Santa Maria pede legalização de táxi lotação

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/07/2012 às 14:42:00

Cândida Oliveira
candidaoliveira@jornaldodiase.com.br

Os moradores do bairro Santa Maria tiveram ontem transporte realizado em veículos de placas cinza gratuitamente. É que os moradores do bairro estão mobilizados para que a Prefeitura de Aracaju legalize o serviço de táxi lotação no local, que atualmente é clandestino. A comunidade reivindica a legalização alegando que existe grande demanda de transporte, já que os ônibus não são  suficientes.

A população já condiciona o voto a candidatos que defendam a regulamentação do serviço dentro do bairro. Segundo a Associação de Motoristas Auxiliares de táxis de Aracaju (Amata) a legalização dos táxis lotação do Santa Maria e em outros bairros é impossível, visto que a capital sergipana possui 2.079 táxis, número considerado mais que necessário para atender a comunidade. E os táxis estão sofrendo com a presença dos clandestinos.

Invasão - O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Táxi do Estado de Sergipe (Sintáxi), Manildo Ramos da Costa, disse que a entidade não vê o clandestino como táxi e sim invasores. "Eles tiram o pão de cada dia do trabalhador que paga seus impostos", reclama. Ele sugere que a SMTT libere alguns táxis bandeira para circular como táxi lotação, mas para isso é necessário policiamento ostensivo nas ruas. "Os clandestinos são muito violentos, então, caso a SMTT faça algum tipo de alteração, é necessário que haja polícia na rua, para dar proteção aos trabalhadores e passageiros", observa.

Para Manildo, o espaço que os clandestinos conseguiram se dá ao fato de não haver fiscalização atuante. "Eles já tem até cooperativa montada e os órgãos públicos competentes não atuam efetivamente. Até político se comprometendo em ajudar já existe", denuncia.

SMTT - Segundo o coordenador de Operação de Táxi, da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito de Aracaju, Diogo Crispim, não é possível que se criem mais vagas para táxi, pois a lei municipal 2.862, de 17 de setembro de 2000, proíbe a liberação de permissões.
"O Poder Executivo só concederá permissão de exploração de serviço de táxi quando a população atingir o coeficiente de um táxi para cada 800 habitantes", explicou ele. Aracaju hoje tem uma média de 600 mil habitantes, ou seja, o quantitativo de táxi é mais que suficiente.

No caso da liberação dos táxis já existentes para circular como lotação no bairro Santa Maria, Coroa do Meio, entre outras localidades, dependeria de uma autorização, para transformar táxis bandeira em lotação. "O que pode acontecer é criar linhas nos bairros, mas legalizar o que circula clandestinamente não é possível, por que não podemos permitir mais concessões", explica o coordenador.

De acordo com Diogo Crispim, usar o transporte clandestino é pôr em risco a própria vida, já que eles não passam por fiscalização. "Os taxistas precisam atualizar seu cadastro anualmente na SMTT, seus carros passam por vistorias, isso dá garantias ao passageiro de que está sendo transportado de forma segura", assegura.