PSB pode rachar

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/08/2014 às 00:29:00

Com a morte do presidenciável Eduardo Campos (PSB) em um acidente aéreo na última quarta-feira, o PT já começou a operar na tentativa de fazer com que o PSB abra palanques nos estados para a presidente Dilma Rousseff.
Segundo informações de O Globo, a intenção é rachar a sigla ex-aliada e fazer com que setores regionais do partido embarquem na campanha de Dilma, o que enfraqueceria uma eventual candidatura da ex-senadora Marina Silva, que era vice na chapa de Eduardo Campos. Ela deve ser o nome escolhido para substituir Campos.

Ainda de acordo com o jornal, interlocutores do PT já começaram a assediar líderes do PSB em estados onde há uma boa relação entre as duas siglas, como Bahia e Sergipe. Em meio a esse processo, a própria Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ligaram para Roberto Amaral, presidente do PSB, que assumiu a responsabilidade de conduzir o processo para a nova candidatura.
O PT deve estar apostando na animosidade que existe entre Roberto Amaral e a candidata a vice-presidente Marina e, ainda, no fato dele ser muito vinculado politicamente a Dilma e a Lula, tendo sido, inclusive, contra o PSB romper com o governo e lançar o nome de Eduardo Campos. Defendia a continuidade da aliança PSB/PT.

Com certeza o PT aposta ainda no fato de Marina, cotada para ser a candidata do PSB ao Planalto, não ter um grande vínculo com o partido. Isso porque ela somente se filiou a legenda, recentemente, por não ter conseguido junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o registro do seu partido clandestino, a Rede.
Em Sergipe, não haveria nenhuma dificuldade do PSB apoiar a reeleição de Dilma Rousseff. O partido integra a aliança do candidato a governador Jackson Barreto (PMDB), que vota com Dilma e tem como candidato ao Senado o deputado federal do PT, Rogério Carvalho.

Sem falar que o senador Antônio Carlos Valadares e o deputado federal Valadares Filho sempre foram aliados do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff, chegando o senador Valadares a integrar o conselho político da presidente.
A muito custo, Eduardo Campos conseguiu costurar a unidade dos socialistas em torno do seu nome ao Planalto, mas sua saída de forma prematura e repentina do cenário eleitoral brasileiro dificilmente manterá essa unidade no PSB. O racha é certo no partido socialista, só não se sabe ainda em que proporção ...

Novo presidente
Desde a semana passada que o secretário-geral do PSB, Paulo Viana, assumiu a presidência do partido em Sergipe em razão do afastamento do deputado federal Valadares Filho (PSB) para disputar a reeleição.

Não acredita
Como presidente do PSB, Paulo Viana afirmou que não passa de boatos comentários de que conversas estão ocorrendo para uma divisão do partido com apoio a Dilma Rousseff. "Isso não existe. Não tem discussão alguma nesse sentido. Todos estão traumatizados ainda com a morte de Eduardo Campos e Pedrinho Valadares", garante.
Ponto de vista
Revela Viana que ele espera que o PSB continue marchando junto e unido como homenagem e gratidão a Eduardo Campos. "O presidente nacional do PSB e nosso candidato a presidente da República se foi, mas as suas ideias e propostas devem continuar. Devemos seguir com seu plano de governo e lutar para que prevaleça".

Sentimento
Paulo Viana lamentou ainda que infelizmente quando iniciar o programa eleitoral gratuito no rádio e na televisão, no próximo dia 19, não será apresentada a novidade para o Brasil: Eduardo Campos. "Tenho certeza que ele teria um crescimento fantástico, com um plano de governo para mudar o Brasil".   

Afunilando conversa
Dirigentes do PSB devem se reunir na próxima segunda-feira, no Recife, para definir a substituição de Eduardo Campos na disputa à Presidência da República, nas eleições deste ano. A confirmação da reunião estará associada ao dia em que o ex-governador de Pernambuco for enterrado, o que deve ocorrer nesse domingo, uma vez que políticos do Brasil todo estarão presentes ao velório e sepultamento. Somente na quarta-feira deve ser batido o martelo sobre a decisão do partido de quem será o candidato ao Planalto no lugar de Eduardo.

Sepultamento
O corpo do ex-deputado federal Pedrinho Valadares, morto no desastre aéreo que também vitimou Eduardo Campos e mais cinco pessoas, deve chegar hoje à noite em Sergipe. Em razão disso, o seu irmão Emerson Valadares disse ontem que o sepultamento acontecerá no domingo, na Colina da Saudade, em Aracaju.

