João leva parte do DEM

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/06/2014 às 00:59:00

Desde que iniciou o processo de negociação para formação das alianças para as eleições deste ano que o deputado federal Mendonça Prado (DEM) trabalhou para inviabilizar que o seu partido viesse a apoiar a candidatura do senador Eduardo Amorim (PSC) para o governo. Ele, inclusive, chegou a colocar o seu nome à disposição para ser o candidato a vice de Jackson Barreto (PMDB).
Paralelo a isso, Mendonça Prado não poupou críticas públicas ao seu desafeto político Eduardo Amorim. Não faltaram declarações do tipo: "os irmãos Amorim não estão preocupados com o desenvolvimento do Estado, mas com seus projetos pessoais"; "os Amorim não querem construir um futuro para Sergipe, mas constituir patrimônio se utilizando do Estado"; "não apoiará quem tem problemas com o Judiciário".

Mendonça disse ainda que seria um grande equívoco do seu partido apoiar Eduardo Amorim, até porque quem manda é o seu irmão Edvan Amorim, que tem "ficha corrida". Declarou várias vezes que o DEM tinha que apoiar quem tem projetos para Sergipe, no caso, Jackson Barreto.
Indiferente a essas críticas do genro deputado, com o apoio da mulher Ana Alves, o prefeito de Aracaju e líder do DEM, João Alves Filho, reuniu a Executiva Estadual pela manhã e à tarde, durante coletiva à imprensa, oficializou apoio a pré-candidatura de Eduardo Amorim.

João disse que essa sua decisão foi "extremamente pensada e sensata" e não foi pensada na base da emoção, mas após grande reflexão. "Conversei com todos os candidatos, Jackson Barreto e Eduardo Amorim. Levei em conta as questões da terra e nacional. Cheguei a conclusão que para os interesses de Sergipe e do Brasil a melhor alternativa é o senador Eduardo Amorim e Aécio Neves", declarou.
Não foi surpresa alguma essa decisão de João Alves em apoiar Eduardo Amorim, que se fortalece com esse apoio. Até porque terá na chapa majoritária a senadora Maria do Carmo Alves (DEM), que disputará a reeleição ao lado de Amorim.
Resta saber as consequências para o DEM em apoiar Eduardo Amorim, pois com o partido dividido e a posição radical de Mendonça Prado pode respingar tanto na sua reeleição de deputado federal quanto na da senadora Maria do Carmo.

Na reunião
O prefeito João Alves Filho (DEM) disse que na reunião da Executiva Estadual do partido, realizada pela manhã, a grande maioria decidiu pelo apoio ao senador Eduardo Amorim (PSC). "A reunião foi um sucesso. Existe o apoio da grande maioria. A expectativa é sairmos unidos", afirmou, enfatizando que vai conversar depois com o genro, o deputado federal Mendonça Prado (DEM), e a filha Ana Alves.

Paciência
João Alves pediu paciência ao genro pela sua posição contrária a Amorim e a decisão do DEM de apoiá-lo. Citou o ex-presidente Tancredo Neves, que lhe ensinou que das 10 qualidades de um home sete tem que ser "paciência".

Em frente
Com relação à divisão do DEM, uma vez que os deputados estaduais Goretti Reis e Arnaldo Bispo, o prefeito Carlos Magno e o próprio Mendonça já declararam apoio a Jackson Barreto, o prefeito João Alves disse que toda "unanimidade é burra". "Ninguém vai imaginar que um partido, com milhares de filiados, vai agradar a todos. Seria uma ingenuidade. A maioria está conosco e vamos seguir em frente", frisou.

Alfinetada
Segundo João Alves, "discutir, ouvir faz parte da democracia, mas imposição não". Será que foi uma indireta ao genro Mendonça Prado?

Comportamento
De João Alves sobre como ficará a sua relação política com Jackson Barreto após a preferência por Eduardo Amorim: "Vou continuar com a minha posição política. Jackson já foi meu aliado. Ninguém vai ouvir de mim uma agressão a Jackson Barreto".

Ponto de vista 1
Para Eduardo Amorim, que compareceu à coletiva de João Alves acompanhado do coordenador da sua campanha, o deputado federal André Moura (PSC), o apoio do DEM vai fortalecer a sua caminhada. "A experiência de João Alves e Maria do Carmo vai ajudar a fazer um Sergipe muito melhor", frisou, enfatizando que espera o apoio do PSDB e de outros partidos à sua candidatura.

Ponto de vista 2
Ressaltou que considera natural o fato de alguns partidos que lhe apoiam ou possa lhe apoiar ter algumas lideranças que não votam com ele. "Não discuto questões internas de cada partido. Ninguém é obrigado a gostar de ninguém. As desavenças é um problema de cada partido", avalia.

O vice
Amorim disse ontem que ainda não está fechado o nome do seu candidato a vice-governador. Revelou que acredita que nas próximas horas deverá fechar a chapa e que o vice "tem que ser uma pessoa que confie e esteja disposto na caminhada".

Aliados do Planalto
O senador declarou ainda que não vê problema algum no fato do seu partido ter como candidato a presidente da República o pastor Everaldo e apoiar também em Sergipe o senador tucano Aécio Neves para o Planalto. Informa que vai subir no palanque dos dois. "No segundo turno todos estarão juntos. Tenho essa convicção".

Recurso ao Judiciário
O deputado federal Mendonça Prado (DEM) afirmou ontem que não vai mudar de posição com relação a Eduardo Amorim e que vai à Justiça para requerer o direito de disputar a reeleição e o tempo de televisão, que é do seu partido.

