"Corrida do ouro"

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 24/09/2014 às 22:49:00

rittaoliveira@jornaldodiase.com.br  -  rittaoliveira@uol.com.br

Em conversa com a coluna, o candidato a governador Jackson  Barreto (PMDB) classificou como "desespero" as acusações de Edivan Amorim contra ele no horário eleitoral gratuito da segunda-feira e na sua emissora de rádio ontem.
Avalia que Edivan anda "muito nervoso" porque não conseguiu os R$ 3,5 milhões da Caixa Econômica Federal (CEF), que tinha dado como garantia os mesmos bens para o empréstimo de R$ 55 milhões no Banco do Nordeste do Brasil (BNB).

"Edivan lidera um grupo que está louco para tomar o poder. Ele e o rebanho de amigos falidos. Todos sonham em chegar ao governo e voltar a se equilibrar financeiramente. Vergonhoso é a família tradicional de Sergipe ser envolvida na corrida do ouro", declarou Jackson.  
Segundo JB, seus adversários estão sentindo o "cheiro da derrota". "Sabem que não vão mais ter como contar com o dinheiro na mão. Edivan e aliados da família tradicional estão quebrados e falidos".
O candidato questiona a explicação de Edivan sobre o apartamento milionário em que reside estar no nome da companheira. "Quem deu o dinheiro a esposa? Ela não é rica, não herdou e não ganhou na loteria. Ele precisa justificar a origem do dinheiro para comprar um apartamento que vale de R$ 3 milhões a R$ 4 milhões".

Revela que o que Edivan fez foi apresentar a mulher como "laranja do imenso laranjal", assim como a mãe que disse ser proprietária da empresa Sisan junto com a mulher. "Por conta disso, uma senhora de respeito e de idade responde processo de crime tributário. Esse senhor não respeita nem a mãe. Quem é capaz de fazer isso com a própria mãe?", questiona.

Ainda segundo JB, todo empresário que tem vida honesta e honrada tem bens no seu nome e não no nome de mãe, mulher e sobrinhos. "Coincidentemente o seu irmão Eduardo Amorim, que diz que é de família pobre, tem uma casa no condomínio mais caro de Sergipe, orçada entre R$ 3 milhões e R$ 4 milhões, estando o imóvel também no nome da mulher. Qual o pobre que tem esse dinheiro? Esse assunto é para a Receita Federal e a Polícia Federal", avalia.  

O candidato a governador disse que não vai responder no horário eleitoral as acusações de Edivan Amorim contra ele. Garante que o programa vai continuar mostrando obras do governo e suas propostas para o novo governo. "Não tenho porque responder, pois não disponho de nenhum laranjal na vida. Nunca comprei um sítio na região da citricultura", alfinetou.
"Ele pode falar o que quiser que não vou bater boca com ele. Quem é Edivan Amorim? Nunca o conheci  como nada. Ele que vá bater boca com a polícia e a Justiça, prestar contas dos seus crimes. Edivan, durma tranquilo. Eu durmo tranquilo", finalizou Jackson Barreto.

Decepção 1
Para o candidato a governador Jackson Barreto (PMDB) a "maior decepção foi ver Laurinho da Bomfim sentado com o candidato a governador laranja Betinho (PTN), que é pago para me agredir nos programas de televisão". Revela que ele só não sabia que era Laurinho quem financiava.

Decepção 2
"Até onde você chegou Laurinho? Não pensava que fosse capaz de fazer isso comigo, até porque é filho de um homem e uma mulher de bem e honrado. Não esperava que você se prestasse a esse tipo de coisa. Minha avó dizia que 'quem com porcos se mistura, farelos come'. Veja onde você acabou chegando, o que inclui a falência das suas empresas. Quem tem a família honrada que você tem não era para andar com Edivan Amorim", alfinetou Jackson.

Novos ataques 1
Depois de aparecer no horário eleitoral gratuito dos candidatos a deputado estadual respondendo as acusações contra ele, Edivan Amorim foi ontem a sua emissora de rádio continuar criticando o candidato Jackson Barreto. Falou da insegurança no Estado, dizendo que tem mais bandido fora que dentro da penitenciária, que o servidor público não tem reajuste há 3 anos, enquanto o governo paga jornalistas e radialistas, assim como filhos e mulheres de aliados que não trabalham e ganham um alto cargo comissionado.

Novos ataques 2
Amorim voltou a dizer que o Estado está quebrado e vem quebrando empresas prestadoras de serviço por não repassar o dinheiro para que pague os empregados; e que está utilizando recursos do Proinveste para outros fins. Declarou que o governo de JB é o da "mentira e da enganação".

Novos ataques 3
Contou que em 2010 Jackson Barreto, que foi candidato a vice-governador de Marcelo Déda, andou atrás dele o tempo todo. E que hoje esculhamba com ele, como já esculhambou com todo mundo. Disse que Jackson, com todos os processos que teve contra ele, não podia falar dele.

