Palanques diferentes

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/04/2014 às 00:32:00

São públicas e notórias as desavenças política e pessoal entre o genro do prefeito João Alves Filho (DEM), o deputado federal Mendonça Prado (DEM), e os irmãos Amorim. Elas ficam mais afloradas em ano de eleição, quando há troca de acusações.

Nos últimos dias, Mendonça Prado faz questão de deixar claro que não aceitará uma aliança do seu partido com o pré-candidato a governador Eduardo Amorim (PSC). O parlamentar, inclusive, tem declarado que vai lutar junto ao DEM para que o indique como candidato a vice-governador na chapa encabeçada pelo governador Jackson Barreto (PMDB).

Mendonça, inclusive, tem estado ao lado de Jackson Barreto em eventos do governo, a exemplo do ocorrido na última segunda-feira, em Lagarto, quando o governador foi assinar ordem de serviço e convênios referentes a investimentos de R$ 110 milhões no município.

Depois de ter feito novas críticas aos irmãos Amorim e ter sido "contra-atacado" nas redes sociais por assessores e partidários do senador Eduardo Amorim, o deputado enviou a imprensa uma nota girando, novamente, sua metralhadora contra seus desafetos políticos. Diz a nota:
A assessoria do senador Eduardo Amorim (ex-secretário estadual da saúde, demitido da pasta por incompetência e outros motivos), liderado pelo irmão, arremedo de empresário, Edvan Amorim, conhecido por ser frequentador assíduo dos tribunais brasileiros, suspeito de práticas delituosas passou a me atacar nas redes sociais. Desesperados com as minhas ações políticas, aqueles que só vivem envolvidos em atividades reprováveis, repudiadas pelos cidadãos de bem do estado de Sergipe entraram em pânico.
Quero deixar claro que as minhas atitudes se baseiam em convicções e, por essa razão, não abrirei mão dos meus ideais. Não compactuo e nem compactuarei jamais com malfeitores. A política exige das pessoas corretas posicionamentos firmes. Portanto, não claudicarei e nem aceitarei me aliar a eles porque sonho com o um estado melhor para os meus conterrâneos.

Não faço política com subterfúgios, pois assumo as minhas atitudes sem dissimulação. Não faço uso de terceiros para manifestar o meu pensamento. Desde que ingressei na vida pública em 1988 converso diretamente com o meu povo, pois acredito na boa fé e na honestidade da gente sergipana.
Por essas razões, a partir de agora farei um debate contundente. Não vou admitir que o nosso amado estado caia nas garras afiadas de quem almeja chegar ao Poder para desviar a finalidade do patrimônio público. Sergipe é muito maior do que as ambições desmedidas de oportunistas desatinados.

Trocando em miúdos, Mendonça Prado deixa claro que, pelo menos nas eleições deste ano, em hipótese alguma, ele estará no mesmo palanque que os Amorim. E, muito menos, aceitará que a sua mulher Ana Maria Alves, venha a ser suplente da senadora Maria do Carmo Alves (DEM) em uma coligação com o PSC, para que possa vir a assumir o mandato no Senado no caso da mãe se licenciar para ser secretária municipal de Ação Social.

Sem tempo
Em conversa ontem com a coluna, o senador Eduardo Amorim (PSC) disse que não teve tempo de ler as acusações do deputado federal Mendonça Prado (DEM) contra ele por ter passado o dia trabalhando pelo povo de Sergipe e quase sete horas na audiência pública no Senado em que foi ouvida a presidente da Petrobras, Graça Foster. "Ninguém merece estar com esse tipo de debate, da política da baixaria e da picuinha. Tenho mais o que fazer", afirma.

O caminho da Justiça
"Ninguém é obrigado a gostar de ninguém. O que achar que fui ofendido entrarei na Justiça. É legitimo. Só digo uma coisa, não orientei assessor a falar mal de ninguém, não é o meu perfil. Quem fala isso está mal informado. Os eleitores merecem coisa melhor", declara o senador.
Não vale a pena
Ainda segundo Eduardo Amorim, o momento é de dificuldade na história do país e de Sergipe. "Tem coisas mais sérias para se discutir, que coisas pessoais. Cada um tem que conquistar o voto pelo trabalho feito e não por agressões pessoais, que não levam a nada", avalia.

As dificuldades
Amorim cita o problema da Petrobras que já foi uma das maiores empresas do mundo e hoje é a mais endividada, com prejuízo de milhões de dólares de "forma dolosa". Com relação a Sergipe, fala da gravidade dos servidores públicos estarem há quase três anos sem reajuste, da violência, da saúde na UTI e da promessa de diminuir custos, sem que nada acontecesse. "Isso só diminui a política, não engrandece. O povo está desconfiado da atitude dos políticos com muitos prometendo e não fazendo. Sou da escola de que o que se promete tem de fazer", assegura.
 
Dia de eleição
O pleno do Tribunal de Justiça de Sergipe se reúne especialmente nesta quarta-feira para eleição do novo desembargador, na vaga de Geni Schuster que se aposentou compulsoriamente há mais de um mês por completar 70 anos. Três nomes estão no páreo: os juízes Iolanda Guimarães, João Hora e Gilson Felix.

Grande renovação
No próximo ano, quatro novos desembargadores também se aposentarão compulsoriamente por completar 70 anos. A primeira a se aposentar é Suzana Carvalho (6 de fevereiro), depois Marilza Maynard (10 de março), em seguida Maria Aparecida Gama (1º maio) e, por fim, o presidente do TJ, Claudio Déda (24 de outubro).

