O PT sem Déda

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 03/12/2014 às 00:49:00

Ontem completou um ano da morte prematura do governador Marcelo Déda, vítima de um câncer aos 53 anos. O seu falecimento em 02 de dezembro de 2013 quebrou as pernas do PT no Estado.
O PT, que com Déda ganhou duas vezes a Prefeitura de Aracaju e o Governo do Estado ainda no primeiro turno das eleições e nos últimos pleitos elegeu a maior bancada parlamentar, praticamente minguou na eleição de 05 de outubro.
Além de não ter elegido um senador, que provavelmente seria o próprio Marcelo Déda se não tivesse morrido, reduziu pela metade a sua bancada federal e estadual.
O deputado federal e presidente estadual do PT, Rogério Carvalho, foi o candidato ao Senado na vaga que seria de Déda. Perdeu as eleições para a senadora Maria do Carmo Alves (DEM) por apenas 3% dos votos. Faltou pouco para ganhar, mas não ganhou.

Na Câmara dos Deputados, o partido, que tem dois deputados federais (Rogério Carvalho e Márcio Macedo), só conseguiu eleger um federal: João Daniel, que é deputado estadual. Márcio não conseguiu a reeleição.
Na Assembleia Legislativa o PT tem atualmente quatro deputados estaduais (Francisco Gualberto, Conceição Vieira, João Daniel e Ana Lúcia). Só foram reeleitos Ana Lúcia e Gualberto.
Assim mesmo, Gualberto corre o risco de ficar de fora da Assembleia se o ex-prefeito Manoel Sukita (PMDB/Capela) conseguir ganhar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o recurso que impetrou contra o pedido de renúncia da sua candidatura, assinado por ele previamente e protocolado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) pelo seu então partido, o PSB.
Caso Sukita consiga assumir mandato na Assembleia, o PT ficará com apenas um deputado estadual. É um número insignificante, pois há duas eleições que a legenda tem quatro representantes no Legislativo Estadual, sendo a maior bancada na Casa.

Por conta desse resultado pífio nas urnas durante as eleições deste ano, o PT pós-Déda não conseguiu fazer um grande líder na política sergipana, um nome que possa liderar um projeto majoritário aliado a outros partidos do bloco político e agregar a própria legenda, hoje totalmente dividida e esfacelada.
Até porque os dois nomes mais expressivos do PT hoje são Rogério Carvalho e Márcio Macedo, que não foram eleitos e, consequentemente, a partir do próximo ano estarão sem mandato e sem muita força política.
Com este cenário, os dois, para conseguirem se tornar uma grande liderança no PT e em Sergipe, como foi Déda, vão ter que trabalhar muito, rever os erros cometidos, procurar somar e não dividir o partido. Trocando em miúdos, vão ter que se unir.
Do contrário, o PT no Estado continuará órfão de um grande líder e poderá se tornar um partido inexpressivo ...

Cargos
Tanto o deputado federal Rogério Carvalho quanto o deputado federal Márcio Macedo, ambos do PT, podem ocupar um cargo federal no segundo governo da presidente Dilma Rousseff. Especula-se que Rogério pode comandar a Funasa ou Anvisa e Márcio o Ibama nacional.
 
Unidade
Se concretizando isso, os dois deputados federais petistas podem fazer uma boa gestão e se cacifar para as eleições de 2018. Paralelo a isso, terão que ter maturidade política para unir o PT.
 
Missa
O governador Jackson Barreto, o prefeito em exercício José Carlos Machado (PSDB), o ex-governador Albano Franco, alguns deputados estaduais e secretários assistiram ontem à noite missa de um ano em sufrágio da alma de Marcelo Déda, na Igreja Jesus Ressuscitado. Juntaram-se aos familiares e amigos do ex-governador.
Homenagem de Jackson 1
De Jackson ao falar sobre a morte prematura do ex-governador, a quem sucedeu: "Déda nos deixou um legado primoroso e exemplar sobre como conduzir os caminhos políticos e a administração pública. Ele sempre traçou o caminho da ética, da responsabilidade, um dos maiores e mais vocacionados líderes da história desse país".
 
Homenagem de Jackson 2
Prosseguiu JB: "Ao seu lado tive a oportunidade de trabalhar em busca de um Sergipe mais justo, de um Sergipe mais desenvolvido. Tenho orgulho e honra de ter ficado ao seu lado e de ajudá-lo a transformar Sergipe, em um gigante em desenvolvimento social e econômico. Além do político, conheci o Déda amigo, marido e pai, um dos seres mais dedicados ao cuidado com as pessoas, com Sergipe. Seu amor pelo nosso estado é um legado para ser preservado em nossos corações e cultuado pelas futuras gerações. Hoje é dia de vermos Déda na face de cada sergipano, um povo que sabe bem em quem confiar e de onde brota o melhor sorriso. #DédaPresente".
 
Homenagem de Valadares 1
O senador Valadares (PSB) também se expressou sobre um ano sem Déda. Falou do seu raciocínio lógico e perfeito na oratória improvisada, intelectual de escola, político ético e de exemplar comportamento republicano, que tinha sua palavra como instrumento idôneo e respeitada por todos, para convencer a aliados e adversários em seus articulações e acordos políticos. "Procurava viver a todo custo harmoniosamente com aliados, fortalecendo-os de forma coletiva, reconhecendo a força do apoio e do prestígio de cada um para o êxito de seus projetos políticos".
 Homenagem de Valadares 2
Prossegue Valadares: "Para ele, a vitória ou a derrota, se todos agissem unidos, com esforço e coragem, tinha que ser compartilhada e reconhecida. Era o espírito do verdadeiro líder que emergia de sua personalidade extraordinária. Bom analista da conjuntura, nas reuniões com o seu partido- o único que militou em toda a sua brilhante carreira política, o PT-, como nos encontros decisivos com aliados, tinha o dom da previsibilidade, da perspectiva e da visão, coordenando, e sugerindo em debate, jamais demonstrando fraqueza diante dos percalços a enfrentar em todas as batalhas, por mais duras que fossem".
 
