Repercute mal

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/08/2014 às 00:39:00

rittaoliveira@jornaldodiase.com.br  -  rittaoliveira@uol.com.br

Nos quatro cantos da capital sergipana só se fala no pedido de licença de 45 dias do prefeito João Alves Filho (DEM) para interesse particular. O tom que prevalece é o de críticas por se afastar do comando da Prefeitura de Aracaju nesse momento que a cidade enfrenta graves problemas na saúde, na mobilidade urbana e com buracos para trabalhar na campanha eleitoral do candidato a governador Eduardo Amorim (PSC) e da mulher candidata a reeleição para o Senado, Maria do Carmo Alves (DEM).

Muitos não estão digerindo bem a licença de João Alves, mesmo sem remuneração.  Acham que ele foi eleito prefeito para administrar a capital e resolver seus problemas, conforme prometido na campanha eleitoral de 2012, e não para se afastar para fazer campanha para outros candidatos.

Essa discussão sobre a licença de João Alves, aprovada pela Câmara Municipal na última terça-feira, também vem acontecendo no Poder Legislativo. O primeiro a abordar a questão foi o vereador Iran Barbosa (PT). Chegou a declarar anteontem, em plenário: "Aracaju ficará sem o seu prefeito, que foi eleito para gerir a cidade, por 45 dias que coincidem com os dias que antecedem ao processo eletivo de 5 de outubro. É bom que a população acompanhe e avalie sobre como são colocadas as prioridades por essa Administração e pelo prefeito da cidade".

Já ontem, Iran Barbosa voltou a se manifestar sobre o tema e disse que considera inconveniente a licença do prefeito diante do quadro de problemas vividos pela população aracajuana. "Quem foi eleito para ser prefeito foi João Alves Filho", frisou.

A vereadora Lucimara Passos (PCdoB) declarou que a licença de João Alves é uma "demonstração de que abandonou de vez a cidade". Disse que Aracaju está em crise e agora sem o comando daquele que foi eleito pelo povo para governar o município. "A cidade está na inércia, estamos com a sensação de que não existe gestor. Faltam medicamentos nos postos, condições de trabalho aos profissionais e as ruas cheias de buracos. O prefeito foi eleito para ser prefeito, não para se esconder e fazer campanha".
Diante do fogo inimigo da oposição, aliados do prefeito foram em sua defesa. O vereador Renilson Félix (DEM) disse que não via motivos para divergências. Revelou que o prefeito deu uma lição de democracia e respeito com a coisa pública ao se licenciar. "Se João Alves não tivesse solicitado a licença a oposição iria dizer que ele estaria usando a máquina pública para ajudar na campanha. Vamos auxiliar a José Carlos Machado administrar. Ele assume, dando continuidade ao trabalho que vem sendo realizado por João", afirmou.

O líder da bancada do prefeito na Câmara, Dr. Agnaldo (PR), também defendeu o seu afastamento. "Não ficamos sem prefeito, pois José Carlos Machado assume e é um político com uma larga experiência". O vice-líder do prefeito, Anderson de Tuca (PRTB), disse não ver problemas no afastamento, que é uma oportunidade para o vice-prefeito assumir o comando da cidade e que tudo não passa de "comentários maldosos de pessoas que querem destruir a imagem de João Alves".
Se vai haver sequelas políticas, só o tempo vai dizer ...

Expectativa
Não aconteceu ontem de manhã a passagem do cargo de prefeito de João Alves (DEM) para o vice José Carlos Machado (PSDB), como anunciado. Até ontem à noite, por volta das 19h, a Secom do município não tinha informações quando o prefeito se licenciaria.  JAF deve está avaliando o desgaste político.

É a campanha
Na manhã de ontem os deputados estaduais aprovaram a redução do número de sessões plenárias na Assembleia Legislativa, em setembro, mês que antecede ao das eleições deste ano. Foi aprovado que haverá sessões plenárias somente às terças e quartas-feiras, podendo haver reunião das comissões nas segundas-feiras quando houver convocação.

Salário
A folha de pagamento dos servidores da Prefeitura de Aracaju do mês de agosto, excepcionalmente, será creditada nos três bancos de costume: Banco do Brasil, Caixa e Banese. A medida é porque somente na última terça, a PMA obteve na justiça a suspensão da liminar que sustava a venda da folha de pagamento para a Caixa Econômica conseguida pelo Sindicato dos Bancários.  
Pró-Marina
Na tarde de anteontem foi criada a Frente Suprapartidária Marina 40 - presidente do Brasil, durante reunião na sede do PSB. Apoiam a frente lideranças não só do PSB, mas de outros partidos como Solidariedade, PPS, PHS e PPL, a exemplo do deputado estadual Gilmar Carvalho (SDD), o candidato a deputado federa Nilson Lima (PPS) e o ex-deputado federal João Fontes (sem partido).

Veto
A presidenta Dilma Rousseff vetou integralmente o Projeto de Lei 104/2014, que tratava da criação, incorporação, fusão e o desmembramento de municípios. A proposta, aprovada no começo de agosto pelo Senado, substituía um outro projeto sobre o mesmo assunto, vetado integralmente por Dilma no fim do ano passado. O veto foi publicado ontem no Diário Oficial da União.

