Dia do fico?

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 04/04/2014 às 00:48:00

Termina hoje a novela que indica se o prefeito João Alves Filho (DEM) deixa ou não a prefeitura para disputar o Governo do Estado nas eleições deste ano. Novela essa iniciada em outubro de 2012, quando João ganhou a Prefeitura de Aracaju.

Será às 8h, durante entrevista coletiva à imprensa, a ser realizada no auditório da CDL, que João Alves fará o anúncio da sua tão esperada decisão guardada a sete chaves. Fato que levou a várias especulações nesses 15 meses, se intensificando nessa última semana por conta da proximidade do prazo final para desincompatibilização.

Não resta dúvida que o próprio João enfrentou um grande dilema para tomar a decisão que anunciará nesta sexta-feira. Isso porque concorreu a Prefeitura de Aracaju pensando na possibilidade de ser prefeito e depois disputar o governo, mas não teve o apoio da família, que deseja que conclua o mandato de prefeito, e, consequentemente, consiga fazer uma boa gestão.

Alguns amigos e o grupo do vice-prefeito José Carlos Machado (PSDB) são os que mais torcem para JAF deixar a prefeitura, por razões obvias. Machado deseja ser o prefeito de Aracaju e, de quebra, torce para que João Alves volte a governar o Estado.

Como João não é nenhum ingênuo na política, o que pesará, e muito, para sua decisão de hoje não é só a vontade da família ou dos amigos, mas a do povo. O prefeito tem pesquisa que mostra o grau de insatisfação do povo com relação à possibilidade dele, eleito no primeiro turno como a solução para os problemas de Aracaju, renunciar ao mandato com apenas um ano e três meses como prefeito. Ele também sabe que ainda não correspondeu às expectativas dos aracajuanos, principalmente com relação à saúde e aos problemas de mobilidade urbana.

O que é natural é um político renunciar ao mandato de prefeito ou governador, após a reeleição. Foi assim com Marcelo Déda, que foi eleito prefeito de Aracaju em 2000, reeleito em 2004, e em 2006 renunciou ao mandato para disputar o governo. Reeleito governador em 2010, Déda, se vivo estivesse, deveria estar renunciando hoje ao mandato de governador para concorrer ao Senado.
O próprio presidenciável Eduardo Campos (PSB), reeleito governador em 2010, renunciou ontem ao mandato de governador após seis anos e três meses de gestão. Isso é o que sempre acontece na política brasileira: a renúncia ao cargo no Executivo somente no segundo mandato.

O único que a coluna tem conhecimento que renunciou no primeiro mandato e se deu mal é o tucano José Serra. Em 2004 ele foi eleito prefeito de São Paulo, renunciou ao mandato um ano depois para disputar o governo de São Paulo e foi rejeitado nas urnas pelos paulistas. Até hoje Serra está sem mandato.
Mesmo liderando todas as pesquisas para o governo, João Alves sabe dos riscos de renunciar a prefeitura da capital com apenas um ano de gestão. Até porque ele já esteve com índices bem mais elevados e agora ocupa um percentual que não oferece muita segurança e, sequer, chance de vitória no primeiro turno com nomes na disputa como o do governador Jackson Barreto (PMDB) e o do senador Eduardo Amorim (PSC).

João sabe que ele é o único dos pré-candidatos que tem muito a perder. No caso de Jackson não ser reeleito em outubro, deixará o governo em 31 de dezembro como deixaria se não disputasse a reeleição. Amorim tem mais quatro anos como senador. Já João Alves perderia dois anos e nove meses de mandato de prefeito e a chance de disputar a reeleição em 2016 com uma vitória nas urnas, e, quem sabe, disputar o governo em 2018. Sem falar que JAF também pode perder a confiança do povo.
Vamos aguardar hoje a tão esperada decisão de João Alves, que leva a crer que será o dia do fico e não o dia do saio...

Aviso
De Brasília chegou a informação que o prefeito João Alves Filho (DEM) teria comunicado anteontem, pessoalmente, à Executiva Nacional do seu partido, que permanecerá na Prefeitura de Aracaju. O partido pediu apenas que ele não fizesse aliança com o PT.

A alternativa
Segundo um deputado federal, isso é o que se comenta em Brasília após a ida de João Alves ao Distrito Federal na última quarta-feira. Ainda de acordo com ele, se comenta também que o vice-prefeito José Carlos Machado (PSDB) já decidiu colocar o bloco na rua para sua candidatura a deputado estadual.
Especulações
Em Brasília, de acordo com o parlamentar, é dito que o PSDB de Machado fará em Sergipe uma composição com o pré-candidato a governador, o senador Eduardo Amorim (PSC). E que a senadora Maria do Carmo Alves (DEM) também pode disputar mandato de deputada estadual nas eleições deste ano, por querer ficar em Sergipe e para levar o partido a ter uma boa bancada na Assembleia.