Decisão unanime
A 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Sergipe, em sessão ordinária realizada ontem, por unanimidade, negou provimento ao recurso impetrado pela presidência da Câmara Municipal de Cristinápolis, mediante decisão judicial de 1ª instância anulando eleição antecipada da Mesa Diretora para o biênio 2015/2016, realizada no meio do ano passado. O mandado de segurança pedindo a anulação foi impetrado pelos vereadores Landerrobson Jairon dos Santos Ribeiro (Landinho), Charles Pereira da Silva e Eugênio Ferreira Dias.

Festejando
O vereador Landinho (PP) comemorou muito a decisão da 1ª Câmara Cível do TJ em manter a decisão do juiz de 1ª instância, José Marcelo Barreto Pimenta, da Comarca de Cristinápolis, anulando a eleição que reelegeu presidente da Câmara José Menezes Lima. Lembra que eles entraram com mandado de segurança por considerarem "imoral e ilegal" antecipar em mais de um ano a eleição da Mesa Diretora.

Na frente
Segundo Landinho, essa decisão judicial em anular uma eleição antecipada da Mesa Diretora do Poder Legislativo é a primeira em Sergipe e, pelo que tem conhecimento, a primeira no Brasil.

Registro 1
Em fevereiro de 2012, a presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, Angélica Guimarães (PSC), fez escola ao antecipar em um ano a eleição da Mesa Diretora da Assembleia para o biênio 2013/2014, o que acabou provocando o rompimento do então governador Marcelo Déda com o seu bloco político. Até então, a eleição acontecia no máximo um mês antes do início do 2º biênio.

Registro 2
Como Angélica, o presidente da Câmara Municipal de Cristinápolis, José Menezes, também mudou o regimento interno. No dia 18 de junho de 2013 conseguiu aprovar resolução antecipando a eleição da Mesa Diretora da Câmara de Cristinápolis para o 2º biênio (2015/2016). A exemplo de Angélica Guimarães, o vereador Menezes foi reeleito presidente da Câmara um ano antes do início do segundo biênio.

Petrobras
Durante a exposição da presidente da Petrobras, Graça Foster, ontem na audiência pública no Senado, sobre a polêmica compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), pela estatal, o senador Valadares (PSB) propôs que seja adotada quarentena para os ex-diretores envolvidos e que sejam proibidos de criar empresas que tenham relação com mercado do petróleo. Parte da audiência foi presidida pelo senador Eduardo Amorim, que é da Comissão de Meio Ambiente e Fiscalização e Controle, e foi enfático ao indagar sobre os passos da Petrobras na transação da refinaria de Pasadena.

ProRedes
Na manhã de hoje três comissões temáticas da Assembleia Legislativa se reúnem para discutir e votar o projeto de lei que trata do Proredes, que constitui em empréstimo de R$ 250 milhões para a saúde pública. O projeto se encontra na Assembleia desde agosto de 2013 e só tramita agora por conta de uma decisão judicial do desembargador Ricardo Múcio.

De volta
Dois secretários municipais licenciados há quase 60 dias para tratamento de saúde retornaram às suas atividades esta semana. Na segunda-feira foi Georlize Oliveira, que reassumiu a Secretaria da Defesa Social e da Cidadania, e ontem foi Walker Carvalho, que voltou para o comando da Secretaria Municipal da Indústria, Comércio e Turismo.

Punição
A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados examina hoje substitutivo de Pedro Taques (PDT-MT) que altera o Código Penal para aumentar as penas para crimes cometidos durante manifestações populares ou concentração de pessoas. No texto, é considerado agravante para a pena o uso de máscara, capacete ou outro expediente que dificulte a identificação de quem comete o crime. As medidas visam reprimir o vandalismo nas manifestações.

Veja essa...

Do deputado federal Mendonça Prado, que volta a provocar o senador Eduardo Amorim para um debate e não poupa críticas ao grupo: "Querem fazer da política de Sergipe um grande negócio. Agem sem escrúpulos achando que os sergipanos são bobos. Vamos enfrentar os bandidos. Não vamos admitir que Sergipe seja transformado numa Ilha de marginalidade. Respeitem o povo sergipano".

... e essa ...
Do senador Amorim sobre o debate: "Não tenho medo de debater com ninguém. Tenho formação, estudo e profissão. Mas só vou para um debate para discutir no plano macro. Pensar em coisa grande, não em questão pessoal".

Curtas
O governador Jackson Barreto decretou ponto facultativo em todas as repartições e órgãos estaduais da administração direta e indireta nesta quinta-feira, 17, de acordo com o decreto estadual 29.700, de 20 de janeiro de 2014.

Como segunda-feira, 21, é dia de Tiradentes, os órgãos públicos do Estado só voltam às atividades normais na próxima terça-feira, 22.

O senador Valadares e o deputado federal Valadares Filho participaram, anteontem à noite, em Brasília, do lançamento da pré-candidatura de Eduardo Campos à presidência da República e de Marina Silva à vice-presidência.

O vereador Lucas Aribé (PSB) usou ontem a Tribuna da Câmara Municipal para falar sobre a campanha "Esta Vaga Não É Sua Nem Por Um Minuto"', que visa chamar a atenção da sociedade para o respeito às vagas exclusivas para pessoas com deficiência ou idosas.