Na defesa
Edivan também rebateu as críticas por ser o articulador da campanha do irmão Eduardo Amorim. "Se servi para ser o articulador de Valadares, Déda e Jackson, por que não sirvo para ser o articulador da campanha do meu irmão? Não tenho vocação para ser candidato a governo e não tenho interesse em fazer interferência no governo. Tenho minha vida resolvida, mas não peçam para não ajudar o meu irmão".   

Direito de resposta
Jackson Barreto disse ontem que a sua assessoria jurídica já pediu na Justiça o direito de resposta às acusações de Edivan Amorim feitas ontem contra ele na sua emissora de rádio, a Ilha FM, por uma hora. "Quero ir para a rádio responder", afirmou.

Ponto de vista
Do candidato a governador JB sobre as aparições de Edivan Amorim no rádio e na televisão desde a segunda-feira: "Cada vez que ele aparece tira mais votos do irmão candidato Eduardo Amorim".
Reunião
Jackson e o candidato ao Senado Rogério Carvalho (PT) se reuniram ontem com prefeitos, vereadores e lideranças políticas para acertar as últimas ações de campanha. JB pediu aos aliados para nesta reta final triplicar o trabalho nas ruas e intensificar as ações nos povoados. Disse que a linha de trabalho é a avaliação de quanto esse Estado cresceu, desenvolveu, melhorou a qualidade de vida das pessoas a partir do governo de Lula, Dilma e Déda. Também falou da importância de eleger Rogério Carvalho e os deputados da base aliada.  

Reunião tucana
O coordenador da campanha do presidenciável Aécio Neves (PSDB), o vice-governador José Thomaz Nonô (DEM) se reuniu ontem, em Aracaju, com os tucanos José Carlos Machado, Augusto Franco Neto e Roberto Góes. Tratou da campanha de Aécio em Sergipe e passou o cenário do processo eleitoral nacional e regional.
Reação do PSB 1
O presidente estadual do PSB, Paulo Viana, disse ontem que o partido vai processar civil e criminalmente o candidato a deputado estadual pela legenda, Manoel Sukita, pelas várias acusações contra o PSB e dirigentes por ter protocolado no Tribunal Regional Eleitoral o pedido de renúncia da sua candidatura na segunda vez que foi preso. Sukita voltou a ser preso no mês passado pela Polícia Federal, mediante acusações de improbidade administrativa, lavagem de dinheiro e desvio de recursos públicos quando prefeito de Capela.

Reação do PSB 2
Sukita chegou a acusar o partido de ter fraudado a sua assinatura, o que foi comprovada a autenticidade mediante exame grafotécnico feito a pedido do PSB. Inconformado com a decisão do pleno do TRE, que por unanimidade, em duas decisões considerou legítimo e verdadeiro o seu ato de renúncia, ele passou a denegrir a imagem do partido e dos seus membros para fugir dos devidos esclarecimentos à sociedade e à justiça, disse Paulo Viana.

Última chamada
Os eleitores que perderam o título de eleitor e precisam pedir a segunda via devem procurar o cartório eleitoral mais próximo nesta quinta-feira (25), último dia para a emissão do documento antes das eleições gerais do próximo dia 5 de outubro.

Veja essa...
De Jackson Barreto sobre o desafio feito ontem por Edivan Amorim para um debate após as eleições no dia, hora e local que quiser: "Pode esperar sentado. Vou continuar no meu nível. O poder não tem lugar para Edivan nem aliados quebrados que sonham botar a mão no Estado".

Curtas
Na agenda de Jackson Barreto de hoje consta mini carreata, na Taiçoca de Fora, na sede de Nossa Senhora do Socorro, no Conjunto Jardim e no Parque dos Faróis. A concentração é a partir das 18h, na Rodovia das Indústrias.

Já na agenda de Eduardo Amorim tem panfletagem na Rua Laranjeiras esquina com a Av. Pedro Calazans, às 7h; gravação para o programa eleitoral, às 8h; reunião com a Força Sindical, às 11h30; e grande caminhada, com concentração na Igreja do Lamarão, às 14h.

A TV Sergipe fez ontem reunião com assessores dos três candidatos a governador com representatividade na Câmara dos Deputados que vão participar do debate a ser realizado no dia 30, após a novela Império. Discutiu as regras do debate e sorteio da posição no vídeo de Jackson Barreto, Sônia Meire e Eduardo Amorim.

O debate terá três blocos, sendo os dois primeiros de perguntas livres, e o terceiro de considerações finais. O mediador será o jornalista da Rede Globo Ernesto Paglia.

Já o debate da TV Atalaia com os três candidatos será nessa sexta-feira, dia 26, às 22h40. Ele terá cinco blocos e o mediador será o jornalista Gilvan Fontes.

Contagem regressiva: faltam 11 dias para as eleições 2014.