FAB
Os restos mortais de Pedrinho virão em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), que antes deixará no Recife os corpos de Eduardo Campos, do jornalista Carlos Augusto Filho, o Pecol, do cinegrafista Marcelo de Oliveira Lyra e do fotografo Alexandre Gomes e Silva. De Sergipe, o avião seguirá para Minas Gerais para levar o corpo do piloto Geraldo Magela e, por fim, para o Paraná levando os restos mortais do outro piloto Marcos Martins.

De carona
Estarão no avião, que passará em Recife para deixar os corpos dos três pernambucanos, o senador Valadares, que é tio de Pedrinho Valadares; Valadares Filho, que é primo; o irmão de Pedrinho, Emerson Valadares; e o empresário Augusto Franco Neto. Também estarão na aeronave o governador de Pernambuco, João Lira, o prefeito de Recife Geraldo Júlio e outros parlamentares de Pernambuco.    

Mais pedaços
Fragmentos de restos mortais das vítimas do acidente aéreo que vitimou Eduardo Campos e mais seis pessoas foram encontrados na manhã de ontem no local do acidente com o jatinho. Segundo o capitão Marcos Palumbo, porta-voz do Corpo de Bombeiros, além de fragmentos dos corpos das vítimas, foram ainda localizadas pequenas peças da aeronave. Os achados foram encaminhados para análise dos peritos do Instituto de Criminalística e do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

Visita 1
A viúva do ex-governador Marcelo Déda, Eliane Aquino, visitou anteontem à tarde a viúva de Eduardo Campos, Renata Campos. Ao levar solidariedade a Renata, Eliane falou da amizade de Déda e Eduardo e da semelhança entre a história que se abateu sobre as duas.

Visita 2
Eliane citou que Marcelo Déda e Eduardo Campos tinham um filho pequeno com síndrome de down, eram nordestinos, jovens, morreram em São Paulo e deixaram filhos especiais. "Me disseram que um dia eu ia entender o porquê da vinda do meu filho. Você também, Renata", afirmou Eliane Aquino.

Visita 3
Renata respondeu que um padre também lhe havia feito essa afirmação. E lembrou que o batizado do filho Miguel aconteceu em uma igreja pequenina, exatamente um mês antes do acidente de Eduardo, por não querer um batizado grande de um filho de um futuro presidente.  O encontro das duas viúvas foi registrado pelo O Globo.

Déda
Ao falar ontem para a mídia nacional sobre a morte de Eduardo Campos, o ex-presidente Lula lembrou também da morte de Marcelo Déda, em 02 de dezembro do ano passado, vítima de um câncer, que, como Campos, era uma liderança jovem que morreu prematuramente.

ICMS
O Governo do Estado já repassou para os municípios um total de R$ 50.943.521,99 referente ao ICMS do mês de julho. Os municípios mais contemplados com o imposto foram Aracaju (R$ 12.997.183,00), Canindé do São Francisco (R$ 5.306.509,68), Laranjeiras (R$ 3.238.606,79), Estância (R$ 2.832.078,56), Nossa Senhora do Socorro (R$ 2.569.276,70), Rosário do Catete (R$ 1.731.683,48), Itabaiana (R$ 1.108.350,35)  e Lagarto (R$ 916.272,13).

Veja essa...
Do deputado federal Mendonça Prado (DEM): "Estou sofrendo as mais cruéis perseguições nesta eleição, mas não mudarei o meu posicionamento. Política se faz com coerência. Estão querendo calar a minha voz e impedir a liberdade de expressão. Lastimavelmente, Sergipe vive um clima de perseguição política iníquo".

Curtas
Nos dias 20 e 21 de agosto estará em campanha por Sergipe o candidato a presidente da República pelo PCB, professor Mauro Iasi.

Os dois principais candidatos a governador do Estado mantiveram a agenda suspensa ontem em razão das mortes de Eduardo Campos e Pedrinho Valadares.

Jackson foi apenas à procissão em Campo do Brito, pela manhã. "A fé é o que nos mantêm fortes. Mesmo com a agenda política suspensa, não pude deixar de comparecer a procissão de Campo do Brito", disse.

Eduardo Amorim também compareceu a um ato religioso ontem. Foi à procissão em Nossa Senhora da Glória, pela tarde. Além da procissão, concedeu entrevista.

O primeiro programa eleitoral do candidato a reeleição de deputado federal Valadares Filho será de homenagem ao presidente nacional do seu partido, Eduardo Campos.