Codevasf
O advogado Said Schoucair será o novo superintendente da Codevasf em Sergipe, em substituição a Paulo Viana, que entregou o cargo com a decisão do PSB em romper com o governo estadual e federal por conta da pré-candidatura de Eduardo Campos ao Planalto. A indicação, que há anos era do PSB, agora é do PROS de Sergipe, que tem como presidente o ex-deputado federal Bosco Costa.

Papelada
Segundo Bosco, o advogado Said, que é filiado ao PROS de Sergipe, será o superintendente da Codevasf por indicação sua, que, inclusive, já encaminhou para Brasília toda a documentação para nomeação. Revela que o PROS, a nível nacional, tem o Ministério da Integração Nacional.

Renúncia
Bosco renuncia hoje à presidência do Detran, que ficou por quase três anos, para tentar voltar a Câmara dos Deputados. Disse que fez o possível para melhorar o órgão, principalmente, a qualidade dos serviços com a implantação do sistema on-line, e os salários dos servidores com gratificação de R$ 230,00 e ticket refeição de R$ 350,00. "É pouco, mas para quem ganha salário mínimo, o valor é significativo", avalia.

O sucessor
Como a coluna vem anunciando desde janeiro, o ex-prefeito de Canindé do São Francisco, Orlandinho Andrade, sucederá Bosco Costa no Detran. Orlandinho já deve assumir o comando do órgão na próxima semana.

Despedida
Quem se despediu ontem da Câmara de Vereadores foi a defensora pública Emília Correia (DEM). Como suplente, Emília deve deixar o parlamento com o provável retorno do vereador Josenito Vitale (DEM) à Casa, mediante renúncia do cargo de secretário municipal da Cultura para concorrer a mandato de deputado estadual. Ela se emocionou.

Trabalho extra
Deputados estaduais participam hoje, a partir das 8h, de sessão extraordinária visando debater e votar em plenário os vários Planos de Carreira dos Servidores Públicos, que têm que ser sancionados pelo governador Jackson Barreto (PMDB) na próxima segunda-feira e publicado no Diário Oficial do Estado, de acordo com prazo estabelecido pela legislação eleitoral.
Aprovado
Ontem, antes da reunião das comissões temáticas realizada no período da tarde, os parlamentares se reuniram com o secretário Jefferson Passos (Fazenda) e a adjunta Lucivanda Nunes (Planejamento) para tirar dúvidas sobre as propostas. Nas comissões, após longo debate, os projetos foram aprovados, indo a plenário nesta sexta-feira.

Adesão
Já foi agendada para a próxima terça-feira uma reunião do presidente estadual do PMN, o pré-candidato a deputado federal Antonio Luiz, com o governador Jackson Barreto (PMDB). Na pauta, a possibilidade do partido apoiar a reeleição de JB, que tem o apoio da Executiva Nacional.

Registro
Por conta dos quatro meses da morte do ex-governador Marcelo Déda, completados no último dia 02, o ex-deputado estadual Jorge Araujo, secretário geral do Partido Social Democrático (PSD) em Sergipe, ressaltou ontem a importância e o trabalho de Déda na coordenação para implantação do PSD no estado. Segundo ele, foi o seu prestigio e credibilidade que garantiu o novo partido forte para a base aliada do governo.

Sem ponte
Nenhuma empresa se interessou pela licitação do Governo do Estado para execução dos serviços de sondagem rotativas na ponte sobre o Rio São Francisco, interligando os municípios de Brejo Grande, em Sergipe, a Piaçabuçu, em Alagoas. Esse resultado foi homologado em 28 de março de 2014, pela Comissão Permanente de Licitação. Um novo edital deve ser lançado. 

Veja essa...

De um parlamentar ontem, à coluna, sobre a decisão a ser anunciada hoje pelo prefeito João Alves se deixa ou permanece na Prefeitura de Aracaju: "Deve estar faltando Lexotan nas farmácias de Sergipe".

Curtas
Em nome da bancada do DEM na Assembleia, o deputado estadual Augusto Bezerra ocupou ontem a tribuna da Assembleia Legislativa para elogiar a atuação do prefeito João Alves. Disse que ele mudou a realidade da capital e que continuará fazendo muito mais pelos aracajuanos.

Augusto disse ainda que o prefeito tem um plano de expansão para cumprir tudo o que fora prometido na campanha eleitoral. Foi uma forma de dizer que os deputados do DEM querem que João Alves permaneça prefeito de Aracaju.
O vereador Lucas Aribé (PSB) ocupou ontem a tribuna da Câmara para lamentar a rejeição de projeto de lei de sua autoria pedindo a contratação do psicopedagogo por escolas municipais. "Em nome de todos os psicopedagogos de Aracaju, lamento essa derrota que terá os seus reflexos ao longo do tempo".

O governo conseguiu ontem à noite, antes do fechamento da coluna, liminar determinando que a presidente da Assembleia, Angélica Guimarães, faça na sessão extraordinária de hoje a leitura do ProRedes, iniciando, assim, a sua tramitação na Casa.