A mesa da Assembleia

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 14/01/2015 às 00:57:00

Nos bastidores está a todo vapor as conversas para a eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa para o biênio 2015/2016. Dos cinco candidatos iniciais, apenas três continuam no páreo: os deputados estaduais reeleitos Gustinho Ribeiro (PSD) e Garibalde Mendonça (PMDB), e o deputado estadual eleito Luciano Bispo (PMDB).
Desistiram das candidaturas os deputados estaduais reeleitos Zezinho Guimarães (PMDB) e Jeferson Andrade (PSD). Jeferson já fechou acordo com Luciano Bispo, vindo a ser o 1º secretário da Mesa. O parlamentar foi contemplado com o Detran na reforma administrativa do novo governo Jackson Barreto. Já Zezinho ainda não fechou apoio a nenhum candidato e chegou a emplacar Carlos Melo na presidência da Deso junto com Garibalde.
Existe a possibilidade de Garibalde e Gustinho se aliarem e formarem uma chapa, com um sendo candidato a presidente e o outro a 1º secretário. Informações chegadas à coluna dão conta que Gustinho já conta com o apoio do deputado estadual reeleito pela oposição Paulinho da Varzinhas (PTdoB) e do deputado estadual eleito Georgeo Passos (   ), a pedido da ex-deputada e conselheira do TCE, Susana Azevedo, que apoiou a sua candidatura.
À coluna chegou também a informação que o prefeito João Alves Filho (DEM), que retornou na última segunda-feira de férias, vai se empenhar no apoio a Gustinho Ribeiro. Isso pode não fazer muita diferença, pois os dois deputados do DEM, Goretti Reis e Augusto Bezerra, vão votar com Luciano Bispo.
Goretti, inclusive, será companheira de chapa de Luciano, sendo candidata a vice-presidente da Assembleia. Já Augusto, que vem votando nos projetos do governo, já declarou que apoiará o candidato de Jackson Barreto.
Trocando em miúdos, a articulação de Gustinho Ribeiro e Garibalde Mendonça pode dar uma dor de cabeça, mas não será empecilho para Luciano Bispo vir a ser eleito presidente da Assembleia pela força que pode ter como o candidato da preferência do governador. Mesmo com os boatos de que pode perder o mandato, por processos quando prefeito de Itabaiana.
Até porque se for por essa linha de raciocínio, Gustinho Ribeiro e mais nove deputados reeleitos também não poderiam ser candidatos a presidente da Assembleia mediante a ameaça de cassação do mandato pela acusação de irregularidades no repasse e na aplicação de verbas de subvenção social em 2014, ano de eleição, pela Procuradoria Regional Eleitoral em Sergipe (PRE/SE).

Especulação 1
Nos bastidores da política, o que se fala é que a candidatura do deputado estadual Gustinho Ribeiro (PSD) está sendo incentivada pelos ainda deputados Zé Franco (PDT) e Zeca da Silva (PSC), sob a orientação dos irmãos Amorim.

Especulação 2
Fala-se ainda que o grupo vem fazendo reuniões em torno da candidatura de Gustinho e que durante a sua realização o prefeito Fernando Franco (Muribeca) vive "tirando onda" com a "cara" do governador Jackson Barreto (PMDB). Chega a dizer que tem de "botar para ferrar" com JB.
Registro
Fernando Franco é um desafeto político de Jackson desde a campanha eleitoral de 2014, quando deixou de apoiar o governo para apoiar a candidatura do senador Eduardo Amorim (PSC) a governador. O clima ficou tão ruim entre os dois que JB chegou a declarar, publicamente, que o prefeito aproveitasse os dois anos que faltam do mandato pelo fato de que não será reeleito em 2016.

Na expectativa
Informações chegadas à coluna dão conta ainda que Garibalde Mendonça trabalha para ser o candidato de consenso para presidente da Assembleia, uma vez que o confronto maior está entre Gustinho Ribeiro e Luciano Bispo. O seu nome tem a simpatia do peemedebista histórico e secretário de Governo, Benedito Figueiredo.

Com JB
Ontem o presidente do PT, Rogério Carvalho, almoçou com Luciano Bispo e conversou com Gustinho Ribeiro sobre a eleição da Mesa da Assembleia. Disse que a conversa com os dois foi boa, que o PT vai ter um encontro com o governador para discutir a questão e só depois tomará uma posição.

