na Assembleia Legislativa. O plenário foi tomado por policiais civis e militares que também acompanharam a palestra.

Transposição
A comissão externa responsável por fiscalizar as obras de transposição das águas do rio São Francisco realizará audiência pública nesta terça-feira, 10, às 14h30, com representantes dos ministérios da Integração Nacional e do Meio Ambiente, e também da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), responsável por executar a operação do sistema de gestão do Projeto de Integração do Rio São Francisco com as Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional (PISF). Na reunião, os órgãos deverão apresentar seus relatórios sobre a execução da obra e os recursos utilizados.

Revitalização
A comissão externa, criada no último dia 12, vai acompanhar todos os atos, fatos relevantes, normas e procedimentos referentes às obras da transposição do Rio São Francisco. Ela é coordenada pelo deputado Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE) e tem como relator o deputado Rômulo Gouveia (PSD-PB). Os deputados também vão avaliar o andamento do Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco.

TV aberta
O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Luciano Bispo (PMDB) e o diretor da TV Alese, jornalista Luciano Correia, se reúnem hoje, em Brasília, com diretores da TV Senado. Vão discutir a transformação da TV Alese em uma TV aberta. Ainda não há um prazo definido para isso.

Painel
A polêmica da Câmara Municipal de Aracaju voltou a ser a possível violação do painel no dia da votação do reajuste do IPTU. A votação teve que ser prorrogada por mais de 1 hora para que conseguisse os votos necessários para a sua aprovação. Depois do Ministério Público Estadual, o vereador Dr. Emerson (PT) também prepara ação judicial contestando o novo IPTU.

Parcerias
Os diálogos acerca das Parcerias Público-Privadas (PPPs) têm avançado a cada nova reunião. O secretário de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão, João Augusto Gama, reuniu-se com empresários interessados no tema em Sergipe para dialogar sobre a viabilidade de possíveis parcerias. No encontro proposto pelo empresário Luciano Barreto, os empresários buscaram abrir um canal de comunicação com o Governo sobre as prioridades da gestão estadual para possíveis investimentos através das Parcerias Público-privadas.

Subvenções
O deputado estadual Augusto Bezerra (DEM) afirma que está muito tranquilo com relação às subvenções sociais. "Com apuração dos fatos, nada do que foi dito, ocorreu", afirma, enfatizando que quebrou seus sigilos bancário, fiscal e telefônico para comprovar a utilização da sua subvenção e se necessário for quebra o sigilo bancário de todo o seu gabinete. "Destinei recursos das subvenções para entidades sérias", garante o parlamentar, enfatizando que a sua eleição respeitou a legislação e, consequentemente, o povo o reelegeu por seis vezes consecutivas.

Mudanças
Augusto Bezerra defende mudança na aplicação da lei das verbas de subvenção, mas não o seu fim. Lembra que a reforma da catedral, por exemplo, está sendo feita com a utilização de verbas de subvenções. Sugere que maioria dos recursos das subvenções, seja aplicado na área de saúde.

Curtas
O vereador Lucas Aribé está visitando as redações para distribuir um livro com sua atuação parlamentar em 2014. Nele, relaciona todas as atividades que desenvolveu no ano passado.

O relatório traz os projetos de lei, indicações, moções e outras proposituras legislativas protocoladas na Câmara para ações no âmbito da capital, além de pronunciamentos na tribuna, campanhas, audiências, debates e reuniões desenvolvidas pelo mandato.

O deputado estadual Robson Viana (PMDB), acompanhado do vereador José Américo, o "Bigode", visitou o bairro Santa Maria, com o objetivo de verificar o andamento das obras que estão sendo realizadas em parceria com a Prefeitura Municipal de Aracaju e o Governo do Estado.

O deputado estadual Zezinho Guimarães (PMDB) destacou nesta segunda-feira (9) a coragem do secretário estadual da Educação, Jorge Carvalho que, publicamente, tem revelado a fragilidade e as deficiência do ensino público de Sergipe.

"Essa é uma questão bastante complexa, mas Jorge, como educado e gestor que o é, tem dito a coragem de assumir que a educação pública do nosso Estado não está bem", afirmou Zezinho.

Do prefeito Fábio Henrique sobre o listão do Petrolão: "Para tristeza de muitos, nenhum político de Sergipe foi citado no listão do Janot".