Determinação
"Reconheço que estou em uma posição difícil por conta de palanque e participação no programa eleitoral gratuito. Vou fazer a campanha em cima de um tamborete e com microfone na mão, mas não vou mudar minhas convicções", garante.

Correndo atrás 1
A presidente do PSDB Mulher, Grace Franco, continua defendendo a homologação do seu nome como candidata ao governo. Reconhece que está enfrentando dificuldades dentro do seu partido para viabilizar sua candidatura, mas vai lutar para que isso aconteça.

Correndo atrás 2
Grace Franco, que é filha do empresário Walter Franco, entregou na última segunda-feira o pedido de registro da sua candidatura a governadora de Sergipe. Fez isso após conversar com a cúpula nacional do PSDB, que segundo ela, desconhecia o seu interesse em ser candidata ao governo.

O caminho
O ex-prefeito Edvaldo Nogueira, que não deve conseguir emplacar o seu nome como candidato ao Senado, deverá ser candidato a deputado federal ou a deputado estadual. Se ele for federal, o padre Inaldo será candidato a estadual e se Edvaldo for para estadual o padre irá para federal.

Indefinição 1
O bloco dos 10 partidos nanicos ainda não bateu o martelo com relação a chapinha que pretende criar para deputado federal e para deputado estadual. Foi o que informou ontem à coluna o secretário-geral do PPS, Nilson Lima, que disse ainda que não existe unidade também com relação a quem o bloco vai apoiar para o governo.

Indefinição 2
Revela Nilson que no bloco tem quem deseje apoiar Eduardo Amorim e Jackson Barreto. Informa que o pré-candidato Amorim já deu sinal verde para chapinha proporcional de federal e estadual. Já o de Jackson sinalizou apenas para chapinha para deputado estadual. O caminho do bloco é diminuir e apoiar Eduardo Amorim.

Convenção nacional
Os Valadares e demais delegados de Sergipe participam hoje, em Brasília, da convenção nacional do PSB que homologará as candidaturas de Eduardo Campos para presidente e Marina Silva para vice. A do PCdoB foi ontem, com a participação do ex-prefeito Edvaldo Nogueira e do presidente estadual Hallison de Souza. Os comunistas vão apoiar a reeleição de Dilma Housseff.

Piso
Tramita no Congresso Nacional o PL 2960/2011, de autoria do líder do PSC na Câmara Federal, deputado André Moura, que dispõe sobre o piso  salarial nacional dos jornalistas. De acordo com a propositura, o piso passa a ser de R$ 3.270,00 mensais, com jornada de trabalho de 30 horas semanais, e reajuste anual de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). A matéria está aguardando parecer do relator, deputado Roberto Santiago (PSD-SP) na Comissão de Trabalho e em seguida segue para a Comissão de Constituição.

Trabalhando no recesso
Por não ter ontem os votos suficientes para derrubar os nove vetos do governo ao Proredes, a presidente da Assembleia, Angélica Guimarães, convocou sessão extraordinária para a próxima terça-feira, 01. Além de votar os vetos, quando são necessários 13 votos para derrubá-lo, os deputados vão analisar o reajuste linear de 6,38% para os servidores públicos e implantação do Plano de Carreira, Cargos e Vencimento (PCCV).

Veja essa...
De Mendonça Prado sobre a sua situação com relação a decisão do DEM em apoiar Eduardo Amorim: "Não vou pedir voto para ninguém. Teria um infarto se procedesse dessa forma, sairia morto em uma maca. Isso pode me custar a eleição, mas não pedirei votos para Amorim".

... e essa ...
Do deputado estadual Augusto Bezerra (DEM) sobre formação da chapa proporcional: "Nesta eleição não tem espaço para Chapinha. Eleição se faz com Chapão de cada lado e ganha quem tem voto".

Curtas
Depois de passar o dia inaugurando obras e assinando ordens de serviço pelo interior, o governador Jackson Barreto participou ontem da abertura do Forró Siri, em Nossa Senhora do Socorro, ao lado do prefeito Fábio Henrique (PDT).

Na segunda-feira, o PDT deverá oficializar apoio à reeleição de Jackson Barreto, indicando o suplente de senador, que é Silvia Fontes, mulher de Fábio.

A grande maioria dos partidos faz sua convenção na segunda-feira, em suas sedes. O PSC realizará no Emes, a partir das 16h; o PCdoB fará no Sindicato dos Bancários, as 9h; o Solidariedade realizará convenção na Câmara Municipal de Aracaju, começando as 8h.

A do PT será na sede do partido, a partir das 15h. A do PSDB também será na sede do partido, a partir das 9h.
O ex-governador Albano Franco e o filho, o empresário Ricardo Franco, ficarão de fora das eleições deste ano. A decisão foi da família.

O prefeito João Alves Filho disse ontem que essa eleição será a mais importante das últimas décadas.  

O vice-prefeito José Carlos Machado (PSDB) participou ontem da reunião da Executiva do DEM. Teve quem achasse que ele marcou presença "como espião" dos irmãos Amorim, já que não é mais filiado ao DEM.

Na reunião do DEM, João Alves disse que o partido só não ficou com Jackson Barreto por conta do PT na chapa.

Participaram também da coletiva de João Alves a senadora Maria do Carmo e os deputados estaduais Augusto Bezerra (DEM), Venâncio Fonseca (PP), Paulinho da Varzinha (PTdoB) e Capitão Samuel (PSL).