A questão de Sukita

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/10/2014 às 00:15:00

Abertas as urnas em 05 de outubro e computados os votos dois candidatos que disputaram as eleições sub-judice em Sergipe conseguiram votos suficientes para serem eleitos deputado estadual e deputado federal, mas não tiveram os votos computados. É o caso do ex-prefeito Manoel Sukita (PSB) e do deputado federal André Moura (PSC), respectivamente.

Os dois tiveram suas candidaturas indeferidas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e recorreram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Sukita teve o seu registro de candidatura negado pelo TRE, por ter considerado válida a renúncia da sua candidatura apresentada pelo PSB, em 9 de agosto, dia em que foi preso pela segunda vez pela Polícia Federal acusado de improbidade administrativa, desvio de recursos e lavagem de dinheiro. Já André por conta da Lei do Ficha Limpa.

No caso de Sukita, a sua assessoria jurídica recorreu ao TSE, alegando que o documento do partido em que renunciava sua candidatura não representava sua vontade. Tanto é que no mesmo dia apresentou pedido de retirada da renúncia e continuou fazendo campanha no Estado.

Ontem, em Brasília, a Procuradoria Geral do Ministério Público Federal reconheceu o direito do ex-prefeito Manuel Sukita (PSB) de ser candidato a deputado estadual nas eleições deste ano por ser uma vontade sua. E pede que o TRE reconheça o registro da sua candidatura.
Essa decisão da Procuradoria Geral do MPF é meio caminho andado para o ex-prefeito de Capela, que obteve mais de 33 mil votos em todo o Estado, ter o direito de ser diplomado em 18 de dezembro, pelo TRE, junto com todos os eleitos em 05 de outubro.

É só o TRE acatar o entendimento da Procuradoria Geral do MPF e encaminhar ao TSE. Isso deve encerrar o processo de Sukita, que pode ser julgado a qualquer momento pelos membros do TSE.
Se o TRE e o TSE referendarem a decisão da Procuradoria, o TRE terá que computar os votos de Sukuta e fazer novas contas para definir, através do coeficiente eleitoral, quem deixará de ser diplomado deputado estadual.

Persiste a dúvida se será o deputado estadual Francisco Gualberto (PT), o último eleito pelo chapão da coligação de Jackson Barreto, com 25.405 votos, ou Georgeo Passos (PTC), último colocado da coligação de Eduardo Amorim (PSC), com 20.233 votos.
Trocando em miúdos, Sukita está mais próximo de conseguir ser diplomado deputado estadual. Já André continua no aguardo ...

Qual o destino?
Sendo diplomado deputado estadual em 18 de dezembro, a expectativa é se Manoel Sukita permanece no PSB ou se filiará ao PSD. Isso porque houve muitos conflitos do ex-prefeito com o seu partido e troca de acusações com a denúncia infundada de Sukita de que a legenda tinha fraudado a sua assinatura no documento de renúncia da candidatura, protocolada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). O exame grafotécnico pedido pelo partido constatou que a assinatura era mesmo do ex-prefeito.

PSD
Caso Sukita decida se filiar ao PSD, o partido se tornará a maior bancada na Assembleia Legislativa a partir de 2015 com quatro deputados estaduais (Gustinho Ribeiro, Luiz Mitidieri, Jeferson Andrade e o próprio Sukita).  Vai se igualar ao PMDB, que elegeu quatro parlamentares (Zezinho Guimarães, Luciano Bispo, Robson Viana e Luiz Garibalde) e é hoje a maior bancada eleita. O PSB só elegeu Luciano Pimentel.
Fogo amigo 1
O senador Antonio Carlos Valadares (PSB) voltou a surpreender ontem os sergipanos com novas postagens em seu twitter sobre o apoio ao presidenciável tucano Aécio Neves, que provocou a indignação do governador reeleito Jackson Barreto (PMDB) e aliados. Isso porque se referiu a petistas como "abutres", tendo sido aliado dos governos do PT em Brasília e em Sergipe há mais de uma década.

Fogo amigo 2
Disse Valadares: "Os abutres estão mostrando as suas garras asquerosas e não têm limites nos seus ataques. É hora de darmos um basta à mentira, lutando para reerguemos a democracia, agora ameaçada com denúncias cavilosas, absurdas e raivosas da parte daqueles que não admitem alternância e se julgam donos do Brasil. Abaixo a calúnia, a mentira e a falsidade".

Fogo amigo 3
Prossegue o senador: "Manipulam pesquisas, espalham boatos, denigrem a honra de adversários, ameaçam e divulgam falsos dossiês, tudo em nome do poder, a que se agarraram com sofreguidão e apego irrefreável. Não recuaremos, não nos intimidaremos. Haja o que houver, a nossa meta é seguirmos o caminho da verdade do qual não nos desviarão. Com Aécio para a vitória do Brasil!".

Indignação
Lideranças petistas estão indignadas com a postura e colocações do senador Valadares. Assim como do presidente estadual do PSB, Paulo Viana, que agora se junta a Valadares contra a presidenciável Dilma Rousseff após ter sido superintendente da Codevasf em Sergipe, em todo o governo federal do PT. Já estão chamando Paulo de "incoerente" e "ingrato".