Homenagem de Valadares 3
Finaliza o senador sobre Déda: "Fez um governo exemplar, cujos resultados positivos muito contribuíram, e, com certeza, se refletiram na eleição de 2014, com a nossa vitória, tanto a nível de governo como a de nossas bancadas federais e estaduais. Enaltecemos a obra do governador Marcelo Déda, o seu legado, que deixou plantado em todos os segmentos da vida política, social e econômica de nosso Estado de Sergipe. Mas vislumbro que a sua obra, fortalecida pela visão extraordinária de estadista, será no futuro considerada ainda maior do que é vista hoje com o distanciamento da luta política, por tudo que ele fez de um jeito tão diferente, se ombreando aos maiores governadores de Sergipe, integrando com méritos irrefutáveis o panteão dos homens públicos que fizeram a nossa história".
 
Reforma 1
Ainda não deve ser hoje que o projeto de reforma administrativa do Governo do Estado para diminuir gastos da máquina pública será encaminhado para a Assembleia Legislativa. É que ainda estão sendo finalizados os estudos que vão mexer na estrutura do Estado com a fusão e extinção de secretarias e empresas, assim como na previdência social, com o fim das incorporações salariais e algumas gratificações. Os cuidados são para evitar ações judiciais no futuro.
 
Reforma 2
A expectativa do governo é encaminhar os projetos nessa quinta-feira para que possam ser analisados e votados pelos deputados estaduais até o dia 15 de dezembro, último dia dos trabalhos legislativos deste ano. E, consequentemente, já vigorar no novo governo de Jackson Barreto.
 
Medidas
O Diário Oficial do Estado de ontem publicou dois decretos do Governo de Sergipe. Um exonerando a partir de 1º de dezembro todos os comissionados da administração direta sem vinculo efetivo com o Estado e outro vedando a realização de despesas adicionais de pessoal, tais como contratação de hora extra, serviço extraordinário, prorrogação de expediente ou qualquer serviço que implique o pagamento adicional de vantagens remuneratórias correlatas. Assim como a criação de novas comissões de trabalho ou grupos de trabalho técnico até 31 de dezembro de 2014 e concessão das gratificações de caráter discricionário, inclusive as decorrentes de lotação ou equivalentes.
 
Na expectativa
Enquanto os secretários não definem os 30% dos comissionados que vão ser renomeados, a grande maioria continua indo trabalhar mesmo com as exonerações. Prefere esperar trabalhando. Cerca de três mil comissionados foram exonerados com o decreto já publicado no Diário Oficial.
 
Advertência
Finalmente ontem, na tribuna da Câmara Municipal, o presidente Vinicius Porto (DEM) advertiu publicamente os vereadores Agamenon Sobral (PP) e Lucimara Passos (PCdoB) pelas colocações no parlamento envolvendo a incitação de Agamenon a "surra de chicote" em uma mulher que supostamente teria ido casar sem calcinha e chama-la de "vagabunda" e pela reação de Lucimara exibindo sua calcinha no plenário e dizendo se seria chamada de vagabunda por isso.   
 
Punição
Vinicius lembrou que estava viajando quando o fato ocorreu e falou da repercussão negativa a nível nacional. Depois disse que eles cometeram excesso, infringiram o Regimento Interno e quebraram o decoro parlamentar. Teve bate-boca entre Agamenon e o presidente da Câmara, em razão do polêmico vereador não ter aceitado a punição, que se for condenado na Comissão de Ética por quebra de decoro parlamentar e houver reincidência pode perder o mandato.

Veja essa...

Do ex-prefeito de Aracaju, atual secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão, João Augusto Gama (PMDB), ao ser questionado ontem no programa de George Magalhães sobre a administração do prefeito João Alves Filho (DEM): "Desastrosa. A cidade está completamente abandonada, maltratada, cheia de buracos, suja. A prefeitura está mal conduzida. O prefeito tem de circular pela cidade e não pode olhar com olhos de governador, mas de prefeito. Prefeito não abandone Aracaju, que não merece isso".

Curtas

Do deputado federal Márcio Macedo sobre Déda: "Um ano sem Marcelo Déda. É um vazio que não se preenche. A política ficou mais pobre".
 
A terceira parte das cinzas de Déda, que encontra-se em poder da mulher Eliane Aquino, deve ser colocada no espaço que será construído no Parque da Sementeira, ao lado de duas árvores que plantaram, no dia 11 de março. Essa é a data do seu aniversário, em que completaria 55 anos se vivo estivesse.
 
Segundo Eliane, a Prefeitura de Aracaju fez na semana passada a medição do espaço onde haverá uma escultura de Déda e onde ficará o resto das suas cinzas.
 
Os vereadores de Nossa Senhora do Socorro externaram ontem surpresa com a prisão do colega parlamentar, José Hilton Vieira dos Santos, portando uma pistola ponto 40, de uso exclusivo da força policial. Além de cartões de crédito, vários cheques e R$ 6 mil em dinheiro.
 
O parlamentar ganhou a liberdade no final da tarde de ontem após pagar fiança de dez salários mínimos, efetuado pelo advogado. Com isso, vai responder ao processo em liberdade.