Meio de uma [encruzilhada
Rogério ressalta a questão dos parlamentares terem autonomia para votar em quem desejar e ao fato dele ser amigo tanto de Luciano quanto de Gustinho. "Como são amigos e gosto dos dois a situação é complexa", avalia o presidente do PT.    

Ponto de vista 1
Sobre a indicação de Esmeraldo Leal para a Secretaria da Agricultura e de Olivier Chagas para a Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, sem que fosse contemplado o bloco do deputado federal Márcio Macedo, Rogério afirmou que o PT discutiu e indicou os nomes. "Não tem problema nisso. É impossível agradar a todos".

Ponto de vista 2
Disse ainda o presidente do PT: "Os indicados [para o primeiro escalão do governo] são pessoas com história, militância e participação no movimento social e vida política. São bons nomes".

Liderança
De Gualberto ao ser questionado pela coluna se aceitaria continuar como líder do governo na Assembleia Legislativa: "A liderança do governo é uma prerrogativa exclusiva do governo. Não existe candidato a líder, existe a vontade expressa do governador que vai buscar no parlamentar que achar adequado a liderança para o seu governo. Se isso acontecer, farei como fiz nas outras vezes que fui líder do governo Marcelo Déda e do governo Jackson Barreto: conversarei com meu partido e sem qualquer notoriedade, através da imprensa, darei a resposta ao governo caso o convite surja. É importante afirmar, para evitar comentários maldosos, que não recebemos qualquer convite formal do governo para que seja líder. Portanto, tenho tomado conhecimento sobre algumas especulações e tão somente especulações sobre o assunto".

De volta
O governador Jackson Barreto já estará hoje em Sergipe, após alguns dias de descanso. Retomará as conversas sobre a composição do segundo escalão do governo.

Único de Sergipe
No país apenas 35 deputados federais - dos 513 que integram a Câmara dos Deputados - se elegeram em outubro passado com a própria votação, o correspondente a 6,8%. O deputado federal eleito Adelson Barreto (PTB) é um dos que teve votos suficientes para se eleger sozinho, ou seja, não precisou dos votos dados à legenda ou de outros candidatos de seus partidos ou coligações. Adelson obteve 131.236 votos.

Veja essa...

Do deputado estadual Francisco Gualberto (PT) ao ser questionado se a sua licença médica no período de votação dos projetos de reforma administrativa e previdenciária do Governo do Estado teve a ver com insatisfação com o governador Jackson Barreto, pelos comentários de que tinha atuado para que o ex-prefeito Sukita viesse a assumir mandato de deputado nesta nova legislatura no seu lugar: "Licença médica diz respeito a estado de saúde, não tem a ver com qualquer política. A não ser o estado de saúde que rejeite ou respeite o stress que a política promove para qualquer cidadão que com ela convive".

...e essa
Prossegue Gualberto: "Especulação é especulação, verdade de fato é verdade de fato. Nunca manifestei a qualquer setor da imprensa, escrita ou falada, qualquer comentário ou insinuação sobre insatisfação política com qualquer setor por onde atuo".

Curtas

Quem chegou ontem a Sergipe foi o candidato a presidente da Câmara Federal, deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ). Ele vem fazer campanha junto a bancada federal de Sergipe.

Cunha tem uma agenda cheia hoje pela manhã. Às 7h, tomará café da manhã com a imprensa, no Hotel Radisson. Em seguida se reunirá com os deputados da bancada federal.

Às 9h30, Eduardo Cunha visitará o governador Jackson Barreto, no Palácio dos Despachos. Em seguida, às 10h30, visitará o prefeito João Alves Filho (DEM), no Centro Administrativo Aloisio Campos. Concluirá a agenda com uma visita ao senador Eduardo Amorim (PSC).
O deputado federal André Moura (PSC), que é um dos coordenadores da campanha de Cunha, é quem o acompanha na sua passagem por Sergipe. André, inclusive, tem viajado com o peemedebista por outros Estados em busca de apoio dos colegas parlamentares à sua candidatura.

Pelo que se sabe, Cunha já tem o apoio de Fábio Reis (PMDB), Laércio Oliveira (SD) e André Moura (PSC), que, inclusive, faz campanha com ele pelos Estados.

Eduardo Cunha tem como adversário o deputado Arlindo Chinaglia (PT/SP), que, como ele, está fazendo visitas aos Estados para angariar votos da bancada.