Protestos
Com camisas vermelhas e bandeiras de Dilma a militância do PT fez panfletagem ontem, no final da tarde, na porta da AEASE, onde o PSB realizou plenária Pró-Aécio com a participação de lideranças aliadas.  Aconteceu provocações, por conta do senador Valadares ter chamado petistas de "abutres". Teve quem dissesse que se petistas eram "abutres" o senador era "traíra". Para calar a manifestação, foi colocado carro de som tocando jingle de campanha de Aécio e dizendo que ele era a mudança.

Ponto de vista 1
Em conversa com a coluna, o governador eleito Jackson Barreto (PMDB) disse que não é "inimigo político" do presidenciável Aécio Neves (PSDB). Conta que quando prefeito de Aracaju homenageou até o avô do candidato tucano ao mudar o nome dado na ditadura militar da avenida que liga a entrada de Aracaju a Beira Mar para Avenida Tancredo Neves.

Ponto de vista 2
Todavia, Jackson afirma que trabalha pela reeleição de Dilma Rousseff (PT), não só por ser o Partido dos Trabalhadores um aliado de mais de uma década tanto em Sergipe quanto em Brasília, mas por entender que é muito importante para o Estado ser aliado do governo federal para execução dos programas. "Fica muito difícil governar sem o apoio do governo federal", avalia.

Agenda
Jackson realmente está empenhado na campanha de Dilma Rousseff neste segundo turno. Hoje à tarde promove caminhada pró-Dilma no Centro da cidade, saindo da Praça Camerino. Na quinta-feira fará carreata em Propriá, pela tarde, e à noite comício em Itabaiana. Na sexta-feira comandará carreata em Nossa Senhora da Glória, Monte Alegre, Poço Redondo e Canindé do São Francisco. No sábado fará "um agito" na capital sergipana.

Defesa
O presidente estadual do PSDB, Roberto Góes, lamentou ontem a declaração do governador Jackson Barreto à coluna de que foi informado que na segunda-feira tinha chegado uma "mala preta" no PSDB. "Sou presidente do partido e não recebi mala nenhuma. Tenho uma boa relação com Jackson, a quem respeito, mas é uma mentira deslavada essa declaração", disse.

Tudo passa
Revela Roberto que o que tem chegado à sede do PSDB é material de campanha, a exemplo de adesivos e bandeiras, vindo do Comitê Central de São Paulo. "Eleição passa e amizade é que fica", afirma o presidente tucano.

Sentimento
Adversário de Jackson Barreto nas eleições deste ano, tendo perdido por mais de 122 mil votos, o senador Eduardo Amorim (PSC) declarou ontem que em nenhum momento se considerou "um derrotado". "Apenas uma parte do sergipano decidiu escolher outro gestor para gerenciar o Estado neste momento, mas não sou derrotado, pelo contrário", afirmou.

A favor do
afastamento
Amorim defende que o chefe do Executivo deva se licenciar do cargo para disputar a reeleição. Para ele, um prefeito, governador e presidente da República concorrendo a reeleição no exercício do cargo configura "uma eleição desigual".

Expulso
Após as eleições de 05 de outubro o DEM expulsou o suplente de vereador por Aracaju, Júnior Torres, por "desrespeito" ao estatuto do partido. Durante a campanha eleitoral, Júnior Torres, como presidente da Juventude do DEM, apareceu no programa eleitoral do candidato a senador Rogério Carvalho (PT) anunciando apoio ao candidato, após ter a convicção de que a candidata Maria do Carmo Alves (DEM), sendo reeleita, quem vai assumir sua cadeira no Senado é empresário Ricardo Franco (PTB).

Sem prisão
De acordo com o Art. 236 do Código Eleitoral, desde ontem nenhum eleitor poderá ser preso. Salvo em casos de flagrante delito, em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável ou por desrespeito a salvo-conduto. A lei se aplica até o dia 28 de outubro, ou seja, 48 horas após a eleição.

Veja essa...
O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, Júlio Lambertson Rabello, nomeou em seu gabinete, em 2010, como assistente, a personal trainer Alessandra Pereira Evangelista. Ela dava expediente na residência do conselheiro, das 8h30 às 10h30, prestando seus serviços de personal trainer a ele e a mulher. Descoberto o escândalo, o Tribunal exonerou a profissional de Educação Física. Esse é o retrato de vários TCE´s.

Curtas
De Maruim chega a informação que o prefeito Jeferson Santana não paga há dois meses o salário dos servidores concursados e há oito meses o vencimento dos prestadores de serviço.

Será no dia 17 de novembro, na sede do Ministério Público Eleitoral, a posse do promotor Rony Almeida como procurador-geral de Justiça de Sergipe. A sua nomeação pelo governador no mesmo dia da eleição para a lista tríplice foi anunciada ontem com exclusividade pela coluna.

O senador licenciado Eduardo Amorim reassume no próximo dia 21 de novembro o seu mandato no Senado. O segundo suplente Kaká Andrade é quem está no exercício do cargo há três meses, mediante acordo político.

Estará hoje em Aracaju o ministro das Cidades, Gilberto Occhi, para assinatura de contratos na ordem de R$ 234.696.205,60 em habitação e saneamento nas cidades de Tobias Barreto, Lagarto, Estância, Aracaju e Nossa Senhora de Socorro. As solenidades iniciarão às 9h.

A coluna presta solidariedade a família do líder sindical e militante do PCdoB, José Souza, que faleceu ontem, em um hotel em Fortaleza, provavelmente vítima de um infarto, aos 56 anos. Souza era um guerreiro.