Inviabilizado
Se Dilma não vetasse o projeto poderiam ser criados mais 15 municípios em Sergipe, passando a dispor de 90. Se discutiu a possibilidade de transformar em municípios os seguintes povoados ou conjuntos: Alagadiço e Mocambo (Frei Paulo), Nossa Senhora do Patrocínio (Brejo Grande), São José do Itamirim (Itabaianinha), Nossa Senhora de Fátima e Luzinópolis (Porto da Folha), Samambaia (Tobias Barreto), Rosa Elze (São Cristóvão), Veracruz (Riachão do Dantas), Treze e Jenipapo (Lagarto), Escurial (Nossa Senhora de Lourdes), Santa Rosa do Ermírio e Sítios Novos (Poço Redondo) e São Mateus da Palestina (Gararu).

Agenda EA
Na agenda hoje do candidato Eduardo Amorim tem gravação para o programa eleitoral, às 7h; reunião com representantes do Fórum Empresarial, às 11h30; debate promovido pela Associação Comercial de Sergipe, às 12h; inauguração do Comitê Eleitoral em Nossa Senhora do Socorro, no Marcos Freire II, às 16h; entrevista a um portal, às 17h; e, por fim, encontro com lideranças e carreata em Capela, que comemora a  Emancipação Política, às 18h.
Agenda JB
Já o candidato Jackson Barreto tem apenas entrevista na Ouro Negro FM, em Carmópolis, ao meio-dia, e às 19 faz carreata no bairro Santos Dumont, com concentração na praça da Avenida Maranhão.

Cobrança 1
Ontem, durante discurso em plenário, o senador Kaká Andrade (PDT-SE) pediu ao Ministério dos Transportes e ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) a imediata conclusão da duplicação da BR-101 no trecho que vai da cidade de Propriá, na divisa com Alagoas, ao distrito de Pedra Branca, no município de Laranjeiras, em Sergipe.

Cobrança 2
Ele reclamou que a obra, reiniciada em 2010, vinha em ritmo lento, até ser paralisada. Segundo o senador, isso tem gerado graves prejuízos econômicos, ambientais e sociais ao estado. Além disso, a população sergipana e os motoristas que utilizam a rodovia sofrem com constantes acidentes, que deixam mortos e feridos.

Registro
Há 141 proposições atualmente em discussão na Câmara dos Deputados que tratam de corrupção. São projetos de lei, propostas de emenda à Constituição (PECs), propostas de fiscalização e controle e requerimentos. O projeto mais antigo é de 1990 e trata dos crimes de responsabilidade cometidos por autoridades (PL 6125/90). Pelo menos 20 projetos tramitam na Casa há mais de dez anos. Dados mostram que apesar disso o Brasil ocupa apenas o 72º lugar no ranking dos países menos corruptos.

Ponto de vista
Para o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), o sergipano Carlos Ayres Britto, as origens da corrupção no Brasil são históricas e remontam à colonização do país pelos portugueses. "Imaginemos neste Estado imenso de 8,5 milhões de quilômetros quadrados e todo mundo se apropriando à vontade, sem cerimônia do que era público, praticando o mais desbragado patrimonialismo, nepotismo, indistinção absoluta entre o público e o privado. Imaginemos o que não surgiu de cumplicidade, de complacência, de vista grossa, de leniência, de impunidade, esse caldo de cultura não nos favorece até hoje. Então, a corrupção no Brasil é endêmica, é renitente, é persistente, é capilarizada, faz parte de uma mentalidade coletiva", afirma.

Veja essa...
Os comentários ontem nas rodas políticas foi o nervosismo do candidato a governador Eduardo Amorim no debate da TV Cidade, a ponto de ao ser questionado pelo adversário Jackson Barreto sobre sua proposta para mobilidade urbana, respondeu que iria duplicar as BRs federais.

Curtas
O governador Jackson Barreto assina hoje, às 9 horas, a ampliação do teto do Simples, reivindicação dos empresários sergipanos.

Hoje tem festa em Itabaiana e Capela, em comemoração à emancipação política dos dois municípios. Não vai faltar político nos dois municípios em busca de voto.

O ex-prefeito Sukita, que nos últimos meses foi preso duas vezes pela Polícia Federal por improbidade administrativa e lavagem de dinheiro, deve fazer a festa em Capela. Solto recentemente, ele é candidato a deputado estadual.

Anteontem à noite, na Barra dos Coqueiros, aconteceu a inauguração da sede do Diretório do PT no conjunto Prisco Viana. Na oportunidade, a coordenadora da campanha de Dilma Rousseff em Sergipe, Eliane Aquino, relembrou o carinho do ex-governador Déda pelo município e pediu votos para Dilma e Jackson Barreto.

Sílvio Santos foi recebido por lideranças e moradores do bairro Rosa Elze, em São Cristóvão, onde recebeu o apoio de lideranças locais. O encontro contou com a presença do deputado federal e candidato à reeleição, Marcio Macedo, e de Chico Buchinho, além de representantes da Juventude do Partido dos Trabalhadores (JPT), que manifestaram apoio ao candidato.

Começa nesta quinta-feira o prazo para os candidatos, partidos políticos e comitês eleitorais apresentarem a segunda parcial de prestação de contas de campanha à Justiça Eleitoral. O prazo acaba no dia 2 de setembro e a divulgação dos dados da segunda parcial será no dia 6 de setembro.

rittaoliveira@jornaldodiase.com.br  -  rittaoliveira@uol.com.br